skip to Main Content
14 de agosto de 2020 | 05:34 pm

RUI PARA GERALDO: “TÔ PRECISANDO DE SUA AJUDA”

Tempo de leitura: < 1 minuto
Rui fez afago público a Geraldo.

Rui: afago a Geraldo || Reprodução

Após estremecimentos na relação, o governador Rui Costa afagou o ex-deputado e ex-prefeito Geraldo Simões durante esta semana. Na segunda (24), recebeu o petista itabunense, na Governadoria, e conversaram por cerca de três horas.

Ontem (27), durante o lançamento estadual do Projeto Escolas Culturais, o afago foi público:

– Nosso ex-deputado e ex-prefeito de Itabuna, muito obrigado pela sua presença, Geraldo Simões. Quero que você me ajude, viu? Tô precisando de sua ajuda – disse no auditório do Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães.

Os afagos ao ex-deputado ocorrem depois de um “gelo” em junho, quando Rui reservou cinco dias consecutivos de sua agenda para ações no sul da Bahia, inclusive dois dias em Itabuna, e Geraldo não apareceu.

Não se sabe se o chamamento de ontem foi para coordenar campanha majoritária de 2018 no sul da Bahia ou aceno para uma candidatura a deputado – federal ou estadual robusta de Geraldo…

Confira o vídeo abaixo.

O LARANJA DE CUMA E O INADIMPLENTE DA PALAVRA

Tempo de leitura: < 1 minuto
Renato Costa e Geraldo Simões em encontro em 2012, em Itajuípe || Foto Erê

Renato e Geraldo em 2012, em Itajuípe || Foto Erê

A coluna Tempo Presente, d´A Tarde, assinada pelo jornalista Levi Vasconcelos, narra uma tentativa de reaproximação entre Geraldo Simões (PT) e o ex-peemedebista Renato Costa, após as desavenças em 2002. O patrocinador da causa foi o hoje diretor-geral da Ceplac, Juvenal Maynart.

O médico tascou uma frase que até hoje persegue o petista:

– Geraldo Simões é um inadimplente da palavra.

Foi numa entrevista ao Agora, após romper com o petista.

Após a briga dos dois no governo de Geraldo, Renato decidiu concorrer à prefeitura em 2004, pleito em que Geraldo concorria à reeleição.

O médico manteve a candidatura, embora fosse improvável a sua vitória, conforme pesquisas. Isso, na análise do petista, favorecia Fernando Gomes. Geraldo então “acusou” Renato de estar a serviço de “Cuma”. Traduzindo: chamou Renato de laranja de Fernando.

Juvenal conta a Levi como foi a tentativa de reconciliação, seis anos depois.

– Geraldo, eu não tenho a menor condição de ficar com você. Você até já me chamou de laranja! – reagiu Renato.

Diante da recusa do médico e ex-deputado, Juvenal sacou argumento pra amenizar o clima…

– É para compensar o inadimplente da palavra [Renato].

Até Geraldo caiu na gargalhada, conta o colunista…

GERALDO: “A SAÍDA É A RENÚNCIA DE TEMER”

Tempo de leitura: < 1 minuto
Geraldo: eleição indireta não pacifica.

Geraldo: eleição indireta não pacifica o país.

Ex-prefeito de Itabuna e deputado federal por três mandatos, Geraldo Simões engrossa o coro por novas eleições no país, após as revelações de ontem (17). O presidente da República, Michel Temer, de acordo com O Globo, foi pego negociando o silêncio do ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha, também do PMDB.

Diz Geraldo:

– A situação é muito grave. A saída é a renúncia [de Temer]. Eleição indireta não pacifica o país”, diz o petista.

Geraldo, porém enxerga dificuldades em realização de novas eleições, uma de ordem constitucional e outra por causa de jogador no time adversário ao do campo político dele. “É muito difícil. Eles [do campo conservador] estão sem candidato”.

