skip to Main Content
7 de junho de 2020 | 02:57 am

JOANA GUIMARÃES É NOMEADA REITORA DA UFSB

Tempo de leitura: 2 minutos

Professora Joana Guimarães é nomeada reitora da UFSB

Seis meses e meio depois de ter vencido a eleição, a professora Joana Angélica Guimarães da Luz foi nomeada reitora da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB). A nomeação está publicada na edição desta quinta-feira (24) do Diário Oficial da União.
Joana Guimarães enfrentou Fabiana de Lima Peixoto, vencendo-a com 64,9% dos votos válidos em 8 de novembro do ano passado. A legislação determina envio de lista tríplice ao presidente da República, que define, entre os mais votados, o novo reitor. Michel Temer acabou nomeando a escolhida pela comunidade acadêmica. O mandato tem duração de quatro anos.
Embora ainda não estivesse nomeada, Joana já despachava como reitora em exercício há alguns meses. Ela substituiu o reitor pro tempore Naomar Almeida, que renunciou ao cargo cerca de dois meses antes do pleito em um processo tumultuado e com acusações ao grupo que assumiu a UFSB.

Campus e reitoria da UFSB em Itabuna, no sul da Bahia

A universidade sul-baiana tem campi em Porto Seguro, Teixeira de Freitas e Itabuna, onde fica a reitoria, e colégios universitários em vários municípios no sul e extremo-sul do Estado. Embora em ritmo lento, a reitoria e o novo campus Jorge Amado estão sendo construídos numa região limítrofe de Itabuna e Ilhéus, nos arredores da Ceplac.

EM TEMPOS DE PÓS-VERDADE

Tempo de leitura: 2 minutos

Felipe de PaulaFelipe de Paula | felipedepaula81@gmail.com

 

 

Não há golpe na UFSB. Há sim, a construção de um processo democrático de escolha de dirigentes, buscado com legalidade e ampla discussão da comunidade acadêmica.

 

 

Vivemos na, já conhecida, época da pós-verdade. Momento contemporâneo onde “verdades” são reconstruídas com base em diferentes percepções ideológicas e diferentes interesses envolvidos. A Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) se viu envolvida numa densa narrativa de “golpe” a partir da carta de exoneração lida pelo seu ex-reitor Naomar Almeida onde ele renuncia ao exercício da função e solicita sua exoneração ao Ministro da Educação.

Quase que imediatamente, surgiram notas em sites e blogs de todo o Brasil, sempre seguidos por lamentos distorcidos a respeito do tal “golpe” em curso no sul da Bahia. Muitos lamentando o “conservadorismo” dos “golpistas” ou mesmo o dano que os “golpistas” farão na instituição. O que poucos pararam pra pensar antes de reproduzir tais lamentos: que golpe é esse? Quem são os golpistas?

A UFSB vem dando trâmite aos seus processos eleitorais há cerca de um ano. Com uma gestão pro tempore, a segurança jurídica é um tanto quanto reduzida. A gestão pode, legalmente, ser substituída a qualquer tempo pelo Ministro da Educação. Diante disso, a comunidade acadêmica mobilizou esforços no sentido de reforçar a legalidade com o estabelecimento de uma representação eleita por sua comunidade. E assim foi feito, no primeiro semestre desse ano com a eleição de decanos para os Centros de Formação e os Institutos de Humanidades, Artes e Ciências.

O passo seguinte era a reitoria, com votação já agendada e aprovada pelo Conselho Superior da UFSB para o mês de novembro. Numa decisão unilateral e própria, o reitor Naomar na reunião do Conselho realizada na sexta-feira (29) comunicou através de uma videoconferência transmitida de Salvador que entregara seu cargo ao Ministério por meio de uma carta enviada há 9 dias e mantida em sigilo da comunidade por esse tempo.

Nesta carta, surgiram acusações genéricas de “ilegalidades” e de “corrupção” por parte de “membros da gestão” e consequente “golpe”, palavra que, no meu entendimento, acaba sendo utilizada de forma infeliz diante, principalmente, da conotação e simbolismo envolvido na aplicação desta nos últimos anos de nosso país. Leituras tortas, muitas agressivas, surgiram em diversos setores da academia, política e sociedade local e nacional.

