skip to Main Content
5 de março de 2021 | 01:30 am

PRESIDENTE DA CÂMARA SUGERE CRIAÇÃO DE AUXÍLIO EMERGENCIAL EM ILHÉUS

Jerbson sugere criação de auxílio emergencial ilheense
Tempo de leitura: < 1 minuto

O presidente da Câmara de Vereadores de Ilhéus, Jerbson Moraes (PSD), defendeu a criação, em caráter de urgência, de uma versão municipal do Auxílio Emergencial. “Não dá para pedir a população para ficar em casa, sem que ela tenha o que comer. Não é auxilio pra você ver pessoas comprando celular”, disse Jerbson.

O vereador espera agendar, para a próxima semana, encontro com o prefeito Mário Alexandre e secretários em busca de caminhos que assegurem o auxílio municipal. Jerbson não falou em critérios nem valores do auxílio.

O presidente da Câmara, hoje tido como o nome preferido para a sucessão de Marão em 2024, disse que, para ter segurança jurídica, o projeto do auxílio deve partir do Poder Executivo, cabendo à Câmara a análise e votação da proposta.

O debate deverá envolver as secretarias municipais de Gestão e Inovação Tecnológica e de Desenvolvimento Social para identificar possível origem de recursos e para quem o auxílio poderá ser destinado, segundo Jerbson.

Na sua proposta, o presidente do Legislativo diz que o valor só poderá ser destinado para a compra de alimentos, com a comunidade beneficiada comprando no próprio bairro onde reside e movimentando a economia local.

SEGURANÇA ALIMENTAR

O presidente da Câmara lembra que ações como o kit escolar, promovidas pelo estado e pelo município na fase inicial da pandemia, foram importantes para garantir a sobrevivência alimentar de milhares de famílias carentes em Ilhéus.

– Esta nova proposta é questão de urgência. Corta de algum outro lugar, mas o povo não pode passar fome. Para criar o Auxílio Emergencial Municipal são necessárias soluções fiscais que garantam a responsabilidade social – ressalta.

TCM REPROVA CONTAS DE 2019 DE MARÃO E APONTA INDÍCIO DE CRIME DE RESPONSABILIDADE

O prefeito Mário Alexandre
Tempo de leitura: 2 minutos

Na sessão desta quinta-feira (18), os conselheiros do Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia (TCM-BA) rejeitaram as contas de 2019 da Prefeitura de Ilhéus, sob a responsabilidade do prefeito Mário Alexandre, Marão (PSD).

Segundo o tribunal, as contas foram reprovadas em virtude da não aplicação do percentual mínimo de recursos na manutenção e desenvolvimento do ensino no município e também em razão da Dívida Consolidada Líquida (DCL), que superou o limite imposto pela Resolução nº 40 do Senado Federal. De acordo com a Corte, o prefeito investiu apenas 24,03% da receita em educação, quando o mínimo exigido constitucionalmente é o percentual de 25%.

O conselheiro Fernando Vita, relator do parecer, destacou a extrapolação continuada do limite da DCL, que representou 138,36% da Receita Corrente Líquida ao final de 2019, ultrapassando o limite de 120% previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal e pelo Senado. Por estas razões, a relatoria propôs representação ao Ministério Público Federal contra o prefeito para a apuração de crime de responsabilidade. Também foi imputada multa no valor de R$8 mil pelas demais irregularidades apuradas durante a análise das contas.

Ainda conforme o TCM, o município obteve receita de R$405.461.844,66, enquanto as despesas empenhadas corresponderam a R$413.572.837,98, revelando déficit orçamentário de R$8.110.993,32. Os recursos deixados em caixa ao final do exercício – no montante de R$23.583.674,50 – não foram suficientes para cobrir as despesas inscritas como restos a pagar, o que causou desequilíbrio fiscal.

DESPESAS COM O FUNCIONALISMO E IRREGULARIDADES

O prefeito conseguiu manter a despesa com o funcionalismo abaixo do limite de 54% estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal. Em relação às demais obrigações constitucionais, o prefeito investiu nas ações e serviços públicos de saúde 15,82% do produto da arrecadação dos impostos, sendo o mínimo previsto de 15%, e aplicou 91,09% dos recursos do Fundeb na remuneração dos profissionais do magistério, também atendendo ao mínimo de 60%.

