skip to Main Content
9 de agosto de 2020 | 02:41 am

“MEDIDA POR MEDIDA” NO TEATRO POPULAR

Tempo de leitura: < 1 minuto
Medida Por Medida será apresentada no TPI dia 28 (Fotos Karoline Vital).

Medida Por Medida será apresentada no TPI dia 28 (Fotos Karoline Vital).

O grupo Teatro Popular de Ilhéus (TPI) apresenta no próximo dia 28, às 20h, a peça Medida Por Medida, na Tenda Teatro Popular de Ilhéus, em Ilhéus.

A comédia é uma adaptação da obra homônima de William Shakespeare. O enredo de “Medida Por Medida” se desdobra a partir das decisões de Ângelo, juiz implacável que entra no lugar do Duque de Viena, cumprindo à risca as leis contra fornicação.

A adaptação é dos diretores Romualdo Lisboa (TPI) e Fernando Yamamoto (Clows de Shakespeare), com figurinos e adereços de Shicó do Mamulengo e Justino Vianna ( também responsável pela criação da maquiagem). A direção musical é de Elielton Cabeça (TPI) e Marco França (Clows).

A peça, que possui classificação indicativa livre, é fruto do projeto “Shakespeare – Teatro Popular em Construção”, aprovado pelo edital TCA. Núcleo 2014, em seleção organizada pelo Teatro Castro Alves e a Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb).

O ingresso individual já pode ser adquiridos na bilheteria da Tenda, localizada na Avenida Soares Lopes, próximo ao colégio São Jorge, por R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). A Tenda aceita pagamentos com cartões de crédito e débito, além de Vale Cultura. Ainda, são disponibilizados 20 ingressos gratuitos para estudantes da rede pública (até o ensino médio), mediante comprovação.

BIBLIOTECAS PÚBLICAS RECEBEM 2,5 MIL LIVROS

Tempo de leitura: < 1 minuto
Clássicos da literatura universal compõem acervo doado (Foto Ficc).

Clássicos da literatura universal compõem acervo doado (Foto Ficc).

Dirigentes recebem livros da Ficc.

Dirigentes recebem livros da Ficc.

As bibliotecas do Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU), na Urbis IV, e Plínio de Almeida, no Espaço Cultural Josué Brandão, ganharam 2,5 mil livros, doados pela Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (Ficc).

O reforço no acervo das bibliotecas públicas é parte das ações do projeto Letras que Voam, criado em 2015 pela fundação municipal de cultura.

Por meio do projeto, a Ficc adquiriu mais de 20 mil livros, além de acervo multimídia, jogos educativos, tendas, baús, mesas e cadeiras, segundo o presidente da Fundação, Roberto José.

O projeto atinge tanto o público público infanto-juvenil como o adulto. De acordo com a coordenação do Letras que Voam, a fundação doou, em dezembro, 500 livros ao Centro de Atenção Integral à Criança (Caic Jorge Amado) e outros 500 à biblioteca da Escola Municipal Lourival Oliveira Soares, em Ferradas.

CONTO&CANTIGAS ABRE PROGRAMAÇÃO DO TPI EM 2016

Tempo de leitura: < 1 minuto
Contos&Cantigas abre programação do TPI deste ano (Foto TPI).

Contos&Cantigas abre programação do TPI deste ano (Foto TPI).

A programação da Tenda Teatro Popular de Ilhéus em janeiro começa nesta sábado (9), às 17h, com o Conto&Cantigas, com atores e músico contando histórias de forma dramatizada. A apresentação, com classificação indicativa livre, será na área verde da tenda, na Avenida Soares Lopes.

A programação da Tenda ainda segue com apresentação da Companhia Circo da Lua (dia 16); 9º Encontro Grapiúna de Compositores e Compositoras (dia 15); e Tributo Grapiúna: Eles e Elas Cantam (dia 22). No dia 23, haverá lançamento do disco IsmeraRock & O Calibre Dobrado. A apresentação de Medida Por Medida, peça do grupo do Teatro Popular de Ilhéus inspirada na obra homônima de William Shakespeare, encerra a programação de janeiro. Serão três dias – 28, 29 e 30.

