skip to Main Content
8 de abril de 2020 | 07:53 pm

ACÚMULO DE BARONESAS GERA TRANSTORNOS E RISCO DE PROLIFERAÇÃO DO AEDES AEGYPTI

Tempo de leitura: 2 minutos
Grande volume de baronesa continua acumulado no trecho urbano do Rio Cachoeira (Foto Pimenta).

Grande volume de baronesa continua acumulado no trecho urbano do Rio Cachoeira (Foto Pimenta).

Baronesas continuam acumuladas na Ponte do Marabá, em Itabuna, quase um mês depois da forte chuva registrada no final de janeiro no sul da Bahia. A prefeitura retirou apenas parte da vegetação em janeiro e o que ficou vem causando mau cheiro e o acúmulo de insetos.

Outro problema foi o acúmulo de vasilhames que podem servir de criadouro para o mosquito transmissor de dengue, chikungunya e zika. E o risco está a não mais que 400 metros do chamado QG de Combate ao Aedes aegypti, unidade especializada no atendimento às vítimas das viroses transmitidas pelo mosquito.

Há mais de duas semanas, técnicos da prefeitura disseram que seria necessário o auxílio de máquinas de grande porte para concluir a retirada da baronesa. Até o início da semana, a tentativa de dispersar as baronesas era feita por dois homens em um barco, tentando arrastar a vegetação, liberando-as pelo próprio fluxo do rio.

Garrafas pet e objetos podem servir de criadouros do mosquito no leito do rio (Foto Pimenta).

Garrafas pet e objetos podem servir de criadouros do mosquito no leito do rio (Foto Pimenta).

DILMA VISITA FÁBRICA DE MOSQUITO TRANSGÊNICO

Tempo de leitura: < 1 minuto
Presidente visita fábrica de mosquito transgênico - Foto Roberto Stuckert Filho/PR.

Presidente visita fábrica de mosquito em Juazeiro – Foto Roberto Stuckert Filho/PR.

A presidente Dilma Rousseff estará amanhã (19), em Juazeiro (BA), para participar de eventos relacionados ao combate ao mosquito Aedes aegypti. Entre os compromissos da presidente, que estará acompanhada pelo governador Rui Costa, está uma visita à Moscamed Brasil, que produz mosquitos transgênicos. A visita está marcada para o meio-dia.

Os insetos produzidos pela Moscamed são utilizados em cruzamentos com a fêmea do Aedes, gerando mosquitos estéreis ou que morrem antes de chegar à fase adulta.

Depois de conhecer a fábrica, que fica no Distrito Industrial do São Francisco, a presidente e o governador participam, às 14 horas, no Colégio da Polícia Militar de Juazeiro, do lançamento da campanha de mobilização da comunidade escolar para o combate à dengue, zika e chikungunya.

PROBLEMA NA VIZINHANÇA DO QG

Tempo de leitura: < 1 minuto

O QG de Combate ao Mosquito, que passou a concentrar as ações de controle de focos e o tratamento dos pacientes de zika, dengue e chikungunya em Itabuna, tem sérios problemas em sua vizinhança.

Moradores de prédios nas imediações advertem: nos fundos do QG há uma laje cheia de entulhos e sucatas, que acumulam água da chuva e são, portanto, potenciais criadouros do Aedes aegypti.

No mesmo quarteirão, fica um terreno baldio onde também é grande a possibilidade de existirem focos do mosquito. A área, que possui uma cisterna descoberta, é frequentada por moradores de rua e usuários de drogas, que afugentam os agentes de endemias.

QG CONTRA O MOSQUITO JÁ ABRE LOTADO

Tempo de leitura: < 1 minuto
QG de Combate ao Mosquito recebe grande quantidade de pacientes em seu primeiro dia de funcionamento (foto Oziel Aragão)

QG de Combate ao Mosquito recebe grande quantidade de pacientes em seu primeiro dia de funcionamento (foto Oziel Aragão)

A estrutura criada pela Prefeitura de Itabuna para atender as pessoas com doenças relacionadas ao mosquito Aedes aegypti abriu as portas nesta quarta-feira (17), e já está superlotada. Relato feito há pouco pelo repórter Oziel Aragão, no programa Difusora em Revista (rádio Difusora), dava conta do grande número de vítimas com sintomas de zika, dengue e chikungunya que acorreram ao chamado QG de Combate ao Mosquito, na Avenida Cinquentenário.

A fila de gente em busca de atendimento começou a se formar ainda durante a madrugada. Por volta das 6 horas, já era distribuída a ficha de número 100. Pacientes reclamam do forte calor na nova unidade de atendimento.

De acordo com a Prefeitura, o QG tem capacidade para atender até mil pessoas por dia. A unidade também oferece exames de ultrassonografia para gestantes, visando identificar eventuais consequências do zika vírus para o bebê. No local, é ainda realizado levantamento estatístico sobre a epidemia.

