skip to Main Content
9 de agosto de 2020 | 02:19 am

EM ITABUNA, FERIADO DO COMERCIÁRIO É ANTECIPADO PARA 22 DE OUTUBRO

Tempo de leitura: < 1 minuto

Dia 22 de outubro lojas não abrirão em homenagem aos comerciários em Itabuna

O feriado do Dia do Comerciário neste ano será antecipado para o dia 22 de outubro, uma segunda-feira. A comunicação foi feita, há pouco, pela direção do Sindicato dos Comerciários de Itabuna.
A antecipação do Dia do Comerciário foi oficializada pelo prefeito Fernando Gomes, atendendo a pedido da categoria. O decreto foi assinado na última segunda-feira (1º).
O Dia do Comerciário é comemorado, oficialmente, em 30 de outubro, mas antecipá-lo tornou-se uma tradição em Itabuna para que coincida sempre com uma segunda-feira. Neste ano, a data cairá numa terça-feira pós-segundo turno eleitoral.
No dia 22 de outubro, será feriado em todo o comércio, incluindo lojas do Shopping Jequitibá e supermercados de Itabuna.

BAHIA ESPERA RECEBER 240 MIL TURISTAS EM CRUZEIROS MARÍTIMOS

Tempo de leitura: 2 minutos

Cruzeiros devem trazer  80 mil turistas a Ilhéus, a partir de novembro || Foto Gidelzo Silva

A temporada de cruzeiros marítimos começa em 19 de novembro com a chegada do navio MSC Fantasia ao Porto de Salvador. Até abril de 2019, é esperado o desembarque de 241.358 turistas nos portos da capital e de Ilhéus, o que representa um acréscimo médio de 7,5% em relação à temporada anterior, segundo a Companhia das Docas do Estado da Bahia (Codeba).
Para Salvador, estão previstas 48 escalas de navio e o desembarque de 162.187 passageiros. O porto de Ilhéus receberá 20 escalas e 79.171 passageiros. O maior navio a atracar no porto da capital é o MCS Seaview, com capacidade para 5.210 passageiros. As escalas começam no início de dezembro e seguem até meados de fevereiro.
O secretário estadual do Turismo, José Alves, destaca que esse movimento aquece a economia com bons resultados para segmentos como o de restaurantes, artesanato, aluguel e frete de veículos.
A temporada será precedida pela chegada do navio Aidaaura em Salvador, já no dia 22 de outubro, com capacidade para 1.266 passageiros. O MSC Fantasia, que abre oficialmente a temporada em novembro, virá de Santa Cruz do Tenerife, na Espanha, trazendo até 3.952 passageiros a bordo. A chegada ao porto da capital está prevista para as 13h. Às 21h do mesmo dia, a embarcação segue para Ilhéus.
A circulação dos navios de cruzeiro pelo litoral baiano termina no dia 21 de abril com a chegada do Sirena, proveniente de Cabo Frio (RJ) e com capacidade de 684 passageiros. Nove horas depois de aportar, ele segue para Maceió (AL).
A Superintendência de Fomento ao Turismo (Bahiatursa), vinculada à Secretaria do Turismo do Estado (Setur), prepara receptivo especial para os visitantes que desembarcam em Salvador, com baianas tipicamente trajadas e execução de músicas da Bahia.

ASSAÍ OBTÉM LICENÇA PARA CONSTRUIR FILIAL EM ILHÉUS; LOJA DEVE GERAR 300 EMPREGOS

Tempo de leitura: 2 minutos

Assaí terá primeira filial no sul da Bahia em Ilhéus || Foto Divulgação

O Instituto Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) liberará, ainda nesta semana, autorização para que o Assaí Atacadista inicie as obras de construção da filial em Ilhéus. A diretora-geral do Inema, Márcia Cristina Lima, confirmou ao deputado estadual Rosemberg Pinto, nesta terça (29), que a Autorização de Supressão de Vegetação (ASV) será publicada ainda nesta semana, no Diário Oficial do Estado.
A informação foi repassada pela diretora-geral durante reunião com o parlamentar, na sede do Inema. O Assaí Atacadista poderá gerar cerca de 300 empregos e anunciou investimentos de R$ 40 milhões na filial ilheense. O Assaí pertence ao Grupo Pão de Açúcar e será construído na Rodovia Ilhéus-Olivença, zona sul do município.

Rosemberg Pinto recebeu a confirmação da licença em reunião com a diretora-geral do Inema

Rosemberg Pinto disse que se empenhou pela liberação do empreendimento. “Dialogamos com as partes responsáveis visando liberar as licenças necessárias para iniciar o mais rápido possível esta obra. Assim, vamos gerar empregos durante a construção do atacadista até a sua operação, além de atrair outras empresas para a região”, afirmou o parlamentar.
O Assaí Atacadista foi confirmada em Ilhéus em junho do ano passado (reveja aqui), durante as comemorações do aniversário da cidade. Desde o segundo semestre do ano passado, o empreendimento, que opera em sistema de vendas no atacado e no varejo (atacarejo), aguardava a autorização. Já a licença ambiental, foi liberada pelo município, após ajustamentos dos quais participou o Ministério Público Estadual. Atualizado às 11h50min.

