skip to Main Content
9 de agosto de 2020 | 09:30 pm

DONA ENEDINA, UM SÍMBOLO!

Tempo de leitura: < 1 minuto
Wagner

Dona Enedina e o filho Lourival são homenageados por Wagner e Fátima Mendonça

Os oito anos do Governo Wagner são retratados em edição especial da revista Bahia Terra de Todos Nós. A publicação foi lançada em evento especial no Palácio Rio Branco, em Salvador, em evento que reuniu políticos e teve homenagens a figuras atendidas com ações de governo, a exemplo de Maria Enedina Pereira, moradora de Ilhéus.
Dona Enedina aprendeu a ler e escrever depois dos 100 anos de idade, transformando-se na mais famosa aluna do Programa Todos pela Alfabetização (Topa), do governo baiano. A Bahia Terra de Todos Nós ainda resume principais projetos, programas e ações do governo estadual no período de 2007 a 2014.

EUNICE E ENEDINA NA TELINHA

Tempo de leitura: < 1 minuto

No Dia do Professor, 15 de outubro, o principal telejornal do Brasil prestou homenagem aos educadores brasileiros usando um exemplo baiano de revolução pela educação. Dona Enedina, itabunense que está aprendendo a ler e escrever aos 100 anos, e a sua alfabetizadora Eunice Côrrea.

Enedina vive há um bom tempo em Ilhéus. É marisqueira e tem na sala de aula um colega especial, o filho Rosivaldo Pereira, 61 anos. Acompanhe a homenagem a quem ensina ao não perder a vontade de aprender – mesmo sendo uma feliz centenária.

Clique aqui e acompanhe a história de vida de Dona Enedina, a aluna que ensina sempre.

DONA ENEDINA, A ITABUNENSE CENTENÁRIA

Tempo de leitura: < 1 minuto
Dona Enedina, ao lado do filho, Rosivaldo: exemplo de recomeço.

Dona Enedina e o filho, Rosivaldo: a vida começa aos 100.

A revolução começa pela educação. Muitos já ouviram frases assim. Dona Enedina também. Mas ela não apenas ouve. Decidiu fazer a sua revolução ao inscrever-se numa turma de alfabetização do programa estadual Topa.

A itabunense que já viveu em Eunápolis, Ilhéus e Camacan tem sua história centenária de vida contada em reportagem da jornalista Ana Cristina Oliveira, da sucursal de A Tarde em Itabuna.

E através das páginas do diário soteropolitano se sabe que dona Enedina viu a cidade nascer, se alimenta do velho feijão logo nas primeiras horas do dia. Palavras dela: “em vez de café da manhã, todo dia bato um bom prato de feijão“.

Enedina completou 100 anos no dia 27 de setembro. Na última quarta-feira, comemorou aniversário com os colegas de turma e ainda recebeu um alô do “doutor” Jacques Wagner.

Ao lado dela na turma do curso de alfabetização, iniciado em julho, está o filho, Rosivaldo Rodrigues dos Santos, de 61 anos. É filho único, conta, resultado de matrimônio com Júlio Rodrigues dos Santos, que logo o abandonou. A história de vida da centenária que viu Itabuna nascer pode ser conferida clicando aqui.

Back To Top