skip to Main Content
12 de maio de 2021 | 02:49 pm

BANCADA BAIANA DEFENDE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

Tempo de leitura: < 1 minuto

Esvaziada pela ausência de diversos deputados que preferiram voltar mais cedo para suas bases, além da falta de representantes do governo estadual e das empresas envolvidas, a audiência pública realizada hoje em Brasília para discutir o projeto Porto Sul revelou que, na bancada baiana, predomina o posicionamento de conciliar desenvolvimento econômico e preservação ambiental.

Deputados como os peemedebistas Colbert Martins e Raymundo Veloso, da Bahia, afirmaram que o Porto Sul, além da ferrovia e do aeroporto que formarão o Complexo Intermodal, será importante para o desenvolvimento do Estado. Martins declarou que a execução da obra é fundamental, frisando a necessidade da observação de “parâmetros para proteger o meio ambiente”.

O debate, realizado na Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, foi convocado pelos deputados Ricardo Trípoli (PSDB/SP) e Fernando Gabeira (PV/RJ). Contou com a presença  de outros parlamentares, do procurador da República Eduardo El Hage, do presidente da Associação de Turismo de Ilhéus (Atil), Luigi Massa, além de pesquisadores da área ambiental.

Luiz Carreira (DEM/BA) não achou  a discussão  muito proveitosa. Segundo ele, a ausência dos representantes do Governo do Estado  não permitiu que se conhecessem as razões pelas quais o poder público decidiu investir no Complexo Intermodal”. É possível que outra audiência seja convocada.

AZEVEDO TENTA “DESENTERRAR CABEÇA DE JEGUE”

Tempo de leitura: < 1 minuto

O prefeito de Itabuna, Capitão Azevedo, está em Brasília, com a missão de discutir com o ministro da Integração Nacional, João Santana, detalhes sobre as obras de saneamento do canal do Lavapés. O encontro está agendado para a manhã desta segunda-feira (26).

A obra, na avenida Amélia Amado, conta com recursos de R$ 12,8 milhões do Governo Federal, mas ainda não recebeu oficialmente o aval do Instituto de Gestão das Águas e Clima (Ingá). Várias mudanças foram feitas no projeto original (que previa o “encapsulamento” das águas do Lavapés) e técnicos do instituto já teriam adiantado ao governo municipal que a outorga será deferida.

O saneamento do canal, além da reurbanização da avenida Amélia Amado, está incluído entre as ações do governo municipal para este ano em que Itabuna festeja os seus cem anos. Há quem acredite, porém, que a obra somente vá sair, com boa vontade, no centésimo-primeiro aniversário.

LULA ALFINETA O DORMINHOCO SERRA

Tempo de leitura: 2 minutos

Em discurso na cerimônia de despedida de dez ministros que deixam o governo federal nesta quarta-feira, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva mandou um recado ao pré-candidato do PSDB ao Palácio do Planalto, José Serra, ao afirmar que seus adversários terão que “trabalhar muito mais” do que ele para chegar ao poder. Sem citar o nome de Serra, Lula disse que aqueles que “dormem até as 10h” terão que lutar para conseguir se eleger – numa referência indireta ao hábito de Serra de não acordar cedo.

“Quem quiser me derrotar, vai ter que trabalhar mais do que eu. Quem quiser dormir até as 10h, achar que deve fazer relação com formador de opinião pública, para me derrotar vai ter que pôr o pé no barro, viajar esse país. As pessoas têm que aprender que esse país não aceita mais ser tratado como país de segunda classe”, afirmou.

Ao longo do discurso, Lula mandou vários recados à oposição. O presidente disse que o governo federal é o grande responsável por implantar políticas sociais no país, ao contrário de governos estaduais e municipais –uma vez que Serra governa São Paulo.

O presidente também mencionou o apagão que atingiu o país em 2001 ao afirmar que, durante o seu governo, não houve “surpresas” na área de energia elétrica. “Quantas aves de mau agouro torceram para que faltasse energia nesse país, para que tivesse o mesmo apagão de 2001? Vamos terminar o nosso governo sem ter o tão sonhado apagão dos nossos adversários”.

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Tempo de leitura: < 1 minuto

“Venho por meio deste esclarecer que quanto às denúncias de que o nosso gabinete foi alvo da infiltração de uma possível quadrilha que fraudava a Câmara dos Deputados, através do chamado “golpe da creche” que tão logo fomos comunicados da ocorrência destes fatos procuramos exonerar os supostos envolvidos e dar total colaboração ao processo investigatório conduzido pela polícia legislativa.

Assim, reiteramos a nossa desaprovação, surpresa e perplexidade com a capilaridade e complexidade do esquema que já vinha atuando na Casa há vários anos, antes mesmo do nosso mandato, e que por infelicidade acabou atingindo o nosso gabinete.

Entretanto ressalto que tais condutas lesivas, em que buscavam auferir vantagens sobre benefícios que a Câmara paga aos funcionários é de foro exclusivo do servidor, não tendo qualquer interferência do parlamentar.

Sendo assim, é bom que fique claro que não há nos processos em questão qualquer vinculação dos crimes com o parlamentar, ao tempo em que renovo a expectativa de que as possíveis irregularidades sejam punidas.

Raimundo Veloso, Deputado Federal (PMDB-BA).”

ASSINADO CONVÊNIO DE R$ 355,5 MILHÕES PARA SANEAMENTO NA BA

Tempo de leitura: < 1 minuto
Wagner e Márcio Fortes assinam convênio do Água para Todos.

Wagner e Márcio Fortes assinam convênio do Água para Todos.

Há pouco mais de um hora, o governador Jaques Wagner assinou, no Palácio Itamaraty, em Brasília, um convênio de R$ 355,5 milhões em obras do programa Água para Todos, do governo estadual. Este convênio beneficiará, principalmente, as cidades de Feira de Santana, Lauro de Freitas, Barreiras e Teixeira de Freitas.

A solenidade do PAC Saneamento teve as presenças de Wagner, e dos ministros Márcio Fortes (Cidades) e Dilma Roussef (Casa Civil) e do presidente Lula.

Wagner foi abordado pela imprensa sobre a sua defesa polêmica de “royalty zero” para os estados e assumiu a defesa de um fundo social proposto pelo presidente da República, para onde seriam direcionados recursos obtidos a partir da exploração de petróleo da camada pré-sal.

São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo, regiões que detêm as maiores reservas do pré-sal, querem 40% dos royalties. Wagner considera legítima a reivindicação dos estados, mas repete que não faz sentido pagar (ou reivindicar, no caso dos estados) royalties de exploração de petróleo feita a 300 quilômetros da costa.

De acordo com ele, o Congresso Nacional deve debater a questão sem dogmatismo e sem foco em questões regionais, e as discussões devem se situar longe da dicotomia governo-oposição.

ALÉM DA IMAGINAÇÃO

Tempo de leitura: < 1 minuto

Amigo deste blog esteve em Brasília recentemente, para o lançamento da candidatura de José Eduardo Dutra a presidente nacional do PT. Aproveitou para visitar o Congresso e espantou-se com o que viu.

Na visão dele, há muito artificialismo na principal crise que ora envolve o governo, em torno dos ditos e desmentidos pela ministra Dilma Rousseff e a ex-secretária da Receita Federal, Lina Vieira. E até quem não tem mandato entra no cortejo, pautando a oposição: neste caso, a referência é ao jornalista Merval Pereira, d’O Globo, um maestro da tropa de choque oposicionista.

Palavras do espantado amigo:

– Meu irmão, a coisa tá muito estranha por lá. Tá de vaca desconhecer bezerro…

Back To Top