skip to Main Content
25 de fevereiro de 2020 | 06:03 am

IDEC QUER QUE CONSUMIDOR POSSA RECUSAR LIGAÇÕES DE TELEMARKETING

Tempo de leitura: 2 minutos

Consumidor poderá recusar ligações de telemarketing se Anatel acatar sugestão || Foto Marcelo Casall Jr.

O Instituto de Defesa do Consumidor (Idec) apresentou ao Comitê de Defesa dos Usuários de Serviços de Telecomunicações da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) um conjunto de recomendações visando a coibir ligações indesejadas de telemarketing. Uma das sugestões é a obrigatoriedade de consentimento expresso do consumidor para receber ofertas de empresas.

Sem esse tipo de autorização, as empresas não poderão apresentar ao consumidor seus produtos e serviços por meio de ligações telefônicas. Nos casos em que a autorização for dada, as ligações só poderão ser feitas em horário restrito, das 9h às 18h, de segunda a sexta-feira, exceto nos feriados.

O comitê é um foro que se reúne quatro vezes ao ano e tem, entre seus objetivos, avaliar a prestação dos serviços de telecomunicações do ponto de vista de seus usuários, na busca por sugestões de ações que visem à melhoria dos serviços prestados pelo setor.

Outro ponto ressaltado pelo Idec, no caso em que o telemarketing foi autorizado, é o de não se poder fazer mais do que duas tentativas de ligações por dia, mesmo que as chamadas não tenham sido atendidas ou tenham sido recusadas. Além disso, se o contato for efetivado, tanto por telefone como por mensagem eletrônica, a nova tentativa só poderá ser feita depois de seis meses.

“É insuficiente a determinação da Anatel para que as empresas de telecomunicação criem, até julho, uma lista nacional de clientes que não querem receber chamadas de telemarketing com ofertas de serviços de telefonia e internet”, diz o Idec.

De acordo com a proposta apresentada à Anatel, a cada ligação feita, automatizada ou não, o consumidor deve ter possibilidade de cancelar a autorização concedida. Por fim, a autorização poderá ser revogada a qualquer momento, por meio do serviço de atendimento ao consumidor, da ouvidoria, ou por envio de mensagem eletrônica.

Leia Mais

SHOPPING JEQUITIBÁ INICIA A CAMPANHA “MÃE, AMOR À FLOR DA PELE”

Tempo de leitura: < 1 minuto

Campanha para o Dia das Mães começa nesta quinta

O Shopping Jequitibá, em Itabuna, está iniciando hoje (25), a campanha do Dia das Mães, uma das datas de maior movimentação nos setores de comércio, lazer e prestação de serviços. Com o tema “Mãe, Amor à Flor da Pele”, a campanha, que vai até o dia 12 de maio, é focada em um ação de compra e troca com aporte do cliente.

Nas compras acumulativas a partir de R$ 150,00, mais R$ 15,00 em espécie, o cliente terá direito de levar para a casa um hidratante Florata Amor de Lavanda, da marca O Boticário. A troca pode ser feita no estande da promoção, na Alameda da Moda, de segunda a sábado, das 10h às 22h, e aos domingos, das 14h às 20h.

A campanha é válida até quando durar o estoque. Além dessa ação, lojistas prepararam vouchers de descontos para atrair o público consumidor da região.

SUA EMPRESA É ANALÓGICA?

Tempo de leitura: 2 minutos

Felipe de PaulaFelipe de Paula | felipedepaula81@gmail.com

 

Comunicação não pode ser compreendida como gasto. É um investimento que, bem gerido, impactará objetivamente em seus lucros. Uma sociedade conectada, digital, não admite empresas analógicas. Você pode oferecer um brilhante atendimento em horário comercial, mas seu cliente precisa de mais.

 

Gostaria de iniciar esse texto propondo uma breve reflexão para você, meu leitor: Em que mundo vivemos? Como você observa nosso cotidiano? Como você obtém conhecimento na contemporaneidade? Muito provavelmente devem ter surgido em sua mente imagens de celulares, computadores, telas com mensagens surgindo, redes sociais. Estamos conectados como nunca, produzindo informação como nunca. O grande “produto” contemporâneo é a informação.

Numa sociedade extremamente informacional, é inegável a importância de uma comunicação bem planejada, gerida com plena ciência das ações e resultados desejados. Como profissional e estudioso da área, vejo cotidianamente empresas construindo suas práticas de comunicação de uma forma que demonstram não ter ciência plena dos múltiplos caminhos possíveis. Uma comunicação subaproveitada, feita como se vivêssemos em tempos remotos.

Vivemos imersos numa lógica acelerada, informatizada. Comunicamo-nos em tempo praticamente integral. A comunicação institucional precisa ser pensada nessa mesma linha.

Como você gere a comunicação de sua empresa? Tenha o porte que tiver, penso ser inviável conceber uma empresa que “feche”. Não sugiro portas abertas 24 horas, mas afirmo: seu cliente vai ter uma dúvida sobre seus serviços em qualquer horário do dia.

