skip to Main Content
18 de abril de 2021 | 12:23 pm

SOANE GALVÃO ENTRE PSD E PSC

Soane tem acenos do PSD, mas poderá optar pelo PSC, segundo site
Tempo de leitura: < 1 minuto

Do Agravo

O prefeito Mário Alexandre, Marão, vem estudando a viabilidade do nome da sua esposa, a ex-secretária de Assistência Social Soane Galvão, para candidatura a deputada estadual.

A candidatura pode ser pelo PSD, partido atual do prefeito e que tem o senador Otto Alencar como mandatário na região. Ao site PIMENTA, o senador afirmou que o partido estimula a candidatura de Soane.

Mas o PSD não é a única opção para a primeira dama. O PSC é outro partido que vem procurando Soane. Vale lembrar que a sogra de Soane, Ângela Sousa, foi deputada pelo PSC por dois mandatos. Confira mais no Agravo.

OTTO DIZ QUE PSD ESTIMULA E AJUDARÁ CANDIDATURAS DE MARCONE E SOANE

Tempo de leitura: < 1 minuto

Otto diz que PSD se compromete a ajudar candidaturas de Soane e Marcone

O senador baiano e presidente estadual do PSD, Otto Alencar, disse que o seu partido estimula as candidaturas a deputado estadual de Marcone Amaral e de Soane Galvão.

Marcone é presidente da Associação dos Municípios da Região Cacaueira (Amurc) e prefeito de Itajuípe. Primeira-dama de Ilhéus, Soane Galvão foi secretária de Desenvolvimento Social do segundo mais populoso município sul-baiano.

– Marcone e Soane têm todas as condições de representar o PSD na região sul na Assembleia [Legislativa]. O partido estimula e se compromete a ajudá-los nessa caminhada – disse o senador Otto Alencar ao PIMENTA.

Questionado se o partido terá outros nomes do sul da Bahia na disputa de 2022 por vagas na Assembleia Legislativa, ele disse que é algo possível. “Pode ser que outros apareçam para a disputa até o fim de março de 2022”.

REGIÃO CACAUEIRA: NOSSAS LUTAS E ANSEIOS

Tempo de leitura: 2 minutos

A candidatura do prefeito de Itajuípe, Marcone Amaral, em chapa única, aponta uma melhoria no nível de compreensão do valor regional por parte dos prefeitos e prefeitas e traz esperança de superarmos as ilhas de poder que constituíram o nosso modelo de atuação política ao longo dos anos.

Rosivaldo Pinheiro

O Litoral Sul da Bahia vem, sistematicamente, sofrendo as consequências da falta de uma ação política coletiva. Essa tática de ação conjunta possibilitaria melhor dinâmica socioeconômica das cidades e regiões, sendo, portanto instrumento decisivo para o processo da construção de saídas aos problemas apresentados.

A região detém grande importância para a economia baiana. Historicamente, temos no cacau a nossa principal identidade. O produto já ditou o nosso modelo econômico e ainda é uma marca forte, geradora de riqueza. Mas, hoje, esse modelo não é mais essencialmente tocado por ele. Nosso perfil econômico encontrou outros nichos: turismo, comércio e serviços se integraram ao nosso portfólio, melhorando o nosso desempenho.

Se ao longo do tempo tivéssemos voz uníssona para cobrar do governo federal, a nossa região seria melhor escutada e as nossas múltiplas pautas ganhariam força, ajudando a destravar importantes ações, como os macro vetores de desenvolvimento, que já estariam em outras fases de implantação. O Porto Sul, a Ferrovia Oeste-Leste, a duplicação da BR-415 e o novo aeroporto possivelmente já seriam realidades.

Destaque-se que, nos últimos anos, a região ganhou uma maior atenção do governo do estado. Prova disso é que importantes obras foram realizadas e entregues nesse período. Essa atenção é oriunda do arco de alianças que chegou ao poder na Bahia a partir do governo de coalisão, tendo em Rui Costa, Jaques Wagner, Otto Alencar e João Leão seus principais expoentes, privilegiando, inclusive, a nossa região com a liderança do governo na Assembleia Legislativa da Bahia, representada pelo deputado Rosemberg Pinto, natural do Médio Sudoeste e que se transformou no principal interlocutor político da região cacaueira.