O clima criado foi de extrema instabilidade, comprometendo grandemente a segurança e autonomia da instituição, uma vez que tal pós-verdade, repercutindo, pode levar ao pior dos cenários: uma intervenção do Ministério, com a nomeação de uma pessoa distante da realidade institucional e regional, comprometendo, inclusive, o desenvolvimento do projeto da Universidade.

Eventuais denúncias, reverberadas por apoiadores do ex-reitor em redes sociais, que sejam apresentadas através dos meios legais, apuradas e se constatada concretude dos fatos, os responsáveis punidos. Contudo é abjeto pensar no uso de subterfúgios discursivos para obstruir o processo democrático institucional.

Não há golpe na UFSB. Há sim, a construção de um processo democrático de escolha de dirigentes, buscado com legalidade e ampla discussão da comunidade acadêmica. O desejo que move parte significativa da comunidade acadêmica é único: que esse processo democrático se consolide. Que aconteçam eleições na UFSB.

Felipe de Paula é professor da UFSB, campus de Itabuna.

“ATIVIDADES [DA UFSB] PERMANECEM NORMALMENTE”, DIZ REITORA EM EXERCÍCIO

Tempo de leitura: 2 minutos
Vice-reitora assume comando da UFSB com saída de Naomar

Joana assume UFSB após a saída de Naomar

Reitora em exercício da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), a professora Joana Guimarães emitiu comunicado oficial no qual informa que “as atividades permanecem normalmente na instituição” após a saída do reitor Naomar Almeida do cargo.

A exoneração, a pedido, foi tornada pública na última sexta (29), como noticiou o PIMENTA. Naomar já havia encaminhado carta de exoneração ao ministro da Educação, Mendonça Filho, dias antes da reunião do Conselho Universitário (Consuni) da UFSB.

Durante reunião do Consuni, na última sexta (29), Naomar citou planejamento para que a UFSB não sofresse descontinuidade com troca no comando da instituição. Ele também tornou pública uma carta na qual enumera as razões para deixar o cargo (confira em post abaixo).

Abaixo, confira o comunicado da reitora em exercício.

À comunidade da UFSB

Na última reunião extraordinária do Conselho Universitário – CONSUNI, ocorrida em 29 de setembro de 2017, fomos informados sobre o pedido de exoneração do Reitor da nossa universidade. Diante desse fato, na condição de vice-reitora no exercício do cargo de reitora, comunico a todos e todas que as atividades permanecem normalmente na instituição. Todas as decisões tomadas pelo Conselho Universitário serão devidamente encaminhadas e aquelas que ainda não foram deliberadas serão objeto de discussão nas próximas reuniões. Entre as ações urgentes destacam-se;

1) Encaminhamento do processo de colação de grau dos formandos 2017.2

2) Encaminhamento do processo de migração para o segundo ciclo

3) Encaminhamento do cronograma de escolha de dirigentes cuja resolução foi aprovada no último dia 18 de setembro, processo esse iniciado em 2016.

É importante salientar que todos os esses encaminhamentos tem como base o princípio da legalidade e legitimidade, o primeiro seguindo o que tem sido feito até aqui, onde o CONSUNI, como instância deliberativa máxima da instituição, tem legislado sobre todas as questões acadêmicas e administrativas, através de resoluções que tem regulado uma série de ações da instituição a exemplo da criação de cursos de primeiro, segundo e terceiro ciclo, estabelecimento de Políticas de Ações Afirmativas, Políticas de Sustentabilidade, só para citar algumas. O segundo a partir da constituição de um Conselho onde a ampla maioria dos seus membros foram eleitos por seus pares, seguindo a legislação vigente, passando pelo crivo da comunidade. Continuaremos a trabalhar com a inclusão através da ampliação e aprimoramento dos Colégios Universitários, da política de cotas, que deve ser ampliada e aprimorada. Por fim continuamos a seguir o caminho da universidade inclusiva e inovadora sem mudanças significativas que não passem por uma ampla discussão com a comunidade.

