skip to Main Content
28 de maio de 2020 | 10:02 pm

O REI DA AMÉRICA QUER O MUNDO

Tempo de leitura: 3 minutos

DanielThameDaniel Thame | danielthame@gmail.com

A Seleção Brasileira pratica, indiscutivelmente, o melhor futebol da América.

Classificou-se para a Copa da Rússia com quatro rodadas de antecedência e vem de inéditas 8 vitórias nas Eliminatórias, uma trajetória mágica que incluiu shows de bola contra Argentina (3×0), Uruguai (4×1) e Paraguai (3×0).

Mais do que os resultados expressivos, vem jogando um futebol que resgatou a paixão pela Seleção, fazendo inclusive com que o exigente torcedor paulista (de vaias memoráveis e atitudes incivilizadas como atirar bandeiras do Brasil no gramado do Morumbi num jogo horrendo contra a Colômbia), se rendesse ao time de Neymar e Cia.

titeAo time de `seu` Adenor, mais conhecido como Tite.

O que se viu na Arena Corinthians foi uma verdadeira lua de mel entre time e torcida, com direito a um “olê, olê, olê, Tite, Tite…” no final do jogo.

Consagrador.

O Brasil voltou o ser o Rei da América.

Ponto.

Parágrafo.

Como quase tudo nesse paraíso tropical bipolar (há controvérsias quanto ao paraíso) vai-se do inferno ao céu e vice-versa num piscar de olhos.

A Seleção, com praticamente os mesmos jogadores, era um quase-Ibis há menos de um ano atrás. Agora é o suprassumo do suprassumo do mundo da bola.

A maravilha da galáxia.

Neymar que era um craque mascarado e individualista, que pipocava na Seleção, agora já é melhor do que Messi e Cristiano Ronaldo juntos, um quase-Pelé.

E por aí vai…

Galvão Bueno puxa o coro da louvação, seguido pelos colegas da imprensa, numa unanimidade em que se ouvem poucas vozes sensatas.

E é preciso mesmo um pouco se sensatez.

Se é verdade que Tite fez da Seleção uma equipe respeitada, que pratica um futebol de primeiro nível, transformou Neymar num craque que joga para o time, letal e as vezes genial, não é menos verdade que a conquista do mundo em 2018 não é algo líquido e certo, como se a gente fosse lá pra Russia, tomasse umas vodcas, dançasse umas balalaicas na praça Vermelha, comprasse umas matrioskas pra agradar as filhas e a patroa, pegasse a taça e voltasse pra casa.

Seria ótimo se fosse assim, mas não é.

Falta combinar com os russos, como diria o saudoso Mané Garrincha. Agora literalmente.

O time está bem, Neymar joga cada dia melhor, Casemiro, Paulinho e Phillipe Coutinho tem se revelado gratas surpresas, mas é preciso manter o foco, saber que tem que evoluir sempre e não cair na tentação do `já ganhou`.

A história está repleta – e Tite sabe disso- de times e seleções que ganharam de véspera e na hora na oncinha beber água ficaram de bico seco.

Ou engoliram um 7×1 ainda não devidamente digerido.

Portanto, é de bom alvitre deixar a torcida e a mídia com os pés nas alturas e manter as chuteiras com pés no chão.

-0-0-0-

É PÊNALTI – A FIFA e seu espírito de Máfia. A punição a Lionel Messi é absolutamente desproporcional e pode custar a vaga da Argentina na Copa. Verdadeira vinditta contra Maradona e sua coragem de denunciar os ´santinhos` da entidade.

0-0-0-

É GOL – Tite para Presidente? Então tá! E Neymar, seria o quê? Ministro da Fazenda ou superintendente da Receita Federal?

Fora Temer (ops!), quem mais se candidata?

Daniel Thame é jornalista e editor do Blog do Thame.