Nesta sexta-feira teremos a eleição da Amurc (Associação dos Municípios da Região Cacaueira da Bahia), que integra três territórios: Litoral Sul, Extremo Sul e Médio Sudoeste. A candidatura do prefeito de Itajuípe, Marcone Amaral, em chapa única, aponta uma melhoria no nível de compreensão do valor regional por parte dos prefeitos e prefeitas e traz a esperança de superarmos as ilhas de poder que constituíram o nosso modelo de atuação política ao longo dos anos. É preciso compreender que a luta municipalista e a configuração do valor dos territórios são componentes de grande impacto que impõem respeito aos governos centrais.

A frente ampla, pluripartidária, demonstra ser o caminho mais seguro para garantir uma luta política mais coesa e, por consequência, vitoriosa, em favor das providências necessárias para a superação dos nossos principais problemas. Estar alicerçada por uma instituição como a Amurc é também sinal de um novo momento da política regional, que é reflexo da chegada ao poder de novos nomes, e esse é um combustível que alimenta a nossa esperança.

Rosivaldo Pinheiro é economista e especialista em Planejamento de Cidades (Uesc)

OTTO DIZ QUE PACHECO É FAVORITO À PRESIDÊNCIA DO SENADO

Senador baiano Otto Alencar (PSD)
Tempo de leitura: < 1 minuto

O senador Otto Alencar, presidente estadual do PSD avalia a candidatura de Rodrigo Pacheco (DEM-MG) à presidência do Senado como a favorita para vencer o pleito que será realizado no mês de fevereiro. Pacheco é apoiado pelo atual presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP) e por Jair Bolsonaro.

Nesta terça-feira (26), Otto disse ao Bahia.ba nunca quis ser presidente do Senado, apesar de ter condições para vencer a disputa. “Eu nunca quis ser. Eu tinha 32 votos, mas tinha que viajar o Brasil pedindo voto, não iria ganhar a presidência do Senado sentado em minha cadeira aqui em Salvador. Não poderia viajar com essa situação de pandemia no país. O Rodrigo Pacheco é um bom nome, tem bom diálogo com os senadores, é o favorito na disputa. É um cara legal, bom senador, meu amigo”, salienta.

Questionado sobre uma possível candidatura ao governo da Bahia em 2022, o senador foi direto: “Não serei estorvo para ninguém”, completou.

OTTO ALENCAR: “A FORD NÃO MERECE RESPEITO”

Senador baiano Otto Alencar (PSD)
Tempo de leitura: < 1 minuto

O senador baiano Otto Alencar (PSD) usou uma rede social para lembrar das isenções obtidas pela Ford para se instalar na Bahia. Por meio do Twitter, ele afirmou que a montadora norte-americana pratica “capitalismo selvagem”. Mais que isso, disse que “a Ford não merece respeito”.

– A #Ford na Bahia teve doação de terreno, isenções fiscais federais e estaduais, equalização das taxas de juros e empréstimos de longo prazo. A Ford prática capitalismo selvagem. Não merece respeito – escreveu o senador e presidente do PSD baianao.

Ontem (11), a Ford comunicou que encerrará a produção de veículos em todo o Brasil. Os veículos para o país agora serão produzidos na Argentina, Uruguai e até México. A montadora alegou que, há cinco anos, vinha tendo operação deficitária no Brasil.

Somente na fábrica de Camaçari, região metropolitana de Salvador, o fechamento atingirá cerca de 10 mil trabalhadores. Ontem, o governador Rui Costa anunciou grupo de trabalho para atrair nova montadora para o espaço da Ford. Uma das maiores candidatas é a também norte-americana Tesla.

OTTO ALENCAR E FÁBIO VILAS-BOAS NO “BOM DIA BAHIA” NESTE SÁBADO

Tempo de leitura: < 1 minuto

O senador Otto Alencar, presidente do PSD baiano, e o secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas, estão entre os entrevistados da edição deste sábado (12) do Programa Bom Dia Bahia, apresentado por Ederivaldo Benedito (Bené) e Andirlei Nascimento. O programa vai ao ar das 8h às 10h30min.

