skip to Main Content
31 de outubro de 2020 | 01:05 pm

TIQUE-TIQUE NERVOSO

Tempo de leitura: < 1 minuto

O presidente da Câmara de Itabuna, Ruy Machado, era entrevistado ontem no Jornal das Sete, da Morena FM. A entrevista seguia sem sobressaltos até que o jornalista, Paulo Vicente, perguntou a Ruy como é que um homem que diz ter apenas 40% da visão de um olho e é cego do outro consegue ter carteira de habilitação. Se vendo num mato sem cachorro, o vereador partiu para a “gororança”:
– Pergunte ao Detran, meu filho. É o pessoal do Detran que tem que responder.
E, para Ruy, um sucesso da década de 80, cantado por Kid Vinil:
http://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=2S8pEYxnGvs#t=36s

CÂMARA REABRE TRABALHOS AMANHÃ

Tempo de leitura: < 1 minuto

A Câmara de Vereadores de Itabuna inicia nesta terça-feira, 15, às 14 horas, os trabalhos ordinários da atual legislatura. A sessão será comandada pelo novo presidente da Casa, Ruy Machado (PRP). A nova gestão terá como principal desafio superar a mancha provocada pela administração de Clovis Loiola (PPS), acusado de desvios que superam a casa dos R$ 4 milhões.

Na próxima sexta, 18, o Ministério Público estadual ouvirá o ex-diretor de Recursos Humanos da Câmara, Kléber Ferreira. O ex-diretor promete abrir o bico e revelar como o ex-presidente manejava o dinheiro da Casa. Até agora, já foram ouvidos os vereadores Clovis Loiola (PPS), Roberto de Souza (PR) e Ricardo Bacelar (PSB), que integravam a Mesa Diretora, e os ex-diretores Alisson Cerqueira e Eduardo Freire.

RUY É ELEITO PRESIDENTE DA CÂMARA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Gerson e Ruy (à direita) comemoram eleição (Foto View Sílvio).

Por 9 votos a 1, o vereador Ruy Machado (PRP) foi eleito o novo presidente da Câmara de Itabuna em disputa encerrada há pouco no plenário. Ele tomará posse na próxima segunda, 3, às 9h, em substituição a Clovis Loiola (PPS). Apesar de adversário de Ruy, Loiola acabou sendo o décimo voto do novo presidente.
Os vereadores Roberto de Souza (PR), Milton Gramacho (PRTB) e Raimundo Pólvora (PPS) abandonaram o plenário na hora da votação. O novo presidente assume tendo o compromisso de “moralizar” a Câmara e construir a sede do legislativo.
A chapa vencedora ainda é composta por Gerson Nascimento (PV) na vice, Didi do INSS na primeira secretaria, Milton Cerqueira na segunda secretaria e o petista Claudevane Leite assume a terceira secretaria. Rose Castro (PR) assume a terceira vice-presidência.
Ruy Machado foi eleito após uma intensa disputa judicial. Ele havia sido escolhido presidente em um pleito ocorrido há quase um mês e considerado irregular pela Justiça, que determinou nova disputa.
Do outro lado estava Roberto de Souza (PR), escolhido para a presidência da Casa em 5 de junho de 2009. A eleição também foi considerada irregular.

JUSTIÇA MANTÉM NOVA ELEIÇÃO NA CÂMARA

Tempo de leitura: < 1 minuto

O juiz Érico Bastos, da Vara Cível e da Fazenda Pública, manteve para amanhã (31), às 9h30min, a eleição que vai escolher a nova Mesa Diretora da Câmara de Vereadores de Itabuna. O magistrado indeferiu o pedido de embargos de declaração do grupo do vereador Roberto de Souza (PR).
Os embargos foram contra a decisão do juiz Wilson Gomes, que, na terça-feira (29), havia decidido pela anulação das eleições de junho de 2009 e a de novembro deste ano e que apontaram, respectivamente, Roberto de Souza e Ruy Machado (PRP) para a presidência da Casa.