A programação completa está disponível na internet, por meio do link http://goo.gl/pzFt58, no aplicativo Tenda Teatro Popular de Ilhéus (download na Google Play Store) e nos folhetos informativos distribuídos no próprio espaço cultural.

EM ITABUNA, PROGRAMAÇÃO CELEBRA CENTENÁRIO DO ESCRITOR ADONIAS FILHO

Tempo de leitura: 2 minutos
Nascido em Itajuípe, Adonias Filho foi um dos principais nomes da literatura baiana.

Nascido em Itajuípe, Adonias Filho foi um dos principais nomes da literatura baiana.

Portugal participa de comemorações amanhã (Foto Mateus Pereira).

Portugal participa de comemorações (Foto Mateus Pereira).

As comemorações do centenário de nascimento do escritor Adonias Filho terão atividades especiais em Itabuna, com espetáculo de dança, apresentação musical e panorama para falar da vida e obra do escritor na quinta e sexta-feiras (dias 26 e 27). Adonias Filho nasceu em 27 de novembro de 1915, em Itajuípe. As comemorações

Amanhã, às 19h, no Centro de Cultura Adonias Filho, haverá apresentação da Banda Sinfônica de Itabuna. O secretario de Cultura da Bahia, Jorge Portugal, abrirá as comemorações abordando a importância do escritor para o território de identidade Litoral Sul e para a literatura nacional.

Na sequência, Silmara Oliveira, coordenadora do Memorial Adonias Filho, em Itajuípe, apresenta traçado histórico sobre os cem anos do escritor. Para encerrar a noite, o Balé do Teatro Castro Alves (BTCA) fará a apresentação de seu espetáculo “…Ou isso”, uma montagem inspirada na obra do poeta mato-grossense Manoel de Barros (1916), considerado um dos principais poetas contemporâneos brasileiros.

Na sexta-feira, às 19h30, o BTCA fará nova apresentação do espetáculo “…ou isso”, desta vez, aberta ao público. O ingresso será trocado por 1 kg de alimento não perecível, que será destinado para o Abrigo São Francisco e o Albergue Bezerra de Menezes, em Itabuna.

VIDA E OBRA DE ADONIAS FILHO

Nascido em 1915, na cidade de Itajuípe, Adonias Aguiar Filho foi jornalista, crítico literário, ensaísta e romancista. Foi eleito vice-presidente da Associação Brasileira de Imprensa, membro do Conselho Federal de Cultura, presidente da Associação Brasileira de Imprensa e presidente do Conselho Federal de Cultura.

Suas obras apresentavam fortes características da região cacaueira, das quais se pode destacar Corpo Vivo, Luanda Beira Bahia, O Largo da Palma e As Velhas. Suas obras foram traduzidas para o inglês, o alemão, o espanhol, o francês e o eslovaco. Foi eleito para a cadeira nº 21 da Academia Brasileira de Letras. Em 2 de agosto de 1990, faleceu em sua fazenda Aliança, em Inema, distrito de Ilhéus e vizinho a Itajuípe.

FEIRA LITERÁRIA DA UESC COMEÇA DIA 26

Tempo de leitura: 3 minutos

feira da uescComeça na próxima segunda (26), às 18h30min, a 3ª Feira do Livro da Uesc (Universidade Estadual de Santa Cruz) com a promessa de reunir grandes nomes da literatura e do cenário acadêmico sul-baiano. Bate-papo literário “Leituras em movimento”, com a escritora Ana Maria Gonçalves, o poeta Lourival Piligra e o sociólogo e livreiro Luiz Guilherme de Beaurepaire, abre a programação. Haverá lançamento coletivo de 20 publicações da Editora da Uesc (Editus).

