skip to Main Content
8 de julho de 2020 | 12:46 am

ITABUNA REGISTRA QUASE 400 CASOS DE DENGUE

Tempo de leitura: < 1 minuto

dengueOs municípios do sul da Bahia notificaram mais de 1.300 casos de dengue neste ano. De acordo com dados da Vigilância Epidemiológica da Bahia, as localidades com maior quantidade de casos são Itabuna, Una, Ilhéus e Ibicaraí.
Esses municípios, juntos, registraram 850 casos, dos quais cerca de 400 em Itabuna. O segundo em quantidade de notificações é Una, com 206 ocorrências, seguida de Ilhéus, com 160 casos informados.
Ibicaraí aparece na quarta colocação entre os municípios sulbaianos com maior quantidade de notificações de casos de dengue. Entre primeiro de janeiro e esta quarta-feira, foram 102 ocorrências. Informações d´A Região.

DIA DE CONTROLE DA DENGUE

Tempo de leitura: < 1 minuto

A Vigilância Epidemiológica de Itabuna está promovendo hoje, até as 13 horas, na Praça José Bastos, o “Dia D de Controle da Dengue”. A mobilização serve para mais uma vez orientar a comunidade sobre como identificar e combater focos do mosquito transmissor a doença. Distribuição de panfletos e exibição de vídeos educativos fazem parte da estratégia.
Participam da atividade agentes de controle de endemias, enfermeiros sanitaristas da Vigilância, além de alunos e articuladores do curso de Enfermagem da FTC.
 

DENGUE: ITABUNA TENTA REDUZIR INFESTAÇÃO

Tempo de leitura: < 1 minuto

dengueCom um absurdo índice de infestação por focos do mosquito transmissor da dengue, a Prefeitura de Itabuna procura reorganizar as ações de controle, que sofreram descontinuidade na gestão anterior. Em 2012, apenas quatro dos seis ciclos de epidemiológicos foram concluídos, o que foi decisivo para que o município alcançasse 27% dos domicílios com focos do Aedes aegypti.
Para reverter o quadro, uma das principais medidas é o reforço da equipe de agentes de controle de endemias. Mais 139 pessoas estão sendo incorporadas a esse trabalho, que envolve a aplicação de larvicidas e orientação dos moradores.
Outras ações que o governo pretende intensificar são a distribuição de capas para cobertura de reservatórios e a realização de mutirões de limpeza nos bairros, o que envolve a Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur).
Há também a promessa de reforçar a estrutura para atendimento de pacientes. De acordo com a Secretaria da Saúde, cinco unidades de saúde serão reabertas este mês, depois de passar por reformas. São elas: Amália Lessa (Novo São Caetano), Dílson Cordier (São Roque) Alberto Teixeira Barreto (Califórnia), José Édites (São Caetano) e Calixto Midlej Filho (Nova Itabuna)

MEDIEVAL PÓS-MODERNO

Tempo de leitura: 2 minutos

Karoline VitalKaroline Vital | karolinevital@gmail.com
 

A mortalidade diminuiu e a qualidade de vida subiu vertiginosamente depois que a maior parte da população adotou medidas simples como lavar as mãos.