O relatório técnico apontou diversas irregularidades, a exemplo da baixa cobrança da Dívida Ativa Tributária e relatório de Controle Interno apresentado em desacordo às exigências legais. A corte também apontou atraso na publicação dos decretos de abertura de créditos suplementares; e a não inserção no sistema SIGA, do TCM, de elementos indispensáveis à apreciação das contas.

OUTRO LADO

A Prefeitura de Ilhéus ainda não se manifestou sobre a decisão do tribunal, que também rejeitou as contas de 2018 do prefeito, depois de aprovar as de 2017. A Secretaria Municipal de Comunicação informou ao PIMENTA que aguarda posicionamento da Procuradoria-Geral do Município. Atualizado às 16h06min.

SOANE GALVÃO ENTRE PSD E PSC

Soane tem acenos do PSD, mas poderá optar pelo PSC, segundo site
Tempo de leitura: < 1 minuto

Do Agravo

O prefeito Mário Alexandre, Marão, vem estudando a viabilidade do nome da sua esposa, a ex-secretária de Assistência Social Soane Galvão, para candidatura a deputada estadual.

A candidatura pode ser pelo PSD, partido atual do prefeito e que tem o senador Otto Alencar como mandatário na região. Ao site PIMENTA, o senador afirmou que o partido estimula a candidatura de Soane.

Mas o PSD não é a única opção para a primeira dama. O PSC é outro partido que vem procurando Soane. Vale lembrar que a sogra de Soane, Ângela Sousa, foi deputada pelo PSC por dois mandatos. Confira mais no Agravo.

ROSEMBERG, MARÃO, MARCONE E A CORRIDA DE 2022 NO SUL DA BAHIA

Rosemberg Pinto, Marão e Marcone Amaral: 2020 e o “jogo jogado”
Tempo de leitura: < 1 minuto

São grandes as possibilidades de o prefeito Marcone Amaral (PSD) disputar uma vaga à Assembleia Legislativa em 2022. Tudo dependerá dos próximos passos dele à frente da Prefeitura de Itajuípe e de sua desenvoltura como novo líder regional na presidência da Associação dos Municípios da Região Cacaueira (Amurc), entidade que, para muitos, tem histórico ranço de sepultar (maiores) sonhos políticos.

Gás e jogo de cintura não faltam ao ex-jogador de futebol e hoje nome em ascensão na política sul-baiana. Marcone, aliás, tomou gosto pela coisa. Até 2019, ele discutia se, novamente, disputaria a Prefeitura de Itajuípe. Acabou reeleito com folga e foi estimulado por amigos que conhecem os caminhos da política a construir o seu nome para fora dos limites da “Velha Pirangi”.

E assim o fez.

Marcone, ligado ao deputado estadual e líder do Governo na Assembleia Legislativa, Rosemberg Pinto (PT), não deve ter a objeção do parlamentar neste projeto mirando a AL-BA. Durante a eleição da nova diretoria executiva da Amurc, na sexta (29), Rosemberg fez contundente discurso pelo fortalecimento da representatividade política regional sul-baiano nos parlamentos estadual e federal.

O petista, que hoje é o único parlamentar estadual representando o Território Litoral Sul, disse que quanto maior o número de deputados deste território de identidade, maiores são as chances de a região se fazer ouvida tanto em Salvador como em Brasília. Assim, não seria voz solitária a defender a região. Disse isso mencionando o nome de Soane Galvão, primeira-dama de Ilhéus. O esposo de Soane e prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, Marão, como não poderia deixar de ser, reagiu simpaticamente ao discurso. Também quer aproveitar os bons ventos.

MARÃO CONHECE DETALHES DE ESTRUTURA DO JEQUITIBÁ, QUE FARÁ SHOPPING EM ILHÉUS

Neto, do Jequitibá e Grupo Chaves, detalha estrutura do shopping a Mário Alexandre
Tempo de leitura: < 1 minuto

O prefeito de Ilhéus, Mario Alexandre, Marão (PSD), visitou hoje (20) as instalações do Shopping Jequitibá em Itabuna. Ele conheceu detalhes da estrutura do empreendimento para avaliar como será a concepção do Shopping Jequitibá que será construído na zona sul de Ilhéus, uma das áreas de maior potencial de crescimento na região, após obras estruturantes do governo estadual, a exemplo da ponte Jorge Amado, ligando o centro e o litoral sul e a duplicação de um trecho do rodovia Ilhéus-Olivença.

