skip to Main Content
17 de fevereiro de 2020 | 06:14 pm

PM-BA DIVULGA RESULTADO DE SORTEIO PARA 3,3 MIL VAGAS EM COLÉGIOS E CRECHE

Tempo de leitura: < 1 minuto

A Polícia Militar da Bahia divulgou, nesta segunda-feira (13), o resultado do sorteio eletrônico para admissão de alunos nas 15 unidades do Colégio da Polícia Militar (CPM) e da Creche da PM Nossa Senhora das Graças/CMEI para o ano letivo de 2020.

Confira o resultado aqui

A PMBA dispõe de 15 unidades do colégio em todo estado e 12.814 alunos. Além dos cinco colégios na capital (Dendezeiros, Luiz Tarquínio, Ribeira, Lobato e Cajazeiras), os CPMs estão distribuídos nas cidades de Teixeira de Freitas, Alagoinhas, Ilhéus, Itabuna, Feira de Santana, Vitória da Conquista, Candeias, Juazeiro, Jequié e Barreiras.

SESI ANUNCIA AMPLIAÇÃO DA REDE DE EDUCAÇÃO NO INTERIOR DA BAHIA

Tempo de leitura: 3 minutos

Após expandir a rede de Ensino Médio para o interior, o
SESI agora vai ampliar presença do Ensino Fundamental II

Escola deve estimular os estudantes a viverem novas experiências em sala de aula, no SESI, alunos têm contato desde cedo com a iniciação científica || Foto Valter Andrade/Coperphoto/Sistema FIEB

Nos últimos cinco anos, o Serviço Social da Indústria na Bahia (SESI Bahia) ampliou a oferta de vagas de ensino médio no interior. A partir de 2020, a instituição também passará a oferecer o ensino fundamental, a partir do 6º ano (clique aqui e saiba mais). A expansão do ensino fundamental começou em 2019, na Escola SESI João Ubaldo Ribeiro, do município de Luís Eduardo Magalhães, quando foram abertas 134 vagas do 6º ao 9º ano.

No próximo ano letivo, haverá novas vagas também em Barreiras, Vitória da Conquista, Ilhéus e Feira de Santana, totalizando 560 novos alunos de ensino fundamental. Atualmente, o SESI Bahia tem mais de 7.000 estudantes matriculados na capital e interior.

A gerente de Educação do SESI Bahia, Cléssia Lobo, explica que a ampliação da rede atende a uma demanda dos pais que conhecem a metodologia educacional do SESI. “Nossa intenção é levar para o ensino fundamental todo o referencial de educação que o SESI oferece, incluindo educação tecnológica com robótica, ambientes de aprendizagem inovadores, com laboratórios, metodologias ativas e atividades de cultura, já a partir do 6º ano do ensino fundamental. No 9º ano, os alunos também começam a ter aulas de iniciação científica, o que é um diferencial do SESI”, destaca a gerente de Educação.

Laís Cerqueira, de 11 anos, vem descobrindo novas formas de aprendizagem com uso de metodologias inovadoras || Foto Valter Andrade/Coperphoto/Sistema FIEB

DESAFIOS EM EDUCAÇÃO

O modelo de educação do SESI é a síntese de mais de 50 anos de tradição em educação na Bahia com base em um programa nacional que é adotado em todo o país. Aliado a isso, um processo de formação contínua das equipes pedagógicas assegura uma atualização constante dos profissionais de educação.

Na avaliação de Cléssia Lobo, a escola enfrenta um grande desafio nos dias atuais que é tornar-se atrativa aos olhos de uma juventude hiperconectada e que tem vários focos de interesse mediados pela tecnologia. “Entender o que pensam as novas gerações e conquistar o interesse dos jovens pelos estudos é um desafio que permeia todo o processo pedagógico nos dias atuais. Atento a isso, o SESI Bahia tem apostado em novas tecnologias e metodologias em sala de aula, de forma a tornar mais interessante a experiência de aprendizagem, colocando o estudante como protagonista do seu aprendizado”, reitera Cléssia.

SESI oferece ensino fundamental na sua rede há mais de 50 anos na Bahia || Foto Valter Andrade/Coperphoto/Sistema FIEB

A estudante Laís Apoena Miranda de Cerqueira, de 11 anos, aluna do 7º ano, da Escola SESI Bernardo Martins Catharino, ingressou na rede SESI em 2019. “Conhecia alunos que faziam parte da escola SESI e queria muito estudar aqui. Ao chegar, vi que a escola me oferecia muitas possibilidades e que me desafia a aprender”, sintetiza a estudante, que elogia a instituição. “Fiquei impressionada com a estrutura da escola e com a forma de ensinar dos professores, que utilizam materiais diferentes e tornam as aulas mais interessantes”, detalha.

