skip to Main Content
27 de novembro de 2020 | 02:23 am

MÉDICA MORRE EM ILHÉUS DE COMPLICAÇÕES DA COVID-19

Médica Alba Mesquita mais uma vítima da Covid-19
Tempo de leitura: < 1 minuto

Mais um profissional de saúde do sul da Bahia entrou para lista de mortos por complicações causadas pelo novo coronavírus. Desta vez, a vítima foi a médica Alba Santos Mesquita, de 58 anos, que faleceu na madrugada deste sábado (21), em Ilhéus.

Internada desde o dia 21 de outubro numa Unidade de Terapia Intensiva do Hospital de Ilhéus, a médica atuava no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Pronto Atendimento (PA) da Zona Sul, Programa Saúde da Família (PSF) e na Clínica de Assistência Renal (CAR) no município do sul da Bahia.

O prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, divulgou nota lamentando o falecimento da médica. A nota diz que “neste momento de dor e tristeza, Mário Alexandre presta as sinceras condolências aos familiares e amigos por esta inestimável perda, rogando a Deus que na sua infinita misericórdia conforte a todos”.

A médica deixa um grande legado pelo trabalho desenvolvido no serviço público e pelos ensinamentos diários de respeito e amor ao próximo. Alba tinha três filhos: Paulo, Flora e Daniel.

Devido à pandemia, não haverá velório. O sepultamento acontece na manhã deste sábado (21), no Cemitério da Vitória, no Alto Teresópolis, em Ilhéus. Esse não foi o primeiro óbito de médico em Ilhéus. A primeira vítima do novo coronavírus foi o médico Gilmar Calazans Lima, de 55 anos. Ele faleceu em abril.

IMPOSSÍVEL CALAR A IMPRENSA ILHEENSE

Luke Rey foi alvo de nove processos movidos pelo prefeito Marão
Tempo de leitura: 4 minutos

Mas o que importa aos poderosos é continuar com suas homéricas farras nos condomínios de luxo, incomodando vizinhos madrugada afora, com músicas ao som mais alto. Estão felizes, comemoram seus feitos, quem sabe calar a voz de Luke Rey e de outros comunicadores que não rezem pela cartilha palaciana. Como disse Luke, manda quem pode, obedece quem tem juízo.

Walmir Rosário 

Conheço o radialista Luke Rey há muitos anos, com quem tive o prazer de trabalhar junto. Um repórter nato, daqueles que não briga com a notícia, dos que numa análise rápida enxerga o futuro, sabe perguntar e respeita o entrevistado. Há muito não nos vemos e recentemente soube que virou notícia, daquelas que ele sabe fazer. O que me intrigou foi que o bom comunicador faz notícia, não se transforma em notícia.

Imediatamente, pensei… tem alguma coisa errada, pois Luke Rey nunca foi de pular para o outro lado do balcão. Após uma busca na internet, chego aos fatos. Luke Rey foi obrigado a deixar o comando do programa Gabriela News, na Gabriela FM. Até aí tudo bem, não fosse a violência perpetrada contra ele pelo prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, o conhecido Marão.

E Marão usou contra Luke Rey – um fiscal da sociedade – uma arma torpe, aquela usada pelos poderosos, os de alto poder econômico: as ações judiciais, num total de nove, contra um comunicador indefenso, cuja uma única arma que possui é o microfone e as ondas do rádio. O crime cometido – pasmem os senhores e senhora –, apontar erros de uma administração pífia, desorientada, de olhar enviesado para os problemas da cidade.

– A minha voz ficará muda, não sei até quando – reclama o radialista.

E Luke Rey não é um menino afoito, daquele que empunha um microfone como se fosse um justiceiro, policial, membro do Ministério Público, um juiz ao sentenciar. O profissional Luke Rey sabe muito bem distinguir a qualidade da notícia, a análise dos fatos, o que dizer aos seus ouvintes. Não agradará a todos e isso é fato, principalmente aos que prometem administrar uma cidade e nem sempre cumprem o compromisso.

