skip to Main Content
6 de agosto de 2020 | 09:28 pm

ROBERTO SAI MAGOADO DA DIFUSORA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Roberto disse que saiu da Difusora por questões políticas

O vereador e radialista Roberto de Souza foi desbancado de seu horário (12 às 13h) na Rádio Difusora, onde apresentava de segunda a sexta-feira o programa Resenha da Cidade. A mesma atração vai ao ar aos sábados, na Rádio Jornal, e foi nesta emissora que Roberto se queixou da dispensa, alegando que saiu da Difusora em função de questões políticas.
O vereador estava se referindo ao seu apoio ao prefeito de Itabuna, José Nilton Azevedo (DEM), já que a rádio agora “tem forte influência” do deputado federal Geraldo Simões (PT). O Resenha da Cidade dará lugar a um programa apresentado pelo radialista Gerdan Rosário, que vai preencher o horário das 12 às 14 horas.
Em seu desabafo na Jornal, Roberto de Souza ironizou o fato de Rosário ter sido “desmoralizado” por Geraldo Simões em 2003, quando o então prefeito de Itabuna teria dito que o radialista o atacava porque ele não lhe dava dinheiro.

NA DIFUSORA, GERALDO ATACA AZEVEDO E DIZ QUE ROMBO NAS CONTAS DA PREFEITURA É DE R$ 100 MILHÕES

Tempo de leitura: 2 minutos

Geraldo acusa Azevedo.

O deputado federal Geraldo Simões concedeu quase uma hora de entrevista a Cacá Ferreira, na Rádio Difusora de Itabuna AM, e não economizou críticas ao prefeito Capitão Azevedo (DEM). Segundo o parlamentar, Azevedo deixou rombo de R$ 100 milhões em dívidas a pagar entre 2011 e 2012.
Geraldo disse que o prefeito gerou essa dívida sem, ao menos, ter feito obras com recursos próprios e que as executadas no município são oriundas de verbas federais e estaduais. “O mais difícil (para o próximo gestor) vai ser consertar, tapar o buraco que está lá na prefeitura”, aponta.
O parlamentar também citou o descontrole com folha de pagamento ao lembrar que 75% das receitas vêm sendo gastos com pessoal, quando o máximo permitido por lei é 54%. “O pior [da gestão] não é o buraco nas ruas, não é o posto de saúde que não funciona, não é o hospital de Base. O pior são as coisas internas [da prefeitura]”.
Geraldo apresentou dados que, para ele, confirmariam a tese de que tudo que está sendo feito em Itabuna é por causa dos governos federal e estadual. “São R$ 163.039.973,33, dinheiro que está na mão do prefeito. Uma parte ele já gastou e outra parte tá vindo. Não tem obra que o prefeito termine. Isso com dinheiro das [gestões] de Lula, Dilma e Wagner. É tudo mal aplicado”.
A entrevista marcou a “estreia” do deputado na rádio Difusora. Nos 22 anos de mandatos eletivos, Geraldo nunca pisou no estúdio da emissora, que pertencia ao seu maior (ex-) adversário político, Fernando Gomes. A rádio foi adquirida em fevereiro pelo empresário João Lourenço Botti, ligado ao deputado.

GERALDO: “JUÇARA É A CANDIDATA"

Tempo de leitura: < 1 minuto

Geraldo Simões  aproveitou o início da entrevista a Cacá Ferreira, para fazer afago no PCdoB. Lembrou que o partido o atrapalhou em 1996, quando manteve a candidatura de Davidson Magalhães e impediu a vitória de Renato Costa, mas ajudou em 2000, quando foi eleito para o segundo mandato como prefeito, e nas campanhas de 2004 e 2008, indicando os vices Conceição Benigno e Luís Sena, respectivamente.
O parlamentar não acredita, por enquanto, que o PCdoB vá abrir mão da candidatura a prefeito. “Devemos procurar novos caminhos. Se lá na frente, em junho, melhorar a relação, nós nos juntaremos”, afirmou, mas sem dizer se o PT abriria mão da cabeça de chapa. O PCdoB começa a definir, hoje, às 16h, na Câmara de Vereadores, quem será o pré-candidato a prefeito do partido, se Wenceslau Júnior ou Davidson Magalhães.
O deputado disse não ter dúvidas de que sua esposa, Juçara Feitosa, será o nome do PT na sucessão itabunense. “A candidata é Juçara”, afirmou ao radialista Cacá Ferreira, que estreou nesta semana na Rádio Difusora após quatro convites da direção da emissora. Geraldo disse que era essa a dúvida em 2008, mas a esposa foi a candidata, que, segundo ele, “não ganhou por conta das circunstâncias”.