Laís, que passou por outras escolas, enxerga que o SESI pode oferecer a ela várias oportunidades. “Aqui eu vejo que posso ampliar meus estudos e experimentar outras possibilidades para aprender”, complementa.

ITABUNA: AULAS NAS ESCOLAS MUNICIPAIS COMEÇAM NA PRÓXIMA QUINTA

Tempo de leitura: 1 minuto

Imeam atraiu mais alunos e está em reforma || Foto Wilson Oliveira/Arquivo

As aulas nas escolas da rede municipal de Itabuna começam na próxima quinta-feira (16) com pouco mais de 16,6 mil alunos matriculados para o ano letivo de 2019. As atividades preparatórias começaram desde a semana passada, com a realização da pré-jornada e da jornada pedagógica da rede. O início tardio do ano letivo se deve a greves dos educadores no período 2017-2018.

Apesar da grande queda no número de alunos na rede municipal, a Secretaria de Educação de Itabuna aponta que houve aumento no alunado do Instituto Municipal de Educação Aziz Maron (Imeam), que saiu de 700 alunos em 2018 para 1.100 em 2019. O colégio terá 37 turmas neste ano.

O acréscimo se deve, principalmente, ao fim do convênio do município com o Ciso. O convênio foi rompido, unilateralmente, pelo prefeito Fernando Gomes com o colégio por questões político-partidárias. Os alunos tiveram que ser remanejados para o Imeam, que terá como um dos atrativos a adoção do modelo militar.

De acordo com a secretária de Educação, Nilmecy Gonçalves, o número de alunos até agora, na rede, é 16.623, porém as matrículas para o ano letivo estão abertas até 31 de maio. A expectativa, segundo ela, é que a rede alcance 18 mil alunos matriculados. A rede conta com 1.223 professores e 800 funcionários de apoio, conforme dados da Secretaria de Educação de Itabuna.

ESCOLAS PARTICULARES NEGOCIAM MENSALIDADE PARA MANTER ALUNOS E ATRAIR NOVOS

Tempo de leitura: 2 minutos

Escolas negociam mensalidade para não perder alunos

As escolas particulares de Itabuna registraram aumento médio de 10% na mensalidade em relação ao ano passado, mas em muitos casos mantém os mesmos valores para segurar os alunos. No período, a inflação foi de 2,95%. Sondagem feita por este blog em escolas de diferentes bairros da cidade, mostrou que, mesmo enfrentando aumento de custos, a estratégia é manter preços de 2017. E uma dica: Procure diretamente a unidade escolar para fazer uma melhor negociação.
A reportagem tomou como parâmetro o sexto ano do ensino fundamental. Na escola Curumim, uma das mais conceituadas da cidade, o percentual de desconto é igual ao de 2017. A escola, disse, busca fidelização dos alunos da casa e a busca de novos.
Os pais, afirma a diretora, conhecem a proposta pedagógica da escola, entretanto a opção pelo preço pesa na definição dos país. “Oferecer uma metodologia diferenciada e reconhecida é o que fazemos nos nossos 27 anos de atuação”, disse. Segundo Raquel Prudente, outra diretora do colégio, há um olhar diferenciado para alunos de outros municípios e bairros pelo enfrentamento dos custos com o transporte escolar.
O mesmo ocorre na Escola Geórgia, localizada no Bairro de Fátima. A escola oferece até 10% a mais de desconto pela distância até a unidade escolar. De acordo com Ronara Mota, a escola está oferecendo 50% de desconto para novos alunos. O valor da mensalidade para o sexto ano é R$ 656,00. Com o desconto, fica em R$ 328,00. A diferença em relação ao ano passado fica, na média, em 10%. Enquanto fazíamos a reportagem, um pai de aluno conseguiu ampliar o desconto. A matrícula fica em R$ 450,00. A escola oferece como diferencial aulas de natação uma vez por semana.
No tradicional Colégio Batista, na Conceição, a mensalidade varia de R$ 471,70 a 500,00 , com um percentual de 10% de desconto. As negociações são feitas caso a caso, de acordo com a diretora Gracileide Silva Guimarães Sousa. A escola procura fazer uma negociação adequando a capacidade financeira dos pais. Oferece salas climatizadas, equipamentos de audiovisual, quadra poliesportiva, brinquedoteca e um corpo docente com psicopedagogo e psicólogo e outros profissionais.

ITABUNA: ANO LETIVO COMEÇA EM MAIO

Tempo de leitura: < 1 minuto
Dinalva afirma que calendário foi aprovado pelo CME (Foto Pedro Augusto).

Dinalva afirma que calendário foi aprovado pelo CME (Foto Pedro Augusto).