Acompanhado do diretor do Jequitibá, Manoel Chaves Neto, e do diretor Leandro Chaves, Marão visitou as lojas-âncoras, academia, cinema, espaços de lazer e serviços, praça de alimentação e hipermercado e conversou com lojistas que também pretendem se instalar no Jequitibá Ilhéus.

A obra do Shopping Jequitibá Ilhéus está prevista para iniciar nesse primeiro semestre, com investimento de R$ 70 milhões. O empreendimento adotará o modelo LifeStyle, voltado para a população do sul e sudoeste da Bahia e para os turistas, com valorização da Mata Atlântica e a cultura do Cacau e de Jorge Amado.

“O Shopping Jequitibá irá contribuir para esse momento em que Ilhéus dá um grande impulso em seu desenvolvimento, com obras e projetos importantes, mas sem perder o foco na sustentabilidade e qualidade de vida”, afirma o diretor do Jequitibá e diretor-presidente do Grupo Chaves, Manoel Chaves Neto. Segundo ele, o apoio e incentivo da Prefeitura de Ilhéus têm sido fundamentais para a implantação do Jequitibá Ilhéus. A previsão é que o Jequitibá Ilhéus seja inaugurado no início de 2023.

ILHÉUS: MARÃO ADIA REFORMA ADMINISTRATIVA E MANTÉM SECRETARIADO

Marão decide adiar reforma administrativa || Foto Pimenta/Arquivo
Tempo de leitura: < 1 minuto

O prefeito reeleito de Ilhéus, Mário Alexandre, Marão (PSD), decidiu adiar a reforma administrativa. Conforme comunicado emitido nesta tarde, o projeto de reforma será enviado à Câmara de Vereadores somente após o período de recesso legislativo. Ele decidiu manter o secretariado do primeiro mandato. A mexida somente ocorrerá no final de fevereiro ou início de março.

Neste intervalo, segundo informou, será encaminhada para aprovação da Câmara de Vereadores a proposta de reforma administrativa referente à gestão do ano de 2021. “Vamos avaliar a necessidade de melhoria em cada pasta e faremos os ajustes necessários para manter equilibrada a estrutura da administração, garantindo o bom funcionamento da máquina pública e atendendo a contento as principais demandas da população”, enfatizou o prefeito.

CGU E PF APONTAM DESVIO DE RECURSOS EM CONTRATO DE TERCEIRIZAÇÃO CONTRA COVID-19 EM ILHÉUS

Agentes da CGU chegam à sede da empresa acusada em Itororó || Foto CGU
Tempo de leitura: 3 minutos

Denominada Operação Anoxia, a operação da Polícia Federal (PF) e Controladoria-Geral da União (CGU) em Ilhéus e Itororó nesta terça-feira (22) apurou que houve superfaturamento de mais de R$ 110 mil em um único mês – junho – passado pela HSC Serviços Empresariais, com sede no pequeno município do médio sudoeste baiano.

“Conforme dados disponibilizados pelo site do Tesouro Nacional Transparente, Ilhéus/BA recebeu, desde o início da pandemia até o momento, mais de R$ 40 milhões, entre auxílio financeiro e despesas adicionais do Ministério da Saúde, para ações de combate à Covid-19″, informa a CGU.

Apesar disso, o cenário epidemiológico em Ilhéus permaneceu desfavorável por muito tempo. “Dados disponibilizados pela Central Covid-19 da Universidade Estadual de Santa Cruz indicam que, atualmente, a cidade apresenta o quarto maior número de óbitos no Estado da Bahia (263) e uma retomada no aumento do número de casos confirmados de Covid-19”, diz nota da CGU.

INVESTIGAÇÕES

Segundo a CGU e a Polícia Federal, as investigações começaram em agosto e apontaram direcionamento, por parte da Secretaria de Saúde de Ilhéus, à empresa responsável pela contratação de mão de obra especializada (médicos, enfermeiros, psicólogos) por dispensa de licitação.

