skip to Main Content
1 de março de 2021 | 07:00 am

CIENTISTAS BAIANOS CRIAM ARMADILHA ELÉTRICA PARA COMBATER MOSQUITOS

Equipe criou armadilha elétrica para combater mosquitos
Tempo de leitura: 2 minutos

Uma equipe de cientistas baianos trabalha com uma solução tecnológica no combate aos mosquitos, uma armadilha elétrica sustentável, principalmente em tempos de zika, dengue e chikungunya. A novidade é que o protótipo, feito em impressão 3D com composição plástica biodegradável, funciona por meio de um sistema solar, que reduz o uso de energia elétrica e pode ser utilizado em qualquer lugar atingido com a infestação de mosquitos.

“Nossa armadilha apresenta um design inédito, ao mesmo tempo decorativo e eficaz. Com amplitude de atração de 360 graus, tanto na vertical e horizontal, além de um duplo mecanismo de atração, um sonoro e outro por iluminação pulsada, os mosquitos ficam presos ao entrar e lá dentro desidratam e morrem”, explicou um dos responsáveis pela invenção, Arthur Ribeiro, estudante de engenharia elétrica do Instituto Federal da Bahia (Ifba), da cidade de Paulo Afonso.

SEM AGREDIR MEIO AMBIENTE

Ele se uniu a outros estudantes – Ana Clara, Thaís Caires e Fábio Filho, orientados pelo professor Weber Miranda, e tiveram a inspiração para criar o projeto durante um programa de fomento do Instituto. “Nosso orientador mostrou um protótipo da ideia e formamos uma equipe para desenvolvê-la. Fomos aprovados no Edital do Hotel de Projetos e estamos nessa pesquisa desde então”, disse o estudante.

As três principais estratégias de combate aos mosquitos, atualmente, são os inseticidas, repelentes e as armadilhas. “Queremos combater as doenças que são transmitidas através dos insetos sem agredir o meio ambiente ou a saúde das pessoas, sem necessidade de produtos químicos. Soluções como inseticidas podem causar efeitos como náuseas, dores de cabeça e alergias, então a armadilha sustentável pode ser a melhor solução para atender a diversas populações”, destacou.

Leia Mais

SISTEMA PODE REINVENTAR A PRODUÇÃO INDUSTRIAL DE CACAU GOURMET NA BAHIA

Tempo de leitura: 3 minutos

Sistema pode ajudar a desenvolver produção de cacau gourmet na Bahia

O professor Jauberth Abijaude, da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), decidiu aplicar um sistema baseado em Internet das Coisas para otimizar a produção de cacau, uma das maiores riquezas da Bahia. O objetivo é montar uma cadeia de monitoramento para avaliar os processos do fruto com foco nas fases de fermentação e secagem das amêndoas, período no qual se desenvolvem características fundamentais do cacau gourmet.

Jauberth explica que o conceito de internet das Coisas veio para facilitar tarefas do cotidiano que passam a ser realizadas com o auxílio de sensores e atuadores. “A tecnologia cria uma rede de objetos inteligentes que reúne e transmite dados para otimizar a vida das pessoas. O uso da Blockchain e dos contratos inteligentes adiciona uma camada de segurança nos dados coletados pelos sensores”.

O pesquisador acrescenta que a inspiração de trazer esta realidade virtual para o mundo do cacau veio do anseio de valorizar o fruto, que é uma joia baiana. “Eu e meu grupo de pesquisadores buscamos também driblar o declínio na produção causado por infestações como a vassoura de bruxa, fungo que atingiu a produção brasileira de cacau no final dos anos 1980”.

O novo sistema é composto de microcontroladores programáveis e um aplicativo capaz de monitorar e registrar atributos como temperatura, umidade, pH, além de acionar fontes de calor ou resfriamento.

Leia Mais

BAHIA DARÁ R$ 1,62 MILHÃO PARA APOIO A NEGÓCIOS INOVADORES; INSCRIÇÕES ABERTAS

Tempo de leitura: 2 minutos

Adélia: R$ 1,62 milhão em edital para inovação na Bahia

A Fundação de Amparo à Pesquisa da Bahia (Fapesb), vinculada à Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), e a Financiadora de Inovação e Pesquisa (Finep) lançaram o edital Centelha Bahia. As inscrições estão abertas até o dia 7 de agosto (veja link abaixo).

O Centelha Bahia irá conceder R$ 1.620.000,00 para empreendedores que buscam desenvolver produtos, processos ou serviços que venham a melhorar a vida da população baiana, gerando negócios inovadores.

