skip to Main Content
11 de agosto de 2020 | 03:20 am

A FARRA DA PROPAGANDA IRREGULAR

Tempo de leitura: < 1 minuto

Para Geddel, valor da multa do TRE só faz cócegas (foto Max Haack)

Na presente campanha eleitoral, o que mais se vê é candidato infringindo a legislação no que se refere à propaganda. Estímulos para isso não faltam e dois bastante fortes são os seguintes: a irregularidade tornou-se praxe em praticamente todas as candidaturas, portanto quem não a comete perde competitividade; a outra razão é que as multas são tão leves que vale a pena correr o risco.
A propósito, o último a levar um “beliscão” do TRE foi o peemedebista Geddel Vieira Lima, candidato ao governo baiano, condenado por encher a Avenida Paralela de propaganda indevida, na semana que antecedeu a convenção do PMDB.
Geddel, disparado o mais rico entre os candidatos, vai pagar multa de R$ 15 mil por “avançar o sinal”. Para ele, é troco.

VOX POPULI: WAGNER VENCERIA NO 1º TURNO

Tempo de leitura: < 1 minuto

– Wagner tem 43% e adversários somam 32%

– Souto despenca 12 pontos percentuais

– Geddel avança 1 ponto e vai a 10%

O Vox Populi/Band divulgado nesta noite praticamente confirma o Datafolha e dá o governador Jaques Wagner reeleito no primeiro turno. O petista aparece com 43% das intenções de voto. Paulo Souto (DEM) é o segundo, com 21%, e o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB) pontua com 10%. Bassuma (PV) pontua com 1%.
De acordo com o instituto, 19% dos eleitores baianos ainda estão indecisos quanto ao voto em 3 de outubro. 6% dos eleitores pesquisados disseram que optariam em branco ou anulariam o voto. Foram ouvidas 800 pessoas, entre os dias 17 e 20 de julho. A margem de erro é de 3,5 pontos percentuais, conforme registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
Na pesquisa espontânea, Wagner aparece com 24%, Souto com 8% e Geddel com 4%. O ex-governador Paulo Souto é rejeitado por 19% do eleitorado baiano no Vox Populi. Geddel tem rejeição de 11% e Wagner com 10%. Bassuma, 7%.
Na última pesquisa Vox Populi/Band, divulgada antes da corrida eleitoral (relembre aqui), Wagner aparecia com 41%, Souto com 33% e Geddel com 9%. O levantamento atual revela que Wagner ganha dois pontos, Geddel soma um e Souto despenca 12 pontos percentuais.
Atualizado às 20h24min

À ESPERA DO VOX POPULI

Tempo de leitura: < 1 minuto

Após a divulgação do Datafolha, a expectativa agora recai sobre os números que o Vox Populi deverá apresentar entre hoje e amanhã sobre a corrida sucessória na Bahia. Os números do levantamento realizado entre os dias 17 e 20 de julho serão divulgados no Jornal da Band, da TV Bandeirantes. O instituto ouviu 800 eleitores em todo o estado.

GS FALA DE IMPUGNAÇÃO DE CANDIDATURA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Questionado pelo Pimenta sobre a impugnação da sua candidatura por parte da Procuradoria Regional Eleitoral (PRE), Geraldo disse que está tranquilo quanto ao processo. “O que o Ministério Público diz é que eu não apresentei duas das certidões exigidas para registrar a candidatura. O que aconteceu? Eu as apresentei impressas, e não como exigido, digitalizadas”.
E o pedido de impugnação devido às reprovações de contas no TCU? Geraldo diz que a impugnação foi pedida à PRE pelo PMDB do ex-ministro Geddel Vieira Lima. “Nós respondemos ao Tribunal de Contas da União (TCU), prestamos contas no nosso segundo governo. E o que se analisa nesses casos é se houve dolo, por improbidade. Não é o nosso caso. A reprovação ocorreu por erro procedimental, burocrático”.