A empresa recebeu mais de R$ 2,5 milhões do Fundo Municipal de Saúde. Ainda segundo a PF, foram constatados também indícios de outros crimes, como o não pagamento de encargos trabalhistas e a apropriação indébita previdenciária, pelo não repasse ao INSS das contribuições descontadas dos contratados.

Os investigados vão responder pelos crimes de fraude a licitação (arts. 89 e 90 da Lei nº 8.666/93); apropriação indébita previdenciária (art. 168-A do Código Penal); estelionato (art. 171 do Código Penal) peculato (art. 312 do Código Penal) e corrupção passiva (art. 317 do Código Penal). A operação é feita em conjunto com a Controladoria-Geral da União (CGU).

DENÚNCIA

A empresa HSC Serviços Empresariais, alvo de mandados de busca e apreensão pela PF e CGU, venceu licitação aberta pela Secretaria de Saúde de Ilhéus em junho e abocanhou contrato de R$ 2.587.955,76.

Pelo contrato, a empresa deveria contratar serviços de terceirização de mão de obra na área de saúde, já contabilizando, dentro de apenas dois anos de funcionamento, nove contratos, contando com o de Ilhéus.

A primeira denúncia contra a empresa HSC Serviços Empresariais foi feita pelo portal de notícia Jornal da Bahia Online, editado em Ilhéus. O furo de reportagem rendeu-lhe alguns inconvenientes, a exemplo da exigência de publicação de “Direito de Resposta”.

No portal, o jornalista tinha advertido que, a poucos meses da eleição, com o prefeito Mário Alexandre Souza candidato à reeleição, a Prefeitura de Ilhéus contrataria prestadores de serviços através de uma empresa terceirizada, escolhida sem necessidade de licitação, por conta da pandemia.

“Segundo o Diário Oficial, a medida visa atender demandas temporárias voltadas para o combate à Covid-19”, diz a reportagem.

No mesmo dia o portal entrou em contato com o secretário Geraldo Magela, responsável pela assinatura do contrato, para saber se uma empresa com pouco tempo de atividade terá a experiência suficiente para gerenciar um contrato superior a R$ 2,5 milhões na contratação de profissionais para atender a Covid-19 em um dos municípios mais atingidos do estado.

Mas, em vez de dar explicações, o secretário preferiu passar o contato do jornalista para a empresa. Mesmo informado que o noticiado era público, já que foi publicado no Diário Oficial do Município e que a matéria em questão não citava nada além mais do que a contratação da empresa, foi pedido “Direito de Resposta” que acabou publicado.

Além de defender sua capacidade técnica, a nota informava que “a Diretoria da HSC e seus colaboradores estão à disposição para esclarecer qualquer imbróglio que, porventura, venha surgir neste contrato de terceirização de mão de obra intermediária para atender demandas temporárias da Secretaria da Pasta de Saúde do Município”.

POLÍCIA FEDERAL APURA CONTRATOS DA COVID-19 E CUMPRE MANDADOS EM ILHÉUS E ITORORÓ

Agentes da PF chegam à Secretaria Municipal de Saúde
Tempo de leitura: < 1 minuto

Pelo menos nove mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos, na manhã desta terça-feira (22), nas cidades de Ilhéus e Itororó. Segundo informações preliminares, a investigação é referente ao contrato número 110/2020, com a HSC para fornecimento de pessoal para atuar na Central COVID, instalada no Centro de Convenções de Ilhéus.

No cumprimento dos mandados, agentes da Polícia Federal visitaram a casa do secretário de Saúde, Geraldo Magela, e a sede da Secretaria Municipal de Saúde de Ilhéus.

 

Mandados de busca e apreensão foram cumpridos na casa e gabinete do secretário de Saúde.

As secretarias de Saúde e de Comunicação da Prefeitura nem o prefeito Mário Alexandre, Marão (PSD), até agora não se pronunciaram sobre as investigações e o cumprimento dos mandados pelos agentes.

A Delegacia da Polícia Federal, em Ilhéus, também não fez qualquer comunicado sobre as ações nas duas cidades. É provável que informações sejam repassadas em coletiva de imprensa ou mesmo no site oficial da instituição.

