skip to Main Content
20 de fevereiro de 2020 | 12:19 pm

SÓ UM EXEMPLO… OU ATO FALHO?

Tempo de leitura: < 1 minuto

Um trecho do debate da Band em que o candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, fala sobre o combate à criminalidade, é apontado por adversários do tucano como revelador do preconceito de Serra contra os nordestinos.
No trecho, Serra fala sobre a criação de um cadastro único de criminosos de todo o País e menciona, a título de exemplo, que “hoje, um criminoso da Bahia que está andando em uma rua do Rio de Janeiro, se pedir o documento não acontece nada”.
Uma edição feita com este pedaço do debate pergunta: “Pra falar de criminoso precisa se referir justamente a um baiano? Tem que ser um nordestino?”
Confira:

DILMA SOBE E SERRA CAI NO VOX POPULI: 51% a 39%

Tempo de leitura: < 1 minuto

Nos votos válidos, petista tem 57%
e tucano cai para 43% no Vox Populi

Dilma Rousseff (PT) conseguiu ampliar para 12 pontos a vantagem sobre o José Serra (PSDB), conforme a mais nova pesquisa Vox Populi/IG. Ela pulou de 48% para 51%, enquanto o tucano oscilou negativamente de 40% para 39%.
A pesquisa foi feita nos dias 15 a 17 e ouviu 3 mil eleitores e tem margem de erro de 1,8 ponto percentual. Votos brancos e nulos são 6% e o percentual de indecisos caiu de 6% para 4%.
Considerando-se apenas os votos válidos, Dilma tem 57% e Serra pontua com 43%. Nesse caso, a vantagem da petista subiu de 8 para 14 pontos percentuais.
A petista obtém sua maior vantagem no Nordeste, onde atinge 65% ante 28% do tucano. Serra consegue ter vantagem no Sul (50% a 41%). No Sudeste, Dilma lidera: 47% a 40%.
RELIGIÃO
Ainda conforme a pesquisa Vox Populi/IG, Serra pontua com 44% e Dilma atinge 42% entre os evangélicos. A petista é melhor entre os católicos (54% a 37%) e ateus (49% a 36%). Conforme o levantamento, ela vai a 55% e o tucano a 37% no universo dos “católicos não praticantes”.
Um outro dado positivo para Dilma nesta aferição é que o voto dela é o mais consolidado. 11% dos serristas dizem que podem mudar o voto. Entre os que declararam intenção de votar na petista, o percentual daqueles que podem pular para o galho tucano é de 7%.
Confira a pesquisa completa

EFEITO LEO KRET: POLÍTICOS QUEREM ABANDONAR O DEM

Tempo de leitura: < 1 minuto

A edição desta segunda-feira do jornal Tribuna da Bahia destaca a complicada situação do partido Democratas, que está para perder alguns membros de peso. Integram a lista tanto deputados estaduais que não se reelegeram como outro que obteve êxito nas urnas, mas estaria igualmente ressabiado com a falta de apoio nas últimas eleições.
Os que estão para “picar a mula” são Carlos Gaban e Clóvis Ferraz, que não renovarão seus mandatos, além de Gildásio Penedo, que foi reeleito e estaria em conversações com o PP. Um democrata que saiu derrotado e também cogita abandonar a legenda é Júnior Magalhães.
Durante a campanha, os deputados estaduais do DEM queixaram-se da falta de apoio do partido e das alianças “extraconjugais” firmadas pelo deputado federal ACM Neto. Este deu preferência a nomes como Leo Kret (PR), Maria Luiza (PSC) e Bruno Reis (PRP), em detrimento dos confrades. E Neto ainda chegou a chamar os ciumentos de “derrotados por antecipação”!

O CASO VIEIRA

Tempo de leitura: 3 minutos

Marco Wense
Acusações em uma campanha eleitoral, principalmente quando se disputa o Palácio do Planalto, são como balas trocadas. O tiroteio entre os candidatos é tão intenso que termina empurrando o eleitor para o voto nulo (ou branco).
Fulano (a) é isso, é aquilo, é tudo que não presta. Fez isso, fez aquilo. A conclusão, se o eleitor acreditar no disse-me-disse, nos boatos e nas mentiras, é que os candidatos são verdadeiros diabinhos.
Sinceramente – ou francamente, como diria o saudoso Leonel de Moura Brizola –, não acredito no envolvimento da petista Dilma Roussef no “Caso Erenice” e nem do tucano José Serra no “Caso Vieira”.
O “Caso Vieira”, no entanto, deixa o eleitor com a pulga atrás da orelha. Conforme reportagem da revista Isto é, o engenheiro Paulo Vieira teria sumido com o dinheiro arrecadado na campanha de Serra, cerca de R$ 4 milhões.
O presidenciável do PSDB jurou que não conhecia Paulo Vieira: “Eu não sei quem é o Paulo Vieira. Nunca ouvi falar. Ele foi um factóide criado para que vocês da imprensa fiquem perguntando”.
Assim que o “desconhecido” de Serra soube do desdém do tucano, foi logo dizendo: “Não se larga um líder ferido na estrada a troco de nada”. E, em tom ameaçador, finalizou: “Não cometam esse erro”.
No outro dia, sem pestanejar, sob a ameaça do próprio acusado do desvio de R$ 4 milhões, José Serra foi logo dizendo que “o Paulo é muito competente”.  Pois é. De totalmente desconhecido, o Paulo passou a ser elogiado.
José Serra ficou com medo. Esse medo é a prova inconteste de que Vieira sabe de detalhes que podem comprometer o tucano, provocando na reta final da campanha um estrago de difícil conserto.
GEDDEL E O PMDB