Questionado se João Dória, tucano e prefeito de São Paulo, não seria esse nome, o petista completou: “acho que não”.

“O PT FUNCIONA NA CASA DO EX-PREFEITO”, DIZ JACKSON MOREIRA

Tempo de leitura: 2 minutos
Jackson Moreira disputou comando do PT itabunense.

Jackson Moreira disputou comando do PT itabunense.

Candidato derrotado na disputa pela presidência do diretório do PT de Itabuna, Jackson Moreira defendeu uma união do partido e mudança de postura do principal líder da legenda no município, Geraldo Simões.

– Estamos no firme propósito de participar da direção colegiada, recuperar essa história rica do nosso partido, mas a postura do principal líder municipal da legenda e de um ex-petista e hoje filiado ao PSL não ajuda. Geralmente, o vencedor é magnânimo com o vencido – ensina Jackson em contato com o PIMENTA.

De acordo com o petista, o ex-filiado passou a tripudiar de pessoas que não votaram em Flávio Barreto, seu adversário na disputa interna. “O ex-filiado tripudiava e mandava imagem dizendo para ir chorar no Pé do Caboclo, em Salvador”, indigna-se. Jackson ressalva que a postura de Flávio é diferente (“o presidente se posta com bastante decência, é pessoa solidária, companheira”).

Jackson defende que Geraldo faça uma reavaliação e se reaproxime de nomes como o deputado estadual Rosemberg Pinto, “que hoje é nossa maior liderança regional, buscar o campo e tempo perdidos, conquistar mandato de deputado federal e, quem sabe, voltar à prefeitura em 2020. Mas, para que isso aconteça, não dá para conquistar desse jeito de hoje, tripudiando das pessoas e fazendo jogo de palavras”, afirma.

VOTAÇÃO EM QUEDA

Na opinião de Jackson, o PT itabunense precisa também de uma reavaliação. Dos 3,5 mil filiados, só 2.240 estavam aptos a votar no último domingo (9), segundo ele. “Porém, pouco mais de 470 pessoas foram votar”, acrescentou.

Jackson também observou que o PT já obteve 40 mil votos em Itabuna. “Na última eleição [a prefeito], tivemos apenas para 8 mil”. Segundo ele, “o PT funciona na casa do ex-prefeito”.

DESEMPENHO

Jackson também avaliou seu desempenho na disputa, quando obteve 31% dos votos válidos. “Passamos mais de 40 dias, junto com Geraldo, buscando uma unificação. Sinalizaríamos para a militância a responsabilidade que temos com a cidade e com a reeleição de Rui Costa e a eleição do presidente Lula”, diz. “É injusto o ex-prefeito criticar o nosso governador tendo cargos para as três cunhadas no governo”, alfinetou.

Segundo ele, na véspera do registro das chapas, Geraldo teria comunicado da “impossibilidade de marchar” juntos também na disputa pela Estadual, com Everaldo Anunciação, o que impediu a unidade municipal. “Ele não deu outra alternativa a não ser formar outra chapa”.

SEM MILITÂNCIA

Jackson também afirma que, neste processo eleitoral, não houve participação da militância. “Parte da militância não foi votar, mas filiados do partido. Foi mais votação de cartório. “Cem votos da outra chapa, foram de filiados que moram em Ferradas. Filiados, mas não militantes”.

ITABUNA PERDE A FARMÁCIA POPULAR

Tempo de leitura: < 1 minuto
Itabuna também perde unidade da Farmácia Popular (Foto Pimenta).

Itabuna também perde unidade da Farmácia Popular (Foto Pimenta).

A unidade da Farmácia Popular  de Itabuna foi fechada pelo Ministério  da Saúde. Desde a quarta-feira (8), quem procura a farmácia, depara-se com portas cerradas. Um aviso apenas informa a não abertura naquele dia, o Dia da Mulher. A Farmácia Popular vende medicamentos com até 90% de desconto ou fornece gratuitamente.