OS GOLPES NAS DECISÕES DAS COPAS DO MUNDO

Tempo de leitura: 2 minutos

marivalguedesMarival Guedes | marivalguedes@gmail.com

Garrincha joga, o Brasil detona os tchecos e é bicampeão. Um mês depois Esteban, é convidado pela CBD, antecessora da CBF, para passar um mês de férias no Brasil, com familiares.

Sempre desconfiei que as grandes decisões do futebol não saem dos pés dos jogadores. Os maiores dribles são dos cartolas que divertem o povo e enchem os bolsos de dinheiro. Sem conhecimento suficiente sobre o assunto, conversei com quem entende: o jornalista Daniel Thame que, além de passar informações pelo celular, me enviou um texto.

Daniel lembra da Copa do Mundo de 1962 no Chile. O Brasil vence a seleção da casa por 4×2 na semifinal e está na decisão contra a Tchecoslováquia. Garrincha é expulso e não poderá jogar. O Brasil, que já não tinha Pelé, ficaria sem o craque que estava carregando o time nas costas. Era o cara do Mundial.

Mas, em plena Guerra Fria, a FIFA não iria permitir que um país comunista ganhasse a Copa. E acontece a mágica: o bandeirinha uruguaio Esteban Marinho, que viu a agressão que gerou a expulsão de Garrincha, volta repentinamente para casa. Na verdade, foge sem dar o testemunho para o juiz escrever a súmula com a expulsão.

Garricha joga, o Brasil detona os tchecos e é bicampeão. Um mês depois Esteban, é convidado pela CBD, antecessora da CBF, para passar um mês de férias no Brasil, com familiares.

Copa do Mundo de 1994, Estados Unidos. Entressafra no futebol e sem craques para chamar a atenção, num país onde o futebol nunca foi preferência nacional, Maradona, semiaposentado, mergulhado no drama da dependência de cocaína, mas ainda um nome estelar, entra em cena blindado pela FIFA.

Era pra ser apenas uma estrela, mas resolveu jogar seu futebol genial e transformou a limitada Argentina em favorito. Isso não estava no script, como também não estava no script o fato de Maradona ter dito, bem ao seu estilo, que a FIFA era dirigida por um bando de ladrões.

O método para alijar Maradona da Copa foi digno da Máfia: um nebuloso caso de doping que tirou El Dies da Copa e destroçou a Argentina. Brasil campeão numa insossa disputa de pênaltis com a Itália.

Final da Copa do Mundo de 1998, França, ou o dia em que o Brasil chorou. Horas antes do jogo, contra a seleção francesa, Ronaldo Fenômeno, tem uma convulsão e vai parar no hospital. Os alto-falantes do Stade de France anunciam a escalação do Brasil com Edmundo substituindo a estrela.

Meia hora antes do jogo, Ronaldo aparece e diz que vai jogar. Zagalo cede. Em campo, Ronaldo é um fantasma dele mesmo e o time não sabe o que fazer: joga ou se preocupa com seu atacante? Não joga. A França passeia, vence por 3×0 e é campeã do Mundo. O que de fato aconteceu com Ronaldo, porque ele insistiu em jogar e porque Zagalo cedeu? Mistério que a ´omertá` ainda não permitiu vir à luz.

Daniel Thame recomenda as seguintes leituras: Como eles roubaram o jogo, de David Yallop; O jogo sujo da FIFA e O Jogo cada vez mais sujo da FIFA, de Andrew Jennings.

Marival Guedes escreve crônicas às sextas, no Pimenta.

PRESIDENTE DA FIFA RENUNCIA AO CARGO; ENTIDADE TERÁ NOVA ELEIÇÃO

Tempo de leitura: 2 minutos
Blatter renuncia ao cargo e anuncia nova eleição (Foto Tânia Rego/ABr).

Blatter renuncia ao cargo e anuncia nova eleição (Foto Tânia Rego/ABr).