A rede municipal de ensino de Itabuna encerrou nesta quarta (31) o ano letivo de 2015, após quase oitenta dias de greve e paralisações dos educadores no período. Hoje, a Secretaria de Educação divulgou o calendário para o novo ano letivo. As aulas começam em 18 de maio nas 100 unidades escolares. O encerramento das aulas de 2016 está previsto para 8 de fevereiro de 2017.

Segundo a secretária municipal de Educação, Dinalva Melo, o calendário foi aprovado pelo pelo Conselho Municipal de Educação (CME) e assegura o cumprimento dos 200 dias letivos. Estão programados 18 sábados letivos e sextas-feiras com aulas durante período integral, além da suspensão do recesso do período junino para que a carga horária seja efetivamente cumprida.

CIOMF COMEÇA ANO LETIVO SEM DIREÇÃO; COLEGIADO PROTESTA CONTRA A SEC-BA

Tempo de leitura: 2 minutos
Ciomf começou ano letivo sem direção, mesmo após processo eleitoral validado.

Ciomf começou ano letivo sem direção, mesmo após eleição de novos dirigentes.

Pais, alunos e professores do Centro Integrado Oscar Marinho Falcão (Ciomf), em Itabuna, vão às ruas na próxima sexta (26), às 8 horas, protestar contra a Secretaria Estadual de Educação (SEC-BA). O Ciomf iniciou o ano letivo sem atividades programadas em sala de aula por causa de uma lambança da SEC-BA e da sua representação em Itabuna, o Núcleo Regional de Educação (NRE 5).

A professora Semíramis Castro foi eleita nova diretora do Ciomf, em 10 de dezembro passado, com 90% dos votos. Até agora, Semíramis e os demais colegas integrantes da chapa (vices) não tomaram posse. O colegiado escolar cobra transparência no processo. Quer saber o porquê da não posse dos dirigentes eleitos, principalmente porque o resultado eleitoral foi validado.

De acordo com professores, pais e alunos, a não nomeação dos novos dirigentes complicou o início do ano letivo. Os educadores ainda não têm horário de aula. O processo licitatório da merenda escolar não pode ser tocado nem há compra de material de manutenção. “Não há como se definir, por exemplo, a programação dos professores”, aponta o colegiado em nota.

PROTESTO NA SEXTA

O ato programado para a próxima sexta (26) foi decidido durante reunião do colegiado escolar do Ciomf. A caminhada terá concentração às 8h, quando os manifestantes saem em direção ao Núcleo Regional de Educação (NRE5), na Avenida Fernando Cordier (Beira-Rio), região central de Itabuna.

O colegiado também decidiu enviar representantes para uma audiência às 14 horas da próxima segunda (29), na Câmara de Vereadores. Professores, alunos e representantes dos funcionários, colegiado escolar e da APLB-Sindicato estarão no legislativo.

FUGA DE ALUNOS

A indefinição da SEC-BA quanto ao Ciomf preocupa a comunidade escolar. A lambança tem levado pais de alunos a matriculá-los em outras escolas. “Foi uma semana praticamente sem aula”, disse uma mãe, que preferiu transferir o filho para uma escola particular. Atualizado às 9h48min para correção de informação.

A UFSB E OS COMPLEXOS INTEGRADOS DE EDUCAÇÃO

Tempo de leitura: 2 minutos

Álamo-PimentelÁlamo Pimentel

 

O que se apresenta é apenas o início de uma transformação há muito reivindicada mas, até o momento, bloqueada pela ausência de projetos capazes de articular de forma orgânica e eficaz diferentes esferas do poder público na implantação de políticas educacionais.

 

A integração dos Sistemas de Ensino no Brasil constitui um dos mais importantes desafios para as políticas educacionais nacionais nos últimos anos. É preciso superar os obstáculos que hoje separam as esferas municipal, estadual e federal e geram desigualdades nos processos e estruturas de gestão na educação pública.

A Universidade Federal do Sul da Bahia – UFSB, em cooperação com a Secretaria Estadual de Educação, adianta-se no cumprimento desta importante missão histórica e inicia neste fevereiro de 2016 a implantação dos Complexos Integrados de Educação (CIEs) da rede estadual de ensino médio do Sul da Bahia.

Essa iniciativa implica profunda transformação dos modelos escolares que até então conhecemos. As escolas que aderirem ao projeto CIE passam de turno único para turno integral (manhã e tarde), implantando o conceito de Educação Integral. Para tanto, a UFSB assume a coordenação pedagógica das escolas, tornando-as campo de práticas para que os estudantes das Licenciaturas Interdisciplinares possam qualificar seus conhecimentos no convívio com os cotidianos e práticas escolares, oferecendo residências pedagógicas articuladas a programas de formação continuada dos profissionais da educação e produzindo inovações curriculares capazes de enfrentar os desafios do mundo contemporâneo.