Itabuna, 02 de Outubro de 2017

Joana Angélica Guimarães da Luz 
Vice-Reitora no exercício do cargo de Reitora

REITOR DA UFSB PEDE EXONERAÇÃO

Tempo de leitura: 2 minutos
Naomar Almeida pede exoneração do cargo e reclama de golpes internos

Naomar Almeida pede exoneração do cargo e reclama de golpes internos

O reitor pro tempore da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), Naomar Almeida, pediu exoneração do cargo. Carta foi encaminhada ao ministro da Educação, Mendonça Filho. Segundo Naomar afirmou durante reunião do Conselho Universitário (Consuni), a decisão se dá em caráter irrevogável.

O reitor reclamou de golpes internos. Disse ele que um grupo tentou diminuir o feito até agora, sem ter grandeza do que significa o Projeto UFSB, segundo fontes do PIMENTA.

Preocupado com os destinos da UFSB, Naomar disse que não coloca sua decisão em discussão e já definiu um pacto de governabilidade para que a universidade não sofra solução de continuidade.

SEM RANCOR

A decisão, afirmou, é tomada sem rancor ou ressentimentos. Ele se compromete a continuar colaborando pela consolidação da UFSB. As questões internas da universidade não foram expostas na missiva ao ministro da Educação.

A UFSB deverá escolher novo reitor até o final deste ano. O prazo de apresentação de chapas é 8 de novembro. Até aqui, apenas o nome de Joana Guimarães é ventilado. A votação está prevista para dezembro.

RETORNO AO CARGO

Grupos de estudantes e professores decidiram, ao final da reunião do Consuni, criar movimento pela continuidade de Naomar. Como o pedido de exoneração do cargo é irrevogável, o grupo afirmou que trabalhará para que o professor, também ex-reitor da Universidade Federal da Bahia (UFBA), dispute a eleição, retornando ao cargo.

UFSB PREPARA NOVO CONCURSO PÚBLICO

Tempo de leitura: < 1 minuto
Universidade prepara novo concurso (Foto Gabriel Oliveira).

Universidade prepara novo concurso (Foto Gabriel Oliveira).

A Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) aumentará o quadro docente com a realização de novo concurso público. O edital do certame já está sendo preparado pela instituição, que possui campi em Porto Seguro, Teixeira de Freitas e Itabuna, onde funciona a reitoria.

De acordo com informações obtidas pelo PIMENTA, o concurso deverá abrir 72 vagas e atenderá a demanda da UFSB com o início das atividades dos vários cursos de graduação. Até aqui, as primeiras turmas da instituição concluem os bacharelados e licenciaturas interdisciplinares – chamada de Área Básica de Ingresso (ABI).

Após este período dos bacharelados e licenciaturas interdisciplinares, o aluno decide o curso na área afim do bacharelado ou licenciatura para o qual foi aprovado. É a consolidação de um modelo também sonhado pelo reitor Naomar Almeida, ex-Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Edital deverá anunciado pelo reitor Naomar Almeida.

Edital deverá ser anunciado pelo reitor Naomar Almeida.

VEREADOR ILHEENSE CRITICA “CORONELISMO” DE FERNANDO EM DEBATE SOBRE A UFSB

Tempo de leitura: < 1 minuto
Fernando queria UFSB "toda" em Itabuna e Gil o chama de coronel.

Fernando queria UFSB “toda” em Itabuna e Gil o chama de coronel.

O vereador e radialista Gil Gomes condenou a postura do prefeito de Itabuna, Fernando Gomes, que, numa audiência com o reitor Naomar Almeida, lamentou ter parte da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) sendo construída em território ilheense (reveja aqui).

“Esse comportamento do senhor prefeito FG é um absurdo. Ilhéus e Itabuna se complementam. Hoje a política é moderna, ela mergulha numa nova linhagem, e portanto, a política do senhor do engenho e do coronelismo não existe mais”, disse o vereador.

Gil Gomes, um dos profissionais de maior audiência do rádio ilheense, recomendou a Fernando Gomes “renovar a mente”. Para o vereador, Fernando está no grupo daqueles “que se comportam com a mente política do século passado”.