 
Eu já estava desconfiada. Quando peguei o resultado do exame, minha suspeita foi confirmada e fez com que meu mundo desabasse. Acreditava estar tomando as precauções necessárias para evitar aquilo, porém, o que estava escrito no papel do laboratório contrariou minha certeza. Eu carregava dentro de mim algo extremamente indesejado, que me causava nojo intenso. Minha vontade foi correr até a primeira farmácia para eliminar de vez a razão de meu desespero. E foi isso que fiz. Chegando ao balcão, o meu pedido foi incisivo:
– Qual é o remédio mais potente contra lombriga e ameba que vocês têm?
O balconista da farmácia não entendia por que eu estava tão agoniada para eliminar os meus “hóspedes” nada queridos. Deve ter achado uma grande frescura da minha parte. Pegou uma caixa e disse que a droga seria tiro e queda contra os bichos.
Em casa, fui desabafar com minha mãe. Afinal, lombriga e ameba se pega através da ingestão de alimentos ou água contaminados com fezes.
– Mãe, se eu peguei esses troços, quer dizer que, indiretamente, eu comi cocô. E cocô de sabe lá quem! – como se conhecer a fonte dos dejetos fosse mudar alguma coisa.
– Filha, ter verme é normal. Todo mundo tem! – respondeu-me com desdém.
– Todo mundo tem uma pinoia! Eu não sou depósito de parasita! Estou me sentindo violada, invadida, parece que carrego um alien! Verminose não é como uma espinha, que todo mundo está sujeito a ter. Verme vem da falta de higiene. Sujeira é sinônimo de atraso de vida!
Minha mãe fez um bico, sacudiu os ombros e virou a cara como sinal claro de que estava considerando o meu discurso sanitarista uma grande baboseira. De certa forma, entendi um pouco o que Oswaldo Cruz deve ter sentido no início do século passado. Tudo bem, posso até ter exagerado na cena, porém penso que não deixo de ter razão. Afinal, a humanidade conseguiu se desenvolver mais rápido após a conscientização da necessidade de medidas higiênicas. Limpeza é um bem da modernidade e, através dela, inúmeras doenças puderam ser controladas ou erradicadas. A mortalidade diminuiu e a qualidade de vida subiu vertiginosamente depois que a maior parte da população adotou medidas simples como lavar as mãos antes de ter contato com alimentos, tomar banho diariamente, escovar os dentes, tratar a água, criar rede de esgotos, não acumular lixo, e por aí vai.
O engraçado é que, ultimamente, estão surgindo diversos produtos que garantem proteger você e sua família dos malévolos micro-organismos. Sabonetes bactericidas, álcool em gel, desinfetantes poderosos que fazem os germes gritarem de terror nos comerciais. Mas, paralelamente a isso, fico assombrada como, em pleno século XXI, a era da informação, existe ainda muita gente que encara como normais doenças provocadas pela sujeira. Morre-se de dengue porque cidadãos e cidadãs jogam lixo ao léu e, por mais campanhas educativas que o poder público faça, recusam-se a cumprir a parte que lhes cabe.
Toda essa ignorância acaba resultando em morte. Um sistema medieval coexistindo com a pós-modernidade.
Karoline Vital é comunicóloga.

AÇÕES CONTRA A DENGUE

Tempo de leitura: < 1 minuto

O secretário de Saúde de Itabuna, Renam Araújo, anunciou hoje medidas para conter o alto índice de infestação de mosquito da dengue no município. Como o PIMENTA antecipou em primeira mão, o percentual de lares com a presença de larvas do mosquito saltou de 18,4%, em novembro, para 27,1% neste mês (confira aqui).
Dentre as medidas anunciadas pelo secretário, estão prova escrita para avaliação dos agentes, aquisição de veículos para trabalho de combate ao Aedes aegypti, fornecimento de telas para cobertura de reservatórios d´água e campanha de conscientização contra o mosquito transmissor. A prova dos agentes será aplicada amanhã, às 8h, no Colégio Modelo.
O secretário também denunciou que 25% dos domicílios não receberam visita dos agentes de combate à dengue em 2012. Em alguns casos, a última visita ocorreu em março do ano passado. O alto índice de funcionários desviados para outras funções também colaborou para o quadro de infestação apresentado hoje.

ITABUNA ATINGE 27,1% DE INFESTAÇÃO DE DENGUE

Tempo de leitura: < 1 minuto

Mosquito da dengueO índice de infestação de dengue em Itabuna passou de 18,4%, em novembro, para 27,1% neste mês. Os dados foram obtidos em primeira mão pelo PIMENTA e revelam que cresce ainda mais o risco de epidemia no município sul-baiano.
O índice signifca que, a cada cem casas visitadas, 27 possuíam criadouros do mosquito transmissor da dengue, o Aedes aegypti.
O Levantamento de Índices Rápidos de Infestação de Aedes aegypti (Liraa) também indicou o bairro de Itabuna com o maior percentual de infestação, o Daniel Gomes.
Carente de serviços públicos e localizado na periferia do município, o bairro tem presença de larvas do mosquito em 73,33% dos lares visitados pelos agentes de combate à dengue no Liraa.
Especialista em dengue no município ouvido por este blog afirma que os dados revelam o descaso no combate à doença nos últimos anos. A falta de técnica (e de técnicos) no controle da dengue levou aos números apresentados hoje.
PREOCUPAÇÃO
Apesar do município ter elencado a dengue entre as prioridades Na área de saúde neste início de nova gestão, os agentes ainda não têm coordenação de trabalho. Um técnico da Secretaria Estadual de Saúde (Sesab) foi escolhido para o cargo, mas retornou a Itabuna somente nesta semana. “Estamos trabalhando sem rumo, sem direção”, afirma um agente.

