skip to Main Content
8 de julho de 2020 | 02:31 am

DE MÃOS DADAS

Tempo de leitura: 2 minutos

Marco Wense
O ex-prefeito Fernando Gomes, o comprador João Botti e o deputado federal Geraldo Simões. Sem dúvida, os principais protagonistas da transação comercial envolvendo a Rádio Difusora.
Nilton Cruz, presidente da ACI de Ilhéus, e Tiago Feitosa, filho do parlamentar, ficam como coadjuvantes. Raimundo Vieira foi o articulador, o articulador-mor da inusitada aproximação dos ex-prefeitos, que agora são aliados na sucessão de 2012.
PS – A coordenação política da nova Rádio Difusora vai ficar sob a batuta dos jornalistas Eduardo Anunciação e Daniel Thame, profissionais de inteira confiança do deputado Geraldo Simões.
COMENTE JÁ! »

BOATOS

Com a proximidade do dia da eleição, os boatos, que são inerentes ao processo eleitoral, vão crescer em projeção geométrica.
O último é que Tom Ribeiro, do programa Alerta Total, na telinha da TV Cabrália, teria sido convidado para ser o vice na chapa encabeçada pela petista Juçara Feitosa.
Tom é filiado ao PRB, o mesmo partido do prefeiturável Claudevane Leite, o vereador Vane do Renascer. Na política, existe o boato e o “boato”.  Com e sem aspas.
COMENTE JÁ! »

AZEVEDO, CASTRO E SANTANA

Na medida em que o deputado Geraldo Simões se aproxima de Fernando Gomes, o prefeito José Nilton Azevedo fica cada vez mais refém dos deputados estaduais Augusto Castro (PSDB) e do coronel Santana (PTN).
Uma coligação com o PMDB do médico Renato Costa passa a ser imprescindível para o projeto de reeleição do demista. O PSDB continua firme com a pré-candidatura de Ronald Kalid.
Santana e Castro vão pedir o céu ao chefe do Executivo. O céu tem que ser de brigadeiro. Nada de nuvens cinzentas.
Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

"A CRUZ QUE EU CARREGO"

Tempo de leitura: < 1 minuto

Logo em seguida ao programa “Na Boca do Povo”, em que Fernando Gomes anunciou a venda da rádio Difusora ao empresário João Lourenço Botti, a presidente local do DEM, Maria Alice Pereira, abriu a atração que comanda na mesma emissora tendo como fundo musical a música “A cruz que eu carrego”, antigo sucesso do saudoso Evaldo Braga.
A overdose de melancolia foi percebida pelo jornalista Daniel Thame, que registrou em seu blog a tristeza de Alice. Clique aqui para conferir.

Back To Top