MÉDICA MORRE EM ILHÉUS DE COMPLICAÇÕES DA COVID-19

Médica Alba Mesquita mais uma vítima da Covid-19
Tempo de leitura: < 1 minuto

Mais um profissional de saúde do sul da Bahia entrou para lista de mortos por complicações causadas pelo novo coronavírus. Desta vez, a vítima foi a médica Alba Santos Mesquita, de 58 anos, que faleceu na madrugada deste sábado (21), em Ilhéus.

Internada desde o dia 21 de outubro numa Unidade de Terapia Intensiva do Hospital de Ilhéus, a médica atuava no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Pronto Atendimento (PA) da Zona Sul, Programa Saúde da Família (PSF) e na Clínica de Assistência Renal (CAR) no município do sul da Bahia.

O prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, divulgou nota lamentando o falecimento da médica. A nota diz que “neste momento de dor e tristeza, Mário Alexandre presta as sinceras condolências aos familiares e amigos por esta inestimável perda, rogando a Deus que na sua infinita misericórdia conforte a todos”.

A médica deixa um grande legado pelo trabalho desenvolvido no serviço público e pelos ensinamentos diários de respeito e amor ao próximo. Alba tinha três filhos: Paulo, Flora e Daniel.

Devido à pandemia, não haverá velório. O sepultamento acontece na manhã deste sábado (21), no Cemitério da Vitória, no Alto Teresópolis, em Ilhéus. Esse não foi o primeiro óbito de médico em Ilhéus. A primeira vítima do novo coronavírus foi o médico Gilmar Calazans Lima, de 55 anos. Ele faleceu em abril.

PESQUISAS ELEITORAIS X URNAS DA GPE/SÓCIO ESTATÍSTICA

Tempo de leitura: 3 minutos

A fragmentação do eleitorado em várias candidaturas bastante competitivas e a menor restrição ao nome de Augusto Castro facilitaram a sua vitória.

Agenor Gasparetto

Como é praxe desde a criação do instituto, em 1990, após cada eleição, no formato jornal impresso e, atualmente, por mídias eletrônicas, realizamos uma balanço, comparando resultados das urnas em relação à pesquisa registrada ou à última pesquisa realizada nos municípios. Neste texto apresentamos os dados de Itabuna e Ilhéus.

(*) Prefeito, candidato à reeleição, candidatura sub judice / (**) Ex-prefeito de Itabuna, candidatura sub judice                                                                                                                                Fonte: Pesquisa registrada no TSE sob o Nº BA-05162/2020. Amostra 1.100 eleitores, com um erro amostral de 3%; no período de 3 a 6 de novembro.

Em Itabuna, no período anterior à pandemia, lideravam as pesquisas pela ordem Dr. Mangabeira, Capitão Azevedo e Augusto Castro, os dois primeiros próximos aos 20% de intenções de voto e Augusto Castro, em terceiro, entre 12 e 15%. A partir da retomada das pesquisas em agosto, o quadro começou a se alterar. Augusto Castro, recuperado após longo período de internação pela Covid-19, começou a melhorar seu desempenho. A partir de meados de outubro, já se desenhava um cenário como provável vitorioso. Em fins de outubro alcançou patamar pouco superior a 30 pontos e se manteve com pequenas taxas de crescimento ao longo das semanas seguintes. Paralelamente, Dr. Mangabeira passou a perder aderência, estabilizando-se próximo a pouco mais de 10%. Capitão Azevedo também perdeu aderência, ficando num patamar próximo aos 15%. O prefeito Fernando Gomes entrou tardiamente na campanha, e ocupou um patamar próximo aos 15 pontos percentuais, alternado segunda posição com Azevedo. Geraldo Simões, Charliane Sousa e Dr. Isaac Nery, se situavam num patamar pouco inferior a 5 pontos. A fragmentação do eleitorado em várias candidaturas bastante competitivas e a menor restrição ao nome de Augusto Castro facilitaram a sua vitória.

Acompanhando as eleições em Itabuna desde 1992, esta eleição fugiu ao padrão itabunense de disputa eleitoral, caracterizado por disputas muito acirradas em que no domingo anterior à eleição, havia situações de empate técnico, diferenças apertadas e uma expectativa de virada de última hora. Nesta eleição, isto não se repetiu. Nas últimas quatro pesquisas realizadas por nosso instituto, ao longo dos últimos dois meses, em todas elas o cenário se manteve e a urna confirmou. Nesse sentido, de todas as eleições acompanhadas até hoje pelo instituto, esta foi a mais fácil, a mais previsível. Seu padrão se aproximou ao da vizinha Ilhéus, caracterizado pela previsibilidade, pela grande antecedência.