RECURSOS PARA COMBATER A DENGUE

Tempo de leitura: < 1 minuto

dengue1O Ministério da Saúde repassará R$ 13,2 milhões para o combate à dengue na Bahia. A prioridade será para os municípios que possuem alto risco de epidemia neste verão. Itabuna está na lista. O município registrou o maior índice de infestação de mosquito da dengue em levantamento divulgado em novembro (relembre aqui), com 18,4%.
O percentual indica que, de cada cem casas visitadas, 18 apresentavam criadouros do mosquito da dengue, o Aedes aegypti. Na Bahia, 103 municípios enfrentam risco de epidemia de dengue neste ano, segundo a Secretaria Estadual de Saúde. Ilhéus, com índice de infestação de 6,3%, também está nesse grupo.

VERÃO PEDE REFORÇO NO COMBATE À DENGUE

Tempo de leitura: < 1 minuto

A chegada do verão exige atenção redobrada no combate aos focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue. De acordo com o último LIRAa (Levantamento do Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti), Itabuna é campeã nacional em focos do vetor, com uma incidência superior a 18%. Esse índice coloca  o município em situação preocupante, com altíssimo risco de epidemia de uma doença que pode matar.

Falhas no trabalho de prevenção, como o deslocamento de agentes de controle de endemias para outras funções, levaram Itabuna a um quadro de vulnerabilidade que vem se repetindo desde 2009. Em todo o país, 77 cidades enfrentam risco de surto da doença.

Em entrevista à Agência Brasil, o coordenador do Programa Nacional de Controle da Dengue, Giovanni Coelho, citou pesquisas segundo as quais o brasileiro se sente bem informado com relação à dengue e às medidas preventivas. Ele reconhece, porém, que o grande desafio é transformar esse conhecimento em mudança de comportamento (leia mais).

DIRETOR SEM SALÁRIO

Tempo de leitura: < 1 minuto

Mais uma revelação preocupante do diretor da Vigilância à Saúde de Itabuna, Florentino Souza Filho, feita hoje à tarde na Câmara de Vereadores (ver nota abaixo). Servidores que atuavam no combate à dengue foram dispensados pelo prefeito Capitão Azevedo, o que compromete ainda mais o controle de focos.

O próprio Florentino está em uma situação peculiar na Prefeitura. Chegaram a lhe avisar que ele estaria demitido, mas não houve publicação nem comunicação oficial a respeito. Ainda assim, o diretor informou que está fora da folha de pagamento desde 30 de setembro.

Diante de tal quadro, vereadores decidiram fazer um encaminhamento ao Executivo, solicitando providências emergenciais para assegurar o combate à dengue.

SEGUNDO VEREADORA, QUEM GOVERNA ITABUNA ATÉ 31 DE DEZEMBRO É A DENGUE

Tempo de leitura: 2 minutos

Florentino (centro) expôs o caos nas ações de combate à dengue em Itabuna

A informação de que Itabuna possui hoje o maior índice de infestação de dengue do Brasil (veja aqui) coincidiu com a ida do diretor do Departamento de Vigilância à Saúde do município, Florentino Souza Filho, à Câmara de Vereadores. Ele compareceu à sede do legislativo nesta terça-feira, 27, a convite do vereador Paulo Luna (PSDB), e não se preocupou com floreios. O diretor da Vigilância confirmou que seu setor é prejudicado, entre outros fatores, pelo deslocamento de agentes de combate a endemias para outras funções, fato já denunciado pelo PIMENTA.

Durante a sessão, a vereadora Maria do Carmo Ferreira, a Carmem do Posto Médico (PR), fez um pronunciamento-desabafo que chamou atenção. Com 28 anos de trabalho na área da saúde, ela observou que Itabuna está entregue à sujeira, o que ajuda a proliferar diversas doenças, inclusive a dengue.

“Não é possível garantir a saúde da população com a cidade suja do jeito que está”, afirmou a vereadora, acusando prefeito e secretários de omissão. Segundo Carmem, “Itabuna não tem prefeito, quem governa até 31 de dezembro é a dengue”. Ela disse ainda, sem citar nomes, que  secretários municipais não estão preocupados com a situação, pois pensam apenas em “encher os bolsos”.

O pronunciamento surpreendeu alguns vereadores, pelo fato de Carmem do Posto Médico ser de um partido da base do prefeito. Porém, mesmo pertencendo ao PR, a vereadora tem demonstrado independência com relação ao governo, já tendo criticado a gestão de Azevedo em pelo menos outra sessão.

Back To Top