skip to Main Content
18 de janeiro de 2021 | 05:54 pm

BANCÁRIOS REJEITAM PROPOSTA DA FENABAN E MANTÊM GREVE

Tempo de leitura: < 1 minuto
Greve afeta mais de 12 mil agências bancárias em todo o país.

Greve afeta mais de 12 mil agências bancárias em todo o país.

Os bancários rejeitaram hoje (20) a proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) de 7,5% de reajuste e retirada do abono, após reunião realizada para negociar o fim da greve, no Hotel Maksoud Plaza, capital paulista.

A negociação continua amanhã (21), a partir das 11h.

Os bancários estão em greve há 15 dias. Ontem (19), segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (‎Contraf-CUT), 12.496 agências e 40 centros administrativos paralisaram suas atividades nos 26 estados e no Distrito Federal.

Eles reivindicam reajuste salarial de 16%, incluindo reposição da inflação, mais 5,7% de aumento real, participação nos lucros e resultado (PLR), equivalente a três salários mínimos, mais R$ 7.246,82, melhores condições de trabalho e fim das demissões, entre outros.

BANCOS MELHORAM PROPOSTA, MAS GREVE CONTINUA

Tempo de leitura: < 1 minuto
Greve nos bancos pode chegar ao fim na segunda-feira (Foto Pimenta/Arquivo).

Greve nos bancos pode chegar ao fim na segunda-feira (Foto Pimenta/Arquivo).

Na nona rodada de negociação da Campanha 2014, realizada ontem à noite em São Paulo, no quarto dia da greve nacional da categoria, a Federação Nacional de Bancos (Fenaban) apresentou nova proposta ao Comando Nacional dos Bancários, que eleva o índice de reajuste de 7,35% para 8,5% (aumento real de 2,02%) nos salários e demais verbas salariais, de 8% para 9% (2,49% acima da inflação) nos pisos e 12,2% no vale-refeição.
A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), que coordena o movimento, ficou de analisar as propostas durante o fim de semana e vai convocar assembleias na segunda-feira junto aos 134 sindicatos em todo o país para decidir se aceitam as novas ofertas e suspendem a paralisação. D´O Globo.

GREVE DOS BANCÁRIOS NA BAHIA

Tempo de leitura: < 1 minuto
Greve afetará bancos públicos e privados (Foto Pimenta/Arquivo).

Greve afetará bancos públicos e privados (Foto Pimenta/Arquivo).

Bancários baianos aderiram à greve nacional que atinge outros 20 estados. A paralisação por tempo indeterminado começa nesta terça (30).
A greve na Bahia foi confirmada no início da noite de ontem (29), em Salvador. Após sete rodadas de negociações, a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), ofereceu 7% de reajuste, enquanto os bancários pedem 12,5%, correspondendo a 5,4% de aumento real.
As negociações pouco avançaram do último sábado até ontem. Nova assembleia está prevista para as 18h30min desta quarta (1º) em Salvador.
Durante a greve, opções serão a internet ou casas lotéricas. Operações em caixas eletrônicos estão liberadas.

BANCÁRIOS MANTÊM GREVE PARA 3ª

Tempo de leitura: < 1 minuto

Após uma nova rodada de negociações entre a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf) e a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), os bancários decidiram manter a greve prevista para começar na próxima terça-feira (30).
Na reunião de ontem (27), os bancos elevaram o índice de reajuste de 7% para 7,35% para os salários, e de 7,5% para 8% para os pisos, segundo a Contraf. “O Comando Nacional dos Bancários considerou a nova proposta insuficiente não somente do ponto de vista econômico, mas também porque ignora completamente as demais reivindicações da pauta de reivindicações da categoria”, informou a categoria, em nota.
Os trabalhadores pedem reajuste salarial de 12,5% e piso salarial de R$ 2.979,25, entre outras reivindicações, como fim das metas, consideradas abusivas, combate ao assédio moral e isonomia de direitos para afastados por motivo de saúde.