Até o dia 30, a venda de livros da Editus e das principais editoras universitárias do país ocorre no foyer do auditório central da Uesc. No estacionamento da Biblioteca da Uesc, a Fundação Pedro Calmon, da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, promove a Feira Móvel de Livros, com obras de autores baianos, a partir de R$5,00.

No mesmo espaço, a Fundação também promoverá ações de contação de histórias, brincadeiras e leituras na sua Biblioteca Móvel, a Bibex. É nesse local também que o público poderá conferir o livro Itinerante Tonico descobre que é de todo lugar, da autora Maria Luiza Santos, um projeto criado pela Rota Transportes.

A empresa também levará ao evento a sua unidade móvel de leitura digital, o Rota da Educação, e uma ação interativa para crianças em parceria com o projeto Lápis na Mão, da TV Santa Cruz. A empresa também é parceira da Editus no projeto “No caminho tem um livro”, que será lançado na manhã do dia 29, no Auditório da Torre Administrativa da UESC.

Também no dia 29, a professora Maria Luiza apresentará sua outra produção literária, o livro Fluxos Contemporâneos, reunindo os professores que contribuíram para a sua pesquisa sobre o capital humano e acadêmico-cultural para a reconfiguração da região do cacau.

EVENTOS PARALELOS

Entre os eventos paralelos à Feira, está o I Encontro de Culturas Populares e Identitárias do Litoral Sul da Bahia, que ocorrerá de 26 a 29. A programação será composta por palestras, oficinas, cursos, mesas de diálogos e apresentações culturais.

O Seminário da TV Uesc, nos dias 26 e 27, traz como tema “O audiovisual como leitura de mundo”. Entre as atrações, workshops e mesa-redonda com profissionais da Rede Globo, Canal Futura e TV UFOP, além da presença do professor Nelson Pretto (FACED/UFBA).

Leia Mais

ARTE E POLÍTICA EM TRANSE

Tempo de leitura: 3 minutos

Felipe-de-PaulaFelipe de Paula | felipedepaula81@gmail.com

 

Uma obra pensada para criticar uma realidade passada segue aberta. Sigamos em busca de conhecer cada vez mais de nossa história através daquilo que também nos constitui fundamentalmente enquanto nação: nossa arte.

 

 

O jogo político se desenha com dois rumos possíveis. Um, de vertente política mais conservadora, liberal, defendendo a necessidade do desenvolvimento da nação. Outro, de caráter mais populista, próximo da massa, com políticas sociais.

O jogo midiático exerce forte papel nos rumos da política e o financiamento empresarial surge como elemento fundamental. Campanha presidencial – ou qualquer outra – brasileira de 2014? Não. Disputa pelo poder em Eldorado, país latino fictício criado por Glauber Rocha para o filme Terra em Transe.

Narrado pela visão de Paulo Martins (Jardel Filho), jornalista e poeta, que, desiludido com as posturas do senador, migrou entre a assessoria do conservador Porfírio Diaz (Paulo Autran) para o populista Felipe Vieira (José Lewgoy), por acreditar que o novo líder que emergia poderia ser o responsável por tirar o país da miséria. Este, assim que eleito, foi motivo da dúvida de Paulo: “Será que o governador dará conta de executar as promessas do candidato?”. Como se os dois fossem pessoas diferentes.

Terra em Transe pode ser lido como uma profunda crítica aos acontecimentos políticos do Brasil dos anos 60, contudo, ao exibi-lo aos estudantes do Bacharelado Interdisciplinar em Artes da UFSB na última semana, percebemos o quanto a obra de Glauber continua atual, 48 anos depois de seu lançamento.

Antes da sessão, fizemos um produtivo debate sobre análise fílmica. Destacamos a necessidade de entender o cinema não como um retrato fiel da realidade, mas uma leitura de alguns aspectos dessa. O olhar do diretor. Olhar que aparece descrito pelas palavras do roteiro, dos figurinos, dos movimentos de câmera, pelas luzes utilizadas, pelas subjetividades. Além disso, destacamos também a obra filme enquanto peça historiográfica. Aberta, porém conectada a uma realidade específica, a um tempo específico. E tais critérios devem ser levados em conta na sua leitura.