DATAFOLHA: 36% NÃO SABEM QUEM LULA APOIA NA SUCESSÃO BAIANA

Tempo de leitura: 2 minutos

57% dos eleitores identificam que Lula apoia Wagner.

A pesquisa Datafolha divulgada no último final de semana revelou que 36% dos baianos não sabem quem o presidente Lula apoia (ou pode apoiar) na corrida ao Palácio de Ondina. Dos sete nomes na disputa, apenas Jaques Wagner (PT) e Geddel Vieira Lima (PMDB) pertencem à base do presidente.
Dos 1.086 entrevistados na Bahia, 57% disseram que Lula apoiam o governador Jaques Wagner, 7% acreditam ser Geddel e, olhe só!, 3% acham que o mandatário do País vai mesmo é dar o seu aval ao ex-governador Paulo Souto (DEM), adversário do governo federal.
No estrato por sexo, apenas 54% das mulheres sabem identificar quem pode levar ou tem o apoio do presidente de maior aprovação popular da história recente do Brasil. No universo masculino pesquisado, esse percentual de acerto sobe para 75%.

Para 3%, Souto tem apoio de Lula.

A confusão ou desconhecimento talvez possa ser creditado à existência de palanque duplo para a candidatura presidencial de Dilma Rousseff, defendida por Lula. Conforme a pesquisa, 46% dos eleitores votariam com certeza em um nome apoiado por Lula. E 25% talvez votem.
A pesquisa Datafolha foi realizada de 20 a 23 de julho e ouviu 1.086 eleitores em 41 municípios baianos. A pesquisa também diferiu as preferências ao governo entre eleitores do interior e Região Metropolitana de Salvador (RMS).
Os percentuais mostram que Wagner tem 47% das intenções de voto na capital e RMS e 43% no interior, perfazendo 44% das intenções de voto no geral. Souto é o único dos três principais nomes que mantém percentual idêntico tanto na região metropolitana como no interior: 23%. No caso de Geddel, ele tem 9% na RMS e 14% no interior.
O levantamento do Datafolha mostra que 65% ainda não têm candidato ao Senado (são duas vagas em disputa). Na pesquisa espontânea para o governo do estado, 54% ainda não definiram em quem votar. Na estimulada, o percentual é de 13%.
Confira o raio-x da pesquisa Datafolha na Bahia

GEDDEL PROMETE TURBINAR O BOLSA-FAMÍLIA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Geddel: Bolsa-Família "turbinado".

O candidato peemedebista ao governo baiano, Geddel Vieira Lima, prometeu aumentar o benefício Bolsa-Família de R$ 90,00 para R$ 120,00, durante discurso no município de Laje, no Vale do Jiquiriçá.
Apesar de não informar qual seria a fonte dos recursos, o governo estadual colocaria mais R$ 30,00, na média, ao valor que a União repassa aos beneficiários do programa.
Mas esse adicional valeria apenas para os 100 municípios de pior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da Bahia. O índice leva em conta os indicadores longevidade (expectativa de vida), educação e renda.

SEM SERRA

Tempo de leitura: 2 minutos

Marco Wense
A aliança “demo-tucana” sofre sua primeira fissura. No principal comitê eleitoral de Paulo Souto, em Salvador, não aparece, na fachada do prédio, a foto de José Serra, candidato do PSDB à presidência da República.
O deputado federal Jutahy Magalhães, sem dúvida o tucano baiano mais próximo de Serra, não está, e com toda razão, nada satisfeito com a maneira como os democratas vêm tratando a candidatura do ex-governador de São Paulo.
É bom lembrar que o PSDB só aceitou se coligar com o DEM devido à eleição presidencial, de olho em um palanque para José Serra. Se o PSDB não tivesse candidato à presidência da República, os tucanos ficariam com a reeleição de Wagner.

QUEM SERÁ?