Em Ilhéus um fato é notório: quem administra a cidade é o governador Rui Costa e não Marão. Luke Rey também sabe disto, afinal, são 35 anos de experiência. Por ser um grande comunicador, é ameaçado por uma tempestade de ações judiciais contra o exercício legal de sua profissão. Nove ações judiciais o forçam a encerrar o programa e a carreira por conta da velha política do manda quem pode, obedece quem tem juízo.

Se tornou uma prática corriqueira em todo o Brasil ingressar com ações judiciais contra os comunicadores. É a luta dos filisteus com o gigante Golias à frente, contra os israelitas liderados pelo pequenino Davi. Poderoso, Marão e seu exército de advogados entulham o poder judiciário com ações, com o mero objetivo de apequenar, calar a voz de um defensor da sociedade.

É a luta do milhão contra o tostão. Sim, pois ingressar com ações no poder judiciário, mesmo sendo um preceito constitucional garantido no artigo 5.º, inciso XXXV, ao determinar que “a lei não excluirá da apreciação do Poder Judiciário lesão ou ameaça a direito”, independentemente de ter razão em uma demanda, qualquer pessoa pode iniciar um processo judicial.

Ora, qualquer pessoa, por mais desinformada, sabe que para manejar a justiça é preciso poder econômico, bancas de advogados que cobram os olhos da cara, custas judiciais altíssimas. E esses são atributos intrínsecos ao poder político, notadamente quando se exerce um cargo executivo, com uma grande procuradoria política a promover o ataque ou a defesa do mandante de plantão.

Enquanto os interessados buscam ser amigos dos poderosos, aparecendo nas fotos, colunas sociais, defendendo polpudos contratos, Luke Rey tem apenas na sua carteira de clientes os ouvintes, milhares deles ávidos que a notícia de uma rua esburacada chegue ao conhecimento do prefeito e consiga sensibilizá-lo. O que nos parece ser o dever cumprido, é tema iminentemente pueril para os palacianos.

Não é a primeira vez que um comunicador se depara com esse golpe contra a dignidade da pessoa, em que um poderoso tenta lhe tirar o emprego. Mais que isso, querem lhe tirar a dignidade, a capacidade de trabalhar e com o suor do seu rosto manter as obrigações mínimas de sua casa, cuidar de sua família, levar para casa o pão de cada dia, como todo o trabalhador.

Mas o que importa aos poderosos é continuar com suas homéricas farras nos condomínios de luxo, incomodando vizinhos madrugada afora, com músicas ao som mais alto. Estão felizes, comemoram seus feitos, quem sabe calar a voz de Luke Rey e de outros comunicadores que não rezem pela cartilha palaciana. Como disse Luke, manda quem pode, obedece quem tem juízo.

E assim, Luke Rey encerrou o programa lembrando o trabalho de comunicação social que fez ao longo da carreira, defendendo os ouvintes e agradecendo a todos que estiveram com ele durante a caminhada no rádio.

– Me recuso a crer que fracassei, apenas me sinto injustiçado – desabafou.

Sem condições emocionais de apresentar o programa, Luke encerrou o Gabriela News antes do terceiro minuto de duração. Mas como não há mal que sempre dure, neste sábado (10), após a repercussão do caso, o radialista recebeu inúmeros manifestações de solidariedade, inclusive de advogados se oferecendo para defendê-lo das ações judiciais.

Uma verdadeira campanha social para que a justiça seja feita e Luke Rey possa continuar sendo o grande secretário a elaborar a ata dos acontecimentos sociais.

Walmir Rosário é radialista, jornalista e advogado.

NAZAL DIZ QUE PREFERIU APOIAR CACÁ A FICAR SÓ “ASSISTINDO AS COISAS ACONTECEREM”

Nazal, à direita, anuncia apoio a Cacá (centro)
Tempo de leitura: < 1 minuto

Na manhã desta quarta-feira (16) o vice-prefeito de Ilhéus, José Nazal (Rede), oficializou apoio a Cacá Colchões (PP) na sucessão municipal de 2020. O partido do vice-prefeito também apoiará Cacá.