(Foto José Nazal)

O ex-ministro Geddel Vieira Lima, candidato derrotado na eleição para o governo da Bahia, sabe que terá dificuldades para manter sua base de apoio, principalmente em relação aos prefeitos do PMDB.
Muitos chefes de Executivo já pensam em mudar para uma agremiação partidária aliada do governador eleito Jaques Wagner (PT). Só esperam o resultado do segundo turno da eleição presidencial.
Alguns alcaides são da opinião de que a debandada é irreversível com a vitória de Dilma Rousseff. Outros, que são eleitores de José Serra, apostam na eleição do tucano, com Geddel assumindo um cargo importante no governo do PSDB.
Uma coisa é certa: ganhando Dilma ou Serra, o Partido do Movimento Democrático Brasileiro, com o seu conhecido e histórico pragmatismo, vai reivindicar preciosos espaços em troca do apoio parlamentar no Congresso Nacional. É o toma-lá-dá-cá.
ABORTO
A cúpula do tucanato, tendo a frente o senador Sérgio Guerra, presidente nacional do PSDB, preocupadíssima com a repercussão do aborto praticado por Mônica Serra, esposa do candidato José Serra.
Ex-alunas da então professora Mônica Serra confirmaram a interrupção da gravidez no quarto mês de concepção. É bom lembrar que a tucana, em ato político na Baixada Fluminense, disse que “ela (Dilma) é a favor de matar criancinhas”.
Quem tem telhado de vidro…

"NOVOS ARES"

Tempo de leitura: < 1 minuto

Conhecido por seu estilo fanfarrão, o presidente estadual do PT, Jonas Paulo, deu o braço a torcer em relação às últimas pesquisas eleitorais que indicam proximidade e até empate técnico entre Dilma Rousseff e o tucano José Serra.
Via Twitter, ele comentava: “Estamos tranquilos, serenos e focados no nosso objetivo. Entendemos que o segundo turno é um processo eleitoral bastante disputado”.
Quem te viu…

LULA E DILMA NA BAHIA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Da coluna Tempo Presente (A Tarde):
O comando da campanha de Dilma na Bahia traçou as estratégias para tentar esfoguear a militância e aliados no segundo turno.
Ficou acertado que, até o dia 29, Dilma e o presidente Lula virão à Bahia.
As datas não estão definidas. Mas já está certo que os dois não virão juntos, e sim em dias distintos para locais diferentes.
Uma ala defende que Dilma vá a Vitória da Conquista, onde Serra venceu no primeiro turno e abriu a campanha do segundo.
A ordem é vestir a camisa e arregaçar as mangas (o que os tucanos já estão fazendo).

RELIGIOSOS DIVULGAM MANIFESTO EM APOIO A DILMA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Encabeçado por sete bispos, entre eles dom Thomas Balduíno, bispo emérito de Goiás Velho (GO) e presidente honorário da Comissão Pastoral da Terra (CPT), e d. Pedro Casaldáliga, bispo emérito de São Felix do Araguaia (MT), foi divulgado hoje um manifesto de “cristãos e cristãs evangélicos e católicos em favor da vida e da vida em abundância”, que contava no início da tarde com mais de 300 adesões de religiosos e fiéis.
O texto será entregue a Dilma Rousseff (PT) na segunda-feira, no Rio, na mesma cerimônia em que a candidata à Presidência receberá apoio de intelectuais e artistas.
Os adeptos rechaçam que “se use da fé para condenar alguma candidatura” e dizem que fazem a declaração de voto “como cristãos, ligando nossa fé à vida concreta, a partir de uma análise social e política da realidade e não apenas por motivos religiosos ou doutrinais”.
No manifesto, eles deixam claro que “para o projeto de um Brasil justo e igualitário, a eleição de Dilma para presidente da República representará um passo maior do que a eventualidade de uma vitória do Serra (José Serra, presidenciável pelo PSDB)”.
O documento recebeu o apoio dos bispos Demétrio Valentini (Jales, SP); Luiz Eccel (Caçador, SC); Antônio Possamai, bispo emérito de Rondônia; Xavier Gilles e Sebastião Lima Duarte, bispo emérito e bispo diocesano de Viana (MA). Também apoiam Dilma dezenas de padres e religiosos católicos como Frei Betto, pastores evangélicos, o monge da Comunidade Zen Budista (SP) Joshin, o teólogo Leonardo Boff, o antropólogo Otávio Velho e a professora da Universidade de São Paulo (USP) Maria Victoria Benevides.
Leia mais

"DILMISTAS" VÃO ÀS RUAS EM ITABUNA

Tempo de leitura: < 1 minuto

O PT e partidos aliados definiram uma estratégia para conquistar indecisos e reforçar o apoio à presidenciável Dilma Rousseff. Nesta quinta-feira, 14, os “dilmistas” fazem corpo-a-corpo no bairro Santo Antônio, com concentração na praça Alice Monteiro.
Amanhã, no mesmo horário, a ação será na Mangabinha e saída do Bar do Butão. No sábado, às 9 h, os petistas e coligados farão bandeiraço na avenida do Cinquentenário e na praça Adami. As atividades de rua foram definidas em encontro realizado no comitê da campanha, ontem.

Back To Top