A iniciativa, que integra os esforços estaduais para impulsionar a economia local por meio da criatividade baiana, é uma alternativa para gerar renda e empregos com soluções inovadoras e que tragam retorno para a sociedade. Os interessados em inscrever seus trabalhos devem ler o edital e realizar o castrado através do link www.programacentelha.com.br/ba/.

De acordo com a secretária da Secti, Adélia Pinheiro, outras iniciativas como esta serão implantadas no futuro, a fim de estimular diversas gerações de estudantes a desenvolver o interesse pela ciência, tecnologia e inovação. “O próprio nome ‘Centelha’ dá o sentido de início, a ideia de uma chama que primeiro desperta, depois se espalha, e por fim se estabelece em todos os campos”, afirmou.

Leia Mais

UESC INAUGURA MICROCERVEJARIA NA SEXTA

Tempo de leitura: < 1 minuto
A professora Ana Paula Uetanabro é uma das coordenadoras da pesquisa (foto Jonildo Glória)

A professora Ana Paula Uetanabro é uma das coordenadoras da pesquisa (foto Jonildo Glória)

Pesquisadores da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), em Ilhéus, desenvolvem projeto voltado à produção daquela que é uma das paixões nacionais: a famosa loira gelada. Nesta sexta-feira (15), às 15 horas, no Laboratório de Microbiologia Aplicada, a instituição inaugura sua própria microcervejaria. A fábrica de cerva teve planta piloto estruturada a partir de dois projetos financiados pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb).

Os projetos são coordenados pelos professores Mauro de Paula Moreira e Ana Paula Trovatti Uetanabro. Segundo eles, no Brasil existem poucos grupos acadêmicos dedicados à pesquisa científica e desenvolvimento tecnológico da cerveja. A ideia deles é aproveitar a diversidade de ambientes encontrados na Bahia, o que proporciona boa variedade de frutas e micro-organismos utilizados na fermentação.

Os projetos da Uesc foram aprovados em 2011, no edital de apoio a Projetos em Temas Estratégicos de Inovação Tecnológica. Segundo a professora Ana Paula Uetanabro, existem hoje cerca de 300 microcervejarias no Brasil, ocupando um espaço ainda pequeno, mas em franco crescimento.

“Estas plantas cervejeiras de pequeno porte aportaram para o mercado um rol de cervejas exclusivas e diferenciadas, com vários tipos, texturas, aromas e sabores, se diferenciando, portanto, do padrão inculcado pelas grandes corporações”, comenta Ana Paula..

EMPRESAS PODEM DISPUTAR R$ 1,5 MILHÃO PARA INVESTIR EM INOVAÇÃO

Tempo de leitura: 2 minutos
Apresentação do edital com R$ 1,5 milhão para inovação (Foto João Alvarez/Sebrae).

Apresentação do edital com R$ 1,5 milhão para inovação (Foto João Alvarez/Sebrae).

O Fórum Regional Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, que conta com o apoio técnico do Sebrae, apresentou um edital, com recursos não reembolsáveis de R$ 1,5 milhão para empresários do setor de comércio e serviços interessados em inovar. O edital, com recursos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb), foi apresentado na quinta-feira (20), no auditório da Secretaria de Indústria, Comércio e Mineração (SICM), em Salvador.
A elaboração do edital, que é destinado a microempreendedores individuais (MEI) e empresários donos de negócios de pequeno porte com receita bruta anual até R$ 3,6 milhões do setor, foi realizada pelo Comitê de Ciência, Tecnologia e Inovação do Fórum e contou com o apoio do Sebrae.
O edital pode ser aplicado a projetos de produtos (bens e serviços), processos ou investimentos em gestão organizacional que sejam, necessariamente, inovadores. Uma das linhas de financiamento também é destinada a instituições científicas ou tecnológicas em parceria com empresas. O prazo de inscrição vai até 6 de março de 2015 e o edital pode ser acessado integralmente no site da Fapesb.
O diretor técnico do Sebrae Bahia, Lauro Ramos, afirmou que a instituição disponibilizará apoio às empresas interessadas em inscrever projetos. “O nosso papel é contribuir para que os projetos sejam consistentes e consigam ser contemplados pelos benefícios”, afirmou. Ele recomendou que empresários interessados busquem informações no site do Sebrae ou procurem auxílio diretamente nas unidades do serviço.

Back To Top