Diante disso pergunto: sua empresa tem alguém online pronto a responder?

Não? É possível que seu concorrente tenha.

E me responda agora com a mente de um consumidor: você vai privilegiar qual empresa? Aquela que lhe atendeu de imediato ou aquela que não retornou sua mensagem?

Comunicação não pode ser compreendida como gasto. É um investimento que, bem gerido, impactará objetivamente em seus lucros. Uma sociedade conectada, digital, não admite empresas analógicas. Você pode oferecer um brilhante atendimento em horário comercial, mas seu cliente precisa de mais.

Quantas vezes já iniciei o processo decisório de consumir no estabelecimento A ou B ainda em casa, pesquisando perfis em redes sociais? Quantas vezes decidi por um produto, por uma empresa a partir de um argumento gentil e disponível através de mensagens trocadas num email ou num perfil de Facebook? Diversas vezes.

Um perfil desatualizado, mal gerido, equivale a uma vitrine suja, desorganizada, quiçá abandonada.

Você entraria numa loja assim?

Provavelmente você pode estar pensando que as questões levantadas por esse texto competem a grandes empresas, que contam com assessoria especializada. Isso não é verdade. Esse investimento pode – e deve – ser feito por todos.

O mundo é digital. Sua empresa (ou mesmo você) não pode seguir sendo analógica. Busque um consultor de comunicação. É muito mais acessível que imagina e garantirá que seu empreendimento não siga com uma imagem e posturas inadequadas perante seus clientes. O resultado será objetivo: lucro e satisfação.

Felipe de Paula é professor universitário e pesquisador da Comunicação Social.

DECISÃO DO STF SOBRE JUROS PODE REFLETIR NOS CONSUMIDORES

Tempo de leitura: 2 minutos

stfO Supremo Tribunal Federal (STF) deve julgar hoje o mérito de liminares concedidas a unidades da Federação permitindo o pagamento da dívida com a União por juros não capitalizados.  Na avaliação de especialistas consultados pela Agência Brasil, caso haja decisão definitiva pelos juros simples, os consumidores terão um estímulo para entrar na Justiça e contestar o modelo vigente de cobrança.

O economista Miguel de Oliveira, diretor da Associação Nacional dos Executivos de Finanças (Anefac), explica que a diferença entre os juros simples e os compostos, ou capitalizados, é que os primeiros são sempre aplicados sobre o valor original da dívida. Os juros capitalizados, por sua vez, são aplicados sobre o montante corrigido. “Em uma dívida de R$ 1 mil com juro de 1% ao mês,  o juro, que corresponde a R$ 10, vai ser sempre calculado sobre R$ 1 mil. Já o juro composto vai ser calculado sobre a dívida devidamente corrigida – por exemplo, sobre R$ 1.010, passado o primeiro mês. Por isso, se diz que é juro sobre juro”.

Oliveira lembra que os juros capitalizados estão amplamente difundidos na economia doméstica e na de outros países. “Vale para geladeira, casa própria, financiamento de veículo. Tudo é com juros compostos. No mundo inteiro é assim que se pratica mas, lá fora, as taxas são mais baixas”, comenta. Na visão dele, justamente por abrir um precedente, o Supremo não permitirá o cálculo da dívida dos estados baseado nos juros não capitalizados. Da Agência Brasil

MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL PODERÁ RECORRER AOS PROCONS

Tempo de leitura: 2 minutos
Assinatura de acordo

Assinatura de acordo de cooperação que dá direito a microempreendedor (Foto Sebrae).

Os microempreendedores individuais (MEI), aqueles que faturam até R$ 60 mil por ano, poderão recorrer aos Procons, órgãos estaduais e municipais de defesa do consumidor para resolver conflitos relacionados ao consumo de produtos e serviços até então limitados às pessoas físicas.

Durante a assinatura de um Acordo de Cooperação Técnica celebrado entre Sebrae em Minas Gerais e a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), do Ministério da Justiça, foi divulgada uma nota técnica com a recomendação aos Procons para atenderem as demandas dos MEI no âmbito das relações de consumo.

Durante o evento, a secretária nacional do Consumidor, Juliana Pereira da Silva, informou que os MEI passam a contar com o suporte legal do Código de Proteção e Defesa do Consumidor. “A partir de agora, o trabalhador individual, além de cidadão, também é reconhecido como consumidor. É um pacto entre os órgãos de defesa do consumidor e o mercado que confere proteção a essa parcela de trabalhadores”, explicou a secretária.

“Esse entendimento que equipara MEI a consumidor marca mais uma etapa de evolução do ambiente legal, desde a implantação da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, com a recomendação aos Procons de todo o Brasil do tratamento diferenciado ao Microempreendedor Individual. É de fato o maior movimento de inclusão produtiva no mundo”, avaliou a diretora-técnica do Sebrae, HeloÍsa Menezes.