Área onde será construída a filial do Assaí em Ilhéus, na zona sul

UBAITABA OBTÉM APOIO PARA REFORMA DO MERCADO MUNICIPAL

Tempo de leitura: < 1 minuto

Suka e Jailton com o secretário Jeandro Ribeiro em visita ao mercado || Foto Aleiton Oliveira

As obras de reforma do Mercado da Farinha, executadas pela Prefeitura de Ubaitaba com recursos do governo baiano, foram visitadas, neste final de semana, pelo secretário estadual de Desenvolvimento Rural, Jeandro Ribeiro. Ele fez uma visita técnica, acompanhado pela prefeita Suka Carneiro, o vice-prefeito Jailton Araújo, secretários municipais e técnicos.
Nesta primeira etapa, os trabalhos consistem na colocação de piso e de azulejo, reforma dos balcões e recuperação do telhado e pintura. Além de agradecer à cooperação da SDR na reforma da unidade, a prefeita de Ubaitaba obteve o apoio do secretário para mais recursos para as próximas etapas, que incluem a reforma dos mercados de carnes verdes e carnes secas, verduras e frutas.
Suka ainda relatou a necessidade de mais verbas para que o município implante o Mercado da Confecção, com dois pavimentos, para abrigar restaurantes no segundo andar.

SONDAGEM APONTA RECORDE DE EMPREGOS DOS PEQUENOS NEGÓCIOS EM 2018

Tempo de leitura: 2 minutos

Sondagem aponta boa perspectiva para os pequenos

Os pequenos negócios continuarão a sustentar a geração de empregos no país e devem encerrar o ano com mais de 500 mil novas vagas formais, impulsionadas principalmente pelas atividades que compõem a cadeia da Construção Civil. Pelo menos, esta é a perspectiva apontada pelo Sebrae, a partir da Sondagem Conjuntural, realizada trimestralmente pela instituição, e da análise dos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), nos seis primeiros meses deste ano.
As cinco edições da Sondagem Conjuntural, feita trimestralmente pelo Sebrae, mostram que os donos de pequenos negócios que atuam na Construção Civil têm sido os mais otimistas em relação ao futuro da economia brasileira. São também os que mais pretendem gerar empregos no país este ano. O percentual de donos de negócios, que pretendem ampliar seus quadros de funcionários vem se elevando gradativamente, saindo de 16% (junho/2017) até atingir 36% (março/2018). Mesmo tendo registrado uma queda na Sondagem de junho/2018 (situando-se em 24%), como provável reflexo da greve dos caminhoneiros, o segmento, ainda assim, apresentou um resultado acima do observado em outros setores (Comércio, Indústria e Serviços).
O mais importante, segundo a diretora técnica e presidente em exercício do Sebrae, Heloisa Menezes, é que essa intenção indicada pelos donos de pequenos negócios tem sido verificada na prática, nos dados do Caged, do Ministério do Trabalho e Emprego.

Leia Mais

ARTIGO | AS ONDAS DE DESENVOLVIMENTO E A CACAUICULTURA DO SUL DA BAHIA

Tempo de leitura: 3 minutos

Antonio Zugaib || ac.zugaib@uol.com.br
 

A regulamentação de uso da indicação geográfica, obtida pela Associação Cacau Sul Bahia, é um instrumento valioso para se conseguir uniformidade na qualidade, necessária para uma boa comercialização do produto, principalmente no mercado externo.

