skip to Main Content
24 de maio de 2020 | 07:19 pm

ILHÉUS: IFBA INICIA AULAS DA PRIMEIRA TURMA DO CURSO EAD DE EDUCAÇÃO FÍSICA

Fachada do IFBA em Ilhéus, que inaugurou primeira turma EaD de Educação Física
Tempo de leitura: 2 minutos

As aulas da primeira turma do curso de licenciatura em Educação Física, na modalidade EaD, do Instituto Federal da Bahia (IFBA), campus Ilhéus, começaram nessa terça (190, numa parceria do instituto com a Universidade Aberta do Brasil (UAB). Segundo a direção geral do IFBA em Ilhéus, cerca de 300 alunos estão matriculados no curso de Educação Física.

Os alunos são recepcionados em um ambiente virtual e têm a oportunidade de conhecer, além da estrutura do curso, direção geral e acadêmica do campus, coordenador do curso, técnicos administrativos e tutores das turmas. Alunos dos polos de Ilhéus, Itapetinga, Jequié, Feira de Santana, Ibicuí, Itapicuru e Itabuna participam da semana de aula.

Para o diretor-geral do campus, Thiago Barbosa, o curso EaD representa uma grande conquista para a instituição, alunos e municípios-polo. “É perceptível que todos ganham nessa relação, e saber que nós do IFBA Ilhéus pudemos contribuir com tudo isso nos deixa extremamente felizes e orgulhosos”, afirma o diretor.

OPORTUNIDADE

Segundo o coordenador do curso de Educação Física, Cácio Costa, o IFBA é a primeira instituição na região cacaueira a oferecer curso nesta área na modalidade EaD. “Muitos dos nossos alunos moram em regiões remotas e distritos. Então esse curso EaD vem com a perspectiva de atender esse público e fazê-lo ter acesso ao ensino superior público, gratuito e de qualidade. E por se tratar de um curso de licenciatura, um curso que formará professores, é a contribuição também do Instituto Federal na melhoria da qualidade de ensino da nossa região e do nosso país”.

Aluna do polo de Ibicui, Gracieli Farias relembra a notícia da chegada do curso. “Quando eu soube que o IFBA ia trazer o curso de Licenciatura em Educação Física pra Ibicuí, eu não pensei duas vezes em fazer a minha inscrição, porque é uma oportunidade única, dentro de uma cidade pequena e de poucas oportunidades, que a gente tá tendo de estudar numa instituição tão renomada como o IFBA”, diz.

ITABUNA: UNIFTC ADOTA COLAÇÃO DE GRAU NO MODO “DRIVE THRU” DURANTE PANDEMIA

UniFTC adota colação de grau drive thru durante pandemia da covid-19
Tempo de leitura: 2 minutos

A UniFTC Itabuna resolveu adotar a colação de grau rápida, no estilo drive thru, em tempos de pandemia da covid-19. A entrega dos “canudos” de conclusão do ensino superior é feita de forma individual e o formando recebe o certificado dentro do carro. Por causa do novo coronavírus, nada das tradicionais festas para os concluintes das turmas 2019.2.

A iniciativa, que vem sendo adotada por diversas IES em várias regiões do País, começou no último dia 7 e teve sequência nesta quinta (14) no Campus 1 da Faculdade, com a colação de grau para os concluintes dos cursos da área de Exatas – Engenharia Ambiental, Engenharia Civil e Sistemas de Informação – e da Saúde – Biomedicina, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Nutrição e Psicologia.

Para participar do rito, além de estar de dentro do carro, o graduando deve cumprir algumas regras de segurança para evitar o risco de transmissão da Covid-19, como utilizar máscara facial e portar sua própria caneta esferográfica para assinatura da Ata.

MAIS DE 60 FORMANDOS ADEREM

Para a formanda em Nutrição Gilnara Silva de Oliveira, a solução encontrada pela UniFTC foi muito boa para os graduandos, evitando o risco de perder oportunidades de emprego, por falta do certificado de conclusão ou do diploma. “Eu, por exemplo, que já estou com emprego previsto, vou poder dar entrada no meu CRN [registro no conselho da categoria] e atuar na mesma área que estou me graduando agora”, frisou. Nos dois primeiros dias de colação de grau no método ‘drive thru’, 64 formandos compareceram para o ato.

