skip to Main Content
23 de novembro de 2020 | 02:10 pm

CADÊ O CACAU?

Tempo de leitura: < 1 minuto
Agromais não tem cacau...

Agromais não tem cacau…

Quem consulta a aba Agro +, no site do Ministério da Agricultura, não vê nenhuma linha referente ao cacau, produto que continua na pauta de exportações do país, apesar da crise de quase 30 anos, após a eclosão da vassoura-de-bruxa e da reação da produção nos últimos cinco anos.

O Agro +, que se parece com aquele comercial de uma rede de TV, – apenas parece… – seria conjunto de medidas e ações para a agropecuária brasileira alcançar ganhos expressivos de produtividade nos próximos anos. A ideia é competir melhor no mercado internacional, ampliando a sua contribuição com a economia do país e a vida dos brasileiros.

E o cacau… Bem, o cacau fica de fora.

Será que o governo federal, que já torpedeou a Ceplac, rebaixando-a de órgão singular de 60 anos a departamento do Ministério da Agricultura, cumpre vaticínio do escritor e pensador brasileiro Caio Prado Junior, publicado em História Econômica do Brasil e editada há 72 anos?

Será a pá de cal na outrora pujante lavoura cacaueira…

JUVENAL DEIXA COMANDO REGIONAL DA CEPLAC; VIRGÍNIA HAGGE TAMBÉM É EXONERADA

Tempo de leitura: 2 minutos
Juvenal Maynart (à esquerda) com o reitor da UFSB, Naomar Monteiro.

Juvenal Maynart (à esquerda) com o reitor da UFSB, Naomar Monteiro.

Atos das exonerações de Juvenal e Virgínia (Reprodução Pimenta).

Atos das exonerações de Juvenal e Virgínia (Reprodução Pimenta).

Juvenal Maynart não é mais superintendente regional da Ceplac na Bahia. A exoneração foi publicada no Diário Oficial da União nesta quinta-feira (17). Economista e administrador de empresas, Juvenal estava prestes a completar quatro anos na direção regional do órgão. A posse ocorreu em outubro de 2011.

Enquanto o governo não definir o novo superintendente, o cargo será ocupado pelo substituto imediato, Sérgio Murilo Menezes, engenheiro agrônomo da Ceplac . Ele foi mantido no comando da Ceplac mesmo após o rompimento do ex-ministro Geddel Vieira Lima com o governo federal. Geddel o indicou para o cargo. O governo manteve Juvenal graças ao trabalho que ele desempenhou no período à frente da superintendência.

A amigos, Juvenal tem dito que, no período no cargo, conseguiu dar protagonismo à Ceplac com discussões importantes como a política do preço mínimo para o cacau e a discussão sobre a conservação produtiva. Outro passo foi a defesa para que a Ceplac fizesse doação de terreno para a Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) e convênio que permitisse cursos de pós-graduação na área de ciências agrárias e botânica.

A política de conservação produtiva, observa, resultou na regulamentação do manejo de áreas cabruca. De acordo com entidades como o Sindicato Rural de Ilhéus, o decreto de manejo nestas áreas fez com que o preço de terras tivesse um ágio de quase 200%.

VIRGÍNIA HAGGE EXONERADA

Além de Juvenal, também foi exonerada a ex-deputada estadual Virgínia Hagge. Ela comandava a Superintendência do Ministério da Agricultura na Bahia. Virgínia mantinha-se no cargo por um pedido do deputado estadual Rosemberg Pinto (PT), embora por indicação de Geddel. Os atos de exoneração de Juvenal e Virgínia foram assinados pela secretaria executiva do Ministério da Fazenda.

Atualizado às 15h20min

PARA GOVERNO, DOAÇÃO DE TERRENO CONSOLIDA IMPLANTAÇÃO DA UFSB

Tempo de leitura: 2 minutos
Reitor Naomar Almeida em solenidade que assegurou terreno para a UFSB (Foto Josivaldo Dias-SecomBA).

Reitor Naomar Almeida em solenidade que assegurou terreno para a UFSB (Foto Josivaldo Dias-GovBA).

O processo de consolidação da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) avançou com a assinatura, nesta terça-feira (9), do Termo de Cessão de um terreno da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac), órgão do Ministério da Agricultura. A área de 37 hectares, localizada em Ilhéus e parte em Itabuna, vai ser utilizada para a instalação da reitoria e do campus Jorge Amado.

A área, como o PIMENTA mostrou no sábado (6), abrigará laboratórios, salas de aulas e demais estruturas do Instituto de Humanidades, Artes e Ciências, do Centro de Formação em Tecnociências e o Centro de Formação em Agroflorestais.

O secretário estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação, Manoel Mendonça, que representou o governador Rui Costa na solenidade, destacou ser “este um momento histórico para o sul da Bahia, já que a educação é o caminho para a retomada do desenvolvimento regional”.