Amostra: 1.027 eleitores, com um erro amostral de 3%; no período de 5 a 7 de novembro. Essa pesquisa não foi registrada.

Ilhéus, mais uma vez, como sempre aconteceu desde que nosso instituto passou a acompanhar eleições, 1992, com meses de antecedência já era possível antever o vencedor. Desta vez, ainda que um pouco mais tardiamente, também se observou esse padrão. Todavia, antes da pandemia, se alguém me perguntasse se o prefeito poderia se reeleger, da perspectiva da pesquisa, seria categórico: improvável. Provavelmente, não! No entanto, a pandemia criou um clima em que os prefeitos dos municípios, como regra, melhoram sua imagem, e estudos poderão comprovar que a maior parte fez sucessor ou se reelegeu. Ilhéus foi um dos casos em que isto aconteceu. Entender como se deu esse processo e suas nuanças merece ser objeto de estudo aprofundado.

Obviamente, no caso de Ilhéus, há ainda dois componentes relevantes e que merecem destaque: o primeiro, a ação do Governo do Estado, destacando-se a inauguração da nova ponte, um novo cartão postal de Ilhéus, e o prolongamento da via que dá para as praias do sul. E o segundo fator, que poderia ter resultado em desfecho diferente, a fragmentação da oposição, destacando-se Valderico Jr. e Cacá, mas também Professor Reinaldo, Cosme Araújo e Bernardete. Caso houvesse uma polarização, uma eleição plebiscitária, o atual prefeito correria sérios riscos de não se reeleger. Mas se elegeu com relativa facilidade por esse conjunto de circunstâncias. O quadro captado pela urna e pelas pesquisas se manteve estabilizado com semanas de antecedência.

Agenor Gasparetto é sóciólogo e diretor da GPE-Sócio Estatística.

EM ILHÉUS, MARÃO É REELEITO COM 43,24% DOS VOTOS

Marão é reeleito prefeito de Ilhéus com mais de 40% dos votos || Foto Divulgação
Tempo de leitura: < 1 minuto

Mário Alexandre, Marão (PSD), acaba de ser reeleito prefeito de Ilhéus, com 43,24% dos votos válidos. O médico bateu nas urnas o empresário Valderico Junior (DEM), que obteve 23,50% dos votos. Na terceira colocação, ficou o ex-vice-prefeito Cacá Colchões (PP), com 16,05%.

Confira a votação dos demais candidatos:

Professor Reinaldo (PTB) – 7,03%
João Barros (PRTB) – 3,41%
Cosme Araújo (PDT) – 3,40%
Bernardete Souza (PSOL) – 2,84%
Roberto Barbosa (Solidariedade) – 0,53%

ILHÉUS: MARÃO ATINGE 41,75% DOS VOTOS VÁLIDOS EM RESULTADO PARCIAL

Marão é o mais votado com 24,01% das seções apuradas até agora
Tempo de leitura: < 1 minuto

Com 24,01% das urnas apuradas, o prefeito e candidato à reeleição de Ilhéus, Mário Alexandre, o Marão (PSD), atingiu 41,75% dos votos válidos. É perseguido pelo candidato do DEM, Valderico Junior, com 23,85%. O terceiro colocado é Cacá Colchões (PP), com 16,54%, seguido por Professor Reinaldo (PTB), com 7,21%.

POTENCIAL/A TARDE: MARÃO TEM 34% E VALDERICO E CACÁ ATINGEM 13% CADA UM

Tempo de leitura: 2 minutos

Marão lidera, com 34%, e Cacá e Valderico estão empatados, com 13%

Pesquisa da Potencial encomendada pelo jornal A Tarde aponta a liderança do prefeito Mário Alexandre, Marão (PSD), na corrida sucessória em Ilhéus, com 34% das intenções de voto. Na sequência, aparecem Valderico Junior (DEM) e Cacá Colchões (PP), ambos com 13%.

