skip to Main Content
3 de julho de 2020 | 12:09 pm

PORQUE MARIANA PODE CAIR

Tempo de leitura: < 1 minuto

Mariana Alcântara, secretária de Administração de Itabuna, pode deixar a Pasta, mas não será, necessariamente, porque decidiu viajar aos Estados Unidos em pleno período eleitoral.
O prefeito Claudevane Leite autorizou as férias da secretária, mesmo estando num dos momentos mais difíceis para o município no seu relacionamento com o servidor municipal.
Mariana pode cair porque a mãe dela, Leninha Alcântara, se cacifou, eleitoralmente, com o grupo de ACM Neto e pode ingressar no DEM – ou o que restar dele. Leninha surpreendeu ao dar 3.392 votos a Joceval Rodrigues na campanha a deputado federal e caiu nas graças do candidato e do prefeito de Salvador.
Ou seja, se Leninha for para o DEM, Mariana cai.

O SONHO DELAS

Tempo de leitura: 2 minutos

Acácia, Leninha e Juçara: quem terá fólego até o sprint final?

A eleição de 2012 já é a que tem o maior número de pré-candidatas ao cargo de prefeita de Itabuna. Até aqui, são duas veteranas e uma caloura. Acácia Pinho, hoje no PDT, lançou-se em 2008 pelo PRB, mas acabou coligando com o PMDB e tornando-se vice de Capitão Fábio. A chapa não foi até o fim. Fábio, como todos lembram, desistiu da disputa em apoio a Juçara Feitosa (PT).
A petista tentará novamente a principal cadeira do Centro Administrativo Firmino Alves. É a pré-candidata do partido, embora muitos desconfiem que o esposo, deputado Geraldo Simões, seja o nome da “estrelinha” na peleja de 2012. A caloura é Leninha Alcântara (PMDB). Ela venceu disputa interna com Maruse Xavier, Ruy Côrrea e Edmilton Carneiro, tornando-se o nome peemedebista da pré-campanha.
Os perfis – Leninha é empresária e esposa de Anísio Alcântara, falecido em 11 de janeiro de 2009 e então presidente do PPS. Juçara Feitosa é suplente da senadora Lídice da Mata (PSB), e ex-secretária de Desenvolvimento Social de Itabuna, entre 2001 e 2004. Acácia Pinho, professora e empresária, já foi pró-reitora da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) e secretária de Administração de Itabuna no último governo do ex-prefeito Fernando Gomes.
As três terão fôlego para a disputa? Do outro lado, elas poderão enfrentar nomes como o prefeito e candidato à reeleição, Capitão Azevedo (DEM), e os vereadores Vane do Renascer (PRB) e Wenceslau Júnior (PCdoB). Vane, Wenceslau e Acácia integram uma frente e há acordo para que seja candidato o nome que aparecer melhor na disputa em junho, conforme pesquisa. Mas política é política…

AS MULHERES

Tempo de leitura: 2 minutos

Marco Wense

 Todas elas já mostraram que são competentes, seja na vida pública ou na iniciativa privada.

Que digam tudo das mulheres que pretendem disputar a prefeitura de Itabuna: que são vaidosas, se vestem mal, não tem carisma, densidade eleitoral ou qualquer coisa. Quem tem boca fala o que quer.
Mas não digam que essas mulheres não seriam boas prefeitas. Todas elas já mostraram que são competentes, seja na vida pública ou na iniciativa privada.
Juçara Feitosa fez um bom trabalho como secretaria de Desenvolvimento Social no então governo Geraldo Simões, com destaque para o programa Viva Maria.
A professora Acácia Pinho revolucionou a secretaria de Administração no governo Fernando Gomes, dando dignidade, respeito e autoestima ao servidor público.
A simpática Leninha Alcântara, com muita determinação, luta e perseverança, venceu todos os obstáculos inerentes ao campo empresarial.
Acácia Pinho, prefeiturável do PDT, vai ser a grata surpresa da sucessão municipal. A pedetista sonha todos os dias com o início dos debates entre os candidatos.

O PMDB NA FRENTE

A frente aí não diz respeito aos resultados das pesquisas eleitorais, que no momento apontam a petista Juçara Feitosa e o prefeito Azevedo nas primeiras posições.
O PMDB é o mais novo integrante da frente partidária formada pelo PDT, PCdoB, PRB, PV, PSC e o PP do também prefeiturável Roberto Barbosa, o Roberto Minas Aço.
Para onde for o PMDB, o PPS vai atrás. Mariana Alcântara, que é filha da neopeemedebista e pré-candidata Leninha, preside o diretório local da legenda.
Fora da frente, o PSB e o PSD do vice-governador Otto Alencar. Os dois partidos já decidiram pelo apoio ao candidato do PT, seja Geraldo Simões ou Juçara Feitosa.
Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

SÓ COM GERALDO

Tempo de leitura: 2 minutos

Marco Wense

Da base situacionista, o PCdoB tem alguma chance com o PP de Roberto Barbosa se houver uma contrapartida na cidade de Ilhéus, com os comunistas apoiando a candidatura de Jabes Ribeiro ao Palácio do Paranaguá.