OPORTUNIDADE

Tempo de leitura: 2 minutos

Marco Wense
Todo mundo sabe que a imagem dos vereadores de Itabuna perante a opinião pública é desastrosa. Essa é, sem nenhuma dúvida, a pior Casa Legislativa da história política do município.
Em votação relâmpago, na base do vapt-vupt, com as articulações sendo efetuadas na calada da noite, o senhores parlamentares – deputados federais e senadores – aumentaram os seus vencimentos para R$ 26.723,13.
Como o efeito é de cascata, as Assembleias estaduais podem conceder aumento aos seus deputados, já que a lei permite uma remuneração de até 75% do federal. As Câmaras Municipais também podem engordar o din-din dos edis.
Os vereadores de Itabuna têm a grande oportunidade de, pelos menos, amenizar um pouco o desgaste com o eleitor. Como não merecem aumento nenhum, nem mesmo de centavos, abririam mão do efeito dominó, deixando os salários congelados.
Aproveitando o clima natalino, é melhor acreditar em papai Noel ou, então, que o PT de Geraldo Simões, em detrimento de candidatura própria, vai apoiar o candidato do PCdoB na sucessão do prefeito Azevedo (DEM).
E por falar nos aloprados tupiniquins, não se espera outra atitude do Ministério Público Estadual e da Polícia Federal que não seja a de apurar toda a roubalheira que tomou conta da “Casa do Povo”.
O SEGUNDO ROUND

O primeiro round entre o PT e o PMDB, no período pós-eleição, terminou sem derrotados. Como o governo Dilma precisa do PMDB e o peemedebismo não vive longe do poder, chegou-se a um entendimento na composição ministerial.
Vem agora o segundo round, que será travado no Congresso Nacional em torno da Proposta de Emenda Constitucional que não permite mais ao vice-presidente suceder o titular em caso de vacância.
Pela PEC, que já foi aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado, o vice passaria a ser apenas o substituto temporário do presidente. Ou seja, não completaria o seu mandato.
Em caso de morte, doença gravíssima ou de impeachment do presidente, seria convocada novas eleições em 90 dias. Se a vacância acontecer nos dois últimos anos de governo, o processo sucessório seria de forma indireta, via Congresso Nacional.
A PEC, que ainda vai causar muito tititi e alvoroço entre os senhores parlamentares, enfraquece a figura do vice-presidente da República, que é do PMDB

RUY MACHADO: "ESTOU DISPOSTO A UMA NOVA ELEIÇÃO"

Tempo de leitura: 2 minutos

Ruy Machado: barba, cabelo e bigode".

Em meio a uma disputa de bastidores que move peças da oposição e do governo, o vereador Ruy Machado diz não ter dúvida de que assumirá a presidência da Câmara de Itabuna, apesar de ter havido uma eleição anterior à dele em junho do ano passado. Afirmando que não fará composição com o presidente Clóvis Loiola (PPS) e o primeiro secretário da Casa, Roberto de Souza (PR), ele diz que até estaria disposto a uma nova eleição. “Aí vamos fazer barba, cabelo e bigode”. Quem diria…
Acompanhe o papo com o PIMENTA:
Você assume no dia primeiro?
Não tenho a menor dúvida, já que a eleição de um ano e meio atrás foi totalmente ilegal e derrubada pelo plenário da Câmara por nove votos, além de ter sido reconhecida pela Justiça.
O outro presidente, Roberto de Souza, já montou transição. E a sua equipe?
Não tenha dúvida de que tudo que foi feito ilegalmente vai mudar já nesta segunda-feira, para que eu venha trabalhar e colocar as coisas em ordem.
Qual será o seu comportamento na presidência?
O que precisamos é governar com total independência do Executivo. As coisas vão mudar no Executivo também.
O secretário Gilson Nascimento deixa o governo. Ele vai para a diretoria da Câmara?
De maneira nenhuma. O secretário Gilson tem outros compromissos com o deputado Luiz Argolo e não faz parte da minha equipe de gestão.
O ex-diretor do Instituto Biofábrica de Cacau ocupará a diretoria-administrativa?
O único cargo sinalizado até agora é a diretoria da Casa. É um cargo que me pertence e a pessoa escolhida foi Moacir Smith Lima.
A promotoria pública solicitou a indisponibilidade de bens de vereadores. Como o senhor vê essa situação?
É de fato uma situação muito triste aquele poder estar nessa situação. O relatório da CEI foi entregue à promotoria. Vamos aguardar agora. Não tenho nada contra vereador nenhum.
Haverá ou não nova eleição?
Eu estou até disposto a uma nova eleição, pois aí vamos fazer barba, cabelo e bigode. Acabou período Loiola, acabou período Roberto. Eu não componho nem com Roberto nem com Loiola.