Os primeiros CIEs instalam-se nos municípios de Itabuna, Porto Seguro e Itamaraju. A previsão é que, nos próximos anos, novos CIEs sejam criados com efetiva ampliação da participação de outras instituições. Ao articular ensino superior e educação básica, historicamente apartados, o projeto CIE busca, também, consolidar a qualificação do trabalho docente desenvolvido nas escolas. Assim, a formação de futuros profissionais da educação se dará em diálogo amplo e profundo com o contexto real das escolas e da região em que cada escola se localiza. Acrescente-se a este aspecto o trabalho incessante na busca por inovações pedagógicas em consonância com o que hoje preconizam os Planos Nacional e Estadual de Educação.

O que se apresenta é apenas o início de uma transformação há muito reivindicada mas, até o momento, bloqueada pela ausência de projetos capazes de articular de forma orgânica e eficaz diferentes esferas do poder público na implantação de políticas educacionais. Assim, a UFSB busca um novo modo de ver, fazer e sentir a escola e a educação. Acreditamos na transformação do presente visando à construção de um futuro viável para a elevação da qualidade da educação pública na Bahia, e, quem sabe, no Brasil.

Álamo Pimentel é diretor de ensino-aprendizagem da Pró-Reitoria de Gestão Acadêmica da UFSB.

CONCURSO PÚBLICO ABRIRÁ 7,1 MIL VAGAS PARA PROFESSOR NA BAHIA

Tempo de leitura: < 1 minuto

concursosO governo baiano anunciou ontem (4) realização de concurso público para contratação de 7.131 professores para o Ensino Fundamental e Médio. O certame deverá ocorrer no primeiro semestre de 2016.

De acordo com a Secretaria Estadual da Administração (Saeb), os aprovados no concurso substituirão 6.134 professores contratados neste ano por meio do Regime Especial de Direito Administrativo (Reda), enquanto 986 suprirão vagas deixadas por professores que se aposentarão em 2016.

Segundo a Saeb, o Estado já extinguiu cerca de 6 mil contratos precários, a exemplo do PST (Prestador de Serviço Temporário). Já os contratos via Reda, deverão ser extintos em 2016, a partir da homologação e contratação dos aprovados em concurso ainda a ser realizado.

Ainda de acordo com a Saeb, a contratação de 7.131 por meio de concurso público terá impacto de R$ 138,4 milhões por ano nas contas estaduais, apenas a título de custeio com salário. “O valor evidencia o compromisso do Governo da Bahia com a educação e o esforço para manter os investimentos nessa área, mesmo diante do período de baixa arrecadação pelo qual passa o país”, informa nota da Saeb.

GREVE DOS PROFESSORES DE ITABUNA PODE ACABAR HOJE

Tempo de leitura: < 1 minuto

O Tribunal Regional do Trabalho da 5ª Região (TRT 5) decidirá hoje à tarde (29) o percentual de reajuste dos professores da rede municipal de Itabuna no julgamento de dissídio. Os professores pedem 13,01% de reajuste, enquanto o município oferece 8%.

Uma audiência de conciliação no último dia 8, no TRT, terminou sem acordo. O Ministério Público do Trabalho chegou a propor 9% de reajuste, mas a proposta não foi aceita.

A greve dos professores começou em 21 de maio. A paralisação é considerada a mais radical da história de Itabuna. Com menos de vinte dias de movimento paredista, sindicalistas ocuparam o gabinete do prefeito Claudevane Leite e, um dia depois, fecharam o Centro Administrativo Firmino Alves. O sindicato da categoria, o Simpi, foi obrigado, por decisão judicial, a desocupar o prédio.

ANO LETIVO EM ILHÉUS COMEÇA DIA 27

Tempo de leitura: < 1 minuto
Escolas ilheenses preparam início de ano letivo (Foto Arquivo).

Escolas ilheenses preparam início de ano letivo (Foto Arquivo).

A Secretaria de Educação de Ilhéus confirmou para o próximo dia 27 o início das aulas na rede municipal de ensino em 2015. Nesta semana, os educadores participam da Jornada Pedagógica, evento de planejamento para o ano letivo.

As aulas começam com atraso de mais de dois meses devido a paralisações dos professores da rede e reforma de escolas. O ano letivo de 2014 foi encerrado em 18 de março em boa parte das escolas.

Secretária de Educação de Ilhéus, Marlúcia Rocha disse que a ideia é aperfeiçoar os modos de transmissão de informações e conhecimento em sala de aula, a partir do tema da jornada deste ano (“Aprendizagem: uma prática compartilhada”).

Back To Top