A expectativa em torno do carro de som da campanha de Geraldo Simões, candidato a deputado federal pelo PT, é grande. Mas só em relação ao seu candidato à Assembleia Legislativa do Estado.
Para presidente, governador e as duas vagas para o Senado da República, não há nenhuma dúvida: respectivamente Dilma Rousseff, Jaques Wagner, Walter Pinheiro e Lídice da Mata. Para deputado estadual, as apostas estão concentradas no Capitão Fábio, Jota Carlos e Rosemberg Pinto.

REELEIÇÃO

(Foto José Nazal).

Governaram durante 16 anos e não querem mais 4 anos para o governador Jaques Wagner. É esse o principal argumento dos que vão votar na reeleição do ex-ministro das Relações Institucionais do governo Lula.
Reeleito para o segundo mandato, Wagner vai governar por oito anos, ou seja, a metade do tempo que o carlismo governou a Bahia. E Geddel? Para esses eleitores, o candidato do PMDB pode esperar para 2014.

LULA INFLUENCIA VOTO DE 46% DOS BAIANOS

Tempo de leitura: < 1 minuto

A pesquisa eleitoral Datafolha, publicada ontem, revela que o presidente Lula tem influência decisiva sobre as intenções de voto de 46% dos eleitores baianos. É o grupo dos que dizem que votariam, com certeza, em um nome a governador indicado pelo presidente da República.
Na Bahia, aponta o instituto, o governador Jaques Wagner (PT) tem 44% das intenções de voto e Geddel Vieira Lima (PMDB), 12%. Ambos pertencem à ala governista. O oposicionista Paulo Souto (DEM) possui 23% das intenções de voto, conforme o Datafolha (confira aqui a última pesquisa sobre o cenário baiano).
Na Bahia, o instituto ouviu 1.060 eleitores. Ainda nesta semana, a Folha de São Paulo, dona do Datafolha, também publicará os resultados para o Senado Federal e a avaliação do governo do prefeito de Salvador, João Henrique (PMDB).

DILMA E SERRA EMPATADOS

O Datafolha de ontem também aferiu as intenções de voto para presidente da República. Foram ouvidos  O tucano José Serra e a petista Dilma Rousseff estão empatados com 37% e 36%, respectivamente. Marina Silva (PV) pontua com 10%. Plínio de Arruda (PSOL) e Zé Maria (PSTU) têm 1%, cada.
No segundo turno, é repetido empate técnico entre Serra e Dilma. Nesse caso, a petista tem 46% e o tucano fica com 45%. Na espontânea, o tucano tem 16% e Dilma, 21%. Marina tem 4%. A pesquisa nacional ouviu 10.905 eleitores. A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais.
A pesquisa mostra que 41% dos eleitores acreditam que Dilma Rousseff sairá vencedora da disputa eleitoral, ante 30% dos que creem na vitória do tucano José Serra e 2% levam fé em Marina, presidente. A pesquisa foi feita de 20 a 23 de julho.

AZEVEDO E OS CANDIDATOS

Tempo de leitura: 2 minutos

Marco Wense

Azevedo: homem de muitos homens.

