skip to Main Content
14 de agosto de 2020 | 02:43 am

WAGNER DEFENDE DIÁLOGO, CRITICA VÂNDALOS E DIZ QUE VAI APURAR POSSÍVEIS ABUSOS DA PM

Tempo de leitura: 2 minutos
Wagner diz que movimento "é bem-vindo".

Wagner diz que movimento “é bem-vindo”.

Marival Guedes
Salvador – O governador Jaques Wagner disse que está disposto ao diálogo com os movimentos que participam da manifestação em Salvador, mas afirmou que “é preciso ter cuidado com aqueles que se abrigam no guarda-chuva da democracia para criar tumulto e quebra-quebra”. O mandatário baiano concedeu entrevista há pouco, no CAB, em Salvador.
Wagner afirmou ser “bem-vindo” o movimento pela mudança na política e na gestão pública. “[O movimento] Deve existir. Estou disposto ao diálogo”, afirmou, porém relevando a necessidade de que os grupos “se identifiquem além do MPL” e que existam “bandeiras objetivas, além do passe livre”
EXCESSOS
Ele disse que ainda não havia recebido relatório final das manifestações ocorridas ontem em Salvador, quando foram registrados confrontos entre participantes de protestos e policiais. “Se houve excesso, quem cometeu será punido”, prometeu.
O governo, segundo Wagner, está apurando o caso de um funcionário do Estado que efetuou disparos para o alto em um carro oficial. Segundo ele, o secretário estadual de Segurança Pública, Maurício Barbosa, já está com as imagens a fim de identificar o servidor público. “[O secretário] já está com as fitas, analisando, e o funcionário será punido”, assegurou.
REFORMA POLÍTICA
A falta de credibilidade da classe política foi tratada pelo governador na coletiva. O político nascido nos movimentos sociais defendeu reforma política como forma de mudar o fazer política no país. Mudança na política é uma das bandeiras dos participantes de atos em todo o país.
BRASIL X ITÁLIA
Após falar de apuração de possíveis excessos da polícia ontem, o governador disse que a ordem é a busca do diálogo e a segurança de quem vai assistir ao jogo Brasil x Itália, amanhã (22), no Estádio Fonte Nova, pela Copa das Confederações. Wagner disse ter conversado com a presidente Dilma, que se revelou preocupada e ofertou ajuda no que o governo baiano necessitar.

Back To Top