Já o graduando de Fisioterapia Uanderson da Silva Santos apontou a expectativa de receber logo o certificado como algo que estava inquietando os formandos. “Estávamos sem saber como e quando poderíamos colar grau. Esta fórmula adotada pela Faculdade foi muito importante porque, ao adiantar este processo, nos deixa mais tranquilos e seguros para futuras oportunidades no mercado de trabalho”, argumentou o formando.

A assessora acadêmica da UniFTC de Itabuna, Ana Lúcia Bomfim Lima, ressalta que todas as normas de segurança estão sendo adotadas por parte do reduzido número de colaboradores envolvidos na ação, a exemplo de utilização de máscaras, protetores faciais, luvas e álcool em gel.

A colação de grau individual no sistema drive thru foi adotada por causa da expressiva demanda registrada pelos graduandos, desde que o distanciamento social foi determinado por gestores públicos, organizações e autoridades de saúde. De acordo com o cronograma da Secretaria Acadêmica, na próxima quinta-feira (21), a colação de grau drive thru será para os graduandos da área de Administração e de Direito.

MEC AUTORIZA ANO LETIVO COM MENOS DE 200 DIAS

Ano letivo deve ser menor
Tempo de leitura: 2 minutos

O Governo Federal decidiu que as escolas da educação básica e as instituições de ensino superior poderão distribuir a carga horária em um período diferente aos 200 dias letivos previstos em lei. Adotada por conta da pandemia do novo coronavírus, a medida tem caráter excepcional e valerá enquanto durar a situação de emergência da saúde pública.

A autorização consta na Medida Provisória 934, publicada em edição extra desta quarta-feira (1º) de abril, do Diário Oficial da União.

Para a educação básica, isso significa que as 800 horas da educação infantil, do ensino fundamental e do ensino médio poderão ser distribuídas em um período diferente aos 200 dias letivos. A carga horária é definida pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação.

“Essa flexibilização é autorizativa em caráter excepcional e vale tão e somente em função das medidas para enfrentamento da emergência na saúde pública decretadas pelo Congresso Nacional”, observou o secretário de Educação Básica do Ministério da Educação (MEC), Janio Macedo. “A flexibilização deverá observar as normas dos respectivos sistemas de ensino”, explica.

A educação superior também conta com 200 dias letivos obrigatórios previstos na lei. A carga horária se aplica de acordo com as diretrizes curriculares dos cursos. A flexibilização deverá seguir as normas dos respectivos sistemas de ensino.

CURSOS NA ÁREA DE SAÚDE PODEM TER CONCLUSÃO ANTECIPADA

“A principal mudança é para alguns cursos da área de Saúde, que poderão ter a conclusão antecipada. No caso de Medicina, pode haver abreviação do internato. Para Enfermagem, Farmácia e Fisioterapia, do estágio curricular obrigatório”, disse o secretário de Educação Superior do MEC, Wagner Vilas Boas de Souza.

As instituições de educação superior poderão antecipar a conclusão do curso dos estudantes que tiverem cumprido 75% do internato em Medicina. Para Enfermagem, Farmácia e Fisioterapia, no caso dos alunos que já passaram por 75% do estágio curricular obrigatório. O internato é praticado nos últimos dois anos de curso; o estágio curricular obrigatório, no último.

UNIFTC ANUNCIA R$ 5 MILHÕES EM ISENÇÃO DE MENSALIDADES PARA ALUNOS DA REDE

Universidade anuncia isenções de mensalidades
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Rede UniFTC anunciou a isenção de R$ 5 milhões em mensalidades para os alunos ou responsáveis financeiro que, porventura, percam o emprego devido ao agravamento da crise por causa da pandemia do novo coronavírus.

De acordo com a rede de faculdades, a medida visa garantir aos discentes a manutenção dos seus estudos. “Entendendo que estamos vivenciando um momento delicado causado pela andemia do novo coronavírus. Por isso, estamos antecipando ações para possível diminuição dos postos de trabalho no país”, diz em nota.

A Rede UniFTC explica que a medida visa garantir a formação dos profissionais que poderão ser decisivos para retomada do crescimento do País. Mais detalhes sobre o assunto serão ser divulgados em breve, no site da instituição. Os alunos devem também ficar atentos às redes sociais de suas Faculdades e Centros Universitários, que continuam com as suas aulas em ambiente virtual.