O deputado federal Geraldo Simões ainda acredita em uma composição entre petistas e comunistas na sucessão do prefeito Azevedo (DEM).
Geraldo tem motivos de sobra para ficar esperançoso. O tititi entre o PT e o PCdoB, com troca de farpas entre suas lideranças – a mais recente foi entre o parlamentar e Davidson Magalhães –, sempre existiu.
Na última eleição (2008), o ex-vereador Luis Sena foi o indicado para compor a chapa majoritária encabeçada pela petista e ex-primeira dama Juçara Feitosa.
Os comunistas juram por todos os santos que essa sucessão municipal é diferente, já que a opinião de que o PCdoB deve ter candidatura própria é avassaladora entre militantes e simpatizantes.
No PCdoB, no entanto, há também os pragmáticos, os que caminham pela estrada de que o partido só deve ter candidato se o cenário apontar uma possibilidade de vitória.
A viabilidade eleitoral, como condição imprescindível para a disputa do Centro Administrativo, só será alcançada com uma coligação envolvendo legendas da base aliada do governo Wagner e de oposição.
Da base situacionista, o PCdoB tem alguma chance com o PP de Roberto Barbosa se houver uma contrapartida na cidade de Ilhéus, com os comunistas apoiando a candidatura de Jabes Ribeiro ao Palácio do Paranaguá.
Do lado oposicionista, descartando aí o PSDB e, obviamente, o DEM do prefeito Azevedo, só o PMDB presidido pelo médico Renato Costa. Vale lembrar que o peemedebismo tem Leninha Alcântara como pré-candidata.
O trunfo do deputado Geraldo Simões é o governador Jaques Wagner. O parlamentar aposta em uma efetiva participação do chefe do Executivo no processo sucessório.
O problema é que o empenho pessoal de Wagner para que os partidos aliados fiquem com o candidato do PT, principalmente o PCdoB e o PDT, só com uma condição: que o candidato seja Geraldo Simões.
Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

LENINHA É A ESCOLHIDA NO PMDB

Tempo de leitura: < 1 minuto

A direção do PMDB anunciou há pouco o nome escolhido para disputar a prefeitura de Itabuna. Será mesmo o da empresária Leninha Alcântara. Ela e a presidente da AABB-Itabuna, Maruse Xavier, foram os nomes escolhidos internamente por pré-candidatos a vereador e filiados que não pretendem disputar cargo eletivo em 2012. Veio uma pesquisa de intenções de voto para o desempate.
Leninha saiu vencedora. Por enquanto, sabe-se que a empresária terá, pelo menos, o apoio do PPS para trabalhar o nome como pré-candidata a prefeita. Ela terá até maio para “viabilizar-se” eleitoralmente.
Caso não desponte eleitoralmente, o PMDB poderá marchar com Geraldo Simões ou Juçara Feitosa (PT) ou Capitão Azevedo (DEM). Ainda há a terceira via, que tem como pré-candidatos Wenceslau Júnior (PCdoB), Claudevane Leite (PRB) e Acácia Pinho (PDT).

AGORA VAI?

Tempo de leitura: < 1 minuto

Leninha e Maruse disputam pré-candidatura.

A direção municipal do PMDB promete definir, amanhã, o nome do pré-candidato do partido à prefeitura de Itabuna. Sabe-se que, na peleja, figuram agora apenas os nomes da empresária Leninha Alcântara e da bancária aposentada e presidente da AABB-Itabuna, Maruse Xavier.
Na votação interna, Leninha levou a melhor entre os pré-candidatos a vereador e Maruse levou mais de 70% dos votos dos filiados como o nome peemedebista (relembre aqui). Uma pesquisa eleitoral foi encomendada pelo partido e vai – finalmente – definir quem será a pré-candidata. Internamente, Leninha é tida como a escolhida.
O anúncio da pré-candidata sai nesta quinta, à noite, em reunião do diretório municipal.

MARUSE E LENINHA VENCEM VOTAÇÕES E DISPUTAM PRÉ-CANDIDATURA NO PMDB

Tempo de leitura: 2 minutos

Leninha e Maruse vencem votação interna. Pesquisa eleitoral definirá pré-candidatura peemedebista.