Ao PIMENTA disse que “diante da situação política demonstrada nas pesquisas, a opção seria ficar de fora e assistir as coisas acontecerem ou tentar acreditar que é possível fazer um governo que possa ser discutido”, observando que conhece os defeitos e qualidades do pré-candidato, com quem será possível diálogo. “É uma tentativa a mais. Não sei se farei outra nessa mesma linha. O que tem posto é mais fácil a interlocução” disse.

Para Cacá, Nazal tem enorme bagagem de conhecimento e chega para somar. “Nazal conhece bem a nossa cidade, tem um amplo conhecimento sobre a situação geográfica do município e sempre está disposto a contribuir para o progresso de Ilhéus com responsabilidade”. O vice-prefeito rompeu com o prefeito Mário Alexandre, que tentará a reeleição, após discordar das ações adotadas pelo Governo Municipal.

GOVERNOS E MP-BA DISCUTEM TERMO DE COMPROMISSO SOCIOAMBIENTAL DO PORTO SUL

Secretário João Carlos com a promotora pública Aline Salvador (centro) e chefe de gabinete da Sema
Tempo de leitura: < 1 minuto

O secretário estadual do Meio Ambiente (Sema), João Carlos Oliveira, e a chefe de gabinete da Sema, Cássia Magalhães, estiveram em Ilhéus, nesta terça (8) e quarta (9), para discutir a implementação do Termo de Compromisso Socioambiental (TCSA) do Porto Sul. Duas reuniões importantes foram realizadas durante a visita ao sul da Bahia.

A primeira foi com a promotora regional de Meio Ambiente Costa do Cacau Leste, Aline Salvador, e a segunda com o prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, e equipe técnica. “A construção coletiva é um grande instrumento de gestão. Com todos os atores envolvidos, conseguiremos assegurar o desenvolvimento sustentável e estratégico da região Sul”, destaca o titular da Sema, João Carlos.

“A compensação ambiental do empreendimento Porto Sul já é uma realidade. E esse diálogo entre o Governo e a Prefeitura é de grande importância para o município”, ressalta o prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre.

Paralelamente, o Comitê Técnico de Execução do TCSA, coordenado por Cássia Magalhães e formado por servidores da Sema e do Inema se reúne semanalmente com o Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio), entidade selecionada para gestão financeira e operacional dos recursos – R$ 45 milhões.

O Comitê irá fazer o acompanhamento, monitoramento, fiscalização, avaliação e prestação de contas acerca da execução dos compromissos assumidos. O TCSA foi firmado pelo Governo da Bahia, por intermédio da Casa Civil e da Sema, Inema, Ministério Público do Estado da Bahia, Ministério Público Federal, Procuradoria Geral do Estado (PGE) e Bahia Mineração S/A (Bamin) – responsável pelo aporte dos recursos.

ILHÉUS LIBERA HOTÉIS E BANCOS E ACESSO ÀS PRAIAS; VEJA O QUE MAIS PODE ABRIR

Mário Alexandre, o Marão, é proibido de fazer publicidade irregular
Tempo de leitura: < 1 minuto

O prefeito Mário Alexandre autorizou a retomada econômica dos estabelecimentos enquadrados na terceira fase da reabertura econômica do município, a exemplo de hotéis, bancos, lojas de departamento e variedades e equipamentos de informática (confira relação abaixo). O Decreto 52 também autoriza o acesso às praias, exceto para a prática de esportes coletivos, a exemplo de futebol e vôlei.

De acordo com o decreto, estão autorizados a retomar as atividades comerciais negócios como floriculturas; papelaria e livraria; lojas de eletrodomésticos, áudio e vídeo; varejo de equipamentos de telefonia e comunicação; tabacarias, cigarros e afins; lojas de brinquedos e artigos recreativos; lojas de departamentos e variedades ou magazines; comércio varejista de equipamentos e suprimentos de informática; lojas de cosméticos; hotéis e afins; estabelecimentos bancários e financeiras.