O suíço Joseph Blatter, de 79 anos, renunciou hoje (2) à presidência da Federação Internacional de Futebol (Fifa). Desde o último dia 27, quando as autoridades de Justiça dos Estados Unidos e da Suíça deflagraram uma grande operação internacional contra a corrupção no futebol, a entidade tem sido obrigada a explicar as denúncias de que seus principais dirigentes cobravam propina para negociar contratos de marketing, transmissão de jogos e a escolha dos países-sede da Copa do Mundo.

A renúncia foi anunciada há pouco, pelo próprio Blatter, durante entrevista coletiva concedida em Zurique, na Suíça. Uma nova eleição para escolher o sucessor do suíço será agendada. Até lá, Blatter continuará no comando da entidade.

Blatter anunciou ainda um programa de reformas significativas na entidade. As mudanças serão conduzidas pelo presidente independente do Comitê de Auditoria da Fifa, Domenico Scala.

Blatter tinha sido reeleito presidente da Fifa na última sexta-feira (29), depois que seu adversário na disputa, o príncipe jordaniano Ali bin Al Hussein, 30 anos, desistiu da candidatura sem maiores explicações. Seria o quinto mandato de Blatter à frente da entidade, que ele comanda desde 1998.

Leia Mais

PARA ROMÁRIO, PRISÃO DE MARIN É INÍCIO DE MUDANÇAS NO FUTEBOL

Tempo de leitura: 2 minutos
Romário diz que prisão de Marin é início de mudanças no futebol (Foto Marcelo Camargo/ABr).

Romário diz que prisão de Marin é início de mudanças no futebol (Foto Marcelo Camargo/ABr).

O senador Romário (PSB-RJ) comemorou hoje (27) a prisão do ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) José Maria Marin, na Suíça. Crítico das ações do dirigente na confederação, o parlamentar destacou que a ação da polícia, em Zurique (Suíça), pode significar o início de mudanças no futebol brasileiro.

“Corruptos e ladrões que fazem mal ao futebol foram presos, inclusive José Maria Marin. Ladrão tem que ir para cadeia. Parabéns ao FBI [Polícia Federal norte-americana]. Infelizmente não foi a gente [polícia brasileira] quem prendeu”, disse em audiência pública na Comissão de Educação do Senado que debate a situação do futebol feminino no país.

Romário disse ainda que a situação atual do futebol resulta da atuação de pessoas que não estão interessadas em ajudar, mas só em dinheiro, e chamou de “ladrão, safado e ordinário” o atual presidente da CBF, Marco Polo Del Nero. “Suas contas fora do país estão recheadas”, afirmou.

Além de Marin, seis altos dirigentes da Fifa foram detidos na manhã desta quarta-feira (27) pela polícia de Zurique a pedido das autoridades dos Estados Unidos. A lista de 14 investigados por um tribunal de Nova York, por corrupção, tem outros dois brasileiros, José Hawilla, dono da empresa de marketing esportivo Traffic, e José Margulies, dirigente da empresa Valente Corp. and Somerton. A Agência Brasil entrou em contato com a CBF e aguarda retorno.

EXECUTIVOS DA FIFA E EX-PRESIDENTE DA CBF SÃO PRESO NA SUÍÇA

Tempo de leitura: 2 minutos
José Maria Marin é um dos presos em operação do FBI na Suíça.

José Maria Marin é um dos presos em operação do FBI na Suíça.

Do Site da ESPN

A dois dias da eleição para a presidência, um terremoto sacode a Fifa. Na madrugada desta quarta-feira, horário brasileiro, uma operação especial das autoridades suíças, sob liderança do FBI, prendeu sete executivos importantes da entidade sob a acusação de corrupção, entre eles José Maria Marin, ex-presidente da CBF. O grupo dos detidos será extraditado para os Estados Unidos a fim de uma maior investigação sobre o assunto na federação mais importante do futebol mundial.

Segundo nota oficial do Departamento de Justiça norte-americano, 14 réus são acusados de extorsão, fraude e conspiração para lavagem de dinheiro, entre outros delitos, em um “esquema de 24 anos para enriquecer através da corrupção no futebol”. Sete deles foram presos na Suíça. Além de Marin, Jeffrey Webb, Eduardo Li, Julio Rocha, Costas Takkas, Eugenio Figueredo e Rafael Esquivel. Um mandado de busca também será executado na sede da Concacaf, em Miami, nos EUA.