BANCÁRIOS ENTRAM EM GREVE NA TERÇA

Tempo de leitura: < 1 minuto
Bancários entram em greve na próxima terça (Foto Pimenta).

Bancários entram em greve na próxima terça (Foto Pimenta).

Após assembleia realizada na noite desta quinta-feira (25), os bancários da Bahia decidiram entrar em greve por tempo indeterminado a partir da próxima terça (30).
A categoria reivindica reajuste salarial de 12,5%, com 5,4% de ganho real. Entretanto, o patronato oferece um aumento de 7%.
As negociações com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) não teve avanços, por isso a categoria decidiu pela paralisação. Segundo informações do Sindicato dos Bancários da Bahia, foram sete rodadas de negociação, que não chegaram a resultados positivos para os trabalhadores.
Uma nova assembleia para organizar a greve será realizada na segunda-feira, 29, às 18h, no ginásio de esportes do Sindicato, localizado no Largo dos Aflitos. Informações d´A Tarde.

BANCÁRIOS CHEGAM A ACORDO COM FENABAN

Tempo de leitura: < 1 minuto

Da Agência Brasil

Uma nova proposta, que eleva para 8% (aumento real de 1,82%) o índice de reajuste salarial, foi apresentada pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) ao Comando Nacional dos Bancários, coordenado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), na madrugada de hoje (11). A proposta, apresentada após o 22º dia de greve, será levada agora às assembleias para ser votada.

O comando de greve está orientando os sindicatos a promover assembleias até segunda-feira (14) e a aceitar a nova proposta, que inclui ainda reajuste de 8,5% do piso salarial (ganho real de 2,29%) e de 10% sobre o valor fixo da regra básica e sobre o teto da parcela individual da Participação nos Lucros e Resultados (PLR). A proposta também eleva de 2% para 2,2% o lucro líquido a ser distribuído linearmente na parcela adicional da PLR.

As negociações feitas ontem com a Fenaban durararam 16 horas. A compensação dos dias parados será feita de segunda a sexta-feira, até 15 de dezembro, com uma hora extra diária.

GREVE FECHA 10,6 MIL AGÊNCIAS BANCÁRIAS

Tempo de leitura: 2 minutos
Greve afeta mais de 10 mil agências bancárias.

Greve afeta mais de 10 mil agências bancárias.

Daniel Lima | Agência Brasil

A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf) divulgou balanço que mostra que em pouco mais de uma semana da greve nacional dos bancários foram fechados 10.633 agências e centros administrativos nos 26 estados e no Distrito Federal, até ontem (27).

A confederação reclama que há um silêncio da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) que “se recusa a apresentar proposta com aumento real de salário, valorização do piso, melhoria da participação nos lucros e resultados”, além de não fazer novas contratações, para diminuir a rotatividade e acabar com as terceirizações.

Os bancários enviaram ao presidente da Fenaban, Murilo Portugal, carta rejeitando o reajuste de 6,1%, apresentado no dia 5 de setembro, e apresentando a disposição para negociar uma proposta que atenda às reivindicações econômicas e sociais dos bancários.

A categoria também informou que as últimas declarações da Fenaban de que “os bancários não precisam de aumento real e precisam apenas manter os seus direitos em um momento em que os bancos estão tendo recorde de lucros provocou ainda mais a indignação” da categoria.

Entre as principais reivindicações, estão o reajuste salarial de 11,93% (5% de aumento real além da inflação), piso salarial de R$ 2.860,21, auxílios-alimentação, refeição e creche de R$ 678 ao mês, melhores condições de trabalho, com o fim das metas abusivas. Eles pedem ainda o fim das demissões e combate às terceirizações, entre outros pontos.

 

GREVE FECHA 100% DAS AGÊNCIAS BANCÁRIAS EM ILHÉUS E ITABUNA

Tempo de leitura: 2 minutos
Barbosa (de vermelho) afirma que adesão à greve é surpreendente (Foto Pimenta/Arquivo).

Barbosa (de vermelho) diz que adesão à greve é surpreendente (Foto Pimenta/Arquivo).