UESC SUSPENDE AULAS E ATIVIDADES PRESENCIAIS POR 30 DIAS

Uesc estrutura laboratórios para fazer testes de covid-19
Tempo de leitura: < 1 minuto

O Conselho Universitário da Universidade Estadual de Santa Cruz (Consu-Uesc) aprovou a resolução que autoriza a Reitoria a suspender, por um período de 30 dias, as aulas dos cursos de graduação, além de atividades presenciais dos cursos de pós-graduação e extensão. A suspensão também valerá para atividades administrativas consideradas não essenciais. As aulas dos cursos de graduação seriam iniciadas na próxima segunda (23), após ser adiada por uma semana. O avanço do coronavírus forçou a novo adiamento.

Pela resolução, a partir de segunda-feira (23), só será permitida a presença de número reduzido de servidores efetivos, bem como de postos de serviços terceirizados, para atendimento de serviços que não podem sofrer interrupção. Dentre esses serviços, estão tratamento de animais, segurança, limpeza e manutenção do campus e atividades consideradas essenciais na área administrativa.

Suspensão das aulas e atividades presenciais foi aprovada pelo Consu || Foto Júlia Barreto

O reitor Alessandro Fernandes, para estes casos, solicitou das empresas reforçar a utilização de Equipamento de Proteção Individual (EPI) pelos seus trabalhadores, especialmente aqueles que realizam as atividades de limpeza e higienização, responsáveis pela coleta e descarte dos resíduos sólidos e esgotamento sanitário.

FACULDADE DE ILHÉUS E MADRE THAIS SUSPENDEM AULAS POR 15 DIAS

Faculdade Madre Thais anuncia suspensão das aulas até dia 1º de abril
Tempo de leitura: < 1 minuto

Há pouco, as faculdades de Ilhéus e Madre Thaís anunciaram a suspensão das aulas até o dia 1º de abril. A suspensão está entre as medidas tomadas, em nível estadual, para evitar a propagação do novo coronavírus (Covid-19). O período de 15 dias poderá ser prorrogado.

O governo baiano já havia anunciado, nesta quarta (18), a suspensão das aulas em todas as escolas das redes pública e privada da Bahia. Agora, as faculdades ilheenses se pronunciam. Em Itabuna, Unime e FTC já anunciaram suspensão das aulas.

FACULDADE DE ILHÉUS

“Mesmo não havendo nenhum caso confirmado no município de Ilhéus, a instituição levou em consideração os casos de Coronavírus diagnosticados, recentemente, no Estado da Bahia, e a decisão tomada minimiza as possibilidades de futuras contaminações através de aglomerações de alunos na sede da Instituição”, informou a Faculdade de Ilhéus em nota, observando que os estudantes devem consultar o Portal do Aluno.

MADRE THAIS

Já o diretor da Faculdade Madre Thais, Eusínio Lavigne, disse que a medida reforça compromisso com a saúde, o bem-estar e a segurança da comunidade acadêmica. “A Faculdade Madre Thais suspenderá as aulas presenciais de graduação e pós-graduação, a partir desta quarta-feira, dia 18 de março, durante os próximos 15 (quinze) dias, com possibilidade de prorrogação a ser estabelecido pelas autoridades competentes, em razão da COVID-19, doença causada pelo novo coronavírus”.

UNIVERSIDADES: NÚMERO DE APROVADOS DEVE PASSAR DE 20%, PREVÊ DIRETORA DO NTE-5

Tempo de leitura: 3 minutos

A diretora do Núcleo Regional de Educação do Sul da Bahia (NTE-5), Josefina Castro,  prevê que mais de 20% dos alunos da rede estadual na região, que fizeram provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), obtiveram notas para aprovação, neste ano, em universidades públicas e faculdades privadas. No segundo caso, com bolsas integrais ou parciais.

De acordo com levantamento do PIMENTA, já são mais de 500 aprovados em 50 cursos tanto em universidades públicas quanto em instituições privadas em vários estados do Brasil e em países como Argentina e Bolívia. Já são mais de 400 aprovados somente em universidades estaduais e federais.

A professora Josefina Castro destaca que o desempenho dos estudantes deve-se ao bom planejamento pedagógico, dedicação dos professores, participação dos pais e aos projetos implantados pela Secretaria Estadual de Educação. “É um conjunto de fatores que vêm fazendo a diferença”, avalia.