O vereador acrescenta que este não é momento para rivalidade, mas diálogo. “O debate é para a implantação da Região Metropolitana [Ilhéus-Itabuna]. Esse é o debate”, acrescentou.

FERNANDO CRITICA QUE “PARTE DA UFSB” SEJA CONSTRUÍDA EM ILHÉUS

Tempo de leitura: < 1 minuto
Fernando recebe comitiva da UFSB em audiência e critica antecessor.

Fernando recebe comitiva da UFSB em audiência e critica antecessor.

Durante uma audiência com o reitor Naomar Almeida, Fernando Gomes criticou que parte do novo campus da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) – cerca de 80% da área desapropriada – esteja sendo construído em Ilhéus. “Não tenho nada contra Ilhéus, mas brigo e defendo a minha cidade”, disse o prefeito de Itabuna, que não deixou de criticar o antecessor, Vane do Renascer, pela não desapropriação de área de 100 hectares para a construção do campus itabunense.

Naomar, acompanhado da vice-reitora Joana Guimarães e de assessores, foi a Fernando para pedir a desapropriação de área de 40 hectares para construção da sede da reitoria e centro cultural. Ambos agendaram para amanhã (9) visita a uma área de 400 mil metros quadrados no Loteamento Nossa Senhora das Graças para vistoriar a área e analisar se é adequada para o projeto da UFSB.

De acordo com Naomar, a instituição de ensino superior já possui mais de 2 mil alunos matriculados e movimentará cerca de R$ 80 milhões na economia do sul e do extremo-sul do Estado apenas em 2017.

OBRAS DO NOVO CAMPUS DA UFSB COMEÇAM EM NOVEMBRO, DIZ NAOMAR

Tempo de leitura: < 1 minuto
Naomar Almeida anuncia início de obras da sede definitiva da UFSB.

Naomar Almeida anuncia início de obras da sede definitiva da UFSB.

As obras de construção do novo campus Jorge Amado, da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), em Itabuna, começarão em novembro, de acordo com o reitor Naomar Almeida em entrevista ao Blog do Thame. O governador Rui Costa virá a Itabuna para a assinatura da ordem de serviço, na próxima sexta (6.nov.15).

O campus será erguido construído em um terreno entre os municípios de Ilhéus e Itabuna. Desde 2013, quando foi instalado, o campus Jorge Amado e a reitoria da UFSB funcionam em um imóvel em Ferradas, às margens da Rodovia Itabuna-Ibicaraí (BR-415).

A licitação para construção do campus está sendo feita nesta quinta (29). Segundo o reitor Naomar Almeida, 13 empresas participam do certame. Este é o primeiro passo para a implantação da sede definitiva da universidade.

A UFSB iniciou as atividades acadêmicas em 2013. Hoje possui 163 docentes, sendo 162 deles doutores, 140 servidores e matriculados 1.410 alunos. A instituição conta com três campi (Itabuna, Porto Seguro e Teixeira de Freitas). Confira mais no site.

REVOLUÇÃO NAOMARIANA

Tempo de leitura: 2 minutos

jorge portugal2Jorge Portugal | jpportugal@uol.com.br

Não à toa, em recente encontro internacional de educação, realizado na Coreia do Sul, o ministro da Educação, Prof. Renato Janine Ribeiro, classificou a UFSB como uma das duas universidades de vanguarda do Brasil.

Acaba de começar no sul da Bahia uma verdadeira revolução no âmbito do ensino superior do país, e para o ensino baiano em particular. Seu nome: UFSB. Seu comandante-em-chefe: Prof. Naomar Almeida. Sim, ele mesmo que, ainda na condição de reitor da Ufba, implantou a bem sucedida política de ações afirmativas, que mudou a cara e a cor da universidade, e ainda instituiu os Bacharelados Interdisciplinares, buscando atualizar a nossa “Federal”, ajustando-a à moderna visão de universidade, mundo afora. Sei que não foi fácil. Acompanhei a sua árdua luta de convencimento aos seus pares, e vibrei com sua vitória final.