A autorização da terceira fase está respaldada pelo relatório elaborado pela Secretaria Municipal de Saúde, conforme exigências e condições de índole técnica. Ela ocorre horas depois de o município confirmar 10 mortes causadas pela covid-19. Os óbitos ocorreram em dias diferentes

O prefeito disse que está tomando as medidas de forma gradativa e os estabelecimentos têm que cumprir exigências de prevenção ao novo coronavírus. “É de fundamental importância que todos os segmentos, sem exceção, cumpram rigorosamente a higienização dos estabelecimentos e sigam os protocolos de prevenção e controle da Covid-19, assim como as demais medidas de proteção à saúde e às vidas humanas. Queremos salvar vidas e a economia de Ilhéus, mas com responsabilidade e consciência”, disse o prefeito Mário Alexandre.

HOTÉIS

O setor hoteleiro deve seguir orientações específicas constantes no anexo 3 do Decreto, disponível por meio do link https://cutt.ly/ta1uHOj

ILHÉUS: TCM-BA MANDA MARÃO DEVOLVER R$ 1,6 MILHÃO POR CONTRATO SUPERFATURADO

Marão terá que devolver R$ 1,6 milhão aos cofres públicos || Foto Pimenta
Tempo de leitura: 3 minutos

Os conselheiros do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM-BA) julgou procedente resultado de auditoria que apontou superfaturamento no contrato do lixo e irregularidades em licitações e mandou o prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, Marão (PSD), devolver R$ 1,6 milhão aos cofres públicos. As irregularidades são relativas ao exercício de 2017 e foram analisadas em sessão do TCM nesta terça (21).

O conselheiro José Alfredo Rocha Dias, relator do processo, determinou a formulação de representação ao Ministério Público Estadual contra Marão, para que seja apurada a prática de ato de improbidade administrativa, diante da gravidade dos fatos identificados na auditoria.

Foi determinando ao gestor o ressarcimento aos cofres municipais, com recursos pessoais, de R$1.656.585,98 – valor apurado do sobrepreço no processo licitatório (concorrência pública nº 01/2013) que teve por objeto a prestação de serviços de “coleta e transporte de resíduos sólidos urbanos, domiciliares e comerciais, utilizando caminhões compactadores e respectiva guarnição”. Os conselheiros do TCM ainda multaram o prefeito em R$50 mil.

De acordo com o sistema SIGA, do TCM, a Prefeitura de Ilhéus – no exercício de 2017 – cadastrou despesas em obras e serviços de engenharia no montante de R$14.575.878,62, enquanto para os serviços de limpeza urbana foram lançados gastos no importe total de R$6.713.431,60. A auditoria realizada no município envolveu análise documental, verificação dos custos e aspectos técnicos dos serviços prestados.

Em relação à concorrência pública nº 01/2013, que teve como vencedora a empresa “Solar Ambiental e Montadoria Ltda-ME”, pelo valor total de R$6.584.731,18, os técnicos do TCM questionaram a unidade de medição contratada – “Km/Mês” -, vez que não é a mais adequada e a habitualmente utilizada em serviços de coleta e transporte de resíduos sólidos urbanos, domiciliares e comerciais.

Para os auditores, não foi comprovada pela administração eventual vantagem e economicidade da contratação por tal sistema de medição – que contrariou, inclusive, parecer da procuradoria do próprio município, que deixou claro que as medidas corretas a serem utilizadas seriam “toneladas transportadas”, “metros quadrados”, “equipe/dia”, “Quilogramas” e “Hora/Homem”).

Desta forma, os valores brutos acumulados de resíduos, medidos e pagos pela prefeitura, quando comparados ao preço total apurado pelo TCM utilizando a unidade de medida em “toneladas”, mostrou um sobrepreço no montante de R$1.656.585,98 referente ao exercício de 2017, que deve ser ressarcido aos cofres municipais. O relatório apontou ainda fragilidades na demonstração da vantagem de renovações do contrato e a prorrogação do contrato sem justificativa por período superior a 60 meses.

