skip to Main Content
12 de agosto de 2020 | 07:07 am

MÉDICO RAFAEL ANDRADE É NOMEADO PARA A COMISSÃO DE PREVENÇÃO À CEGUEIRA DO CBO

Rafael Andrade, à esquerda, toma posse como conselheiro do CBO
Tempo de leitura: < 1 minuto

O médico Rafael Andrade, diretor do Centro Avançado em Retina e Vítreo do Hospital Beira Rio e coordenador do Mutirão do Diabetes de Itabuna, tomou posse na Comissão de Prevenção da Cegueira do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO). A nomeação foi oficializada pelo novo presidente do CBO, médico José Beniz Neto.

A nomeação, conforme o dirigente da CBO, ocorre em função do trabalho realizado pelo oftalmologista itabunense, com o mutirão, com foco na prevenção e tratamento da doença e tem seu modelo já replicado em cerca de 30 cidades brasileiras. O CBO tem como vice-presidente o médico Cristiano Caixeta, que em 2019 participou do mutirão em Itabuna.

Em janeiro, Rafael Andrade participou da convenção nacional que marcou a posse da nova diretoria do Conselho e fez uma apresentação do projeto do Mutirão do Diabetes de Itabuna. “Um dos objetivos da comissão é estimular a realização de mutirões em todo o Brasil, através de ações conjuntas com o Conselho Brasileiro de Oftalmologia, a Sociedade Brasileira de Diabetes e a Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo”, destaca.

Para ele, é gratificante ver que “Itabuna é hoje um exemplo para o Brasil e reconhecida como referência na prevenção do diabetes por importantes instituições da oftalmologia”.

MUTIRÃO DO DIABETES DE ITABUNA JÁ É REFERÊNCIA PARA 30 CIDADES BRASILEIRAS

Tempo de leitura: 2 minutos

Rafael, ao centro, e participantes do congresso em São Paulo

O Mutirão do Diabetes de Itabuna, maior do gênero em todo o país, já é referência para eventos de prevenção e tratamento da doença em 30 outros municípios brasileiros, segundo o médico Rafael Andrade. Presidente da ONG Unidos pelo Diabetes, de Itabuna, o médico apresentou o modelo do mutirão no 24º Congresso Brasileiro Multidisciplinar de Diabetes, em São Paulo, no final do de julho.

O mutirão itabunense já integra o calendário da Federação Internacional do Diabetes. O congresso em São Paulo, promovido pela Federação Nacional das Associações e Entidades de Diabetes (Fenad) e a Associação Nacional de Atenção ao Diabetes, reuniu oftalmologistas e equipes de saúde de vários estados brasileiros, que realizam ou querem realizar mutirões inspirados no modelo Itabunense. A iniciativa itabunense tem foco principal na prevenção, com exames do olho, pé e rim diabético e ações educativas.

Rafael Andrade foi um dos coordenadores do congresso em São Paulo. Segundo ele, o mutirão em Itabuna realiza cerca de 15 mil procedimentos ao ano, entre ações de prevenção na Praça Rio Cachoeira e atendimento médico no Hospital de Olhos Beira Rio, reunindo cerca de mil voluntários e envolvendo diversos segmentos da sociedade organizada.

– O modelo Itabunense já foi implantado em cerca de 17 cidades brasileiras e que com o apoio da Fenad está sendo possível multiplicar o projeto a cada ano já se encaminhando para 30 cidades – disse Rafael.

Entre as cidades que já realizam mutirões, estão São Luís, Petrolina, Fortaleza, Belém, Porto Velho, Itabuna, Vitória da Conquista, Belo Horizonte, Janaúba, Uberlândia, Goiânia, Cuiabá, Curitiba, Florianópolis, Blumenau, Joinville, São Gonçalo, São Paulo, Presidente Prudente, Sorocaba, Ribeirão Preto, Araçatuba e Aracaju. Criada em 2018, a ONG Unidos pelo Diabetes está disponibilizando o know-how do projeto Itabunense em vários estados brasileiros, contribuindo para prevenir uma doença com elevado índice de letalidade e amputação de órgãos.

MODELO DO MUTIRÃO DO DIABETES DE ITABUNA É ADOTADO POR 16 MUNICÍPIOS BRASILEIROS

Tempo de leitura: 2 minutos

Mutirão em Itabuna é adotado por 16 municípios brasileiros

Rafael Andrade é o idealizador do mutirão || Foto Pedro Augusto

O modelo do Mutirão do Diabetes de Itabuna, que terá sua 14ª edição no dia 10 de novembro, está sendo adotado em vários estados brasileiros. Sucesso em ações de prevenção e tratamento, o evento itabunense já foi apresentado no Congresso Mundial de Diabetes no Canadá, como exemplo a ser seguido por outros países.
O idealizador e coordenador do Mutirão e presidente da ONG Unidos Pelo Diabetes, o médico Rafael Andrade, tem participado de seminários e teleconferências nos quais expõe o projeto, focado principalmente na prevenção da doença. O modelo do mutirão já foi adotado por cidades como Curitiba (PR), Belém (PA), Feira de Santana (BA), Petrolina (PE), Ribeirão Preto (SP) e Joinville (SC).
A partir deste ano, haverá mutirões do diabetes em Blumenau (SC), Florianópolis (SC), Uberlândia (MG), Betim (MG), Goiânia (GO), Rio de Janeiro (RJ), Presidente Prudente (SP), Sorocaba (SP), Campo Grande (MS) e São José dos Pinhais (PR), todos com o apoio da ONG Unidos Pelo Diabetes de Itabuna.
Criada em 2017 para ampliar as ações do Mutirão, a ONG Unidos pelo Diabetes, vem fornecendo transferência do know-how para diversas instituições, além de investir na capacitação de profissionais de saúde e na conscientização da população, para os riscos e cuidados na prevenção e tratamento do diabetes.
Para Rafael Andrade, a promoção de mutirões em várias cidades brasileiras vai se multiplicando a cada ano contribui para amenizar a deficiência e desigualdade, combatendo uma das doenças que mais fazem vítimas fatais e deixam sequelas no país.

Back To Top