Cumprida a missão “ufbeana”, Naomar partiu para a concretização do seu sonho maior e pleno: a criação da Universidade Federal do Sul da Bahia, dando forma final e definitiva ao modelo que sempre esteve na cabeça de Anísio Teixeira, mas também no bojo do pensamento de Paulo Freire, Darcy Ribeiro e Milton Santos. Não à toa, em recente encontro internacional de educação, realizado na Coreia do Sul, o ministro da Educação, Prof. Renato Janine Ribeiro, classificou a UFSB como uma das duas universidades de vanguarda do Brasil. A outra é a Universidade Federal do ABC paulista.

A UFSB já nasce com um elenco de professores-doutores na sua totalidade; mantém e até amplia a estrutura dos Bacharelados Interdisciplinares e, culminância das culminâncias, em vez de estar narcisicamente voltada para as suas pós-graduações, inclina o seu olhar para o ensino médio da rede pública, como forma de desativar a “bomba social” do país. Por isso, a participação do Prof. Naomar e da UFSB no Pacto Social da Bahia tem sido necessariamente fundamental. Os colégios universitários nas demais cidades onde não há campus formal (Ferradas/Itabuna, Porto Seguro e Teixeira de Freitas) darão nova vida e qualidade aos estudantes da região, que já respirarão o “ar universitário” antes mesmo de ingressar no ensino superior.

Reitor Naomar e sua equipe da UFSB: magníficos!

Jorge Portugal é poeta, educador e secretário estadual de Cultura.
(Artigo publicado no Facebook da UFSB.)

PARA GOVERNO, DOAÇÃO DE TERRENO CONSOLIDA IMPLANTAÇÃO DA UFSB

Tempo de leitura: 2 minutos
Reitor Naomar Almeida em solenidade que assegurou terreno para a UFSB (Foto Josivaldo Dias-SecomBA).

Reitor Naomar Almeida em solenidade que assegurou terreno para a UFSB (Foto Josivaldo Dias-GovBA).

O processo de consolidação da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) avançou com a assinatura, nesta terça-feira (9), do Termo de Cessão de um terreno da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac), órgão do Ministério da Agricultura. A área de 37 hectares, localizada em Ilhéus e parte em Itabuna, vai ser utilizada para a instalação da reitoria e do campus Jorge Amado.

A área, como o PIMENTA mostrou no sábado (6), abrigará laboratórios, salas de aulas e demais estruturas do Instituto de Humanidades, Artes e Ciências, do Centro de Formação em Tecnociências e o Centro de Formação em Agroflorestais.

O secretário estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação, Manoel Mendonça, que representou o governador Rui Costa na solenidade, destacou ser “este um momento histórico para o sul da Bahia, já que a educação é o caminho para a retomada do desenvolvimento regional”.

AÇÕES INTEGRADAS

Para o reitor da UFSB, Naomar Almeida, a cessão do terreno pela Ceplac vai agilizar a instalação dos equipamentos, incluindo um polo de tecnologia. “A universidade tem um papel fundamental no desenvolvimento socioeconômico do sul da Bahia”, afirmou, defendendo ações integradas pelos governos federal e estadual e a sociedade organizada, a exemplo do Programa Todos pela Educação, que tem a UFSB como parceira.

Para a reitora da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), Adélia Pinheiro, a UFSB e a Uesc vão somar esforços para superar os desafios. Estes desafios, disse, “passam por um período de transformações em que a cultura do cacau é importante, mas inclui setores como serviços, tecnologia e agroindústria, gerando um modelo de desenvolvimento sustentável”.

Já o prefeito de Ibicaraí e presidente da Associação dos Municípios do Sul, Extremo-Sul e Sudoeste da Bahia (Amurc), Lenildo Santana, destacou a união em torno de “um projeto que trabalha por uma educação universalizada e de qualidade, do ensino fundamental ao ensino superior, que resulta em inclusão social e oportunidades para todos”.

Além da área cedida pela Ceplac, a Universidade Federal do Sul da Bahia vai dispor de mais 40 hectares doados pela Prefeitura de Itabuna e outros 40 hectares pela Prefeitura de Ilhéus, totalizando 117 hectares para o campus Jorge Amado.

Back To Top