SOFRIMENTO NO HOSPITAL DE BASE

Tempo de leitura: < 1 minuto
Pacientes aguardam atendimento no Base (foto Fábio Souza)

Pacientes aguardam atendimento no Base (foto Fábio Souza)

A imagem acima mostra a angústia de dezenas de pacientes que aguardavam atendimento no pronto-socorro do Hospital de Base de Itabuna, na manhã desta terça-feira (16). A maioria deles com sintomas de uma das três doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.

Por falta de estrutura, o Base – que é referenciado para trauma e emergências – acabou absorvendo (mal) essa demanda.  Logo mais, a Prefeitura inaugura um “QG” que irá reforçar o atendimento às vítimas do Aedes, mas a unidade só irá funcionar efetivamente a partir de amanhã. Hoje é só discurso.

Nas redes sociais, itabunenses questionam por que o QG não começa a atender imediatamente, dada a gravidade da situação. É o princípio de que “não se deve deixar para amanhã o que se pode fazer hoje”, que ganha ainda mais sentido quando há um incêndio a ser apagado.

ITABUNA INAUGURA “QG” E PROMETE DURA OFENSIVA CONTRA O AEDES AEGYPTI

Tempo de leitura: < 1 minuto
Central para atendimento a pacientes funcionará próximo ao Jardim do Ó.

Central para atendimento a pacientes será inaugurada hoje

A Secretaria da Saúde de Itabuna promete uma nova fase no combate ao mosquito Aedes aegypti a partir desta terça-feira (16). À tarde, será inaugurado um “QG” na Avenida do Cinquentenário, onde 120 profissionais prestarão atendimento aos pacientes e farão levantamentos estatísticos sobre os casos de zika, dengue e chikungunya. No local, também serão realizados exames de ultrassonografia em gestantes, em virtude da associação entre a zika e malformações nos fetos, como a microcefalia.

O atendimento no QG será iniciado a partir de amanhã (dia 17) e, de acordo com a Prefeitura, a unidade, situada no número 1370 da Cinquentenário (antiga sede da Indiana Veículos), funcionará 24 horas por dia e todos os dias da semana. A determinação de expediente ininterrupto vigora enquanto o município permanecer em estado de emergência.

Além do reforço no tratamento dos pacientes, a Prefeitura também anunciou a realização de caminhadas em bairros da cidade para orientar moradores sobre a prevenção aos focos do mosquito. O cronograma dessas visitas ainda será anunciado.

IMPROVISO NO ATENDIMENTO A PACIENTES TAMBÉM EM ILHÉUS

Tempo de leitura: < 1 minuto
Unidade para pacientes com dengue, zika e chikungunya em Ilhéus (foto Carlos Santiago)

Unidade para pacientes com dengue, zika e chikungunya em Ilhéus (foto Carlos Santiago)

Assim como em Itabuna (ver nota abaixo), o atendimento às pessoas com suspeita de dengue, zika ou chikungunya também é precário e improvisado em Ilhéus.

Na unidade criada para atender especificamente as vítimas do Aedes, os pacientes chegam a ficar na fila mais de quatro horas. Além disso, até ontem o município ainda não tinha firmado convênio com um laboratório responsável pela coleta de sangue para o diagnóstico dos casos.

Após receber várias reclamações de pacientes em seu programa de rádio, o repórter Carlos Santiago foi até a unidade e verificou a gravidade da situação. Às 11h30 da manhã desta quinta-feira, 11, haviam sido distribuídas 180 fichas, mas apenas 30 pacientes tiveram a sorte de receber atendimento. Os demais receberam senhas para voltar  no dia seguinte.

Ou seja, enquanto a saúde pública patina na incompetência, o Aedes aegypti segue cada vez mais eficiente, fazendo suas vítimas no atacado. O mosquito, infelizmente, está ganhando a guerra.

EM ITABUNA, VÍTIMAS DO AEDES AEGYPTI ESPERAM MAIS DE 10H POR ATENDIMENTO

Tempo de leitura: 2 minutos
Pronto-socorro do Hospital de Base lotado com vítimas do Aedes aegypti (Foto Pimenta).

Pronto-socorro do Hospital de Base lotado com vítimas do Aedes aegypti (Foto Pimenta).

Pacientes com sintomas da dengue, zika ou chikungunya estão esperando mais de 10 horas por atendimento nos hospitais que atendem pelo SUS em Itabuna. Nesta sexta (12), o tempo de espera era ainda maior no São Lucas, conforme a reportagem do Pimenta apurou.

Os hospitais não estão tendo capacidade de absorver a grande demanda em um tempo menor. Estão superlotado, principalmente porque as unidades básicas ou não funcionam ou não têm médico. A esperança é a abertura de central especializada (veja mais abaixo).