 
A cacauicultura do sul da Bahia já passou por diversas ondas de desenvolvimento. Primeiro foi a onda de desenvolvimento agrícola, quando os produtores de cacau – baianos, árabes e sergipanos – substituíram as plantações de cana-de-açúcar, com seus diversos engenhos, espalhadas neste rica Capitania de São Jorge dos Ilhéus, por plantações de cacau. Com suor e luta, os produtores de cacau implantaram nesta região um sistema denominado Cabruca, sistema este admirado no mundo inteiro, pois consegue extrair da terra seu valor econômico, conservando e preservando a mata atlântica.
Neste sistema de produção de cacau existente há cerca de 250 anos, a cacauicultura do sul da Bahia despertou o mundo produzindo uma quantidade significativa de cacau estimulando o interesse de exportadores e processadores a se localizarem na região, dando início a segunda onda de desenvolvimento, que chamamos de industrialização. Vieram os Kaufmann, implantando inicialmente o Chocolate Vitória, os Wildberger trazendo as empresas exportadoras e, posteriormente, as indústrias Barreto de Araújo, a Berkau, a Cargil, a Chadler, a ADM Cocoa, a Nestlé, assim como, através da organização dos produtores locais, a Itaísa. Neste ciclo de desenvolvimento produzimos líquor, torta, manteiga e pó de cacau. Iríamos chegar a cobertura do chocolate quando uma série de fatores conjunturais e estruturais desagregaram a economia cacaueira, culminando com a chegada da vassoura-de-bruxa, provocando um retrocesso sem precedentes dessa economia, com fechamento de fábricas e descapitalização dos produtores.
Atualmente, estamos voltando a um estágio de desenvolvimento muito mais forte, porque não estamos com a visão só na matéria-prima, nem tampouco em um chocolate de cobertura ou chocolate de massa. Estamos entrando em uma terceira onda de desenvolvimento que estou chamando de “Customização”. Customização é um substantivo feminino que remete para o ato de customizar e significa personalização ou adaptação.  
A customização consiste em uma modificação ou criação de alguma coisa de acordo com preferências ou especificações pessoais. Assim, customizar é alterar alguma coisa segundo o seu gosto pessoal. É isto que está acontecendo na cacauicultura do sul da Bahia. Os consumidores estão experimentando o chocolate segundo seu gosto pessoal. E a maioria dos consumidores deste produto que é preferência nacional já decidiu saborear um chocolate com alto teor de cacau.
Experimentos são realizados por meio de novas variedades desenvolvidos pela Ceplac e parceiros, onde é feita uma análise sensorial do chocolate sobre variáveis importantes, como aroma, sabor, derretimento, dureza, amargor e acidez, sem deixar de lado a localização, o porte, o tamanho dos frutos, o peso total das sementes secas por fruto, nem tampouco a produtividade do cacaueiro.
O chocolate é visto como um produto especializado que precisa de profissionalismo para ter sucesso no empreendimento. Para isso, a regulamentação de uso da indicação geográfica, obtida pela Associação Cacau Sul Bahia, é um instrumento valioso para se conseguir uniformidade na qualidade, necessária para uma boa comercialização do produto, principalmente no mercado externo. Porém, obtido esse profissionalismo estaremos no topo do mercado, obtendo um preço mais compensador, pois estaremos agregando valor ao nosso produto. Com uma boa política de crédito rural, os produtores poderão transferir toda a tecnologia gerada pela Ceplac, através de clones de alta produtividade e poderão reviver momentos felizes novamente.
Antonio Zugaib é engenheiro agrônomo, mestre em Economia Rural, técnico em Planejamento da Ceplac e professor da Uesc.

CABRUCA E CACAU CABRUCA, MELHOR SAÍDA PARA O RURAL SUL-BAIANO

Tempo de leitura: 4 minutos

Wallace Setenta || catongo70@gmail.com
 

O “novo preconizado” [repetindo a forma original de plantio] tinha agora como método predominante para sua expansão a “derruba total da mata nativa” para o plantio dos novos cacauais, mas numa perspectiva monocultural, produtivista e hierarquizada voltada unicamente para produção em escala [grandes volumes] visando apenas a exportação de bagas.  

 

Construímos o mundo em que vivemos durante as nossas vidas. Por sua vez, ele também nos constrói ao longo dessa viagem comum. Assim, se vivemos e nos comportamos de um modo que trona insatisfatória a nossa qualidade de vida, a responsabilidade cabe a nós. (Maturana, H. R.). 

A história das chamadas relações entre sociedade e natureza é, em todos os lugares habitados, a da substituição de um meio natural, dado a uma determinada sociedade, por um meio cada vez mais artificializado, isto é, sucessivamente instrumentalizado por essa mesma sociedade (Santos, M.). As modalidades dessas relações estabelecidas no sul da Bahia deram origem à CABRUCA, designação como é conhecido o Sistema Agrícola Tradicional Cabruca [SAT Cabruca], principiado e constituído há mais de 250 anos num ambiente natural de Mata Atlântica.
“Não foram os efeitos de braços estranhos, não o ouro de abastadas bolsas, não foi o amparo de governos fortes, mas a constância de modestos homens, a intrepidez do trabalhador patrício, cujo o único capital constituía nos seus braços, quem a fez triunfante”. (Bondar, G.)
Muitas outras denominações da Cabruca são habitualmente empregadas em função das especificidades locais onde se assentam: cabroca; cacau no brocado; brocado; cacau tradicional; cacau do jupará; cacau na mata; mata produtiva; agrossistema tradicional; cacau sob mata raleada, e mais recente como cacau cabruca ou como sistema agroflorestal tipo cabruca.
A evolução dinâmica desse processo de trabalho [cabruca] inovador, em permanente construção, continua sendo reinventado progressivamente frente às constantes mudanças nos contextos sociais e econômicos, técnicos e ambientais possibilitado pelo entrelaçamento harmônico em meio a cabruca [como processo trabalho]; o Bioma Mata Atlântica [meio natural]; e a sociedade local [como indutora e de forte conotação de conteúdo coletivo]. O conceito cabruca [conservação produtiva] concilia e viabiliza portanto as relações de produção, da “roça ao chocolate”, tendo como protagonista principal o produtor de cacau [como agente social] – sobre os ombros do qual a crise se avoluma.
Clique no “leia mais”, a seguir, para conferir o artigo na íntegra:

