skip to Main Content
12 de julho de 2020 | 07:43 am

TAXA DE CRESCIMENTO DA COVID-19 NA BAHIA DISPAROU APÓS FESTEJOS JUNINOS, DIZ SECRETÁRIO

Vilas-Boas aponta crescimento preocupante de casos ativos || Foto Paula Fróes-Govba/Arquivo
Tempo de leitura: < 1 minuto

Numa postagem feita no Twitter, o secretário de Saúde da Bahia demonstrou muita preocupação com a taxa de crescimento dos casos ativos do novo coronavírus (Covid-19) nos últimos dias.

Segundo Fábio Vilas-Boas, os casos ativos registraram uma disparada no ritmo de crescimento após os festejos juninos.

– Vínhamos ao longo de 2 semanas chegando num platô (estabilização do número de casos). A partir de julho, voltamos a ter aceleração – disse ele, observando que essa disparada ocorreu com maior intensidade no interior do estado.

BAHIA PASSA A RECOMENDAR INTERNAÇÃO PRECOCE DE PACIENTE COM COVID-19

Vilas-Boas explica novo protocolo para suspeitos ou positivados da covid-19
Tempo de leitura: < 1 minuto

O Centro de Operações de Emergência em Saúde da Bahia (Coes) recomendou, nesta segunda-feira (6), que os pacientes suspeitos ou confirmados de coronavírus (Covid-19) sejam internados mais precocemente. A medida, assinada pelo secretário estadual da Saúde (Sesab), Fábio Vilas-Boas, visa prevenir o agravamento de quadros clínicos, especialmente em relação aos casos com comorbidades associadas.

De acordo com o secretário, pessoas consideradas de risco elevado para evolução desfavorável estão sendo internadas tardiamente, terminando por ir direto para UTI . “Desse modo, justificam-se cuidados e observações mais criteriosas com diabéticos, hipertensos, portadores de doenças cardíacas, pulmonares ou renais, além de obesos, gestantes e maiores de 60 anos”, afirma Vilas-Boas.

Ainda de acordo com o secretário, para esses pacientes serão disponibilizados, inicialmente, mais de 350 leitos clínicos, entre as gestões estadual e municipal. A Nota Técnica 71 está disponível no site www.saude.ba.gov.br/coronavirus e visa orientar, sobretudo, os médicos da rede pública de saúde. Consideram-se casos suspeitos de Covid-19, pessoas que apresentem quaisquer destes sintomas: febre; tosse; coriza; dor de garganta; dispneia; perda de olfato ou paladar; diarréia, associada à dor abdominal e/ou sintomas respiratórios; e conjuntivite.

Havendo quaisquer alterações clínicas, laboratoriais ou descompensação clínica da doença de base (comorbidade), recomenda-se a internação hospitalar para uma monitorização e acompanhamento.

Parâmetros para avaliação clínica e laboratorial

1. Sinais Vitais:
• Frequência Respiratória maior ou igual a 22 incursões respiratórias por minuto
• Frequência cardíaca maior ou igual a 100 batimentos por minuto
• Saturação Periférica de Oxigênio menor ou igual a 95%

2. Desconforto respiratório;
3. Auto declaração de falta de ar;
4. Hipoatividade;
5. Dor torácica;
6. Glicemia capilar maior ou igual à 140 mg/dL
7. Sódio maior que 145 ou menor que 135 mEq/L
8. Potássio maior do que 5 ou menor do que 3,5 mEq/L
9. Lactato arterial maior que 1,0 mmol/L

BAHIA TEM 36,4 MIL CASOS DE CORONAVÍRUS, COM 1.105 ÓBITOS E 15,4 MIL RECUPERADOS

Número de casos de Covid-19 dispara em Itajuípe
Tempo de leitura: 5 minutos

Até as 17h deste domingo (14), subiu para 36.401 o total de casos confirmados do novo coronavírus na Bahia, segundo a Secretaria Estadual de Saúde (Sesab). Foram 613 novos casos da doença nas últimas 24 horas e 36 novos óbitos registrados.

Desde o início da pandemia, conforme a Sesab, 1.105 pessoas morreram vítimas da doença. O total de curados da covid-19 chega a 15.486. Dos infectados e que tiveram confirmação por critério epidemiológico ou por testes, 5.162 são profissionais de saúde.

CASOS ATIVOS

Vilas-Boas diz que é preocupante número de casos ativos || Foto Paula Fróes/GovBA

Fábio Vilas-Boas, titular da Sesab, classificou como preocupante o crescimento do número de casos ativos da covid-19 na Bahia, hoje em 19.810.

Os dados epidemiológicos apontam a ocorrência da covid-19 em 357 dos 417 municípios baianos, o que revela o espalhamento da doença por todas as regiões do Estado. Dos mais de 36,3 mil casos na Bahia, 54,97% ocorreram em Salvador (confira todos os dados do boletim). Essa concentração já foi maior, chegando a 62%.