A greve dos bancários começou nesta quinta-feira (19) e atinge todas as agências em Ilhéus e Itabuna. A paralisação é por tempo indeterminado. Os bancários cobram reajuste salarial de 11,93%. A Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) oferece 6,1%, contraproposta rejeitada pela categoria.

Além dos 11,93% de reajuste, os bancários cobram aumento na Participação nos Lucros e Resultados (PLR) e pauta com cláusulas de saúde e segurança. Neste último item, a preocupação é grande na Bahia, um dos estados campeões em ataques de bandidos a postos de atendimento e caixas de instituições financeiras.

ITABUNA

Segundo o presidente do Sindicato dos Bancários em Itabuna e Região, Jorge Barbosa, o percentual de reajuste oferecido pela Fenaban não cobre a inflação do período. “Os 6,1% estão abaixo dos 6,6% apurados nos últimos 12 meses”, disse. A rodada de negociação ocorreu em 5 de setembro. “De lá para cá, não houve mais nenhuma negociação e não há indicativo [de quando os dois lados sentam-se à mesa novamente]”.

Jorge Barbosa disse que, além de todas as agências fechadas, a adesão da categoria neste ano é considerada surpreendente. “A adesão está muito boa. Nestes últimos anos não tivemos adesão tão boa como agora”, afirmou ao PIMENTA.

A paralisação é total em municípios como Itajuípe, Itapitanga e Coaraci, de acordo com Barbosa. Até o início da tarde, o sindicato terá balanço da paralisação em todos os 11 municípios cobertos pela entidade que tem sede em Itabuna.

ILHÉUS

“Todas as agências estão fechadas em Ilhéus e a adesão [dos bancários] chega a 90% nas agências privadas, 75% no Banco do Brasil e 80% na Caixa”, afirmou ao PIMENTA o presidente do Sindicato dos Bancários de Ilhéus, Rodrigo Cardoso.

As agências bancárias em municípios da base do sindicato ilheense também fecharam, a exemplo de Una, Canavieiras, Ubaitaba, Itacaré e Camamu. Na avaliação de Cardoso, as negociações devem ser retomadas a partir do momento que a Fenaban sentir o nível de adesão dos bancários à greve. A entidade dos banqueiros, segundo ele, tem se comportado desta forma todos os anos.

ALTERNATIVAS PARA O CORRENTISTA

Enquanto perdurar a greve, os correntistas somente poderão realizar operações via caixas eletrônicos, internet e telefone ou recorrer a casas lotéricas.

 

BANCÁRIOS ENTRAM EM GREVE AMANHÃ

Tempo de leitura: < 1 minuto
Paralisação em 2012 afetou 100% das agências bancárias em Itabuna (Foto Pimenta/Arquivo).

Paralisação em 2012 afetou 100% das agências bancárias em Itabuna (Foto Pimenta/Arquivo).

O brasileiro deve se preparar. Além da greve dos Correios iniciada nesta quarta-feira (18) na maioria dos estados, inclusive na Bahia, outra paralisação programada é a dos bancários. A categoria cruza os braços por tempo indeterminado nesta quinta (19) para cobrar aumento salarial de 11,93%.

A decisão de entrar em greve foi tomada em assembleia e após a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) oferecer praticamente a reposição das perdas inflacionárias do período. A contraproposta foi de 6,1%, rejeitada pela categoria.

GREVE NOS BANCOS TERMINA NESTA 5ª

Tempo de leitura: < 1 minuto

Os representantes dos bancos ofereceram reajuste médio de 7,5% para os trabalhadores do setor, além de correções diferenciadas de benefícios. Com isso, e diante da possibilidade de ganho real de 3,08% sobre a inflação, a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf) orientou os sindicatos da categoria a encerrar a greve. A vingar essa diretriz, as agências terão seu funcionamento normalizado já nesta quinta-feira, 14.
Os bancários deflagraram paralisação há 15 dias, reivindicando 11% de reposição salarial e aumento da Participação nos Lucros.

Back To Top