Professor Reinaldo (PTB) tem 5% e o ex-vereador Cosme Araújo (PDT) surge com 3%. Bernardete Souza (PSOL), João Barros (PRTB) e Roberto Barbosa (Solidariedade) têm 1% cada um. Os indecisos somam 22% e a soma dos brancos 7%.

O levantamento foi feito de 30 de outubro a 2 de novembro, com 600 eleitores – 500 na sede e 100 nos distritos. A margem de erro é de 4 pontos percentuais e o nível de confiança, conforme o instituto, é de 95%. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo BA-09710/ 2020.

ESPONTÂNEA

Na espontânea, Marão tem 33% das intenções de voto, Valderico 13% e Cacá surge com 12%. Reinaldo atinge 4% e Cosme Araújo 3%. Bernadete, João Barros e Roberto Barbosa têm 1% cada um.

Para o diretor do Instituto Potencial, Zeca Martins, a vantagem de 21 pontos percentuais de Marão não é cenário consolidado, pois 37% dos entrevistados podem mudar o voto, há número expressivo de indecisos, indicando eleitorado “vulnerável”.

– Como tem alguns insatisfeitos e aqueles que ainda podem mudar [o voto], então não é um cenário consolidado. Está bem encaminhado, mas não considero consolidado. [O prefeito] Está abaixo do seu potencial [eleitoral], porém tem rejeição do tamanho do potencial. E a avaliação não é tranquila – avalia Zeca Martins na pesquisa contratada pelo jornal soteropolitano.

Ainda segundo a pesquisa, Valderico tem eleitorado mais decidido – somente 24% dos eleitores que anunciaram intenção de voto no democrata podem mudar de opinião, conforme o Instituto Potencial. Esse percentual sobe para 31% quando os avaliados são aqueles os que anunciaram intenção de votar em Marão. E atinge 32% quando o nome é Cacá.

ILHÉUS: EXECUTIVOS DO CANA BRAVA DECIDEM APOIAR MARÃO

Tempo de leitura: < 1 minuto

Rafael, Marão e Ednei durante anúncio de apoio à reeleição

O prefeito Mário Alexandre, Marão (PSD), obteve o apoio dos executivos do Grupo Cana Brava, Ednei e Rafael Espírito Santo, na sucessão municipal de 2020. O apoio à reeleição foi selado nesta terça (20).

Proprietários do Cana Brava Resort, Opaba Hotel e do Batuba Beach, os empresários são pioneiros nos investimentos de expansão da rede hoteleira de Ilhéus, desde a década de 1990, quando inauguraram a primeira unidade na cidade.

Marão disse considerar “uma adesão valiosa” a dos empresários “para sua campanha de reeleição”, tendo em vista que o grupo Cana Brava pretende aumentar os seus investimentos no município de Ilhéus. “Isso vai contribuir para impulsionar a economia da nossa cidade, com a oferta de aproximadamente 400 novos empregos”, enfatizou o candidato.

ILHÉUS: PC DO B “RACHA” E 7 CANDIDATOS A VEREADOR ANUNCIAM APOIO A MARÃO

Tempo de leitura: < 1 minuto

Sete dos candidatos aparecem em vídeo anunciando apoio a Marão

Sete dos candidatos a vereador de Ilhéus pelo PCdoB abandonaram a tese do partido e decidiram fechar apoio à reeleição do prefeito Mário Alexandre, Marão (PSD).

O partido faz parte da coligação do candidato do Progressistas à Prefeitura de Ilhéus, Cacá Colchões, mas os candidatos decidiram pular de barco.

Jacks Rodrigues, Gilmar Marques, Jorge Xavier, Marcos Lessa, Nelson Pinheiro, Edson Santos e Leidinha gravaram até vídeo para anunciar apoio a Marão. Destes, apenas 3 tinham autorização do partido.

Ainda não houve pronunciamento da direção do PCdoB ilheense quanto a possíveis punições aos candidatos, atraídos para a base de Marão com a promessa de apoio na corrida eleitoral.

Antes das convenções e durante parte da pandemia, a direção municipal do PCdoB decidiu dar trégua a Marão e estudou a possibilidade de apoiar a reeleição do prefeito.

Ordens da cúpula estadual fizeram o diretório fechar com Cacá Colchões, do Progressistas, em articulação que também contou com a participação do secretário-geral do PP baiano, o ex-prefeito Jabes Ribeiro.

Back To Top