skip to Main Content
8 de março de 2021 | 09:31 am

PRESIDENTE DA CÂMARA SUGERE CRIAÇÃO DE AUXÍLIO EMERGENCIAL EM ILHÉUS

Jerbson sugere criação de auxílio emergencial ilheense
Tempo de leitura: < 1 minuto

O presidente da Câmara de Vereadores de Ilhéus, Jerbson Moraes (PSD), defendeu a criação, em caráter de urgência, de uma versão municipal do Auxílio Emergencial. “Não dá para pedir a população para ficar em casa, sem que ela tenha o que comer. Não é auxilio pra você ver pessoas comprando celular”, disse Jerbson.

O vereador espera agendar, para a próxima semana, encontro com o prefeito Mário Alexandre e secretários em busca de caminhos que assegurem o auxílio municipal. Jerbson não falou em critérios nem valores do auxílio.

O presidente da Câmara, hoje tido como o nome preferido para a sucessão de Marão em 2024, disse que, para ter segurança jurídica, o projeto do auxílio deve partir do Poder Executivo, cabendo à Câmara a análise e votação da proposta.

O debate deverá envolver as secretarias municipais de Gestão e Inovação Tecnológica e de Desenvolvimento Social para identificar possível origem de recursos e para quem o auxílio poderá ser destinado, segundo Jerbson.

Na sua proposta, o presidente do Legislativo diz que o valor só poderá ser destinado para a compra de alimentos, com a comunidade beneficiada comprando no próprio bairro onde reside e movimentando a economia local.

SEGURANÇA ALIMENTAR

O presidente da Câmara lembra que ações como o kit escolar, promovidas pelo estado e pelo município na fase inicial da pandemia, foram importantes para garantir a sobrevivência alimentar de milhares de famílias carentes em Ilhéus.

– Esta nova proposta é questão de urgência. Corta de algum outro lugar, mas o povo não pode passar fome. Para criar o Auxílio Emergencial Municipal são necessárias soluções fiscais que garantam a responsabilidade social – ressalta.

ILHÉUS: VEREADORES ANALISAM REGIMENTO E LEI ORGÂNICA ANTES DE SESSÃO DE ABERTURA

Vereadores ilheenses discutem regimento e LOM antes de sessão de abertura dos trabalhos
Tempo de leitura: < 1 minuto

A presidência da Câmara Municipal de Ilhéus reuniu os 21 vereadores para apresentar aos parlamentares detalhes do funcionamento do Regimento Interno da Casa e da Lei Orgânica do Município (LOM). Segundo o presidente da Casa, Jerbson Moraes, há necessidade de mostrar aos novos vereadores a busca por gestão aberta “às mudanças que representem a valorização do Poder Legislativo e ao entendimento entre os seus pares” e atitudes para ajudar ao bom funcionamento da Câmara.

O presidente explicou como será a primeira sessão, que contará com a participação do prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, Marão (PSD), às 16h desta terça (2). Reeleito para mais quatro anos no comando administrativo da cidade, o prefeito vai apresentar mensagem contendo um diagnóstico econômico e social da cidade e quais os planos para o exercício de 2021. Na quarta, os vereadores iniciarão a eleição para a escolha dos membros das Comissões Técnicas da Casa.

GOVERNISTAS E OPOSIÇÃO

Durante o encontro desta segunda (1º), foi oficializado o grupo da base governista, de apoio ao prefeito Mário Alexandre, composto por seis partidos presentes – PSD, PSB, PV, PSL, Podemos e Republicanos -, além do bloco parlamentar PT/PCdoB, com três vereadores, e as siglas que se posicionaram na condição de independentes – DEM, PTB e PSDB.

Com medidas de segurança sanitária impostas pelo Covid-19, o acesso ao público será limitado a 50 pessoas no plenário Gilberto Fialho. As sessões de terça e quarta-feiras serão transmitidas online, pelas páginas das redes sociais da Câmara (Instagram e Youtube). Os links serão disponibilizados amanhã (3), por volta do meio-dia.

O NOME DELA É…

Tempo de leitura: < 1 minuto

Jerbson e Jeniffer, futura superintendente de Cultura

Guindado pelo prefeito Mário Alexandre ao posto de secretário de Desenvolvimento Econômico, Meio Ambiente e Urbanismo, o vereador licenciado Jerbson Moraes deverá reforçar o orçamento familiar com a nomeação da esposa, Jeniffer de Jesus, como superintendente de Cultura de Ilhéus. É o que noticia o bem informado Blog do Gusmão.

Jeniffer já desempenhava função na Secretaria de Cultura – pasta extinta pelo prefeito neste mês, transformando-a em apêndice do Turismo. No antigo cargo, Jeniffer recebia R$ 3.800,00. Com a mudança, terá upgrade duplo: de cargo e bufunfa, que saltará para R$ 8.000,00.

Há quem queira melar o acordado. Sem entrar no mérito da qualificação da jovem para o cargo, sabe-se que há resistências, entre os vereadores, à promoção da família. Porém, Marão já bateu o martelo, segundo o site. Aguarda-se a nomeação de Jeniffer no Diário Oficial para os próximos dias.

MARÃO ENFRENTA REBELDIA NA BASE

Tempo de leitura: 2 minutos

Lukas, de roupa clara, é entrevistado por Robertinho Scarpita e Marinho Santos (de boné).

Ilhéus começa a assistir à reprise de novela já rodada em Itabuna nesta semana. Vereadores insatisfeitos na relação com o prefeito começam a se rebelar. Ou, como diriam, fazer críticas construtivas. Em Itabuna, 13 vereadores revogaram decreto de aumento da passagem de ônibus. Na vizinha cidade, pelo menos um dos vereadores, Jerbson Moraes (PSD), do mesmo partido do prefeito, já cogita a possibilidade de colocar o decreto que reajustou a passagem para R$ 3,50.
Desde ontem (5), o presidente da Câmara de Ilhéus, Lukas Paiva (PSD), intensificou as críticas à gestão do prefeito Mário Alexandre (PSD). Com razão, bateu na qualidade de serviços como iluminação pública e coleta de lixo.
– Acho que desde o início do governo a cidade está com aspecto sujo, e a limpeza pública está deixando a desejar. Com a iluminação pública, a situação é igual – disse Lukas em entrevista ao Tropa de Elite, programa que vai ao ar na Rádio Bahiana.
Para Lukas Paixa, o governo de Marão precisa ouvir – e atender – mais os vereadores. “Sei que nem tudo pode ser atendido, sei das limitações do governo, mas o vereador é o político mais próximo do povo, e precisa ter suas reivindicações em prol do povo atendidas”.
Na cidade administrada pelo prefeito Fernando Gomes, a pedida dos vereadores era por mais cargos – pelo menos, a julgar pela fala do gestor. Quanto a Ilhéus, ainda não se tem claramente os motivos da rebeldia na base.

Back To Top