skip to Main Content
21 de janeiro de 2021 | 09:28 am

BAHIA TEM 7 PARLAMENTARES ENTRE OS 100 MAIS INFLUENTES DO CONGRESSO

Tempo de leitura: < 1 minuto
Alice, Florence, Aleluia, Daniel, Otto, Maia e Rocha integram lista seleta || Montagem Pimenta

Alice, Florence, Aleluia, Daniel, Otto, Maia e Rocha entre os 100 mais

Sete parlamentares baianos estão entre os 100 mais influentes do Brasil, segundo levantamento realizado pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap). A Bahia é o quatro estado com maior número de deputados e senadores com destaque no Congresso, empatado com o Rio Grande do Sul.

Os deputados Afonso Florence (PT), José Carlos Aleluia (DEM), Alice Portugal (PCdoB), Daniel Almeida (PCdoB), Arthur Maia (PPS) e José Rocha (PR) são os representantes do estado no estudo da Diap. Completa a lista o senador Otto Alencar, que comanda o PSD na Bahia.

Entre os baianos, apenas José Rocha e Otto não figuravam no levantamento do ano passado. O senador, em 2016, era considerado em ascensão. Deixaram a lista a senadora Lídice da Mata (PSB) e os deputados Lúcio Vieira Lima (PMDB) e Antônio Imbassahy, que assumiu a Secretaria de Governo. Confira no Satélito, do Correio*

MINISTRO DO STF DETERMINA ABERTURA DE INQUÉRITO CONTRA DEPUTADOS E SENADORA BAIANOS

Tempo de leitura: 2 minutos
Ministro Fachin manda investigar mais de oitenta políticos.

Ministro Fachin manda investigar mais de oitenta políticos.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, relator da Lava Jato, determinou a abertura de inquérito contra nove ministros do Governo Temer, 29 senadores e 42 deputados federais, além de três governadores. Dentre os parlamentares, estão a senadora Lídice da Mata (PSB-BA) e vários deputados baianos. A abertura de inquérito visa investigar casos de corrupção nos quais os parlamentares foram citados por 40 delatores da Lava Jato.

Além da senadora Lídice da Mata, integram a lista os deputados federais baianos Antônio Brito (PSD), Arthur Maia (PPS), Cacá Leão (PP), João Carlos Bacelar (PR), José Carlos Aleluia (DEM), Daniel Almeida (PCdoB), Lúcio Vieira Lima (PMDB), Mário Negromonte Jr. (PP), Nelson Pellegrino (PT) e Jutahy Júnior (PSDB).

Segundo o Estadão, que divulgou a Lista de Fachin, os governadores Tião Viana, do Acre, Renan Filho, de Alagoas, e Robinson Farias, do Rio Grande do Norte, também serão investigados.

A lista ainda tem nove ministros do Governo Temer e um ministro do TCU. Os ministros de Temer são Eliseu Padilha (Casa Civil-PMDB), Blairo Maggi (Agricultura-PP), Aloysio Nunes (Relações Exteriores-PSDB), Gilberto Kassab (Ciência e Tecnologia-PSD), Helder Barbalho (Integração Nacional-PMDB), Roberto Freire (Cultura-PPS), Marcos Pereira (Indústria e Comércio-PRB), Bruno Araújo (Cidades-PSDB) e Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência-PMDB).

TEMER 

Citado por várias vezes em delações como a de executivos da Odebrecht, o presidente da República, Michel Temer, não será investigado por causa da sua imunidade temporária. A investigação contra um presidente somente pode ocorrer por fatos que tenham relação com o período em que estiver à frente do comando da Nação.

EM DISCURSO DURÍSSIMO, DANIEL ALMEIDA COLOCA O DEDO NA FERIDA – E COBRA DILMA

Tempo de leitura: 3 minutos

Daniel Almeida apresenta fatura baiana à presidente Dilma.

O deputado Daniel Almeida (PCdoB) ocupou parte do grande expediente, ontem, na Câmara, para cobrar da presidente Dilma Rousseff o mesmo tratamento que ela obteve na Bahia nas urnas. A cobrança ocorre após as perdas de ministérios e da presidência da Petrobras.
Daniel, dentre outras cobranças, lembra que a Bahia tornou-se, por esses dias, o estado do “já teve”. Já teve a direção-geral da Agência Nacional de Petróleo, já teve a presidência da Petrobras e já teve os ministérios das Cidades e do Desenvolvimento Agrário e o líder do governo na Câmara, que é baiano mas foi eleito por São Paulo. Não tem mais. Além disso, citou Dnocs, Sudene, Chesf, Banco do Nordeste e Codevasf – órgãos presentes na Bahia, mas sem nenhum baiano na direção.
Ressaltando que não enxerga na presidente Dilma a ingratidão, o parlamentar comunista disse não entender “o motivo de um tratamento que não corresponde à dimensão que o nosso Estado tem e a própria vitória que a Presidenta Dilma alcançou no meu querido Estado da Bahia”.
Almeida também elencou uma série de demandas baianas que poderiam ser atendidas pela presidente (como construção e ampliação de aeroportos, recursos para os portos e ações de combate à seca) e citou, especificamente, o que comprovaria tratamento desigual oferecido ao estado.
– Temos uma situação esdrúxula. Juazeiro e Petrolina são cidades irmãs,  uma fica em Pernambuco, outra, na Bahia, divididas pelo Rio São Francisco, com 240 mil habitantes de um lado e 200 mil habitantes do outro lado do rio. Lá (em Petrolina), o programa Minha Casa Minha Vida tem valores diferentes: em Pernambuco, 56 mil reais; na Bahia, 50 mil reais, numa realidade idêntica. Lá, a mão de obra, os equipamentos, o material de construção, o valor do terreno, tudo é a mesma coisa. Por que essa diferença?”.
Confira a íntegra do discurso do parlamentar no “leia mais”, abaixo.

Leia Mais

Back To Top