Quanto ao pregão presencial nº 01/2015, que teve como vencedora a empresa “Ambiental BR Resíduos Ltda – ME”, pelo valor estimado de R$140.400,00, a equipe de auditoria identificou, da mesma forma ocorrida na concorrência pública nº 01/2013, que a unidade de medida para execução de coleta e transporte de resíduos também não foi em “toneladas” – a mais adequada e comumente utilizada para tais serviços. Mais uma vez, não foi apresentada justificativa técnica que comprovasse a vantagem ou economicidade para que a unidade de medida fosse distinta.

EDITAL FRÁGIL

O relatório indicou inúmeras fragilidades do edital que tiveram como consequências inconsistências no contrato, como ausência de anotações de responsabilidade técnica – ART e registros de responsabilidade técnica – RRT, imperfeições e imprecisões do projeto básico e falhas graves quanto a fiscalização da execução dos serviços e gestão do contrato. Também não houve comprovação de ampla pesquisa de preços – irregularidade mantida quando das prorrogações do contrato.

O Ministério Público de Contas, em sua manifestação, opinou no sentido de que fossem reconhecidas e julgadas procedentes as irregularidades apontadas pela auditoria, com aplicação de multa ao gestor, determinação de ressarcimento ao erário, com recursos pessoais, bem como de formulação de representação ao Ministério Público Estadual. Cabe recurso da decisão.

ILHÉUS TERÁ TOQUE DE RECOLHER POR OITO DIAS

Ilhéus registra quase 200 casos de Covid-19 em 24 horas || Foto José Nazal
Tempo de leitura: < 1 minuto

O prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, publicou, na tarde deste sábado (11), decreto que determina a restrição da circulação e permanência de pessoas em vias, equipamentos, locais e praças públicas da cidade, das 21h às 5h. O acesso ao município também estará restrito neste período de horário.

A duração dessa medida restritiva é de 8 dias, com vigência a partir da 00h de segunda-feira (13), até as 24h do próximo dia 19. Bloqueios serão realizados nas vias de entrada da cidade. O prefeito informou que a medida se faz necessária diante do contexto regional, em que há o aumento alarmante do número de casos do novo coronavírus em cidades circunvizinhas. A quantidade de infectados tem aumentado também Ilhéus, que ontem registrava 1.884 casos e 75 óbitos.

Conforme o decreto, a exceção à restrição da circulação de pessoas se aplica somente em caso de necessidade de deslocamento para ida a serviços de saúde ou farmácia, para compra de medicamentos, ou situações em que fique comprovada a urgência. A referida restrição não se aplica para servidores, funcionários e colaboradores, que no desempenho de suas funções, atuam nas unidades públicas ou privadas de saúde e segurança.

Estão autorizados a funcionar no horário de restrição apenas os serviços essenciais, como os serviços de delivery, farmácias, unidades de saúde, serviços de segurança privada, serviços funerários, postos de combustíveis, indústrias e estabelecimentos voltados a cuidado a animais.

Também tratamento diferenciado o transporte e o serviço de entrega de medicamentos e demais insumos necessários para manutenção das atividades de saúde, as obras em hospitais e a construção de unidades de saúde.

RUI VISTORIA E LIBERA NOVA PONTE DE ILHÉUS NESTA QUARTA

Nova ponte de Ilhéus será inaugurada nesta manhã de quarta || Foto José Nazal
Tempo de leitura: < 1 minuto

O governador Rui Costa fará vistoria das obras da primeira ponte estaiada da Bahia, em Ilhéus, às 11h desta quarta-feira (1º). O tráfego de veículos e pedestres será liberado logo em seguida. Devido à pandemia da covid-19, não haverá uma grande cerimônia de inauguração para evitar aglomerações.

A obra foi dada como concluída pelo governo estadual há duas semanas. Seria inaugurada na semana passada, mas houve adiamento, porque o prefeito Mário Alexandre (Marão) foi infectado pelo novo coronavírus e ficou de quarentena. Apesar dos apelos de opositores, o governo estadual preferiu aguardar a recuperação do prefeito para, enfim entregar a obra.