Já no final de 2015, o Ministério da Saúde já havia tentado fechar a unidade de Itabuna. À época, alegou problemas estruturais. O estabelecimento federal ficou fechado, temporariamente.

Com a intervenção do então secretário de Saúde de Itabuna, Paulo Bicalho, a farmácia foi reaberta. Para garantir o seu funcionamento, o município promoveu reformas e quitou contas de serviços essenciais que seriam de competência do Governo Federal.

Itabuna foi um dos primeiros municípios do Brasil a contar com unidade da Farmácia Popular. O estabelecimento começou a funcionar em 2004, atraído pelo então prefeito Geraldo Simões e Paulo Bicalho, que comandava a Saúde também naquele período.

Pelo menos 20 unidades da Farmácia Popular foram fechadas na Bahia nos últimos dois anos. Agora, o Ministério da Saúde informa que a reabertura dependerá das prefeituras. O PIMENTA ligou para o secretário de Saúde de Itabuna, Vitor Lavinsky pela manhã. Ele informou que não poderia atender naquele momento. Não houve retorno da ligação.

CONVERSA COM OTTO

Tempo de leitura: < 1 minuto

marco wense1Marco Wense

 

O senador Otto Alencar já conhece o colega Mangabeira. Ficou alegre com sua excelente votação na última sucessão municipal, deixando para trás nomes como os do capitão Azevedo, Geraldo Simões, Davidson Magalhães e Augusto Castro.

 

Depois do carnaval, logo na primeira quinzena de março, o PDT de Itabuna, sob o comando do Dr. Antônio Mangabeira, vai marcar um encontro com o senador Otto Alencar (PSD).

Os dois médicos podem até falar um pouco sobre saúde, principalmente a pública, mas, com certeza, a conversa principal vai ser sobre política e, mais especificamente, sobre a eleição de 2018.

O diretório municipal vê com simpatia a sua pré-candidatura ao Palácio de Ondina, mesmo achando que ainda é cedo para qualquer tomada de decisão por parte do parlamentar.

Com efeito, o senador Otto Alencar já conhece o colega Mangabeira. Ficou alegre com sua excelente votação na última sucessão municipal, deixando para trás nomes como os do Capitão Azevedo, Geraldo Simões, Davidson Magalhães e Augusto Castro.

É bom lembrar que o então candidato do PDT não fez coligação com nenhum partido e só desfrutou de 23 segundos no horário eleitoral. Nem o vice apareceu na telinha.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

MANGABEIRA

Tempo de leitura: 2 minutos

marco wense1Marco Wense

 

Não sei por que tanto espanto com o secretariado de Fernando Gomes. Ora, FG desafiou e venceu a Lei da Ficha Limpa, pelo menos no TRE. Agora vai peitar o Ministério Público em relação ao nepotismo. Qual é a novidade?

 

Depois de uma campanha assentada na ética, sem a preocupação de ganhar de qualquer jeito, sendo referência do PDT em todo país, o médico Antônio França Mangabeira não quer disputar uma cadeira na Assembleia Legislativa do Estado.

Membros do diretório municipal, na última reunião do partido, animados com a expressiva votação do então candidato a prefeito, defenderam o nome do doutor para concorrer a uma vaga no Parlamento estadual.

O pedetista, que não fez coligação com nenhum partido, teve quase 19 mil votos, dando poeira em figuras carimbadas da política de Itabuna, como Davidson Magalhães, Augusto Castro e os ex-prefeitos Geraldo Simões e José Nilton Azevedo.

Sem prometer nada, com um tempo de televisão de 23 segundos, com o slogan de campanha “Nossa Coligação é Com Você”, Mangabeira se transforma em uma grande liderança de Itabuna. Sem dúvida, o opositor-mor do governo FG. Antônio França Mangabeira faz parte da banda da política que ainda não apodreceu.

Para o militante Nilson Oliveira, mais conhecido como Nilson da Vendamax, a candidatura de Mangabeira “é uma boa opção para fortalecer a nossa desnutrida representação política”.