Ainda segundo a Sesab, os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 1.000.000 de habitantes até hoje são Itajuípe (9.516,37), Ipiaú (8.872,32), São José da Vitória ( 8.485,06), Uruçuca (8.236,27) e Salvador (8.236,27).

OCUPAÇÃO DE LEITOS

A Bahia possui 2.082 leitos exclusivos para pacientes covid-19 na rede SUS. Destes, 1.298 possuem pacientes internados, o que representa 62%. 77% dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva – 866 no total – estão com pacientes internados, segundo a Sesab.

ÓBITOS

Neste domingo, a Sesab registrou mais de 30 óbitos provocados pela covid-19. Os pacientes eram de Camaçari, Eunápolis, Salvador, Lauro de Freitas, Simões Filho, Candeias, João Dourado, Caculé, Feira de Santana, Miguel Calmon, Ilhéus, Itabuna, Itagibá, Teixeira de Freitas, Juazeiro e Eunápolis. Abaixo, no leia mais, confira o histórico dos pacientes com registro no boletim de hoje (14).

Leia Mais

JUVENAL MAYNART ASSUMIRÁ A SECRETARIA DE SAÚDE DE ITABUNA

Juvenal pede demissão após prefeito confirmar reabertura do comércio
Tempo de leitura: < 1 minuto

Ex-diretor-geral da Ceplac e do Hospital de Base, Juvenal Maynart assumirá a Secretaria de Saúde de Itabuna na manhã da próxima sexta (12). Ele substituirá Uildson Nascimento, exonerado na tarde desta quarta (10) pelo prefeito Fernando Gomes.

O prefeito decidiu tirar Uildson por causa das fortes críticas feitas ao secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas. Uildson havia dito que o titular da Sesab virou as costas para Itabuna.

Fernando disse que exoneraria Uildson porque as críticas de Uldson atingiam, diretamente, um parceiro que sempre foi legal desde o primeiro ano da sua gestão, o governador Rui Costa.

Ainda diz que fará justiça a um de seus melhores quadros neste governo. Juvenal Maynart deixou a direção da fundação que mantém o Hospital de Base de Itabuna, após discordar de decisão de Fernando de fazer do hospital unidade mista para covid-19 e outras enfermidades.

À época, Fernando disse que ele ficaria onde quisesse. Juvenal declinou. Desde o ano passado, Fernando dava sinais de que poderia colocar Juvenal na SMS, caso Uildson não desse conta do recado. Administrativamente, Uildson era satisfatório para Gomes. Porém, faltou-lhe traquejo político nas entrevistas. Uma das derradeiras custou-lhe o cargo.

Em maio, Juvenal elaborou um plano de combate à covid-19 em Itabuna. Levou ao presidente da Câmara de Itabuna, Ricardo Xavier. O presidente do Legislativo apresentou este plano ao prefeito e encaminhou cópia ao governador Rui Costa. Atualizado às 18h15min.

MÉDICOS DO SUDOESTE DENUNCIAM A SESAB POR “SITUAÇÃO GRAVE” APÓS EXTINÇÃO DE CENTRAL DE LEITOS

Sesab manteve central de Juazeiro, porque é interestadual || Foto Divulgação
Tempo de leitura: 5 minutos

Médicos plantonistas do sudoeste baiano emitiram uma carta aberta para denunciar a Secretaria Estadual de Saúde (Sesab) pela “situação grave em que os serviços de saúde” da região se encontram após extinção da Central de Regulação de Leitos em Conquista. Há quase um mês, o secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas, extinguiu as centrais de regulação em Itabuna e em Vitória da Conquista, com a aprovação do governador Rui Costa. O documento dos médicos aponta aumento dos riscos de óbito de pacientes tratáveis após o fim da Central no sudoeste e a centralização em Salvador.

Conforme carta aberta, após o encerramento das atividades da Central nos dois municípios – em 6 de maio -, os hospitais regionais e médicos plantonistas estão enfrentando dificuldades na transferência de pacientes de hospitais de baixa complexidade para os de maior porte e crescente risco de agravamento de quadro de saúde e óbito.

“As dificuldades enfrentadas pelos médicos plantonistas são contínuas, pois além de atenderem casos clínicos diversos, muitas vezes sobrecarregados pela quantidade de pacientes, agora estão com problemas para encaminharem os pacientes que necessitam de maiores cuidados”.

REALIDADE ERA OUTRA

Os médicos plantonistas explicam, na carta, que a central regional era operada por médicos reguladores locais, “que conheciam a realidade da região sudoeste, as limitações dos serviços de saúde e o fluxo era organizado de acordo com a capacidade das unidades hospitalares”.