“MEU PATRÃOZÃO!”: AOS 69 ANOS, MORRE JOSÉ INOCÊNCIO, DA CABANA DO INOCÊNCIO

Tempo de leitura: < 1 minuto

Uma das figuras mais queridas do Banco da Vitória, em Ilhéus, o comerciante José Inocêncio Santos, mais conhecido como Zé Inocêncio, faleceu na noite de ontem (7), no Hospital de Ilhéus, após complicações causados pelo diabetes.

Dono da Cabana do Inocêncio, numa das margens da Rodovia Ilhéus-Itabuna, ele recebia os clientes com o sorriso largo e a disposição contagiante.

Cliente não era bem lá termo que seu Zé Inocêncio costumava usar. Cliente, não. Cada um que chegava à cabana era tratado como “patrãozão!”. Era chegar e ser servido com água de coco numa festa para turistas, nativos e ciclistas do eixo Ilhéus-Itabuna que desbravam as belezas da rodovia que liga as duas cidades e se hidratavam na cabana do “patrãozão”, que se despede aos 69 anos.

EMPATIA E EMPREENDEDORISMO

A morte de Zé Inocêncio foi lamentada por populares e políticos ilheenses, que lembraram da tradição de Zé Inocêncio na gastronômica Banco da Vitória e da sua alegria em receber cada um dos clientes. “É com muita tristeza e pesar que venho me despedir do meu velho amigo Zé Inocêncio, empreendedor do ramo de coco a quase 50 anos, e que cativava quem passava pelo Banco da Vitória”, lamentou o prefeito Mário Alexandre.

Ex-secretário de Indústria e Comércio e ex-vice-prefeito de Ilhéus, Cacá Colchões destacou o empreendedorismo de Zé Inocêncio. “Zé conquistava a todos com seu jeito espontâneo e carismático vendendo coco verde no Banco da Vitória”.

RODRIGO CARDOSO RETIRA PRÉ-CANDIDATURA A PREFEITO; PC DO B PODE APOIAR MARÃO

Rodrigo Cardoso retira pré-candidatura a prefeito de Ilhéus
Tempo de leitura: 3 minutos

Um dos principais nomes do PCdoB de Ilhéus e do sindicalismo regional, Rodrigo Cardoso retirou a sua pré-candidatura a prefeito de Ilhéus. A decisão foi informada por meio de nota pública, nesta manhã de quinta (4). A pré-candidatura à sucessão do prefeito Mário Alexandre, Marão (PSD), havia sido aprovada em conferência do partido no final de outubro do ano passado.

Rodrigo diz que dialogava com os seus pares há algumas semanas quanto à necessidade de reavaliar a tática eleitoral. “Penso que é necessário concentrar esforços na organização de ações de solidariedade, no debate sobre as políticas públicas e na luta por unidade da resistência democrática, tarefas que, particularmente, posso exercer melhor enquanto cidadão, militante social e político do que como pré-candidato a prefeito”, justificou.

PCdoB E O APOIO A MARÃO

O caminho mais natural do partido depois da desistência de Rodrigo será o apoio à reeleição do prefeito Mário Alexandre, Marão (PSD), que é da base do governador Rui Costa, disse ao PIMENTA o presidente do diretório ilheense do PCdoB, Josenaldo Cerqueira, Jô. “Estamos conversando com quem apoia a base do governador Rui Costa e é contra a política de Bolsonaro”.

Jô afirmou que não está descartado o apoio do PCdoB ao prefeito Mário Alexandre. “Não descartamos. Estamos saindo da oposição ao governo do município. Agora é importante ajudar a salvar vidas com esta pandemia no município. Temos de ter responsabilidade [diante da crise de saúde provocada pela pandemia]. Se os partidos não ajudarem na crise de saúde, o governo sozinho não sai”, disse Jô. Abaixo, confira a íntegra da nota de desistência de Rodrigo Cardoso.

Leia Mais
Back To Top