EDNEI TOMA POSSE. HUGHES E SIMÕES CONTINUAM

Tempo de leitura: < 1 minuto

Ednei Mendonça é o novo secretário de Governo de Ilhéus (foto Clodoaldo Ribeiro)

Os secretários ilheenses da Administração, Fernando Hughes, e da Saúde, Alexandre Simões, desistiram de abandonar suas pastas. Como fazem parte do mesmo grupo do ex-titular da Secretaria de Governo, Alisson Mendonça, os dois iriam seguir o mesmo caminho do companheiro, ou seja, entregariam os cargos ao prefeito Newton Lima. Segundo o Jornal Bahia Online, o desembarque foi abortado pelo deputado estadual Rosemberg Pinto, que operou para evitar o agravamento da crise interna no PT e acabou deixando Alisson “sozinho na buraqueira”.
Quem tomou posse hoje pela manhã na Secretaria de Governo, conforme estava previsto, foi o professor Ednei Mendonça, do grupo do deputado federal Josias Gomes.  Nos bastidores palacianos, houve uma queda-de-braço entre o grupo de Josias e o de Geraldo Simões pela Secretaria de Governo. Alisson queria voltar para a Câmara de Vereadores e emplacar Fernando Hughes na pasta; Josias trabalhou para colocar Ednei no cargo e acabou emplacando sua indicação.

DE BEM COM GERALDO

Tempo de leitura: < 1 minuto

Gerdan Rosário leva sua marreta para a Difusora

Um dos momentos mais lembrados na história de Gerdan Rosário como comunicador foi um bate-boca com o então prefeito de Itabuna Geraldo Simões, lá pelos idos de 2003, quando Gerdan, conhecido como “o homem da marreta”, apresentava um programa na TV Cabrália.
Numa entrevista ao vivo, o apresentador provocou com agressividade e Geraldo revidou na mesma linha, tipo “do pescoço pra baixo é canela”. A coisa chegou ao ponto de assessores do prefeito, que acompanhavam tudo no estúdio, irem pra cima de Gerdan e quase o negócio descambava para as vias de fato. Tudo ao vivo, para deleite do público apreciador do bom e velho “barraco”.
Pois bem, o tempo passou e os dois personagens principais daquele MMA verbal na Cabrália já voltaram às boas. Tanto que Gerdan está sendo contratado pela rádio Difusora AM – onde Geraldo, por assim dizer, exerce “forte influência” – para comandar um programa no horário das 12 às 14 horas.
E tome-lhe marreta!

ALISSON VAI ROMPER COM NEWTON LIMA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Vereador diz que fez acordo com Newton, mas quem governa é Bahia

O secretário de Governo de Ilhéus, Alisson Mendonça, disse há pouco ao PIMENTA que entregará nesta quarta-feira, 29, seu pedido de exoneração ao prefeito Newton Lima. Afirmou também que está rompendo politicamente com o governo, alegando que entrou na administração por acordo com Newton, mas quem governa de fato o município é o secretário de Finanças, Jorge Bahia.
No domingo, 26, Alisson estava no mesmo palanque de Newton no distrito de Inema, onde o prefeito inaugurou a pavimentação de uma rua. No evento, o gestor declarou que o secretário estaria entre os três possíveis pré-candidatos a prefeito de Ilhéus pelo PT. Os outros seriam a vereadora Carmelita Ângela e o deputado federal Josias Gomes, que também estavam no distrito.
O anúncio de Newton é visto como parte de um plano que pretende levar a vereadora Carmelita a ser a vice numa chapa encabeçada por Jabes Ribeiro (PP). Essa pelo menos é a tese do grupo de Alisson, ligado ao deputado federal Geraldo Simões.
Um detalhe nessa briga é que hoje à tarde o suplente de Alisson Mendonça na Câmara, Rafael Benevides, tomou posse no mandato. Ele vinha protestando porque o presidente do legislativo, Dinho Gás, não supria a vaga deixada pelo titular. O presidente finalmente o fez, mas a alegria de Benevides vai durar pouco.