DILMA E O PT

Tempo de leitura: 2 minutos

O azar de Dilma é o pragmático PMDB com maior poder de pressão na busca de mais ministérios, cargos no primeiro e segundo escalões e de outras benesses.


Marco Wense
A presidente eleita Dilma Rousseff vai contar com uma maioria parlamentar na Câmara dos Deputados e no Senado, com dez partidos apoiando a governabilidade, incluindo aí o PT e suas diversas tendências.
Sem dúvida, um Congresso Nacional menos oposicionista e barulhento quando comparado com o do governo do presidente Lula, que foi até ameaçado de afastamento no escândalo do mensalão.
O azar de Dilma é o pragmático PMDB mais forte do que no governo anterior, com maior poder de pressão na busca de mais ministérios, cargos no primeiro e segundo escalões e de outras benesses.
O PMDB se fortalece com Michel Temer, presidente nacional da legenda, no exercício da vice-presidência da República, sendo o substituto imediato de Dilma nos casos previstos na Constituição.
O peemedebismo não se contenta com pouco. Vai querer mais, mais, muito mais. Toda vez que receber uma negativa, até mesmo um “nãozinho”, vai criar problemas para o governo nas duas Casas Legislativas.
Como não bastasse o PMDB, Dilma deve enfrentar a ala do PT insatisfeita com a composição ministerial. Sem falar nos aloprados petistas que contaminam o governo com suas estripulias e travessuras.
É bom lembrar que a expressão “aloprado” foi usada pelo presidente Lula para separar o joio do trigo. Petistas foram flagrados carregando dólares na cueca. A banda ruim da política tem que ser extirpada, sob pena de corromper a boa.
A figura do aloprado é universal. Existe em todas as agremiações partidárias. Não é exclusividade do PT. Se há alguma diferença em relação a outros países, fica por conta da impunidade, já que os aloprados brasileiros costumam debochar da justiça.
Dilma defende o petista Cândido Vaccarezza para a presidência da Câmara dos Deputados. Arlindo Chinaglia e Ricardo Berzoini, este último ex-presidente nacional da legenda, trabalham para eleger o desconhecido Marco Maia (PT-RS).
A primeira derrota política de Dilma, que deveria ser proveniente de uma articulação envolvendo os oposicionistas do PSDB e do DEM, vai terminar sendo construída pelos “companheiros”.
É o PT versus PT, para o desespero de Dilma e a alegria dos tucanos e democratas.

NOVA ELEIÇÃO, NOVA CHAPA

O desfecho do imbróglio envolvendo a Câmara Municipal de Itabuna, se haverá ou não nova eleição para a Mesa Diretora, continua sob nuvens cinzentas.
Tem até gente falando em nova chapa, encabeçada por Milton Cerqueira, com o apoio do prefeito Azevedo e dos vereadores Clóvis Loiola, Roberto de Souza, Raimundo Póvoas e Milton Gramacho. Outro edil, guardado como “segredo de justiça”, está sendo sondado para ser o primeiro-secretário.
Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