MAIS ESTUDO  

Professora Josefina Castro é diretora do NTE-5, que abrange 26 municípios do sul da Bahia

A diretora  cita, como exemplo, o Mais Estudo, lançado no ano passado pelo governo baiano. O projeto visa o fortalecimento do aprendizado em Língua Portuguesa e Matemática. Os estudantes com bom desempenho escolar, com notas iguais ou superiores a 8, são selecionados para auxiliar os colegas que têm maior dificuldade de aprendizagem.

Os monitores recebem uma bolsa mensal de R$ 200,00 durante o período de três meses. “É um projeto que tem acompanhamento de professores, supervisores e coordenadores pedagógicos. Aliado a isso, tem a dedicação dos nossos profissionais”, destaca Josefina Castro.

Uma das unidades de ensino com bom desempenho neste ano é o Colégio Estadual Inácio Tosta Filho, no bairro de Fátima, em Itabuna. A escola tem, até o momento, 14  aprovados em cursos como Administração, Agronomia, Economia, Medicina,  Engenharia Civil, Engenharia Mecânica, História, Geografia, Letras e Pedagogia.

São graduações ofertadas pela Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB). Entre os aprovados, estão Gabriel Sampaio (Medicina/UFRB) e Leonardo Brito (Engenharia/UFSB).

UESC

Estudantes do Inácio Tosta Filho são aprovados em vários cursos

Na Uesc, foram aprovados Beatriz Oliveira (História), Jardiele Nascimento (Engenharia de Produção), Marcos Samuel (Física), Emilly Barbosa (História), Jardiele Nascimento (Engenharia de Produção),  Melissa Dionísio (Comunicação Social) e  Willian da Conceição (Engenharia Civil).

A lista inclui ainda Hanuman de Almeida Kumar (Matemática), Felipe Gomes (História), Carlos Ernesto Gomes (Letras),  Isabelly Silva (História) e Gabriel Lima (Agronomia). Já o estudante Davy Gomes vive a expectativa de o nome constar na próxima lista do curso de Medicina da Universidade Federal do Mato Grosso. Ele tirou 960 pontos na redação.

Na lista dos que vão começar o ensino superior na Uesc neste ano também estão os estudantes Rebeca Sampaio (Química), Laura Alves (Letras), Raissa Gomes (Línguas Estrangeiras), Gabriela Silva (Pedagogia), João Vitor Pires (Comunicação Social) e Yandarus Guilherme (Engenharia Civil).  Esses alunos são do Centro Integrado Oscar Marinho Falcão (Ciomf).

ESTUDANTES DE ITABUNA SÃO APROVADOS EM UNIVERSIDADES DE VÁRIOS ESTADOS

Tempo de leitura: 3 minutos

Estudantes da rede estadual de educação em Itabuna não foram aprovados somente em universidades públicas no estado. Muitos alunos obtiveram notas para ingressar no ensino superior em, pelo menos, outros seis estados e optaram pela graduação distante do sul da Bahia.

Este é o caso do estudante Ygor Simões, aprovado no curso de Engenharia da Computação na Universidade do Estado de Minas Gerais. Simões está entre os alunos que concluíram o ensino médio no Complexo Integrado de Itabuna.

Ygor Simões sempre foi curioso e apaixonado pela área de tecnologia. Criado pelos tios, quem os considera como seus pais, Ygor conta que cresceu acompanhando tio-pai abrindo computadores e já entrou no ensino médio decidido a fazer uma graduação na área de tecnologia.

Autodidata, desde cedo começou a prestar serviços na área de segurança da informação. “Já atuo como freelancer para empresas que buscam profissionais para descobrir falhas em seus sistemas ”, diz. O jovem aprendeu os conceitos com os livros da área de tecnologia, quase todos em inglês, comprados com dinheiro dado pelos seus pais (tio-tia). “Eles sempre investiram em mim. Nunca faltou nada”, diz, reconhecendo o esforço da família.

Natan passou na UPS e UFSCAR; Emanuel Valença vai cursar Cinema em Sergipe e Ygor Simões, Engenharia Minas Gerais

Um contador de histórias desde criança. Estamos falando de Emanuel José Valença, aprovado no curso de Cinema da Universidade Federal de Sergipe (UFS). O estudante, que concluiu o Ensino Médio no Complexo Integrado de Educação, está indo em busca da realização de um sonho de criança. Como não tem o curso na região, escolheu Sergipe.