PT (É CLARO) SE DIVIDE NA SUCESSÃO DE NEWTON LIMA

Tempo de leitura: 2 minutos

Pouco importa que o prefeito de Ilhéus, Newton Lima (PT), tenha proclamado que o seu candidato à sucessão será pinçado da “lista tríplice” formada pelo deputado federal Josias Gomes, o secretário de Governo Alisson Mendonça e a vereadora Carmelita Ângela (confira). O fato é que nada está certo e o ninho petista em Ilhéus se encontra no mais completo alvoroço.
Em disputa, as correntes ligadas a Josias Gomes, de um lado, e ao também deputado Geraldo Simões, do outro. Até aí, nenhuma novidade. Porém, novo mesmo é que o grupo de Geraldo vislumbra artimanhas do arco da velha na proclamação de Inema.
A interpretação do grupo geraldista é de que a lista tríplice é cortina de fumaça e faz parte de uma estratégia pela qual o nome petista para a sucessão será o da vereadora Carmelita. Mas não para a cabeça de chapa e sim para (aí vem bomba!) ser a vice de Jabes Ribeiro (PP).
“Mas como?”, perguntarão petistas espantados, principalmente porque Ribeiro tem dito cobras e lagartos da companheirada e afirmado que os vê quase como leprosos com os quais não arriscaria sequer um cumprimento, quanto mais uma chapa. Além de tudo, o artífice da manobra, Josias Gomes, enfrentaria resistências em seu próprio grupo para emplacar o apoio.
Como em política até o impossível é relativo, os petistas ortodoxos (se é que ainda existem) que se cuidem. Geraldo Simões, que é pós-graduado nessas tretas, já tomou as providências dele. Diz que seu grupo mantém o nome de Alisson Mendonça e ainda apresenta novamente o empresário Nilton Cruz, que caminhava para fora do páreo.
A briga vai ser feia!

ROTA DE COLISÃO

Tempo de leitura: < 1 minuto

O deputado Geraldo Simões está na iminência de enfrentar uma situação inusitada no PT itabunense. É que a presidente do diretório local, Miralva Moitinho, já disse a várias pessoas que está rompida com o parlamentar e não pretende voltar a ser aliada de Geraldo. Ou seja, o deputado poderá ter contra si, em um ano eleitoral, a presidente do diretório que ele tem comandado há muitos anos.
Foi o deputado quem levou a professora à presidência do PT, assim como foi ele também quem a indicou para a direção da Direc 7, cargo do qual Miralva se viu exonerada no final de janeiro. Magoada, ela fala até em se apresentar como pré-candidata a prefeita.
A ex-diretora da Direc reuniu-se no último sábado, 18, com o deputado federal Josias Gomes, mas ainda não definiu se vai se juntar ao seu grupo, que se contrapõe a Geraldo dentro do PT. A decisão deverá ser tomada no próximo sábado, 25.

A EXONERAÇÃO "DOEU"

Tempo de leitura: < 1 minuto

Josias ofereceu o ombro para Miralva chorar

Quando perguntado sobre o estado de espírito da ex-diretora da Direc 7, Miralva Moitinho, pós-exoneração, o deputado federal Geraldo Simões (PT) diz que a correligionária, que é presidente do PT em Itabuna, “acusou o golpe”. Em outras palavras, significa que Miralva está magoada e ressentida com a saída da Direc, apesar da explicação de Geraldo de que havia incompatibilidade entre o cargo no órgão da educação e a presidência do diretório do partido.
Como a tal incompatibilidade só foi percebida após longo tempo de Miralva acumulando os dois cargos, o argumento não foi bem assimilado pela professora, que não age como “bom cabrito”, aquele que não berra.
Nos bastidores petistas, Miralva se associa a um grupo que se opõe a Geraldo Simões, com estímulo, apoio e entusiasmo do deputado Josias Gomes, também do PT. Amanhã (18), em pleno carnaval, Miralva e Josias estarão de pierrô e colombina num encontro para alinhavar estratégias.
Do que é capaz um coração magoado…

STF CONFIRMA VALIDADE DA "FICHA LIMPA" EM 2012

Tempo de leitura: 2 minutos

A maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) votou favorável à aplicação da Lei Ficha Limpa em 2012. Por enquanto, o placar está 6 a 1 e faltam apenas os votos de quatro dos 11 ministros do Supremo.
A votação havia sido suspensa ontem (15), quando o placar marcava 4 a 1 pela validade aplicação da lei nestas eleições. A Ficha Limpa torna inelegível, por oito anos, todo político condenado por órgão colegiado (tribunais de contas, por exemplo, em julgamentos confirmados pelas câmaras municipais). Até agora, somente o ministro Dias Toffoli votou parcialmente contrário à validade da Ficha Limpa em 2012.

Geraldo e Azevedo: atingidos pela decisão (Montagem Pimenta).

A medida pode deixar fora do páreo, em Itabuna, o prefeito Capitão Azevedo (DEM) e o deputado federal Geraldo Simões (PT). Ambos têm contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) e podem ficar de fora da disputa de outubro. A Câmara de Vereadores precisa votar as contas de 2004 de Geraldo. Azevedo tem duas para serem analisadas pela Casa (2009 e 2010).
Para participar da disputa eleitoral e conseguir tomar posse, o político precisa ter a conta aprovada. Na Câmara, começa a se fortalecer a ideia de que as contas sejam julgadas apenas em novembro, mês subsequente ao período eleitoral. Um grupo de cidadãos planeja pressionar os vereadores locais caso a votação seja protelada para favorecer os dois políticos.
Atualização: As contas do ex-prefeito Geraldo Simões ainda pendentes de julgamento são as do exercício de 2002, mas estas foram aprovadas pelo Tribunal de Contas dos Municípios (confira nota).

Back To Top