skip to Main Content
12 de maio de 2021 | 03:01 pm

HOMEM É PRESO COM 200 QUILOS DE MACONHA PARA DISTRIBUIR EM ITABUNA

Tempo de leitura: < 1 minuto
Homem foi preso com duzentos quilos de droga.

Sidclei foi preso com duzentos quilos de droga.

A Polícia Rodoviária Estadual prendeu um homem com duzentos quilos de maconha, há pouco, na BA-262, em Firmino Alves. A droga, oriunda de Brasília, seria distribuída em Itabuna.
O traficante foi identificado pela polícia como Sidclei Oliveira Farias, de 43 anos. A droga estava sendo transportada na carroceria de uma picape Fiat Strada, placa HAQ-3600, licença de Brasília (DF).
O homem foi encaminhado pelos patrulheiros rodoviários para o complexo policial de Itapetinga, no sudoeste baiano. Atualizado às 21h50min.
Droga apreendida pelos policiais rodoviários em Firmino Alves.

Droga apreendida pelos policiais rodoviários em Firmino Alves.

DOIS BICUDOS

Tempo de leitura: 2 minutos

marco wense1Marco Wense

Geraldo anda dizendo que Magalhães, que é o diretor-presidente da Bahiagás, vem gastando o dinheiro da empresa na campanha para deputado federal.

O relacionamento político entre o PT e o PCdoB de Itabuna sempre foi marcado por intrigas, picuinhas, traições, falsidades, desconfianças e até ofensas pessoais.
O pega-pega é velho, vem da política estudantil na então Fespi, quando comunistas e petistas se digladiavam pelo comando do Diretório Central dos Estudantes, o cobiçado DCE.
Quando se juntam, como aconteceu em várias sucessões municipais, é por interesse e conveniência, já que a união se torna indispensável para derrotar os adversários comuns.
O PT e o PCdoB são inimigos ferrenhos quando estão separados no processo eleitoral. PCdoB versus DEM ou PT versus PSDB são confrontos civilizados quando comparados a uma disputa PT versus PCdoB.
O mais recente duelo envolve as duas figuras emblemáticas do petismo e do comunismo tupiniquins, sem dúvida o ex-prefeito Geraldo Simões e o ex-vereador Davidson Magalhães.
Geraldo anda dizendo que Magalhães, que é o diretor-presidente da Bahiagás, vem gastando o dinheiro da empresa na campanha para deputado federal.
Defensores de Davidson, irritadíssimos com Geraldo, lembram que o ex-alcaide, em vez de se preocupar com a vida alheia, deveria cuidar da sua condição de réu nos processos que tramitam na justiça.
E mais: corre à boca pequena a informação de que o PT vai reivindicar o comando da Bahiagás assim que Davidson se afastar da presidência para concorrer ao Parlamento.
Dois bicudos não se beijam. Geraldo Simões e Davidson Magalhães sequer se abraçam. É melhor assim do que abraço de tamanduá.
Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

AUDIÊNCIA DISCUTE PROJETO DA CENTRAL DE ABASTECIMENTO DO MALHADO

Tempo de leitura: < 1 minuto
Ministro Francisco Teixeira, Luiz Argôlo, Vivaldo Mendonça e Adriana Melo na reunião que discutiu projeto da Central do Malhado

Ministro Francisco Teixeira, Luiz Argôlo, Vivaldo Mendonça e Adriana Melo na reunião que discutiu projeto da Central do Malhado

Em audiência ocorrida nesta quarta-feira (15),  no Ministério da Integração Nacional, em Brasília, o deputado federal Luiz Argôlo (SDD) e o diretor-executivo da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional  da Bahia (CAR), Vivaldo Mendonça, discutiram caminhos para que seja acelerada a análise técnica relativa ao projeto de requalificação da Central de Abastecimento do Malhado, em Ilhéus. O projeto é orçado em R$ 34 milhões.
O assunto foi tratado com o ministro Francisco Teixeira e a secretária nacional de Desenvolvimento Regional, Adriana Melo Alves.
Outros temas abordados na mesma audiência foram a aprovação da proposta de fortalecimento da citricultura no litoral norte da Bahia e o apoio à agricultura familiar na mesma região.

A MALA DE RAIMUNDO DO BASÍLIO

Tempo de leitura: < 1 minuto
Raimundo do Basílio: desespero.

