skip to Main Content
1 de abril de 2020 | 04:07 am

OVERTRAINING POR CONTA PRÓPRIA AUMENTA RISCOS AO CORAÇÃO

Tempo de leitura: 2 minutos

Overtraining por conta próprio representa riscos ao coração

Quando o verão chega, para muitos, a disposição para colocar o corpo em forma, está a mil por hora! Mas fica o alerta: intensificar os treinos e o ritmo por conta própria, esperando compensar a falta de exercícios durante todo o ano, pode trazer graves problemas para a saúde. É o chamado Overtraining, ou seja, o excesso no volume da prática de exercícios.
“O overtraining faz o rendimento cair, expõe o indivíduo a lesões, por forçar o músculo a fazer mais do que ele aguenta, e ainda atinge o sistema imunológico, fazendo com que o corpo fique mais vulnerável. Outra grave consequência que pode acontecer é uma possível arritmia cardíaca por submeter o coração a um grande estresse”, explica Igor Castro, Diretor Técnico da Rede Alpha Fitness de academias.
A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que iniciantes pratiquem cerca de 30 minutos de atividade física de leve a moderada, por pelo menos cinco dias por semana. Antes de tudo, uma consulta ao médico cardiologista é fundamental para afastar qualquer tipo de problema cardíaco, além da supervisão de um educador físico para determinar qual o melhor exercício, como também, a intensidade e regularidade da prática. Quando se comete excessos nos exercícios físicos, o corpo sofre um desgaste natural e é preciso que ele se recupere.
Uma boa noite de sono e um dia de folga podem ser bons não só para descansar os músculos, como também para evitar problemas como a insônia. “O excesso de treinamento traz vários riscos. Ficar atento e contar sempre com a ajuda de um profissional para montar um plano de exercícios compatíveis com o seu perfil é de extrema importância. Assim, o seu corpo agradecerá e os resultados logo irão aparecer”, complementa o especialista.

QUANDO O ESTRESSE REQUER ATENÇÃO

Tempo de leitura: 2 minutos

Daniela Borges psicólogaDaniela Borges

Todos nós precisamos de um pouco de estresse para funcionar. O problema é quando ele se torna excessivo ou prolongado, resultando em baixa imunidade e dificuldade do organismo em lutar contra doenças, tornando o indivíduo vulnerável.

 

O estresse surge da necessidade do corpo de se adaptar a situações de tensão, desencadeando componentes psicológicos, físicos e hormonais. É a tentativa do corpo de restabelecer o equilíbrio diante do evento estressor.

Ele pode ser positivo quando nos ajuda a atingir metas e objetivos, quando nos impulsiona à ação e nos tira da zona de conforto. Torna-se negativo em situações em que o indivíduo permanece “ligado” por muito tempo, sem desfrutar dos momentos de lazer, incapaz de relaxar mesmo após ter vencido seus desafios, trazendo dano à qualidade de vida, podendo resultar no adoecimento.

O que determina o bom enfrentamento do estresse é a nossa capacidade de resiliência, de lidar com os eventos estressores e retornar ao estado inicial de relaxamento.  O quanto algo é estressante depende da maneira pela qual o indivíduo interpreta as situações e as estratégias que dispõe para lidar com o evento estressor.

Alguns acontecimentos considerados positivos também podem ser geradores de estresse, a exemplo do nascimento de um filho, o casamento, o ingresso na universidade, uma promoção no trabalho, pois todos estes fatos exigem adaptação e uma reorganização de vida.

Confira alguns sintomas que são indicativos de estresse:

Leia Mais

EXERCÍCIO PARA EVITAR ESTRESSE

Tempo de leitura: < 1 minuto

O leitor Risomar Lima anuncia a descoberta de um exercício para evitar o estresse. E, para isso, basta apenas usar os dedos. Para descobrir o método revolucionário, dê um clique no “leia mais”, abaixo.

Leia Mais

Back To Top