skip to Main Content
1 de março de 2021 | 07:11 am

TESTEMUNHAS APAVORADAS EM CONQUISTA

Tempo de leitura: < 1 minuto

A força-tarefa do Ministério Público da Bahia, montada para investigar os 14 homicídios e três desaparecimentos que sucederam a morte do PM Marcelo Márcio Lima, em 28 de janeiro, na cidade de Vitória da Conquista, está tendo dificuldade para ouvir testemunhas e sobreviventes dos crimes.

Na tarde desta segunda-feira (22), o promotor Paulo Gomes, do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas e de Investigações Criminais (Gaeco), tentou ouvir as testemunhas em uma audiência, na qual havia também a presença de policiais.  Temendo represália, os depoentes se recusaram a falar e ficou determinado que a audiência vai acontecer em outra data e local.

Hoje, uma outra força-tarefa – da Polícia Civil – começa a ouvir policiais militares. Membros do Ministério Público vão acompanhar todos os depoimentos.

Back To Top