skip to Main Content
25 de outubro de 2020 | 09:51 pm

FINAL FELIZ PARA DONA EDNA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Cinco anos de tentativas depois, finalmente o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) reconheceu o direito de dona Edna Oliveira Melo, 48 anos, à aposentadoria (na verdade, Benefício de Prestação Continuada). Dona Edna tem úlcera crônica na perna e hoje passou por mais uma perícia do INSS em Itabuna.

Foram várias.

Em cada uma delas, um sonho seguido de frustração. Hoje foi diferente. Desta vez, o perito atestou a incapacidade da senhora que sobrevive (?) com apenas R$ 100,00 por mês, dinheiro conseguido – com muito sacrifício – com a venda de papelão e outros materiais recicláveis.

Dona Edna passou pela perícia há pouco. O INSS já forneceu à catadora de papel nome do banco e a agência onde receberá, todo mês, o seu benefício previdenciário. Quem acompanha o Diário Bahia e o Pimenta, conheceu a realidade desta mulher em narrativas emocionantes (o jornalismo cidadão está aí para cumprir o seu papel) da repórter Celina Santos.

Finalmente, reconheceram as dificuldades de dona Edna e, melhor que isso, o seu direito ao benefício. O dinheiro não é grande coisa se comparado à realidade de tantos outros, mas para a catadora de papel e mulher com M assim, maiúsculo, dará a segurança necessária para a compra de remédio e uma vida um pouco mais tranquila – ou menos sofrida.

Atualizado às 12h42min 10/09

NOVO CAPÍTULO DA NOVELA REAL “DONA EDNA”

Tempo de leitura: 2 minutos
.

Será desta vez, Dona Edna? Só o deus INSS nos dirá...

Você se lembra da história de Edna Oliveira Melo, a mulher de 48 anos que tem uma úlcera crônica na perna e tenta, desde 2004, um amparo do INSS? Pois é. Nesta quarta-feira (9), ela se submeterá a mais uma perícia médica no INSS, às 11h40min.

Desta vez, Dona Edna passou por uma assistente social do próprio INSS, profissional que elaborou relatório atestando a condição socio-econômica da mulher. Ela sobrevive com menos de R$ 100,00 por mês, dinheiro obtido com a venda de material reciclável.

Ultimamente, porém, pouco tem se deslocado para procurar o material. Motivo: O médico que a está acompanhando (voluntariamente, é bom frisar), Dr. Rebouças, foi taxativo ao dizer que ela precisa de repouso para conseguir uma melhora no seu quadro.

O laudo de Dr. Rebouças, atestando a incapacidade de Dona Edna para o trabalho, está anexado à documentação que ela apresenta ao INSS, assim como o parecer da Secretaria de Assistência Social de Itabuna, setor que já lhe concedeu, inclusive, o direito à gratuidade no transporte, por considerá-la deficiente.

Com tantas provas em mãos, resta agora saber se o perito terá bom senso e concederá ou não o direto a um amparo da Seguridade Social. Esse benefício, aliás, é crucial para que Dona Edna compre os remédios que podem lhe garantir dias sem dor e o tão esperado alívio após tantos anos de enfermidade.

Confira o drama de Dona Edna aqui e aqui.

Back To Top