Raimundo do Basílio: desespero no aeroporto.

Mais experientes em viagens de avião, dois vereadores de Ilhéus resolveram tirar sarro dos passageiros de “primeira viagem” que seguiram para a Marcha em Brasília. Sobrou para o vereador Raimundo do Basílio.

Ao tentar retirar a mala da esteira, no desembarque na capital federal, Raimundo foi avisado que, se caso a mala dele passasse pela esteira uma única vez, sem ser pega, ela iria direto a um triturador, instalado nos fundos do aeroporto.

Resultado: desesperado com a mala que acabara de passar bem às suas vistas, Raimundo do Basílio não contou conversa… Saiu em desespero em direção à esteira e, nos últimos segundos ante a “tragédia” anunciada por um colega, conseguiu pegar a mala. Aí veio a grande surpresa. De nada adiantou o esforço. Ele pegou a mala… errada.

O dono da bagagem apareceu e provou que os pertences eram seus. Basílio rodou a baiana no aeroporto mesmo diante de uma mala que sobrara na esteira. Funcionário do aeroporto e da empresa aérea perguntavam e ele nada. Até que, tíquete conferido e que tinha o nome do vereador, resolveram abrir a mala. Era dele. O vereador apenas não havia lembrado o modelo e a cor de uma que lhe foi emprestada pelo sobrinho para chegar até a capital federal.

QUE PAÍS É ESSE?

Tempo de leitura: 2 minutos

manuela berbert3Manuela Berbert | manuelaberbert@yahoo.com.br

Pasma, de frente para a TV após ver tanta miséria, lembrei-me de uma música da banda Legião Urbana, coincidentemente nascida em Brasília, que diz assim “nas favelas, no Senado, sujeira pra todo lado. Ninguém respeita a Constituição, mas todos acreditam no futuro da nação. Que país é esse?”

 

 

Sentei para assistir TV e me deparei com a seguinte matéria em um noticiário: um pai, morador de um bairro de classe média baixa de São Paulo, carregando um carro com dois filhos logo cedo, foram surpreendidos por bandidos. Ladrões desceram de um veículo, abordaram a família e dispararam tiros. Após uma perseguição frustrada, a conta foi a seguinte: mais uma família de pessoas honestas e batalhadoras infelizmente entrou para a estatística como vítima da violência.

Passei alguns minutos incrédula, processando na mente aquelas cenas, e confesso que não lembro qual matéria passou em seguida, mas sei que após o intervalo pude acompanhar mais um capítulo da novela brasileira chamada mensalão. O maior escândalo de corrupção política já visto por aqui, vale lembrar, envolveu compra de votos de parlamentares no Congresso Nacional.

Perdoem a expressão popular, mas é preciso ter sangue de barata para sentir-se contente com a atual situação do nosso país: de um lado, pessoas honestas em permanente estado de alerta, com os nervos à flor da pele, lutando pela sobrevivência numa guerra civil velada contra a criminalidade e o tráfico de drogas.

Do outro lado, o cinismo de condenados que insistem em dizerem-se inocentes após a descoberta de um rombo assustador nos cofres públicos e, consequentemente, nos nossos bolsos. Eleitos para representar a ordem e o progresso, nada fazem para sanar ou diminuir o caos brasileiro.

Se apenas uma parte do dinheiro desviado com o mensalão fosse aplicado em segurança pública, por exemplo, não estaríamos assistindo famílias serem dilaceradas diariamente, como nesse caso que citei acima. Pasma, de frente para a TV após ver tanta miséria, lembrei-me de uma música da banda Legião Urbana, coincidentemente nascida em Brasília, que diz assim “nas favelas, no Senado, sujeira pra todo lado. Ninguém respeita a Constituição, mas todos acreditam no futuro da nação. Que país é esse?”

Manuela Berbert é publicitária e colunista do Diário Bahia.

CACAU (CONTINUA) SEM PRESTÍGIO EM BRASÍLIA

Tempo de leitura: < 1 minuto
Audiência não teve representantes de ministérios nem do Banco do Brasil (Foto Divulgação).

Audiência não teve representantes de ministérios nem do Banco do Brasil (Foto Divulgação).

