skip to Main Content
29 de novembro de 2020 | 01:05 am

HOMEM É FILMADO ESPANCANDO MULHER EM ILHÉUS

Acusado de espancar ex-namorada é denunciado pelo Ministério Público
Tempo de leitura: < 1 minuto

Um homem foi flagrado agredindo uma mulher, na noite de terça-feira (13), no bairro Nelson Costa, em Ilhéus. O acusado foi identificado como Carlos Samuel Freitas Costa Filho, o “Carlinhos Freitas”, de 33 anos, que aparece nas imagens desferindo socos no rosto da vítima.

A jovem, que seria namorada de Carlinhos Freitas,  não chegou a prestar queixa, mas a Delegacia Especializada de Atenção à Mulher (DEAM) instaurou inquérito para investigar o caso. O acusado já foi intimado pela polícia. Até o início da noite desta quarta-feira (14) ele não havia comparecido para prestar esclarecimentos.

De acordo com a polícia, essa não é a primeira vez que Carlinhos Freitas é acusado do crime. Ele foi indiciado em, pelo menos, 10 inquéritos, a maioria por agressão a mulheres, inclusive contra familiares, segundo a polícia.

Nas filmagens que circulam nas redes sociais, o homem e a vítima estão próximos a um carro, em frente de um imóvel. Por diversas,  ela implora para que o homem deixe o local, mas ele não atende e ainda ameaça uma pessoa que faz filmagem a distância.

"NÃO MEXE COMIGO"

Tempo de leitura: 3 minutos

Mariana Ferreira
 

Quanto ao médico, fui informada pela ouvidoria do hospital, no período da tarde, de que foi afastado dos plantões e está sendo investigado. Aqui me posicionei e espero que minha voz convide outras mulheres a não se curvarem diante de um assédio, seja ele qual for.
 

 
“… Que eu não ando só”. A frase, entoada na poderosa voz de Maria Bethânia, serve bem como lema da luta feminina. São inúmeras as experiências ruins, deflagradas por invasões masculinas, na vida de qualquer mulher em qualquer etapa de sua existência. Basta nascer com esse sexo. Não é preciso ser representante de nenhum movimento para afirmar em alto e bom som que esse mau é real.
Relatar um assédio sexual ainda é um dilema na atualidade: para muitas mulheres, por medo da reação do agressor, e para outras muitas, pelo medo da exposição e do estigma de uma sociedade que tem a cultura de se voltar contra a vítima. Mas como diz Maria Bethânia, “não ando no breu, nem ando na treva”, e por isso não serei eu que me calarei.
Sempre fui bem tratada na Santa Casa de Misericórdia de Itabuna, local que sempre considerei um dos mais seguros da cidade para um cidadão buscar atenção à saúde. Não imaginava que seria lá que sofreria desrespeito e teria o meu pior Dia Internacional da Mulher. Justo numa instituição que tem 101 anos de fundação, mais de 70% do seu quadro funcional formado por mulheres e que presta relevantes serviços à sociedade, como o 1º Mutirão da Mulher no próximo dia 10. Em atendimento por causa de uma dificuldade respiratória pela manhã, o médico plantonista Luiz Duarte mostrou sua forma de agir num procedimento de ausculta respiratória, tocando de forma invasora uma paciente.
A primeira reação de uma mulher nessa circunstância infelizmente é tentar fazer a “ficha cair”, porque, apesar de todo o preparo que buscamos ao longo da vida – psicológico, emocional e físico, nunca imaginamos que isso vá acontecer conosco. A atitude foi flagrante, e era o meu dever reagir, pois algumas coisas que vêm à mente são: “eu pertenço a mim, ele não tem esse direito” e “não fui a primeira e não serei a última se eu permitir que continue às escuras”.
É preciso calar o medo da exposição para dar voz a um basta. Acredito que nada seja por acaso, e talvez por isso Deus tenha usado alguém com senso de cidadania e responsabilidade para não permitir que esses fatos se perpetuassem, para zelo das pacientes e da própria instituição.
É importante que prestem atenção que nós não queremos, nem precisamos, de piedade. Nós precisamos de apoio com atitude – de homens, mulheres e instituições competentes, e exigimos respeito de todo indivíduo e de sua representação máxima, a sociedade. O problema é que romantizar uma data como o Dia da Mulher só camufla uma realidade emergente.
Flores são bonitas e muitas mulheres, como eu, gostam, mas precisam ser símbolo de respeito praticado cotidianamente, e não banalizadas como têm sido. Assim como os discursos bonitos que são cheios de panos quentes para disfarçar a violência contra a mulher. Quantos assediadores notórios não vemos passarem mel em suas palavras no Dia da Mulher para se mostrarem de acordo com os bons costumes, mas que agem como predadores, não importando o dia, a hora, o local? É repulsivo, é vergonhoso!
Finalizo esse artigo fazendo alguns pleitos à Secretaria de Segurança Pública e à Secretaria de Políticas para as Mulheres da Bahia. Não se pode falar em respeitar as minas sem olhar para suas estruturas de apoio a elas. A Delegacia da Mulher em Itabuna reúne tudo o que não pode acontecer: endereço num local deserto, com várias ocorrências de assaltos no entorno, a necessidade de subir ladeira para chegar à unidade, um sistema de registro de queixas que demora mais de uma hora para concluir o processo (no meu caso foi 1h15min) e em um cômodo abafado e sem um ventilador sequer para esse momento penoso da denúncia, sem falar na falta de privacidade da denunciante. Passou da hora de melhorar!
Quanto ao médico, fui informada pela ouvidoria do hospital, no período da tarde, de que foi afastado dos plantões e está sendo investigado. Aqui me posicionei e espero que minha voz convide outras mulheres a não se curvarem diante de um assédio, seja ele qual for. Já disse Maria, a Bethânia: “O que é teu já tá guardado, não sou eu que vou lhe dar”. É a Justiça quem vai. O tempo é chegado.
Mariana Ferreira é jornalista.

PORTEIRO ACUSADO DE ESTUPRO É PRESO

Tempo de leitura: < 1 minuto

Geraldo está preso (Foto Radar).

O porteiro acusado de estuprar uma criança foi preso ontem e encaminhado para o Conjunto Penal de Itabuna.  Geraldo Veloso Santos, 26, trabalhava na escola municipal Rainha da Paz, no Monte Cristo, há três anos.
O estupro ocorreu no ano passado e o caso foi denunciado à polícia neste ano, quando a criança teve condições de contar o caso aos pais e enfrentar as ameaças de morte feitas pelo porteiro (relembre aqui).
O porteiro foi reconhecido e confessou o estupro em depoimento prestado à polícia no dia 14 de junho. A prisão ocorreu por volta das 18h de ontem, informa o site Radar Notícias. A ordem judicial foi cumprida por agentes da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), comandada pela delegada Ivete Santana.
Conforme a delegada contou ao PIMENTA em junho, o porteiro abordou a criança enquanto ela passava em frente à escola. Ele era visto como uma pessoa tranquila e tinha a confiança da direção da escola. Ele também tinha acesso às residências da diretora e vice da escola Rainha da Paz, que reagiram com um misto de revolta e incredulidade quando Geraldo Veloso Santos confessou o estupro em depoimento à polícia. Geraldo está afastado da escola desde o mês passado (reveja aqui).

Back To Top