Uma coisa é certa: o prefeito de Itabuna, José Nilton Azevedo (DEM), vai ter seus candidatos a presidente da República, governador, Senador (dois nomes), deputado federal e estadual. O democrata não vai votar em branco e nem anular o voto.
Outra coisa, também certa, é que ninguém sabe o que passa pela cabeça do chefe do Executivo.  A regra, portanto, é o mistério. A exceção, pelo andar da carruagem, é que Azevedo não vai votar em Paulo Souto para o cobiçado Palácio de Ondina.
E aí vem logo a perguntinha sobre a fidelidade partidária, se alguma represália pode acontecer em decorrência do apoio do alcaide a um candidato – Jaques Wagner (PT) ou Geddel (PMDB) – de outro partido.
Não vai acontecer nada. Nada mesmo. Salvo se Souto ganhar a eleição e, como consequência, não mandar um só centavo para os dois últimos anos do governo do Capitão, assim como fez o então governador César Borges com o então prefeito Geraldo Simões.
Em relação ao Parlamento federal, o nome mais cotado para receber o disputado apoio do prefeito, é o de Luiz Argôlo, do PP do ex-prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro, que sonha com o cargo de secretário de Estado em um eventual segundo mandato de Wagner.
O apoio do prefeito Azevedo a Luiz Argôlo, que não tem nenhum vínculo com o sul da Bahia, em que pese seu esforço para trazer verbas federais para o município, abre a porta para que o democrata escolha um deputado estadual da Região, mais especificamente de Itabuna.
Não fica bem apoiar dois candidatos – federal e estadual – de fora, como se Itabuna não tivesse nomes dignos e competentes para assumir uma cadeira na Assembleia Legislativa do Estado.
O médico Renato Borges da Costa, do PMDB do ex-ministro Geddel Vieira Lima e presidente do diretório municipal, é o que tem mais chance de receber o importante apoio do prefeito do centenário.
Alguns renatistas, considerados como bem próximos do candidato, defendem até uma contrapartida ao apoio do chefe do Executivo. Ou seja, Renato Costa apoiaria a reeleição do prefeito-capitão na sucessão de 2012.
Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

DATAFOLHA: WAGNER GANHARIA NO 1º TURNO

Tempo de leitura: 2 minutos

Governador tem 44% e adversários, juntos, 38%

Wagner bate Souto e Geddel, juntos, no Datafolha (Foto Google).

A Folha de São Paulo divulgou neste sábado (24) o resultado do mais novo levantamento feito pelo Datafolha sobre a sucessão baiana. Candidato à reeleição, o governador Jaques Wagner ganharia no primeiro turno, segundo o instituto de pesquisa.
O petista aparece com 44% das intenções de voto. O ex-governador Paulo Souto (DEM) pontua com 23% e o ex-ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima (PMDB, tem 12%. Luiz Bassuma (PV) e Professor Carlos (PSTU) têm 1% cada um. Sandro Santa Bárbara (PCB) e Marcos Mendes (PSOL) não pontuaram.
Por meio da sua assessoria de comunicação, Wagner comentou o Datafolha: “Essa notícia muito nos alegra, porque é a 15ª consecutiva que mostra nossa vitória no primeiro turno. Essa pesquisa é uma consolidação do meu trabalho”.
A soma de intençõe de votos de Wagner é seis pontos percentuais superior à de seus adversários: 44% a 38%. Mantendo-se este cenário até 3 de outubro, o governador sai reeleito da peleja eleitoral que começou, oficialmente, no dia 6 de julho.
Os dois principais adversários do governador, Geddel Vieira Lima e Paulo Souto, não comentaram a pesquisa Datafolha. 13% dos eleitores não opinaram e 6% disseram que vão votar em nulo ou branco.
O levantamento foi aplicado de 20 a 23 de julho. Foram ouvidos 1.086 eleitores. A margem de erro é de 3 pontos percentuais.
Wagner consegue obter seus melhores índices de intenções de voto entre os mais ricos e mais jovens, conforme o instituto de pesquisa.
Entre os que recebem acima de cinco salários, Wagner tem 58%, ante 16 de Souto e 7% de Geddel. O percentual entre os mais jovens (faixa dos 16 a 24 anos) é de 53% para o petista, 19% para o democrata e 12% pro peemedebista.
Wagner recua, no entanto, na faixa daqueles que recebem abaixo de dois salários mínimos. Aí o placar fica 42% para JW e 24% para Souto.  Geddel alcança 12%. O petista é também favorecido pela menor rejeição: 16% contra 30% de Souto e 20% de Geddel.
SENADO
O Datafolha deve divulgar, ainda, o levantamento para o Senado Federal pela Bahia e a avaliação dos soteropolitanos em relação ao governo do prefeito João Henrique (PMDB), de Salvador.

Back To Top