A audiência pública promovida pela Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados, ontem, reforçou a falta de prestígio do agronegócio cacau em Brasília. O ministro da Agricultura, Antônio Andrade, não compareceu, assim como o presidente do Banco do Brasil, Aldemir Bendine. O encontro também avaliaria os cortes orçamentários sofridos pela Ceplac.

O dirigente do BB afirmou que não poderia se pronunciar quanto à dívida de R$ 1,08 bilhão dos agricultores devido ao “período de silêncio” imposto ao banco pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Esse período vai até 11 de novembro, quando o Banco do Brasil divulgará o seu balanço do terceiro trimestre.

Dos parlamentares da Bahia, compareceram Félix Júnior (PDT), Josias Gomes (PT), Lúcio Vieira Lima (PMDB) e Geraldo Simões (PT), além de Paulo Magalhães (PSD).

Como representantes dos cacauicultores, participaram da audiência Milton Andrade Júnior, presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Ilhéus, Guilherme Moura, presidente da Câmara Setorial do Cacau, e Águido Muniz, do Instituto Pensar Cacau. A Ceplac foi representada por Juvenal Maynart, superintendente do órgão federal na Bahia.

CÂMARA VAI DISCUTIR PERRENGUE DA CEPLAC

Tempo de leitura: 2 minutos
Juvenal aposta em programa para aumento de produção.

Maynart participa de audiência em Brasília

A dívida dos cacauicultores e os cortes orçamentários da Ceplac serão discutidos nesta terça-feira (29), em Brasília, durante audiência pública da Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados. O evento, proposto pelos deputados Josias Gomes (PT), Félix Júnior (PDT) e Márcio Marinho (PRB), debaterá os problemas da cacauicultura brasileira.

As dificuldades dos cacauicultores são antigas e conhecidas, e se aprofundaram a partir do fracasso do Programa de Recuperação da Lavoura Cacaueira (PRLC), que levou o produtor a assumir dívidas para bancar medidas que se revelaram equivocadas.

Na Ceplac, a penúria também vem de algum tempo, mas se acentuou com os cortes orçamentários determinados pelo Governo Federal para 2013. Contudo, paradoxalmente, este é um ano em que o órgão tem se “reinventado”, com uma atuação mais focada na questão da sustentabilidade e na formatação de uma proposta que reconheça a importância ambiental e a possibilidade de gerar novas receitas com a cabruca (sistema agroflorestal em que remanescentes da Mata Atlântica servem de sombra para os cacaueiros).

Essa proatividade, no entanto, esbarra na falta de recursos. “Esse é um ano particularmente difícil para a Ceplac do ponto de vista do orçamento”, afirma o superintendente do órgão para a Bahia e o Espírito Santo, Juvenal Maynart, que participará da audiência pública desta terça. “É salutar que o Congresso Nacional chame para si o problema e discuta, junto com a comunidade da cacauicultura, formas de avançar nas soluções”, ele sugere.

ÍNDIOS PROTESTAM EM BRASÍLIA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Marcelo Brandão | Agência Brasil

A ocupação indígena na sede da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) foi um protesto contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 215 e o Projeto de Lei Complementar (PLP) 227.

O ato desta quinta-feira (3), que durou cerca de uma hora, faz parte da Mobilização Nacional em Defesa da Constituição Federal, convocada pela Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), com o apoio de diversos movimentos sociais, com o objetivo de defender a Constituição, os direitos de povos indígenas e tradicionais e o meio ambiente.

A PEC 215, em tramitação desde 2000, propõe a retirada da atribuição exclusiva do Poder Executivo na homologação de terras indígenas. Já a PLP 227 prevê a exploração de terras indígenas em caso de relevante interesse público da União. “O Brasil está rasgando a Constituição [com os projetos], e nós viemos dar nosso recado de que isso não pode acontecer”, protestou o líder indígena Jurandir Xavante.

Leia mais

CONDENADO POR MATAR ÍNDIO GALDINO PASSA EM CONCURSO NO DF

Tempo de leitura: < 1 minuto
Galdino morreu com queimadura em 95% do corpo (Foto Reprodução).

Galdino morreu com queimadura em 95% do corpo (Foto Reprodução).

Eron Chaves Oliveira, 35 anos, um dos jovens que atearam fogo no corpo do índio pataxó Galdino Jesus dos Santos, em 1997, tornou-se agente de trânsito no Distrito Federal, após aprovação em concurso público. É o que revela matéria do portal UOL.