Leia Mais

CONTA DE LUZ NA BAHIA TERÁ PESO DE REAJUSTE E BANDEIRA AMARELA EM MAIO

Tempo de leitura: < 1 minuto

Não bastasse o aumento de mais de 17% nas contas de energia elétrica em vigor desde o dia 22 de abril, o consumidor ganhou outro presente para o período. A cada 100 kwh consumidos, o cliente da Coelba terá acréscimo de R$ 1,00 em maio devido à mudança da bandeira tarifária, que saiu do verde para o amarelo.
– Com o fim do período úmido e a menor incidência de chuvas, os reservatórios das hidrelétricas do Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste estão com volumes mais baixos, o que resulta em gradual aumento do risco hidrológico (GSF) e do preço da energia elétrica de curto prazo (PLD), as duas variáveis que determinam a bandeira a ser acionada – informou a Aneel.
Para não ter mais dissabores no período, o cliente deverá adotar hábitos que não impactem ainda mais a conta. “Ladrões” tradicionais de energia são os chuveiros elétricos, os ferros de passar roupa, portas de geladeira abertas, aparelhos de ar-condicionado. Assim, deve-se evitar banhos prolongados com chuveiro elétrico acionado, passar maior número de roupas possível em um só período e não deixar porta de geladeira aberta desnecessariamente.

VETO AO REFIS DO SIMPLES DEVE SER VOTADO NA TERÇA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Khoury defende derrubada do veto || Foto João Alvarez/Agência Sebrae

O veto ao refinanciamento das dívidas tributárias das pequenas e microempresas, chamado de Refis do Simples, deverá ser votado pelo Congresso Nacional na próxima terça (3). De acordo com o superintendente do Sebrae na Bahia, Jorge Khoury, os senadores e deputados federais baianos estão sensíveis ao pleito das pequenas e microempresas.
Segundo Khoury, o veto é crucial, porque permite refinanciamento com ampliação dos prazos e diminuição da incidência de juros. Pequenas e microempresas, aponta ele, respondem por 27% do Produto Interno Bruto (PIB) do país e empregam 70% dos trabalhadores na iniciativa privada.
– Os parlamentares baianos têm demonstrado apoio a essa luta para garantir isonomia às pequenas empresas, já que as grandes tiveram seu programa de refinanciamento aprovado – afirma Khoury.

CONFIRA VAGAS DE EMPREGO EM ILHÉUS NESTA TERÇA (6)

Tempo de leitura: < 1 minuto

SineBahia faz intermediação de 10 vagas de emprego nesta terça

Empresas instaladas em Ilhéus, no sul da Bahia, oferecem total de 10 oportunidades de emprego para esta terça-feira (6). Os interessados devem procurar a unidade do SineBahia, na Rua Eustáquio Bastos, centro, onde funciona o SAC, munidos de comprovantes de escolaridade e residência, carteiras de Trabalho e Identidade e CPF.
A maioria das vagas exige Ensino Médio completo. Dentre as vagas, gerente de supermercados, recepcionista bilíngue e vendedor interno. Quem possui cadastro no aplicativo SineFácil, pode manifestar interesse por vaga pelo celular.
VAGAS EXCLUSIVAS PARA ILHÉUS (Terça, 6)
RECEPCIONISTA BILÍNGUE
Ensino Médio completo
Experiência mínima de 06 meses na carteira
Obrigatório possuir disponibilidade de horário
01 VAGA
COZINHEIRO DE RESTAURANTE
Ensino Fundamental completo
Experiência mínima de 06 meses na carteira
Obrigatório possuir disponibilidade de horários
Desejável residir no Centro
03 VAGAS
ALINHADOR DE DIREÇÃO / ALINHAMENTO E BALANCEAMENTO DE VEÍCULOS
Experiência mínima de 06 meses na carteira
01 VAGA
GERENTE DE SUPERMERCADO
Ensino Médio completo
Experiência mínima de 06 meses na função
01 VAGA
MECÂNICO ELETRICISTA DE AUTOMÓVEIS
Ensino Fundamental completo
Experiência mínima de 06 meses na função
02 VAGAS
VENDEDOR INTERNO
Ensino Médio completo
Experiência mínima de 06 meses na função
02 VAGAS

Back To Top