Com abrangência nacional, a orientação da Senacon aos Procons vai beneficiar os 5 milhões de microempreendedores individuais existentes hoje no Brasil. O acordo tem por objetivo desenvolver estratégias conjuntas para a promoção da educação financeira das micro e pequenas empresas e dos MEI.

Os microempreendedores já podem contar com ferramentas de orientações e superações de conflitos, como a plataforma www.consumidor.gov.br. O documento foi assinado pela secretária Juliana Pereira da Silva e os diretores superintendente e de Operações do Sebrae em Minas Gerais, respectivamente, Afonso Maria Rocha e Anderson Cabido.

Leia Mais

SOFRIMENTO NA FILA DA COELBA

Tempo de leitura: < 1 minuto
Consumidores enfrentam via-crúcis em escritório da Coelba (Foto do Leitor).

Consumidores enfrentam via-crúcis em escritório da Coelba (Foto do Leitor).

Consumidores que estiveram no escritório local da Coelba depararam com uma fila padrão SUS, nesta tarde. Esta fila acima é a da triagem. É grande a reclamação por causa da longa espera. A foto foi enviada por um leitor – e vítima.

BANCOS MALTRATAM CLIENTES EM ITABUNA

Tempo de leitura: < 1 minuto

As agências bancárias de Itabuna têm ignorado solenemente a chamada “Lei dos 20 Minutos”, que prevê limite de tempo para o atendimento. Ao contrário do que determina a legislação municipal, os bancos maltratam os clientes, obrigando-os a esperar até mais de duas horas nas filas.

O desrespeito não poupa ninguém, atingindo até mesmo idosos, gestantes e outras pessoas que têm direito a atendimento preferencial. Na manhã desta terça-feira (10), um idoso que retirou a senha às 11h09, na agência Centro do Banco do Brasil, foi atendido somente às 13 horas.

A recomendação nesses casos é acionar o Procon e o Ministério Público.

CLIENTE DA CRISTAL VEÍCULOS DESABAFA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Do Blog do Gusmão
Se for comprar um veículo Volkswagen, não compre a garantia estendida oferecida pela Cristal Veículos de Itabuna. A qualidade do atendimento oferecido pela concessionária aos consumidores que adquiriram o seguro da “Virginia Surety” é muito ruim.
Desde segunda-feira (08) aguardamos a troca de dois simples amortecedores num Gol 1.0. A concessionária levou 48 horas para enviar à seguradora um relatório acompanhado de documentos. Depois avisou que deveríamos aguardar a chegada das peças.
As funcionárias designadas para acompanhar os clientes estão sempre sobrecarregadas. Falar com elas pelo telefone é muito difícil.
No ato da compra, as vendedoras da Cristal são bem atenciosas e chegam a afirmar que a garantia estendida é um produto excelente. Ao fazer uso, só dessa forma é possível conhecer o outro lado (perverso) das políticas de “marketing”.
Haja paciência!
O pior disso tudo é ser obrigado a alterar uma viagem cuja finalidade é cuidar da saúde.

COMÉRCIO ESTICA HORÁRIO DE ATENDIMENTO

Tempo de leitura: < 1 minuto
Comércio de Itabuna abre em horário especial.

Comércio de Itabuna abre em horário especial.

O consumidor terá mais tempo para fazer compras no comércio de Itabuna até o natal. Hoje, as lojas abrem às 8h30min e fecham somente às 19h30min. O funcionamento das 8h30min às 19h30min vale até a próxima sexta-feira (12).
O horário estendido é resultado de acordo dos sindicatos patronal e de empregados. No sábado (13), o consumidor terá mais quatro horas para compras com as lojas abertas das 9h às 17h.
O comércio ampliará ainda mais o horário de funcionamento do dia 15 até o dia 19, quando as lojas abrem das 9h até as 22h.
No sábado 20, o comércio funcionará das 9h às 18h, enquanto nos dias 22 e 23 abrirá das 9h às 22h. Na véspera do Natal, o funcionamento vai das 9h às 18h. Confira, abaixo, todas as datas até o final de ano.
Horário do comércio
Dias 8 a 12 – 8h30min às 19h30min
Dia 13 – 9h às 17h
Dias 15 a 19 – 9h às 22h
Dia 20 – 9h às 18h
Dia 21 – 15h às 20h
Dias 22 e 23 – 9h às 22h
Dia 24 – 9h às 18h
Dia 31 – 8h30min às 17h

PECHINCHA DEPOIS DA BLACK FRIDAY

Tempo de leitura: < 1 minuto

consumidor itabuna foto Blog do Thame

Dezenas de consumidores se aglomeraram na porta de uma loja no Calçadão da Ruy Barbosa, centro de Itabuna, hoje pela manhã. Buscavam artigos de cama, mesa e banho, além de ferramentas e materiais escolar. O atrativo era o preço: R$ 10,00. A foto é do Blog do Thame.

Back To Top