AÇÕES INTEGRADAS

Para o reitor da UFSB, Naomar Almeida, a cessão do terreno pela Ceplac vai agilizar a instalação dos equipamentos, incluindo um polo de tecnologia. “A universidade tem um papel fundamental no desenvolvimento socioeconômico do sul da Bahia”, afirmou, defendendo ações integradas pelos governos federal e estadual e a sociedade organizada, a exemplo do Programa Todos pela Educação, que tem a UFSB como parceira.

Para a reitora da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), Adélia Pinheiro, a UFSB e a Uesc vão somar esforços para superar os desafios. Estes desafios, disse, “passam por um período de transformações em que a cultura do cacau é importante, mas inclui setores como serviços, tecnologia e agroindústria, gerando um modelo de desenvolvimento sustentável”.

Já o prefeito de Ibicaraí e presidente da Associação dos Municípios do Sul, Extremo-Sul e Sudoeste da Bahia (Amurc), Lenildo Santana, destacou a união em torno de “um projeto que trabalha por uma educação universalizada e de qualidade, do ensino fundamental ao ensino superior, que resulta em inclusão social e oportunidades para todos”.

Além da área cedida pela Ceplac, a Universidade Federal do Sul da Bahia vai dispor de mais 40 hectares doados pela Prefeitura de Itabuna e outros 40 hectares pela Prefeitura de Ilhéus, totalizando 117 hectares para o campus Jorge Amado.

BRASIL EMITIRÁ PASSAPORTE PARA CÃES E GATOS

Tempo de leitura: 3 minutos

Passaporte-para-cães-e-gatosDa Agência Brasil
Na tentativa de deixar menos burocráticas as viagens para o exterior levando animais de estimação, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento começou a emitir na última semana o passaporte para cães e gatos. O documento é uma alternativa ao Certificado Veterinário Internacional (CVI), que era o único existente anteriormente. Enquanto o CVI deve ser solicitado novamente a cada viagem, o passaporte vale por toda a vida do animal.
Por enquanto, ele só é aceito nos países do Mercosul – a Argentina, o Paraguai, Uruguai e a Venezuela -, que têm acordo de equivalência com o Brasil. Pode ainda ser usado em viagens domésticas, substituindo o atestado de saúde animal.
“A gente já pediu consulta a outros países [fora do Mercosul] para que aceitem. O passaporte é válido enquanto o animal estiver vivo, mas o proprietário tem que manter sempre em dia as vacinas”, explica Mirela Eidt, chefe da área animal do Sistema de Vigilância Agropecuária Internacional do Ministério da Agricultura. Mirela esclarece também que o governo não cobra taxas para a emissão, cujo prazo é 30 dias úteis após a solicitação. No entanto, é obrigatório implantar um microchip no animal detentor do documento.
“[A implantação do chip] pode ser feita em clínica particular à escolha do proprietário. É um jeito de ligar o animal ao passaporte, como a foto, no nosso caso. A foto não é obrigatória para eles e o microchip tem código de barras”, diz. O passaporte é emitido pelas superintendências federais agropecuárias nos estados, mas nem todas já têm o sistema adequado operando. É preciso entrar em contato para saber as que estão aceitando requisições para o documento. “Para emitir, é necessário ter uma leitora de microchip. A orientação é consultar sobre as unidades habilitadas”, ressalta Mirela Eidt.

Leia Mais

DILMA EXONERA MENDES RIBEIRO E OUTROS DOIS MINISTROS

Tempo de leitura: < 1 minuto

Os presidentes do Senado, Renan Calheiros, da Câmara, Henrique Alves, e o vice-presidente Michel Temer vão se reunir com a presidente Dilma Rousseff na tarde desta sexta (15) para confirmar os nomes e as pastas dos ministros do PMDB na reforma ministerial.
O ministro de Assuntos Estratégicos, Moreira Franco, irá para Secretaria da Aviação Civil e a pasta de Agricultura sairá das mãos de Mendes Ribeiro para o deputado Antonio Andrade (MG). Até agora, ainda não está definido o comando da Secretaria de Assuntos Estratégicos, oferecida a Mendes Ribeiro, que não anunciou se aceita o convite.
O PDT continua com o Ministério do Trabalho. Dilma acertou a substituição de Brizola Neto por Manoel Dias, atual secretário-geral do partido. Ainda há dúvidas sobre a participação de PR e PSD nas mudanças ministeriais. Informações do Bahia Notícias.

JAY WALLACE CAI E CEPLAC TEM NOVO DIRETOR

Tempo de leitura: < 1 minuto

Funcionário de carreira do ministério, Helinton é o escolhido para o cargo.

O pesquisador Jay Wallace Mota foi exonerado do cargo de diretor geral da Ceplac. O ato está publicado na edição desta segunda, 5, do Diário Oficial da União. Jay Wallace cai após quatro anos à frente do cargo e de uma gestão que, para muitos, privilegiou a cacauicultura do Pará. A queda foi antecipada por este blog.