Valença, que já está em Aracaju esperando o semestre começar, contou ao PIMENTA que gosta de contar histórias desde criança. “Meus pais perceberam que eu gostava de historinhas. Eles compravam quadrinhos e me incentivavam. Então, desde cedo tive essa paixão pela leitura e por escrever histórias e estórias. Eu só poderia cursar Cinema”, disse.

UM APROVADO EM DOIS CURSOS

Quem também decidiu por uma graduação em outro estado foi o estudante Natan Marques Menezes, que cursou o Ensino Médio no Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães em Itabuna. Ele poderá escolher entre duas opções. O jovem foi aprovado em Biomedicina, na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), e em Biotecnologia, na Universidade de São Paulo.

Já Taynara Sousa, de 17 anos, optou por estudar Engenharia Química na Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc). Ela sempre gostou das Ciências da Natureza e decidiu pesquisar sobre as graduações com as quais mais se identificaria para optar com segurança. “Fiz uma escolha bem pensada”.

Estudantes do Colégio Modelo de Itabuna foram aprovados em várias universidades

A jovem será a primeira da família em um curso superior. Filha de uma auxiliar de produção de uma fábrica em Itabuna e um mecânico, que mora em São Paulo, ela obteve 920 pontos na redação logo no primeiro Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A jovem fez o Ensino Médio no Complexo Integrado de Itabuna.

Outra com passagem pela rede pública que conseguiu aprovação foi a jovem Camila Ribeiro Rocha, do Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães em Itabuna. Ela foi selecionada para o curso de Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahia (UFBA). “Passei por causa do conteúdo dado na sala de aula. Nem parei para estudar em casa. Apenas prestei atenção nas aulas, assimilei os assuntos”.

Camila decidiu não se matricular porque o sonho é a carreira de aeromoça e até já começou a fazer o curso. “É um sonho que tenho desde criança. Quero muito trabalhar na área. Mas pretendo fazer, mais adiante, um curso superior. Ainda tenho tempo”, conta.

Mas outros colegas de escola de Camila já estão se preparando para começar a graduação, a exemplo de Mayara Jesus (Geografia),  João Vitor  (Administração), Flávia Jesus (Geografia), Wenddel Coelho (Física), Larissa Cruz (Letras), Janine Dias (Ciências Econômicas),  Maria Eduarda Gonzaga e Amada Santos (Medicina Veterinária). Todos na Uesc. Na Universidade Federal do Sul da Bahia, deverão estudar Tamara Paula (Interdisciplinar em Ciências), e Melissa Rocha (Artes).

UESC FIGURA EM RANKING MUNDIAL DE ECONOMIAS EMERGENTES DA “TIMES HIGHER EDUCATION”

Uesc estrutura laboratórios para fazer testes de covid-19
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) confirmou a ascensão registrada em 2019 e aparece, novamente, em ranking mundial universitário da Times Higher Education World (THE). Desta vez, na edição específica para instituições de ensino superior (IES) de economias emergentes, edição 2020.

De acordo com a assessora de Relações Internacionais da Uesc, Ticiana Grecco Zanon Moura, o ranking analisou 533 universidades de 47 países, incluindo China, Índia, México, Taiwan e Turquia. “Das 296 universidades públicas brasileiras, somente 46 preencheram os critérios de avaliação”, afirma a assessora de Relações Internacionais.

“Nesse grupo, a Uesc ocupa 38ª posição entre as brasileiras. No que concerne a região Nordeste do Brasil, a Uesc ocupa o 6º lugar, atrás de grandes universidades, como a Universidade Federal do Ceará (UFC), Universidade de Fortaleza (Unifor), Universidade Federal da Bahia (UFBA) a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Na Bahia, só a UFBA e a Uesc foram avaliadas”, explica a professora.

THE

Os Rankings Universitários da “Times Higher Education World” são as únicas tabelas de desempenho global que julgam as universidades por suas pesquisas em todas as principais missões: ensino, pesquisa, transferência de conhecimento e perspectivas internacionais.

Leia Mais

JOVEM DE 17 ANOS PASSA EM MEDICINA E AMIGAS SÃO APROVADAS EM DIREITO E ECONOMIA NA UESC

Lucas, Yasmin e Lorrana: histórias de superação
Tempo de leitura: 4 minutos

Estudantes da rede pública de ensino aprovados neste ano não deixaram para trás apenas a enorme concorrência por uma vaga na universidade, mas tiveram de enfrentar e vencer diversas dificuldades. Nesta segunda reportagem da série sobre os aprovados no ensino superior no sul da Bahia, o PIMENTA conta um pouco da história de três dos alunos que abraçaram a educação como ferramenta de transformação social.