A BANCADA DOS GAZETEIROS

Tempo de leitura: < 1 minuto

Do Trombone

Nunca se soube do vereador Ruy Machado que este fosse um exemplo de assiduidade nas sessões plenárias da Câmara de Itabuna. Agora, líder de uma bancada que se autodenomina “independente”, parece que expande seus conhecimentos gazeteiros aos liderados, que também, de uma hora para outra, deram para faltar às sessões.
A de hoje, por exemplo, seria para iniciar a discussão da lei orçamentária de 2011, mas só apareceram no Plenário Raymundo Lima quatro vereadores: o atual presidente Clóvis Loiola, o presidente eleito Roberto de Souza, Raimundo Pólvora e o líder do governo Milton Gramacho.
Aliás, parte da bancada “independente” foi vista no edfício Módulo Center, famoso centro médico, empresarial e abrigo de grandes escritórios advocatícios. É lá também onde se instala o escritório da estatal baiana do gás natural, a BahiaGás, comandada pelo PC do B.
Por coincidência, o vereador Ruy Machado se fazia acompanhar, na hora da sessão, no edfício Módulo Center, pelo colega comunista Wenceslau Júnior e os dois advogados que patrocinam sua defesa na tentativa de derrubar Roberto de Souza da Mesa da Câmara – Ruy é o segundo eleito para o mesmo cargo no singular legislativo itabunense. Todos assessorados, ainda, pelo secretário demissionário da Administração, Sargento Gilson.
Olha o exemplo, “presidente”!

GERALDO, PT E O LEGISLATIVO

Tempo de leitura: 2 minutos

A atitude surpreendente e corajosa do diretório do PT, contrariando o prefeiturável Geraldo Simões, deixou muito gente sobressaltada

Marco Wense
Nesse lamaçal que toma conta da Câmara de Vereadores de Itabuna, sem precedente na história do Legislativo tupiniquim, o diretório do Partido dos Trabalhadores fez o que deveria ser feito.
O PT cuidou da sua imagem. O partido, defendendo candidatura própria à presidência da Casa, com o vereador Claudevane Leite, se livrou de qualquer responsabilidade diante da sujeira do processo eleitoral.
A legenda, presidida pela professora Miralva Moitinho, não pode ser acusada de ter sido conivente com o que pode acontecer em decorrência desse imbróglio protagonizado pelos “representantes do povo”.
O deputado Geraldo Simões caminhou em sentido contrário ao PT. Além de desconsiderar a decisão dos companheiros, aconselhou Claudevane a apoiar Ruy Machado, que terminou sendo “eleito”.
O ex-prefeito de Itabuna, para justificar sua posição, usa o forte argumento de que uma candidatura própria poderia contribuir para a vitória de Milton Gramacho, líder do prefeito Azevedo (DEM).
Fugindo de uma provável derrota, com a eleição de um azevista para o comando do Legislativo, Geraldo Simões, também de olho em um pedido de impeachment do chefe do Executivo, optou pelo apoio ao amigo Ruy Machado (PRP).
A atitude surpreendente e corajosa do diretório do PT, contrariando o prefeiturável Geraldo Simões, deixou muito gente sobressaltada. Sem entender “bulufa” nenhuma.
PS – Geraldo Simões é o Lula de Miralva. O PT está sob sua rigorosa batuta. Os adversários do ex-prefeito, incluindo aí muitos petistas, costumam dizer que Geraldo é o “coroné” do PT de Itabuna.
TRÊS REFEIÇÕES
O vereador Ruy Machado, sem dúvida um espertíssimo articulador político, do tipo que consegue dar nó em pingo de éter, tomava café da manhã com o prefeito Azevedo (DEM), almoçava com Fernando Gomes (PMDB) e jantava com Geraldo Simões (PT).
Agora, depois da eleição para a presidência da Câmara Municipal, com o apoio entusiasmado de Geraldo Simões, o Capitão e o ex-alcaide não querem mais saber do tititi de Ruy, já que o edil está afinadíssimo com o petista.
Sobrou para Geraldo Simões, que vai ter que “bancar” as três refeições de Ruy Machado (PRP).
Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

LAVANDERIA CÂMARA DE ITABUNA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Representantes de duas das empresas apontadas como fantasmas e usadas para desviar dinheiro da Câmara foram intimados para audiência na 1ª Vara do Trabalho em Itabuna. Um funcionário da WL Serviços de Vigilância acionou a empresa na Justiça para receber pelos tempos trabalhados no ambiente chamado “Casa do Povo”.
O representante da WL sustentou que foi contratado pela DMS Serviços de Portaria para prestação de serviços à Câmara e que não teria dinheiro para pagar os tempos do funcionário. A audiência acabou sem acordo. Só para constar: as duas empresas são as mesmas que, contratadas pelo legislativo municipal, teriam recebido três meses adiantados pelos “relevantes serviços”. Problema mesmo é se o funcionário abrir a boca e contar tudo que sabe…

Back To Top