Ele estava com 19 anos à época do crime que ainda teve a participação de Max Rogério Alves, Antônio Novely Vilanova, Tomás Oliveira de Almeida e um menor que ficou internado 144 dias na Febem.

O agora servidor público trabalha nas ruas de Brasília na fiscalização e policiamento de trânsito. Eron passou no concurso em vaga reservada a portadores de deficiência. A condenação dos jovens saiu em 2001 e a liberdade condicional chegou em 2004.

A morte de Galdino teve requintes de crueldade. Os jovens encharcaram o corpo do indígena com um litro de álcool, aproveitando-se de que ele dormia em um ponto de ônibus. Atearam fogo logo em seguida e fugiram. Mas uma testemunha conseguiu passar pistas à polícia. Os jovens foram localizados por causa da placa do carro utilizado na noite do crime, anotada pela testemunha.

DILMA LIBERA R$ 3 BI PARA MUNICÍPIOS

Tempo de leitura: < 1 minuto

Yara Aquino e Carolina Sarres | Agência Brasil

A presidenta Dilma Rousseff anunciou hoje (10), na Marcha dos Prefeitos, repasse emergencial de R$ 3 bilhões aos municípios, cuja primeira parcela estará disponível a partir de agosto, e a segunda, a partir de abril de 2014. Também haverá facilidades para o Programa Minha Casa, Minha Vida em municípios com menos de 50 mil habitantes, a serem executadas pelo Caixa Econômica Federal e pelo Banco do Brasil.

De acordo com Dilma, o repasse emergencial será desvinculado e dirigido para o custeio de serviços públicos. A presidenta fez os anúncios acompanhada de 25 ministros, do vice-presidente Michel Temer e dos presidentes da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

Pouco antes de Dilma finalizar seu discurso, os prefeitos começaram a cobrar que ela mencionasse o Fundo de Participação dos Municípios (FPM), cujo aumento entre 1% e 2% era uma das principais reivindicações da marcha – o que não ocorreu. Ao terminar a fala sem anunciar qualquer aumento, houve um misto de vaias e aplausos à presidenta.

Leia mais

ALICE CRITICA "CONCURSO DA VIRGINDADE" NA BAHIA

Tempo de leitura: < 1 minuto
Alice exige explicações de secretário de Administração da Bahia (Foto Divulgação).

Alice exige explicações de secretário de Administração da Bahia (Foto Divulgação).

Aliada do governador Jaques Wagner, Alice Portugal (PCdoB-BA) subiu à tribuna da Câmara dos Deputados, em Brasília, para criticar o que chamou de “Concurso da Virgindade” na Bahia. Era referência indignada – e jocosa – a um dos itens do concurso da Polícia Civil baiana que, para dispensar exame ginecológico, exigia comprovação de virgindade por parte das candidatas no certame que preencherá 100 vagas para delegado, 100 para escrivão e 400 para investigador da PC.
– Retorno para Salvador para pedir explicações ao secretário da Administração da Bahia sobre o edital do concurso da Polícia Civil que exige atestado de virgindade em troca da dispensa da avaliação ginecológica detalhada.

O CACAU DA BAHIA: UMA VISÃO GLOBAL QUE PEDE UMA ATUAÇÃO LOCAL

Tempo de leitura: 3 minutos

eduardo thadeuEduardo Thadeu | ethadeu@gmail.com

Fatores por nós já bastante conhecidos e identificados, fizeram com que a produção da tradicional região cacaueira baiana perdesse importância e começasse a derrapar em um mar revolto de enganos e interesses, por vezes escusos, travestidos de ciência de ponta, mas a serviço do oligopólio já instalado.