Contudo, no processo de análise fílmica, o que surge como elemento fortemente significante, é a capacidade que um filme tem de circular entre aspectos objetivos e subjetivos. Como técnica fotográfica, tem a capacidade de trazer quase que uma fiel representação da realidade. Contudo, como obra artística, tem suas narrativas repletas de subjetividades – na produção e nas “leituras” possíveis a serem feitas após sua finalização.

Terminada a exibição, durante o componente curricular Cinema e Alteridade nas Américas, questionei a turma: E então? O que acharam? Foi então que uma estudante, que migrou para o Bacharelado de Artes após um ano de curso na Área Básica de Ingresso no Colégio Universitário de Ibicaraí destacou suas impressões: “Professor, na política, independente do lado político que se adota, parece não ter lugar para idealismo. No final das contas, parece que nenhum lado vale nada”.

Leia Mais

FESTIVAL DE LENÇÓIS COMEÇA HOJE

Tempo de leitura: 2 minutos
Festival de Lençóis espera reunir cerca de 30 mil pessoas (Foto Divulgação).

Festival de Lençóis espera reunir cerca de 30 mil pessoas (Foto Divulgação).

Começa nesta sexta-feira (9), na Chapada Diamantina, a 17ª edição do Festival de Lençóis. A organização da festa tem a expectativa de levar aproximadamente 30 mil pessoas para a região, até o show da Baiana System, última banda a subir ao palco, no domingo (11). O festival tem patrocínio do Governo Baiano, por meio do FazCultura.

Mais uma vez, o evento apresenta na Praça Horácio de Mattos uma grade musical que deve agradar diferentes gostos. Entre as atrações nacionais, estão Pedro Mariano, Leo Jaime e Diogo Nogueira. Entre as bandas que embarcam de Salvador, a Baiana System e Scambo.

A cantora Márcia Castro é outra baiana que deve fazer balançar a praça com seu show bom de assistir e dançar. As atrações locais também estão na mira do público, que sempre se surpreende com o belo trabalho que levam para o festival. Este ano, a cidade anfitriã está representada musicalmente pelos grupos Choro Labuta, Helio Bahia e banda, Griô e Raiz do Vento.

Nesta edição, o Festival de Lençóis apresenta uma mensagem pelo meio ambiente, diante das queimadas que estão acontecendo em algumas regiões da Chapada Diamantina. Os artistas se engajarão na causa e convocarão o público a abraçar a bandeira contra os incêndios, tendo cuidado com pontas de cigarro, uso de velas e outros materiais inflamáveis perto das matas. O evento apoia a campanha Bahia contra o Fogo.

Programação (palco principal)
A partir das 19h30min

Sexta-feira (9)
Choro Labuta
Márcia Castro
Leo Jaime
Hélio Bahia e banda

Sábado (10)
Griô
Pedro Mariano
Scambo
Banda Zion

Domingo (11)
Raiz do Vento
Diogo Nogueira
Baiana System

CIRCO E TEATRO NA TENDA DO TPI

Tempo de leitura: < 1 minuto
Companhia Circo da Lua se apresenta na Tenda do TPI (Foto Divulgação).

Companhia Circo da Lua se apresenta na Tenda do TPI (Foto Divulgação).

A Tenda Teatro Popular de Ilhéus, localizada na Avenida Soares Lopes, terá a apresentação do espetáculo Há vagas no circo!“, da Companhia Circo da Lua, composta por artistas argentinos e brasileiros que interpretam palhaços numa divertida história. Será nesta sexta (9), às 19h.

A classificação indicativa para Há vagas no circo! é livre, recomendada especialmente às crianças. O ingresso individual custa R$ 16,00 (inteira) e R$ 8,00 (meia), à venda bilheteria da Tenda.