MESMA COISA

Francamente, como diria o saudoso e inesquecível Leonel Brizola, não sei por que tanto espanto com o secretariado de Fernando Gomes. Ora, FG desafiou e venceu a Lei da Ficha Limpa, pelo menos no TRE. Agora vai peitar o Ministério Público em relação ao nepotismo. Qual é a novidade? Fernando continua o Fernando de sempre, aquele Fernando de priscas eras. O seu eleitorado também.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

GERALDO: “REAFIRMO MINHA FÉ EM ITABUNA”

Tempo de leitura: < 1 minuto

geraldosimoes3Geraldo Simões foi o primeiro dos candidatos a prefeito de Itabuna a se pronunciar, oficialmente, quanto ao resultado das eleições. Por meio das redes sociais, ainda ontem (2), agradeceu a votação obtida e, também, ao PT e ao PSL.

Prefeito de Itabuna por dois mandatos, ele também se comprometeu a continuar trabalhando por Itabuna. “Reafirmo minha fé em nosso município, na força de nosso povo”. Abaixo, a íntegra da mensagem.

Num momento em que o país vive um quadro de descrença na política e nos políticos, quero agradecer aos milhares de amigos e amigas que acreditaram em nossas propostas e nos honraram com seu voto. Agradeço ao Partido dos Trabalhadores e ao PSL, que formaram nossa coligação, e reafirmo minha fé em nosso município, na força de nosso povo. Vamos fazer o que sempre fizemos: trabalharemos por Itabuna onde quer que estejamos.

ROLANDO UM CLIMA

Tempo de leitura: < 1 minuto

GeraldoazevedofichasujasDois ex-prefeitos de Itabuna têm conversado com vistas a uma possível e inusitada aliança política. Os diálogos envolvem ninguém menos que o petista Geraldo Simões e o petebista Capitão Azevedo, que veem na dobradinha uma boa estratégia para surpreender nas eleições.

Nesta segunda-feira (13), dia do “santo casamenteiro”, o Capitão foi visto na Ceplac, onde Simões trabalha. Como se dizia antigamente, foi fazer a corte.

Para o namoro virar casamento, além de rezar para Santo Antônio, será preciso vencer um obstáculo: o PTB baiano é fortemente influenciado pelo prefeito de Salvador, ACM Neto, do DEM.

ACM NETO E A “GUERRA DE SELFIES” EM ITABUNA

Tempo de leitura: < 1 minuto
Fernando aparece com Neto e ACM em disputa de "selfies" com Augusto.

Fernando aparece com Neto e ACM em disputa de “selfies” com Augusto.

Os prefeituráveis itabunenses Augusto Castro (PSDB) e Fernando Gomes (DEM) travam um duelo particular para ver quem melhor aparece na foto com o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM).

Após Fernando Gomes fazer andança por Salvador, onde participou de inaugurações ao lado de Neto, Augusto e sua trupe não tardaram a colar no prefeito da capital baiana.

Em grupos de WhatsApp de política grapiúna, o que se vê é uma guerra de imagens de seguidores de ambos para mostrar quem mais grudado no sovaco do gestor soteropolitano.

Para mostrar que Zé de Cuma é “da casa”, fernandistas recorreram ao passado. Postaram foto do ex-prefeito itabunense abraçado com o finando ACM. Castristas dizem que o tucano é amigo de Neto. A tréplica fernandista recorre ao partido do prefeito “da Bahia” e de FG: o DEM.

Com a guerra dos aliados da base oposicionista em Itabuna, também veio o questionamento quanto à possibilidade real de Fernando Gomes disputar a prefeitura. Duas pesquisas feitas em maio mostram Fernando liderando a disputa. Porém, Augusto aparece colado e em um cenário em que Geraldo Simões (PT) e Capitão Azevedo (PTB) aparecem mais atrás.

Back To Top