Não é nenhuma novidade que a commodity cacau e seu mais refinado produto final, o chocolate, sofrem influências de um mercado oligopolizado e de tal forma concentrado que não se vislumbra precedente ou comparação em nenhuma outra cadeia produtiva iniciada no setor primário.
É por demais conhecida a situação de que cinco ou seis grandes compradores e processadores da matéria-prima cacau, a amêndoa, detêm quase 100% do mercado mundial, mercado este que, sem muito alarde, envolve algumas dezenas de bilhões de dólares.
Apesar dessas cifras, esse mesmo mercado deixa somente 7% dos ganhos em sua ponta inicial e, em contrapartida, tem 74% dos ganhos auferidos pela indústria alimentícia que utiliza os sabores e o nome do chocolate.
A novidade oligopólica aqui é que os processadores finais, aqueles que colocam as cáries nos dentes de nossos filhos ao açucararem o cacau, são os mesmos que detêm o poder de compra da matéria-prima original, o nosso bom e saudável fruto, o Cacau.
O Brasil, representado pela Bahia, já foi um importante fornecedor deste mercado internacional. Fatores por nós já bastante conhecidos e identificados, fizeram com que a produção da tradicional região cacaueira baiana perdesse importância e começasse a derrapar em um mar revolto de enganos e interesses, por vezes escusos, travestidos de ciência de ponta, mas a serviço do oligopólio já instalado.

Leia Mais

UPB NEGA RESPONSABILIDADE POR FAIXA "ANALFA"

Tempo de leitura: < 1 minuto

UPB diz não ter nada a ver com a luta dos hoyts

Durante o encontro da presidenta Dilma com prefeitos de todo o país, no final de janeiro, chamou atenção e virou motivo de piada uma faixa atribuída União dos Municípios da Bahia (UPB), que supostamente defendia a proposta de redivisão dos “royalties” do petróleo.
A faixa, tosca, trazia a seguinte mensagem, ipsi litteris: “A PRESIDENTA DA UNIÃO DOS MUNICÍPIOS DA BAHIA UPB MARIA QUITÉRIA E PREFEITOS BAIANOS PRESENTES NA LUTA DOS HOYTS PELA BAHIA E PELO BRASIL”.
Não deu outra, a pedrada foi parar em sites como o implacável Kibeloco (relembre aqui). Agora, passados quase dez dias do episódio, a assessoria da UPB nega ter qualquer relação com a luta pelos “hoyts”.
Em nota, a entidade esclarece que suas peças de divulgação seguem um padrão com tamanho personalizado e que utiliza sempre as cores da Bahia (vermelho, azul e branco), além de materiais como lona e tecido resistente à exposição externa.
A UPB ainda desconhece a autoria do “atentado”, mas afirma que sua coordenação jurídica trabalha para descobrir quem agiu para manchar a imagem da entidade junto aos cultores da boa linguagem.
 

PEEMEDEBISTA É O NOVO PRESIDENTE DA CÂMARA

Tempo de leitura: < 1 minuto
Denunciado, Eduardo Alves é o novo presidente da Câmara dos Deputados.

Denunciado, Eduardo Alves é o novo presidente da Câmara dos Deputados.

Assim como o novo presidente do Senado Federal, Renan Calheiros, o presidente eleito da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves, é do PMDB. E, também, é alvo de denúncias de corrupção. Eduardo Alves foi eleito no início da tarde desta segunda, 4, para mandato de dois anos à frente da Câmara Federal (2013/2015). Alves locou veículos na Global Transportes e Executiva com dinheiro público. As empresas estão em nomes de laranjas.
Levou a disputa em primeiro turno ao obter 267 votos ante 165 de Júlio Delgado (PSB-MG). A disputa ainda teve candidatura de Rose de Freitas (PMDB-ES) e Chico Alencar (PSOL-RJ) que obtiveram, respectivamente, 47 e 11 votos. Informações da Agência Brasil.

IMPORTAÇÃO DE CACAU CONTAMINADO SERÁ DEBATIDA EM BRASÍLIA

Tempo de leitura: < 1 minuto

A importação de cacau africano contaminado e a adoção de novas tecnologias para aumentar a produtividade no Brasil serão debatidos, nesta quarta, 21, às 14h30min, na Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados, em Brasília.

O debate foi proposto pelos deputados Carlos Magno (PP-RO) e Zé Silva (PDT-MG). O ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro Filho, o secretário de Agricultura da Bahia, Eduardo Salles, o novo diretor geral da Ceplac, Helinton Rocha, devem participar do debate.

O tema que deve aquecer o debate será mesmo a importação de cacau africano contaminado. Neste ano, quase dez mil toneladas foram importadas do continente africano para indústrias instaladas em Ilhéus e Itabuna (Sul da Bahia) e estavam contaminadas com insetos alados vivos. Apesar disso, o Ministério da Agricultura acabou liberando a carga.

Back To Top