Já no sábado (10), também às 19h, o grupo Teatro Popular de Ilhéus (TPI) apresenta na Tenda o 3 Encena, espetáculo de comemoração aos vinte anos do grupo.

Em trio, atores relembram cenas de montagens feitas pelo TPI ao longo desses anos. A classificação indicativa é de 14 anos. O ingresso individual custa R$ 12 (inteira) e R$ 6 (meia), podendo ser adquirido na bilheteria da Tenda.

JORGE PORTUGAL NO “IMPROVISO, OXENTE!”

Tempo de leitura: < 1 minuto
Secretário Jorge Portugal participa do Improviso no dia 3 (Foto Mateus Pereira).

Secretário Jorge Portugal participa do Improviso no dia 3 (Foto Mateus Pereira).

A primeira edição do Improviso, Oxente!, do Teatro Popular de Ilhéus (TPI), será com o secretário estadual de Cultura, Jorge Portugal. O evento está previsto para 3 de setembro, na Tenda do TPI, na Avenida Soares Lopes, em Ilhéus. O tema central do Improviso com Jorge Portugal será cultura e educação.

O evento é um mix de debates com intervenções artísticas. Ainda no dia 3, o debate terá as presenças dos professores Álamo Pimentel (Universidade Federal do Sul da Bahia-UFSB) e Jules Soares (Universidade Estadual de Santa Cruz-Uesc). O pedagogo e escritor Pawlo Cidade será o mediador do debate.

O Improviso, Oxente! também debaterá, em setembro, legislação e políticas públicas (dia 10), formação de professores (17) e o lugar da arte na escola e o lugar da escola na arte (dia 24).

ORQUESTRA NEOJIBA FARÁ TURNÊ PELO NORDESTE

Tempo de leitura: 2 minutos
Orquestra Neojiba terá patrocínio da Cielo em turnê pelo nordeste.

Orquestra Neojiba terá patrocínio da Cielo em turnê pelo nordeste.

Uma das mais bem-sucedidas experiências na área cultural e de inclusão social na Bahia, a Neojiba ganhou patrocínio de R$ 900 mil da Cielo para apresentações da orquestra juvenil Castro Alves (OCA) por sete capitais nordestinas. A turnê inclui apresentações em Aracaju, Maceió, João Pessoa, Recife, Natal e Fortaleza.

O anúncio foi feito nesta sexta-feira (21), durante ensaio no TCA, quando foi assinado o contrato entre o programa e a empresa. Com a presença do secretário de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social, Geraldo Reis, do maestro Ricardo Castro e do vice-presidente da Cielo, Manoel Pinto de Souza, entre outros executivos da empresa e do Banco do Brasil, os jovens apresentaram algumas peças que serão levadas à turnê.

“O primeiro desafio da turnê começa hoje”, exclamou Cássio Bittencourt, 22 anos, maestro da OCA, diante da plateia repleta de autoridades públicas. Ele se referia à execução da obra Abertura Festiva, de Shostakovich, que será apresentada durante a Turnê Nordeste e considerada um dos principais desafios para o grupo.

Ao apresentar a OCA aos convidados presentes no ensaio, o maestro Ricardo Castro, idealizador do programa, lembrou que os músicos da OCA são a primeira formação dentro do programa Neojiba. “A OCA é nosso orgulho. Vocês são realmente o retrato fiel do Neojiba, o resultado do nosso trabalho”, disse.

O Neojiba é um projeto de excelência do Governo do Estado, criado em 2007 por iniciativa do maestro Ricardo Castro, na gestão do ex-governador Wagner, e que ganha força na atual gestão do governador Rui Costa, com a ampliação do projeto Neojiba nos Bairros, que leva música e cidadania para meninos e meninas em condição de vulnerabilidade social nas áreas de Bases Comunitárias de Segurança no Estado.

Back To Top