O brasileiro J.Hawilla, dono da Traffic, conhecida empresa de marketing esportivo, é um dos réus que se declararam culpados, assim como duas empresas de seu grupo, a Traffic Sports International Inc. and Traffic Sports USA Inc. Em dezembro de 2014, segundo a justiça dos EUA, ele concordou em pagar mais de 151 milhões de dólares, sendo que US$ 25 mi foram pagos na ocasião. As acusações são de extorsão, fraude eletrônica, lavagem de dinheiro e obstrução de justiça.

Além de Hawilla, também se declararam culpados o norte-americano Charles Blazer, ex-secretário-geral da Concacaf e ex-representante dos EUA no Comitê Executivo da Fifa; Daryan e Daryll Warner, filhos do ex-presidente da Fifa Jack Warner.

Veja a lista com os 14 acusados na investigação:

ALEJANDRO BURZACO, 50, argentino
AARON DAVIDSON, 44, norte-americano
RAFAEL ESQUIVEL, 68, venezuelano
EUGENIO FIGUEREDO, 83, uruguaio
HUGO JINKIS, 70, argentino
MARIANO JINKIS, 40, argentino
NICOLÁS LEOZ, 86, paraguaio
EDUARDO LI, 56, costarriquenho
JOSÉ MARGULIES, conhecido como José Lazaro, 75, brasileiro
JOSÉ MARIA MARIN, 83, brasileiro
JULIO ROCHA, 64, nicaraguense
COSTAS TAKKAS, 58, britânico
JACK WARNER, 72, trinitino
JEFFREY WEBB, 50, caimanês

FIFA DÁ 9,25 A COPA NO BRASIL

Tempo de leitura: 2 minutos
Blatter: "9,25 porque não existe perfeição".

Blatter: “9,25 porque não existe perfeição”.

Da Agência Brasil
O presidente da Fifa, Joseph Blatter, evitou comparações entre a Copa do Mundo do Brasil e edições anteriores do evento, mas afirmou que as próximas terão muita dificuldade para superar o Mundial de 2014, pela qualidade do futebol apresentado.
Questionado sobre a nota que daria à Copa no Brasil, depois de ter dado 9 à da África do Sul, Blatter brincou e atribuiu 9,25 ao evento, porque “não existe perfeição”. “Foi uma Copa muito especial, e o que fez esta Copa tão especial foi a qualidade do futebol e a intensidade dos jogos”, disse o presidente da Fifa.
Ele destacou o fato de ter havido poucas lesões de atletas e times jogando ofensivamente desde a primeira fase.  “Não se pode comparar esta Copa a qualquer outra. Cada uma tem a sua própria história, mas posso dizer que esta foi excepcional.”
Como grandes momentos do Mundial, Blatter apontou o jogo de abertura (Brasil e Croácia, no Itaquerão, em São Paulo), no qual disse “ter sentido que algo mudaria no país”, e a goleada da Holanda sobre a Espanha (na Arena Fonte Nova, em Salvador) na estreia das duas seleções. “Quando vi o jogo em que o campeão do mundo defendia o título contra a Holanda, eu sabia que algo muito especial estava acontecendo nesta Copa do Mundo”, afirmou o presidente, que agradeceu ao povo brasileiro pelo modo como acolheu o evento.
Blatter considerou normal o fato de ter sido vaiado quando sua imagem aparecia nos telões dos estádios e disse que também foi aplaudido: “Você tem que viver com isso”, disse ele.

FELIPÃO "ESCONDE" TIME QUE ENFRENTARÁ O CHILE

Tempo de leitura: < 1 minuto
Felipão e o zagueiro Thiago Silva em coletiva (Foto Marcello Casal Jr/ABr).

Felipão observa Thiago Silva em coletiva (Foto Marcello Casal Jr/ABr).

