skip to Main Content
20 de fevereiro de 2020 | 06:43 pm

NÚMERO DE ASSASSINATOS CAI 34% EM ITABUNA

Tempo de leitura: 2 minutos

Itabuna encerrou o primeiro semestre deste ano com a menor taxa de assassinatos dos últimos 10 anos. Os números são da Secretaria Estadual de Segurança Pública e foram divulgados pelo Jornal das Sete (Morena FM). A média mensal ficou em torno de 8 mortes violentas ante mais de 12 nos seis primeiros meses de 2014.

Foram 50 assassinatos no período de 1º de janeiro a 30 de junho. Ainda segundo a reportagem do programa da Morena, o número é 34% menor do que o registrado em igual período do ano passado, quando ocorreram 76 mortes violentas (homicídios e latrocínios). Junho deste ano também foi o menos violento dos últimos dez anos, com o registro de 6 execuções.

Para as autoridades de segurança pública, um dos principais fatores foi a transferência de presos perigosos para presídios de Serrinha e Lauro de Freitas.

O governo explica que diversas ordens para assassinato de pessoas partiam do presídio de Itabuna. As mortes eram determinadas pelo chamado alto escalão das facções criminosas raios A e B.

Marlos Macedo, da Homicídios (Foto Diário Bahia).

Marlos Macedo, da Homicídios (Foto Diário Bahia).

REVISTA NO PRESÍDIO

O diretor-adjunto do presídio de Itabuna, Bernardo Dutra, informou que na revista de ontem (1º), por exemplo, foram encontradas facas artesanais, chips de celular, quatro celulares e buchas de maconha.

A revista foi feita por agentes penitenciários, com acompanhamento da Polícia Militar. Bernardo reforçou que essas e outras ações têm contribuído para a queda de homicídios em Itabuna. “Sem os celulares, os detentos ficam ilhados”.

O titular da Delegacia de Homicídios de Itabuna, Marlos Macedo, afirmou que toda a ação direta do estado contribui para a queda. “As operações, principalmente em locais mais violentos, têm sido fundamentais”, disse o delegado ao Jornal das Sete. A matéria completa pode ser conferida n´A Região.

ENXUGANDO GELO

Tempo de leitura: < 1 minuto
Marlos Macedo, da Homicídios (Foto Diário Bahia).

Macedo, da Homicídios (Foto Diário Bahia).

Titular da Delegacia de Homicídios, Marlos Macedo recentemente comparou a tarefa de combate ao crime em Itabuna a “enxugar gelo”. Sábado, este blog revelou que a escalada do crime no município avançava e tínhamos, ao final de novembro, mais homicídios em 2014 do que no ano anterior (relembre aqui).
Hoje, o delegado falou ao repórter Oziel Aragão, da Rádio Difusora e do Plantão Itabuna, que a polícia tem combatido o tráfico de drogas e prendido mais rápido os assassinos para tentar evitar tragédia ainda maior. A preocupação com o tráfico é maior, pois, segundo a polícia, cerca de 80% dos homicídios têm relação com as drogas.

DELEGADO DIZ QUE HÁ NOVA FACÇÃO CRIMINOSA EM ITABUNA

Tempo de leitura: 2 minutos
Líderes do tráfico em Itabuna foram transferidos há um ano (Foto Jorge Cordeiro).

Líderes do tráfico em Itabuna foram transferidos há um ano (Foto Jorge Cordeiro).

Macedo: facção quer aniquilar família de rivais (Foto Diário Bahia).

Macedo: facção quer aniquilar família de rivais (Foto Diário Bahia).

A briga pelo comando do tráfico de drogas fez surgir uma nova facção criminosa em Itabuna, segundo afirma o delegado Marlos Macêdo em entrevista ao Diário Bahia. A facção DMP reúne bandidos dos bairros Daniel Gomes, Maria Pinheiro e Pedro Jerônimo e seria a responsável por boa parte das mais de cinquenta mortes ocorridas em Itabuna só em 2014.
Titular da Delegacia de Homicídios, Macêdo afirma que a DMP foi criada por ex-integrantes das facções Raios A e B. As mortes são uma tentativa de aniquilar adversários, segundo a autoridade policial.
A facção tomou corpo após a mega-operação que transferiu os chefes do tráfico em Itabuna para o presídio de Segurança Máxima de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. O objetivo dos criminosos, por enquanto, é aniquilar os rivais.
A disputa pelo comando do tráfico no município – ou, pelo menos, na região do DMP – levou o grupo a metralhar a residência de um dos antigos chefes do crime no município, Sidmar Soares Santos, o Bolota.
Segundo o delegado, a disputa tem como alvo, também, os familiares dos bandidos presos. O ataque, conforme Macêdo, teria sido ordenado pelo chefe do DMP, Thiago Penteado, que tem contra si um mandado de prisão.
Macêdo voltou a repetir que tem a sensação de que a polícia enxuga gelo ao tentar combater o tráfico de drogas. E explica:
– Quanto mais prendemos, citando a PM e a Civil, a gente observa que sempre há alguns adolescentes assumindo os postos de comando do tráfico de drogas. Estamos sempre prendendo as mesmas pessoas.
Clique e confira a reportagem de Simone Nascimento no Diário Bahia.

POLÍCIA PRENDE TARCÍSIO KONG

Tempo de leitura: < 1 minuto
Kong foi preso no Daniel Gomes (Foto Wadson Santos/Plantão Itabuna).

Kong foi preso no Daniel Gomes (Foto Wadson Santos/Plantão Itabuna).

Após denúncia anônima, a Polícia Civil conseguiu prender um dos homens mais procurados de Itabuna. Tarcísio Soares, o Tarcísio Kong, foi preso por agentes da Delegacia de Homicídios, hoje à tarde, no Bairro Daniel Gomes. O bandido é acusado de várias mortes e tentativa de assassinato, segundo o delegado Marlos Macêdo. “Kong” foi apresentado no Complexo Policial há pouco.

MULHER É ACUSADA DE MANDAR EXECUTAR MARIDO EM ITABUNA

Tempo de leitura: < 1 minuto

“Kiko” confessou crime e relação da esposa da vítima com a tentativa de assassinato (Foto Gerson Teixeira/Diário Bahia).

Reviravolta no caso do atentado sofrido pelo auxiliar de necropsia Jailson Alves dos Santos, o “Jai”, funcionário do Departamento de Polícia Técnica de Itabuna. Ele foi baleado com três tiros no final da noite de quarta-feira (24), quando chegava em casa, no Gogó da Ema, no Sarinha Alcântara.

Mardson Freitas Santos, o “Kiko”, de 25 anos, autor dos disparos, foi preso na manhã de quinta-feira (25), escondido em uma oficina, no mesmo bairro onde ocorreu a tentativa de homicídio. Inicialmente, o criminoso declarou que teria atirado em “Jai” porque ele seria “dedo-duro”. Mas, ao prestar depoimento ao delegado Marlos Macedo, o homem mudou completamente a versão.

Segundo ele, o crime foi encomendado pela esposa da vítima, Vanda Caldeira Gomes, de 38 anos, que teria prometido pagar R$ 1.500,00, além de uma “noite de amor” com o acusado. Ela já está presa e será indiciada como mandante. Uma das suspeitas da  polícia é a de que a mulher quisesse ficar com uma casa, comprada recentemente pelo marido.

Leia mais no Diário Bahia

Back To Top