Um dos personagens tem apenas 17 anos e conseguiu a aprovação em um dos cursos mais concorridos no país.O adolescente carrega, literalmente, o nome da escola. Aprovado para o curso de Medicina na Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) em Ilhéus, Lucas Félix dos Santos estudou no Colégio Félix Mendonça desde o 6º ano do Ensino Fundamental. Ele será o primeiro médico na família.

Lucas, entre o estudo e atendimento a clientes do bar da mãe, é aprovado em Medicina aos 17 anos

Lucas Félix perdeu o pai quando tinha 8 anos de idade e cresceu ajudando a mãe no bar da família, no bairro Jorge Amado, em Itabuna. Quando chegou ao Ensino Médio, incentivado pelos professores e pela família, decidiu que queria ser médico. “Depois que retornava da escola, pegava os livros e cadernos e sentava em uma das mesas do bar para estudar e atender o cliente”, recorda orgulhoso. O estabelecimento funciona na casa do jovem.

Lucas Félix conta que sempre gostou de estudar e tirou boas notas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Como treineiro, logo no primeiro ano, ele tirou nota 840 na Redação. Na segunda participação, obteve 900 e, ano passado, conseguiu 960 pontos. Além disso, obteve boas notas em Ciências da Natureza e suas Tecnologias e Matemática e suas Tecnologias.

AMIGAS APROVADAS NA UESC

Yasmin e Lorrana “alugavam” a biblioteca do Ciomf.

As estudantes e amigas Lorrana dos Santos Souza e Yasmin Ferreira Oliveira, do Centro Integrado Oscar Marinho Falcão (Ciomf), no bairro Santo Antônio, também decidiram incluir a palavra superação em suas histórias de vida. Filha de um porteiro e uma dona de casa, aos 18 anos, Lorrana acaba de ser aprovada no Curso de Economia da Uesc. No seu primeiro Enem, ainda como treineira, em 2016, a estudante tirou 380 pontos na Redação.

A evolução da moradora do Jardim Grapiúna veio com a persistência de quem sabia o que queria para futuro. Para isso, recorda-se, dedicou boa parte do tempo fora da sala de aula para leitura e redação que, quase diariamente, era entregue para a revisão da professora Maria do Socorro Silva. O resultado do esforço não demorou aparecer. No ano passado, a nota da Redação subiu para 860 pontos.

Lorrana destaca que, além da própria determinação para vencer as barreiras, contou com parcerias importantes dos pais, dos professores, principalmente de Redação, e da amiga Yasmin Ferreira. “Meus pais são humildes, mas fizeram de tudo para que eu estudasse. Meu pai é porteiro e conhece muitas pessoas como juízes e advogados. Sempre conseguia livros usados com eles”.

Em busca do sonho que virou realidade.

Grande parceira e incentivadora de Lorrana, Yasmin Ferreira, de 18 anos, também garantiu vaga no ensino superior. As duas se identificaram logo que se conheceram. No início, tentaram montar um grupo de estudos para revisar as matérias e preparação para o Enem. Não deu certo. Foram somente cinco colegas nos primeiros encontros para o estudo.

A professora de redação Maria do Socorro, Yasmin, Lorrana e vice-diretora Isis Conrado

As duas persistentes alunas, no entanto decidiram seguir a meta inicialmente traçada. Faziam as aulas, tiravam dúvidas com os professores e “alugavam” a biblioteca da escola no turno oposto. “Muitas vezes nem íamos para casa almoçar. Ficávamos na base do lanche”, conta orgulhosa.

Não precisa dizer que foi uma sábia decisão.

Filha de operador de vendas e de uma vendedora autônoma, Yasmin Ferreira colocou como meta passar para o Curso de Direito da Uesc e conseguiu a tão sonhada vaga já no primeiro ano em que fez a prova do Enem como não treineira. “Essas meninas são exemplos de superação. Elas têm sonhos e que estamos ajudando a torná-los realidade. Temos elas e outros alunos vão”, contam orgulhosas a vice-diretora do Ciomf, Isis Conrado Haun, e a professora Maria do Socorro Silva.

Back To Top