No São Lucas, pacientes afirmavam ter chegado às 8h da manhã. Era 18 horas e ainda não haviam sido atendidos.

Leonora Maria de Jesus apresentava sintomas de doença transmitida pelo Aedes aegypti. Ela chegou ao São Lucas às 10h desta sexta. Às 18h, a idosa ainda aguardava atendimento.

Seu Sebastião resolveu deitar na grama para descansar da longa espera.

Seu Sebastião resolveu deitar na grama para descansar da longa espera.

Sebastião Dutra, esposo de Leonora, não suportou a espera e o forte calor. Com o cair da tarde, resolveu se refrescar deitado no gramado do hospital, de onde também pode observar parte da paisagem de Itabuna. Só isso para amenizar a longa espera.

Já no Hospital de Base, a promessa de, pelo menos, dois médicos atendendo pacientes com sintomas de vírus transmitidos pelo Aedes aegypti não vingou. Pacientes que chegavam no início da noite começaram a ser atendidos por volta das 22 horas. E por apenas um médico.

Setor de atendimento do São Lucas no início da noite desta sexta (12).

Setor de atendimento do São Lucas no início da noite desta sexta (12).

O número de pacientes aguardando era superior a 100. Boa parte deles havia desistido de aguardar por atendimento no São Lucas e recorreu ao Hospital de Base.

CENTRAL DE ATENDIMENTO

A esperança de redução no tempo de atendimento é a abertura de uma unidade especializada em vítimas do mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. A central funcionará na Avenida do Cinquentenário, no prédio da antiga Oduque Veículos.

A central terá capacidade para até mil atendimentos diários e, de acordo com o secretário da Saúde, Paulo Bicalho, funcionará 24h por dia. A unidade será inaugurada dia 16 e passa a atender na quarta (17).

Neste sábado (13), o município participa de uma mobilização nacional contra o Aedes aegypti.

PREVISÃO ASSUSTADORA

Tempo de leitura: < 1 minuto
Bicalho negocia com a Fiocruz.

Bicalho prevê avanço da epidemia

Em entrevista exibida hoje (12) no Bom Dia Brasil, o secretário da Saúde de Itabuna, Paulo Bicalho, apresentou um prognóstico preocupante sobre o surto de dengue, zika vírus e chikungunya na cidade.

Segundo Bicalho, até abril deste ano, metade da população local terá sido atingida por uma das três doenças. Em 2015, mais de 8 mil casos foram notificados.

SÁBADO É O DIA “D” CONTRA O AEDES AEGYPTI

Tempo de leitura: 2 minutos
Mosquito Aedes aegypti transmite dengue, zika e chikungunha.

Mosquito Aedes aegypti transmite dengue, zika e chikungunha.

O governo federal promove neste sábado (13) o Dia Nacional de Mobilização para o Combate ao Aedes aegypti. A ideia é mobilizar famílias no combate ao mosquito transmissor do Zika, que também é vetor da dengue e da chikungunya. Três milhões de famílias deverão ser visitadas em suas casas, em 350 municípios.

Para isso, a presidenta Dilma Rousseff determinou o deslocamento de seus ministros a vários estados a fim de participar ativamente da mobilização, conversando com prefeitos, governadores e batendo nas portas das casas. Os destinos de alguns membros do primeiro escalão já foram definidos, como os do titular da Saúde, Marcelo Castro, que seguirá para Salvador, e do chefe da Casa Civil, ministro Jaques Wagner, que irá a São Luís.

O ministro da Cultura, Juca Ferreira, irá para Aracaju; a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, visitará o Recife; o ministro da Comunicação Social, Edinho Silva, participará da ação em Maceió, e Ricardo Berzoini, titular da Secretaria de Governo da Presidência da República, viajará a Manaus.

O ministro da Defesa, Aldo Rebelo, por sua vez, irá a São Paulo. Ele vai se encontrar com o governador do estado, Geraldo Alckmin, em Campinas. “Estaremos presente nos estados. Acho que a presença dos ministros é um testemunho do compromisso e do esforço do governo federal para a contenção do mosquito e dos males que ele causa”, afirmou Rebelo.

As Forças Armadas deslocaram cerca de 220 mil militares para a ação. Eles vão acompanhar os agentes de saúde no trabalho de conscientização, casa a casa. Foram usados dois critérios para definir as cidades que serão visitadas na campanha; municípios com a presença de unidades militares e os com maior incidência do mosquito Aedes aegypit, conforme dados do Ministério da Saúde.

“A campanha é de mobilização, de convocar a população a fazer parte do esforço de combate ao mosquito e essa mobilização terá que ser feita de casa em casa. Nosso propósito é alcançar pelo menos 3 milhões de domicílios e distribuir pelo menos 4 milhões de folhetos neste sábado”, acrescentou Aldo Rebelo.

Back To Top