skip to Main Content
21 de junho de 2021 | 01:46 pm

FEIRA DE SANTANA: ZÉ NETO TEM 29% E COLBERT ATINGE 22%, APONTA PESQUISA A TARDE/POTENCIAL

Zé Neto aparece com 29% e o prefeito Colbert Martins tem 22%
Tempo de leitura: 2 minutos

O deputado federal Zé Neto (PT) aparece à frente, numericamente, na disputa pela prefeitura de Feira de Santana, segundo maior colégio eleitoral da Bahia, tendo na cola o prefeito Colbert Martins (MDB). Zé Neto atinge 29% e o prefeito surge com 22% na pesquisa A Tarde/Potencial na estimulada, quando a cartela com os nomes dos postulantes é apresentado. O levantamento tem margem de erro de 4 pontos percentuais.

Na segunda colocação, aparece o ex-deputado estadual Carlos Geilson (Podemos), com 9%, e o vereador Beto Tourinho (PSB), que tem 5%. O empresário Carlos Medeiros (Novo), o deputado estadual José de Arimatéia (Republicanos) e a deputada federal Dayane Pimentel, que realizou convenção nesta quarta (9), têm 2% das intenções de voto cada um. Marcela Prest (PSOL) tem 1%. Outros 11 não sabem em quem votarão e 1% não quis responder. O percentual de votos em branco ou nulo atinge 16%.

A pesquisa, hoje, aponta segundo turno em Feira de Santana, mas o instituto não realizou simulações para aferir as intenções de voto do eleitorado feirense num possível embate em 29 de novembro. O primeiro turno será em 15 de novembro.

REJEIÇÃO

O prefeito Colbert Martins parte para a tentativa de reeleição dono da segunda maior rejeição dentre os candidatos, com 54%. Neste item, quem lidera é o deputado estadual Arimatéia, com 59%. Carlos Geilson e Dayane Pimentel têm 52% de rejeição cada um. Na liderança numericamente, Zé Neto é o menos rejeitado, segundo a pesquisa da Potencial, com 39%, seguido por Marcela Prest, com 40%.

A pesquisa encomendada pel´A Tarde ao instituto Potencial consultou 600 eleitores de Feira de Santana, no período de 3 a 8 de setembro, e tem nível de confiança de 95%. A margem de erro é de 4 pontos percentuais. As entrevistas foram feitas por telefone. O levantamento está registrado na Justiça Eleitoral sob o número BA-04344/2020.

FEIRA: CARLOS GEILSON FILIA-SE AO PODEMOS PARA DISPUTAR PREFEITURA

Tempo de leitura: < 1 minuto

O radialista e ex-deputado Carlos Geilson anunciou filiação ao Podemos, comandado na Bahia pelo deputado federal Bacelar. A festa de filiação está prevista para o dia 1º de fevereiro, às 10h, no Hotel Íbis. O ato deverá contar com a presença de Bacelar e do senador Álvaro Dias, também do Podemos.

Geilson é pré-candidato a prefeito de Feira de Santana. Em 2018, ele concorreu a novo mandato de deputado estadual pelo PSDB, mas não obteve êxito na tentativa de reeleição. Ficou na suplência. Descontente no ninho tucano, migrou para a base do governador Rui Costa. Hoje é ouvidor-geral do Estado.

GEILSON COM EXTRA DE R$ 10 MIL NA CONTA (ERRATA)

Tempo de leitura: < 1 minuto

Hoje ouvidor-geral do Estado, Carlos Geilson fechará 2019 com um extra de R$ 10 mil no bolso. O ex-deputado estadual e radialista famoso em Feira de Santana está entre os mais de 90 sorteados da Nota Premiada Bahia de deste mês.

Programa de educação fiscal, o Nota Premiada distribuiu R$ 1 milhão em prêmios em dezembro entre contribuintes baianos que fizeram compras no Estado e pediram a inclusão do CPF na nota fiscal no mês passado.

ERRAMOS – O site cometeu um equívoco quanto ao nome do ganhador. O ouvidor-geral do Estado também se chama Carlos Geilson, de Feira de Santana, porém o ex-deputado tem sobrenome diferente. O ganhador é Carlos Geilson Ramos Rios. Já o ouvidor, Carlos Geilson dos Santos Silva. Pelo erro, pedimos desculpas!

MP-BA INVESTIGA FARRA DE BOLSAS ILEGAIS PARA ESTUDANTES POR DEPUTADOS

Tempo de leitura: 2 minutos
Augusto Castro foi um dos denunciados pela Folha de São Paulo por destinar auxílio a filho de assessor e receber do mesmo contribuição de R$ 15 mil para a sua campanha política.

Augusto Castro foi um dos denunciados pela Folha de São Paulo por destinar auxílio a filho de assessor e receber do mesmo contribuição de R$ 15 mil para a sua campanha política.

O Grupo de Atuação Especial de Defesa do Patrimônio Público e da Moralidade Administrativa (Gepam) do Ministério Público da Bahia está analisando se instaura ação de improbidade administrativa contra deputados estaduais e beneficiados com o “auxílio estudantil” concedido pela Assembleia Legislativo do Estado a pessoas “carentes”. A ação visaria responsabilizar autores de eventuais fraudes e o ressarcimento ao erário de recursos desviados.

Em 2013, o presidente da Assembleia, Marcelo Nilo (PDT), havia assinado um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Gepam se comprometendo a extinguir a bolsa a partir de 2015, (o que efetivamente ocorreu) pois o benefício era considerado inconstitucional.

No entanto, o Gepam decidiu investigar o caso após a publicação de matéria, no domingo, pelo jornal Folha de São Paulo, mostrando que muitos dos  beneficiados pela bolsa não são carentes, alguns são parentes ou assessores dos parlamentares   e vários usaram parte dos recursos do auxílio para fazer doações de campanha aos próprios deputados estaduais.

A farra ilegal foi denunciada na edição de final de semana da Folha de São Paulo (leia matéria completa aqui). A matéria elenca deputados que usufruíram do auxílio para estudantes “carentes”, muitos deles filhos de assessores, parentes de políticos e até empresários.

Dentre os deputados denunciados, estão Augusto Castro (PSDB), Fátima Nunes (PT) e Carlos Geílson (PTN). Castro se defendeu, na Folha, dizendo não saber que o funcionário de seu gabinete que recebeu auxílio doou para campanha. O assessor recebe R$ 7 mil por mês e o beneficiado mora em Ibicaraí.

Leia mais n´A Tarde

AGRESSÃO A JORNALISTA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Denúncia de suposta agressão do secretário estadual de Turismo, Domingos Leonelli, à jornalista Bruna Santana, da Bahiatursa, agita a política em Salvador. De acordo com o deputado Carlos Geilson, o episódio ocorreu durante a Feira de Turismo das Américas, no final da semana passada.

Leonelli teria gritado e agarrado a funcionária da Bahiatursa pelos braços, sacudindo-a, por que a mesma não o atendeu “imediatamente”. Até agora, há silêncio de ambas as partes – do suposto agressor e da suposta agredida. Geilson, no entanto, cobra posicionamento público do governo, notadamente, da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Bahia (SPM-BA).

Back To Top