E continuam:

“Dessa forma, a análise dos casos clínicos era realizada em tempo hábil, possibilitando a priorização na transferência dos pacientes mais graves para os hospitais de referência da região ou do estado. Os médicos reguladores também participavam de discussão clínica com os respectivos plantonistas das cidades menores, auxiliando na condução do tratamento, o que infelizmente se perdeu após a mudança”. Essa flexibilidade se perdeu com a centralização em Salvador.

MOROSIDADE E AGRAVAMENTO DE QUADRO

Os médicos denunciam que a centralização em Salvador resultou em morosidade para autorização das transferências dos casos mais graves e “falta de transparência nos relatórios de vaga zero”. Ainda grave, eles apontam dificuldade para contato direto com a Central por telefone e as transferências desordenadas para cidades muito distantes do local de partida.

Há, ainda, “escassez de informações por parte da Central para com os hospitais regionais, falta de comunicação com os médicos reguladores, insuficiência de informações sobre a transferência (vaga zero, maca retida, necessidade
do médico acompanhando)”. Os médicos citam, também, que o desconhecimento da rede hospitalar regional por parte dos reguladores em Salvador resulta em autorizações de transferências “para hospitais diversos, em algumas situações muito distantes da cidade de origem, utilizando apenas o critério de disponibilidade de vaga”.

Os médicos enumeram as consequências da centralização da regulação de leitos em Salvador em um estado de grande extensão territorial como a Bahia: “é a desorganização e retrocesso na forma de transferir os pacientes e isso fatalmente resulta em agravamento dos casos, piora dos prognósticos, atraso nos tratamentos e em último caso, no óbito de pacientes tratáveis”. Com a carta, os médicos buscam “tornar público” o problema enfrentado pelos profissionais e cobrar do Governo Estadual uma solução urgente desse imbróglio.

Vilas-Boas reclamou de corporativismo de servidores estaduais

“CORPORATIVISMO DOS SERVIDORES”

O secretário Vilas-Boas disse que estava determinado a centralizar a regulação de leitos em Salvador. Um prédio foi construído para essa finalidade na capital baiana. Durante videoconferência, há cerca de 30 dias, com secretários municipais de Saúde, que se queixavam das dificuldades com o novo sistema, ele disse:

– O corporativismo do servidor público é resistente. Pagaram pra ver se eu ia fechar mesmo [as centrais de regulação no interior]. Não acreditaram que eu ia fechar. Eu mandei fechar e botei todo mundo em aviso prévio –  disse ele aos secretários municipais.

A reação de Vilas-Boas contra os servidores deixou secretários indignados, mas não se pronunciaram publicamente por temerem retaliações em tempos de pandemia. Ele afirmou que demorou 30 dias para fechar a equipe para a central em Salvador. Foi quando decidiu intervir e determinar a contratação de funcionários para fazer a central na capital baiana. “Estou esperando, essa semana, poder voltar a ter número de pessoas para manter a tela limpa”, disse ele.

Abaixo, no leia mais, a íntegra da carta dos profissionais do sudoeste baiano.

Leia Mais

VILAS-BOAS EXPLICA NÚMEROS DIVERGENTES DE CASOS DA COVID-19 EM ILHÉUS

Vilas-Boas aponta crescimento preocupante de casos ativos || Foto Paula Fróes-Govba/Arquivo
Tempo de leitura: < 1 minuto

O secretário estadual da Saúde, Fábio Vilas-Boas, explicou ao PIMENTA a divergência relacionada ao total de pacientes infectados pela Covid-19 e com confirmação laboratorial ou por teste rápido em Ilhéus desde o início da pandemia.

Na atualização dos números, Ilhéus apareceu com 425 pessoas infectadas na sexta (15), quando a Sesab fez a integração do banco de dados epidemiológicos com os municípios e, também, o Ministério da Saúde. Já neste sábado (16), o número de casos no município era 372. Diferença, a menor, de 53 infectados.

Por meio do Twitter, apontamos a diferença, a menor. Neste domingo (17), Vilas-Boas respondeu. Os 52 casos a menos foram retirados por inconsistência:

– O novo sistema de notificações do ministério não vinha permitindo os municípios enxergarem seus casos. Conseguimos desbloquear e alguns casos estão sendo expurgados por inconsistências – respondeu Vilas-Boas ao PIMENTA.

A Sesab havia computado para Ilhéus pacientes positivos que não residem no município. Outra inconsistência foi o registro de pacientes negativos como positivos, segundo explicação do secretário de Saúde de Ilhéus, Geraldo Magela, que, ontem (16), estrilou diante dos 425 casos atribuídos ao município baiano.