O PMDB itabunense decidirá entre Maruse Xavier e Leninha Alcântara qual será o nome do partido na sucessão municipal. A pré-candidata será anunciada ainda nesta semana, segundo o presidente do diretório municipal, Renato Costa.
Maruse Xavier obteve 71% dos votos entre os filiados não-candidatos, mas Leninha foi o nome escolhido pelos pré-candidatos a vereador pelo partido, com 82,6% dos votos. Durante todo a segunda (30) peemedebistas foram às urnas para escolher o nome da legenda para a sucessão.
O desempate virá com a ajuda de pesquisa eleitoral encomendada pelo diretório estadual do PMDB. “Estamos esperando o resultado da pesquisa e vamos estabelecer parâmetros para definir a pré-candidata”, disse Renato em entrevista ao PIMENTA.
Para o dirigente do PMDB itabunense, a legenda deu “uma lição de democracia” em que todos os quatro candidatos puderam expor ideias e disputar o voto internamente. “Foram 12 horas  de votação para dar oportunidade a todos os filiados”.
Segundo ele, o diretório municipal terá autonomia para trabalhar a pré-candidatura. Serão cinco meses para trabalhar o nome do escolhido.
Dos 23 candidatos a vereador, 19 votaram em Leninha e 3 em Maruse. Ruy Corrêa e Edmilton Carneiro tiveram um voto cada um. Entre os filiados, Maruse conquistou 43 votos. Leninha obteve 14 e os outros dois pré-candidatos registram um voto cada. “O nome sai nessa semana e todos (os pré-candidatos) se propuseram a ir à guerra [por votos]”, disse Renato.

PLANOS DO PT

Tempo de leitura: 3 minutos

Marco Wense
Qual o melhor nome do Partido dos Trabalhadores (PT) para disputar a prefeitura de Itabuna na sucessão de 2012, Geraldo Simões ou Juçara Feitosa?
Como existe um equilíbrio nas opiniões, com argumentos favoráveis a Geraldo e Juçara, a pertinente pergunta, mais cedo ou mais tarde, vai tomar conta do diretório municipal da legenda, presidido pela professora Miralva Moutinho.
A favor do macho, como diria o irreverente jornalista Eduardo Anunciação, um melhor jogo de cintura para buscar alianças com outras agremiações partidárias. A favor da fêmea, o argumento de que a eleição de Dilma Rousseff vai influenciar o voto feminino.
Certeza mesmo, sem nenhuma pontinha de dúvida, é que o PT terá candidatura própria e fará todo o esforço para ter um comunista – Wenceslau Júnior ou Luis Sena – como vice na chapa encabeçada por Geraldo ou Juçara.
O plano B do PT, depois de esgotadas todas as possibilidades de coligação com o PCdoB, é uma chapa com Juçara Feitosa e o Capitão Fábio. Uma chapa puro-sangue, tendo o vereador Vane como vice, não está descartada. O PT-PT é o plano C.
PARLAMENTO
A derrota de Josias Gomes, ex-presidente estadual do PT, para a Câmara Federal, iria provocar um natural relaxamento na atuação parlamentar do reeleito deputado Geraldo Simões.
Com a eleição de Josias Gomes, adversário de Geraldo nas hostes internas do petismo, o ex-prefeito de Itabuna vai ter que mostrar serviço como deputado, já que sua atuação será, inevitavelmente, comparada com a do “companheiro” de partido.
Josias e Geraldo, ambos prefeituráveis, respectivamente de Ilhéus e Itabuna, sabem que ser bom deputado fortalece a legítima e democrática pretensão de suceder Newton Lima (PSB) e o Capitão Azevedo (DEM).
Josias versus Geraldo. Um bom duelo. A sabedoria popular costuma dizer que é “briga de cachorro grande”. Como os protagonistas são políticos civilizados, não há motivos para preocupações.
PDT
O Partido Democrático Trabalhista, presidido aqui na Bahia pelo bom gaúcho Alexandre Brust, pode abrigar duas ilustres figuras do cenário político de Itabuna: Leninha Alcântara e Acácia Pinho.
Leninha e Acácia estão insatisfeitas com seus partidos políticos, respectivamente o PPS e o PMDB.  Para o ex-vereador Otávio Menezes, pedetista histórico, “o PDT só tem a crescer com filiações de pessoas de bem”.
PSDB VERSUS PSDB
2006. O PSDB mineiro concorda com a candidatura de Geraldo Alckmin à presidência da República. Alckmin representa o tucanato da Avenida Paulista.
2010. O PSDB mineiro abre mão da pré-candidatura de Aécio Neves e aceita, mesmo contrariado, a candidatura de José Serra, então governador de São Paulo.
Novembro de 2010. José Serra quer ser presidente nacional do PSDB para impedir a pré-candidatura de Aécio Neves. O ex-governador de São Paulo pretende disputar pela terceira vez o Palácio do Planalto.
2014. Se o insistente José Serra sair novamente candidato, o povo mineiro, com toda razão, promete triturá-lo nas urnas, linchá-lo eleitoralmente.
Serra versus Aécio. Os tucanos, com as bicadas entre eles, ficam cada vez mais depenados.
Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

Back To Top