O funcionário de carreira e assessor do Departamento de Sistemas de Produção e Sustentabilidade do Ministério da Agricultura, Helinton José Rocha, será o novo comandante do órgão federal. A escolha indica a prioridade do órgão federal ao seu novo projeto de conservação produtiva.

Além de estar ligado às novas teses de sustentabilidade, o técnico escolhido para o cargo já ocupou no Ministério da Agricultura os postos de secretário adjunto de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo e de diretor de Propriedade Intelectual e Tecnologia no ministério. A escolha é para um período de transição.

JAY WALLACE FORA

Tempo de leitura: < 1 minuto

O Diário Oficial da União tem sido das mais consultadas fontes de leitura para parte do funcionalismo da Ceplac. Nos bastidores do órgão federal e do Ministério da Agricultura, o viés é de baixa para o diretor-geral, Jay Wallace Mota, após quatro anos no cargo e de manobrar desde o ano passado para continuar no comando do órgão.

A queda pode ser consumada até amanhã.

BIOFUNGICIDA TRICOVAB, FINALMENTE, É LIBERADO

Tempo de leitura: < 1 minuto

Após dez anos de estudos feitos pela Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac), o Ministério da Agricultura finalmente certificou o biofungicida Tricovab para o combate à vassoura-de-bruxa, fungo que reduziu em quase 75% a produção de cacau no sul da Bahia. A certificação é divulgada um dia após a Ceplac completar 55 anos. O produto agora poderá ser comercializado.
O coordenador técnico-científico da Ceplac, Manfred Müller, por meio de nota do órgão federal, diz que a certificação representa “o coroamento do trabalho do Centro de Pesquisas do Cacau (Cepec), cujos pesquisadores se desdobraram na busca de solução natural com alto potencial de controle da vassoura-de-bruxa, sem riscos ao meio ambiente e aos produtores de cacau e colaboradores”.
O diretor do Cepec, Adonias de Castro Virgens Filho, disse que as explicações técnicas sobre a aplicação nas propriedades rurais serão dadas por meio de entrevista coletiva a ser agendada.

CEPLAC LANÇA PROJETO RENORBIO NESTA SEXTA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Projeto desenvolve pesquisas de combate à vassoura.

A Ceplac lança nesta sexta(9), às 9 horas, o projeto de pesquisa na Rede Nordeste de Biotecnologia (Renorbio), em solenidade no auditório Hélio Reis de Oliveira, do Centro de Pesquisas do Cacau (Cepec). A iniciativa captou recursos da ordem de R$ 6 milhões para desenvolvimento de material genético resistente ou voltado ao combate à vassoura-de-bruxa.
A doença é causada por um fungo – Moniliophtora perniciosa – que reduziu a produção de cacau brasileira em 75% no intervalo de pouco mais de uma década, quando saiu de 400 mil para 100 mil toneladas. O Renorbio com foco no combate à vassoura captou recursos da ordem de R$ 6 milhões, sendo R$ 4 milhões do Ministério da Ciência e Tecnologia (MTC) e R$ 2 milhões do Ministério da Agricultura, por meio da Ceplac.
De acordo com o superintendente da Ceplac na Bahia, Antônio Zózimo de Matos Costa, além da instituição, o projeto envolve a Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), a Universidade de São Paulo (Usp), Unicamp e a Empresa/Cenargen. Zózimo lembra que somente a Ceplac desenvolveu 39 clones resistentes à vassoura desde quando o fungo alastrou-se na Bahia, em fins dos anos 80.

DOEU NO BOLSO

Tempo de leitura: < 1 minuto

Barulho na  Ceplac.
Servidores do órgão federal gritam contra uma suposta dívida com planos de saúde referente ao período de 1995 a 2002.
Em alguns casos, a cobrança por parte do Ministério da Agricultura atinge R$ 70 mil de um só servidor. O valor se refere a parcelas mensais do plano não lançadas em contracheque por falta de margem consignável ou divergências.
O Ministério da Agricultura havia coberto o pagamento nesse período e o Tesouro Nacional apontou a necessidade de cobrar dos servidores, agora.
Alguns funcionários descobriram alguns absurdos ao acionar a calculadora: em vez de dívida, têm a receber do Ministério.
Um servidor da Ceplac em Ilhéus foi cobrado em R$ 2.071,00, mas sustenta que é o ministério que lhe deve. Na ponta do lápis, o saldo positivo é de aproximados R$ 70,00.
Na média, a correção da dívida atingiu estratosféricos 300%. Quem acumulou R$ 1 mil em parcelas, hoje deveria R$ 4 mil ao Ministério, que adiantou ao plano de saúde nos anos 90 e início dos anos 2000.
O “prego” será contestado em nível administrativo. Se não houver saída, os servidores acionarão a Justiça.

Back To Top