JEQUIÉ: MÉDICO MORRE VÍTIMA DA COVID-19; “SACRIFÍCIO NÃO SERÁ ESQUECIDO”, DIZ SECRETÁRIO

Ramon Barbosa está entre os profissionais vítimas do novo coronavírus
Tempo de leitura: < 1 minuto

Um dos médicos da linha de frente do atendimento a vítimas do novo coronavírus em Jequié, no sudoeste da Bahia, faleceu neste domingo (10) do Dia das Mães. Ramon Barbosa atuava na emergência para Covid-19 do Hospital Geral Prado Valadares.

Ramon tinha 43 anos de idade e também era professor. Por meio das redes sociais, o secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas, disse que recebeu a notícia de falecimento do colega com grande pesar. “Seu sacrifício não será esquecido”, postou o titular da Sesab.

Localizado na região sudoeste da Bahia, Jequié apresentava até o final da tarde deste domingo (10) um total de 87 casos confirmados de Covid-19 e dois óbitos. Com o falecimento do médico, o município atinge 3 óbitos. Na Bahia, Ramon é o segundo médico a falecer por covid-19. Outro colega, Gilmar Calazans, que trabalhava no Hospital Costa do Cacau, em Ilhéus, faleceu em abril.

VILAS-BOAS, PREFEITOS E REITORA DA UFSB NO “BOM DIA BAHIA”

Tempo de leitura: < 1 minuto

O secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, os prefeitos Mário Alexandre (Ilhéus) e Marcone Amaral (Itajuípe) e a reitora da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), Joana Guimarães, participarão, neste sábado (2), do programa Bom Dia Bahia, da Rádio Difusora de Itabuna AM-640. Eles discutirão os efeitos da pandemia do coronavírus no sul da Bahia e as estratégias governamentais para enfrentar este desafio.

O Bom Dia Bahia vai ouvir quais são as medidas até agora adotadas pelos Governos Federal e do Estado e pelas Prefeituras contra o coronavírus, um mês após o anúncio da pandemia no sul da Bahia. “Há uma grande preocupação quanto a um aumento no número de casos na região, por isso decidimos saber dessas autoridades quais as ações efetivas para a superação da atual crise”, disse Andirlei Nascimento, que apresenta o Bom Dia Bahia junto com Ederivaldo Benedito (Bené).

As entrevistas ocorrerão em ambiente online, via plataforma Zoom. O programa terá, ainda, a participação do médico cardiologista itabunense Jairo Xavier e do secretário-executivo da Associação dos Municípios do Sul, Extremo-sul e Sudoeste da Bahia (Amurc), Luciano Veiga. Os ouvintes poderão interagir por meio do WhatsApp 73 98889-1909.

ILHÉUS: SECRETÁRIO DIZ QUE CENTRAL DE ABASTECIMENTO DO MALHADO SERÁ INTERDITADA

Central do Malhado será reaberta nesta domingo
Tempo de leitura: < 1 minuto

Durante visita ao Centro de Triagem para Covid-19 em Ilhéus nesta manhã de sexta (1º), o secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas, afirmou que a Central de Abastecimento do Malhado será interditada a partir deste final de semana. A ação está entre as medidas a serem tomadas para frear o crescimento do número de casos do novo coronavírus (Covid-19) em Ilhéus.

A central ficará interditada até que seja reformulada a distribuição das barracas, segundo afirmou à TV Santa Cruz. A reformulação será feita pela Prefeitura de Ilhéus. De acordo com ele, a interdição valerá para toda a área da central. Além de barracas, a Central do Malhado possui dezenas de boxes para comercialização de produtos.

EM ILHÉUS, 202 CASOS

Ontem (30), a Secretaria Estadual de Saúde (Sesab) confirmou, por meio de teste, 202 pacientes infectados pela covid-19 em Ilhéus. O município de pouco mais de 160 mil habitantes tem a maior taxa de incidência da doença por grupo de milhão de habitantes, conforme a Sesab.

HOSPITAL COSTA DO CACAU TERÁ 41 LEITOS DE UTI PARA ATENDER VÍTIMAS DE COVID-19

Tempo de leitura: < 1 minuto

O governo baiano ampliará de 30 para 41 o número de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no Hospital Costa do Cacau, em Ilhéus, segundo anúncio feito pelo secretário Estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas. “A região Sul da Bahia vive uma situação muito preocupante, com um taxa de contágio muito maior que no resto da Bahia”, disse ele em entrevista.

Além do Hospital da Costa do Cacau, a estrutura de atendimento da região conta com 10 leitos de UTI no Hospital de Ilhéus, da rede privada. Em Itabuna, a Santa Casa de Misericórdia oferece dez leitos adultos no Hospital Calixto Midlej, três leitos infantis de UTI no Hospital Manuel Novaes; além de 40 leitos clínicos.

Ilhéus aguarda ainda o credenciamento de mais 13 leitos no Hospital São José e outros 30 na montagem de um hospital de campanha. Já Itabuna, terá a habilitação do Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães, que poderá ofertar até 21 leitos de UTI e 38 clínicos.

Back To Top