O técnico da seleção brasileira, Luiz Felipe Scolari, não revelou qual será a escalação nem o esquema tático do Brasil amanhã (28) contra o Chile, pelas oitavas de final da Copa do Mundo. O jogo está marcado para as 13h, no Mineirão, em Belo Horizonte.
Em entrevista coletiva concedida no final da manhã de hoje (27) no estádio mineiro, Felipão escondeu a estratégia para a partida, porque, segundo ele, é impossível revelar isso antes do treino desta tarde, quando eventualidades podem ocorrer.
“Não sei o time que vai jogar amanhã, porque sempre tem um problema ou outro acontecendo. Em um treinamento comum pode ter probleminha”, disse ele, ao ressaltar que a equipe brasileira já alcançou hoje 80% das condições em que estava na Copa das Confederações no ano passado, quando o Brasil foi campeão do torneio.
O treinador não não quis falar se Fernandinho entrará em lugar de Paulino, assim como Maicon na lateral direita, substituindo Dani Alves. Uma das dúvidas para amanhã é o zagueiro David Luiz, que sofreu contratura muscular. O jogador passou por exames e o treinador só anunciará amanhã se irá escalá-lo. Redação com informações da Agência Brasil.

BÉLGICA ENFRENTARÁ ESTADOS UNIDOS NA FONTE NOVA

Tempo de leitura: < 1 minuto
Bélgica chega às oitavas de final com campanha 100% (Foto Getty Image/Fifa).

Bélgica chega às oitavas de final com campanha 100% (Foto Getty Image/Fifa).

Mesmo ainda sem corresponder às expectativas de que seria a sensação da Copa do Mundo, a Bélgica faturou a sua terceira vitória, manteve o aproveitamento de 100% e garantiu a primeira colocação do Grupo H ao derrotar a Coreia do Sul por 1 a 0, nesta quinta-feira, no estádio Itaquerão, em São Paulo.

Com um time misto, a seleção belga não empolgou a torcida, mas superou a desvantagem numérica, por causa da expulsão de Defour ainda no primeiro tempo, para segurar a pressão sul-coreana e buscar mais um triunfo na competição.

Assim, Bélgica encerrou a sua participação na primeira fase com nove pontos, confirmando confronto contra os Estados Unidos nas oitavas de final, na próxima terça-feira (1º), às 17h, na Arena Fonte Nova, em Salvador. Já a Coreia do Sul se despediu da Copa sem vitória e com apenas um ponto na lanterna da chave. Leia mais no Correio.

FIFA SUSPENDE LUIS SUÁREZ POR 9 JOGOS

Tempo de leitura: < 1 minuto
Suárez, de branco, levou gancho de 9 jogos por morder Chiellini (Foto Ricardo Mazalan AP-Ag. Brasil).

Suárez, de branco, levou gancho por morder Chiellini (Foto Ricardo Mazalan AP-Ag. Brasil).

Da Agência Brasil
O Comitê Disciplinar da Federação Internacional de Futebol (Fifa) suspendeu da seleção uruguaia, por nove partidas oficiais, o atacante Luis Suárez. A punição valerá a partir da próxima partida do Uruguai, que enfrenta a Colômbia no próximo sábado (28), às 17h, no Maracanã. Dessa forma, o atacante está fora da Copa do Mundo.
O comitê decidiu também que Suárez estará suspenso por quatro meses de qualquer atividade relacionada ao futebol. Ele deu uma mordida no ombro do zagueiro italiano Giorgio Chiellini, na partida da terça-feira passada (24), na Arena das Dunas, em Natal, quando o Uruguai venceu a equipe italiana por 1 a 0 e garantiu uma vaga para as oitavas de final.
Além da punição, Luis Suárez foi condenado a pagar multa no valor de 100 mil francos suíços, o equivalente a R$ 247 mil, e fica proibido de entrar nos limites de qualquer estádio de futebol durante o período de suspensão.

Back To Top