O Bom Dia Bahia terá participação especial do jornalista Levi Vasconcelos, um dos maiores analistas da política baiana. Levi, Bené e Andirlei vão entrevistar o senador Otto Alencar. O partido presidido pelo senador foi o que mais ganhou prefeituras na Bahia. O Bom Dia Bahia pode ser ouvido clicando aqui.

COM DUELO PT X MDB, ELEITORES DE FEIRA E DE CONQUISTA VOLTAM ÀS URNAS HOJE

Tempo de leitura: 2 minutos

Zé Raimundo e Herzem disputam a Prefeitura de Vitória da Conquista

Os dois maiores colégios eleitorais do interior da Bahia têm promessa de disputa acirrada, voto a voto, neste domingo de segundo turno. O deputado federal Zé Neto (PT) enfrenta o candidato à reeleição pelo MDB, Colbert Martins, em Feira de Santana. Já em Vitória da Conquista, outro Zé, o Raimundo, também petista, enfrenta o candidato à reeleição pelo MDB, Herzem Gusmão.

Zé Neto e Zé Raimundo venceram o primeiro turno, respectivamente, em Feira e Conquista. Zé Neto obteve 41,55% dos votos válidos em 15 de novembro, enquanto Colbert Martins ficou com 38,18% na corrida pelo comando da Princesa do Sertão, como também é chamada Feira de Santana. Em números absolutos, a diferença foi de apenas 9.176 votos em eleição em que 323.990 compareceram à urna.

Zé Raimundo foi o mais votado no primeiro turno em Conquista. Obteve 47,63% dos votos válidos, mas o emedebista e candidato à reeleição, Herzem Gusmão, “colou” no petista. Abocanhou 45,89%, estabelecendo diferença de somente 2.989 votos, conforme o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Na Suíça Baiana, 231.176 eleitores votaram no primeiro turno.

Em Feira, o embate é entre Zé Neto e Colbert Martins || Imagens Bnews

RUI X ACM NETO

Além do embate entre petistas e emedebistas, as disputas de Feira de Santana e de Vitória da Conquista pesam para o equilíbrio de forças na Bahia. Enquanto Zé Neto e Zé Raimundo são apoiados pelo governador Rui Costa e pelo ex-governador e hoje senador Jaques Wagner, Colbert e Herzem são as apostas de ACM Neto para consolidar o bom resultado do campo oposicionista nas 16 maiores cidades baianas no primeiro turno.

Neto, prefeito de Salvador, conseguiu a eleição do seu vice-prefeito, ainda no primeiro turno e com 64,20% dos votos válidos. Bruno Reis comandará a capital baiana a partir de janeiro de 2021.

De quebra, o DEM de ACM Neto ou candidatos aliados venceram em cidades como Camaçari, Barreiras, Juazeiro, Teixeira de Freitas, Porto Seguro e Eunápolis.

Já no caminho oposto, o PT somente conseguiu vitória expressiva em grandes municípios baianos em Lauro de Freitas, com a reeleição de Moema Gramacho. Se a conta incluir partidos aliados, levou Itabuna, Ilhéus e Jequié e Paulo Afonso. O porém é que aliados fizeram duras críticas – públicas – ao governador e ensaiam voo solo em 2022, com Otto Alencar disputando o Palácio de Ondina.

OTTO ALENCAR, MARÃO, HUMBERTO BARRETO E RAIMUNDO DO SINTESI NO “BOM DIA BAHIA”

Marão, Otto Alencar, Humberto Barreto, Luciano Veiga, Raimundo do Sintesi e Jairo Xavier participam do programa
Tempo de leitura: < 1 minuto

Senador, prefeitos, médicos e sindicalistas avaliam as medidas adotadas pelos governos estadual e municipais e sociedade em dois meses de pandemia do coronavírus no mundo, neste sábado (9), no Bom Dia Bahia, na Rádio Difusora, a partir das 8h da manhã. Médico, o senador Otto Alencar será um dos entrevistados do programa, que terá ainda os também médicos Humberto Barreto (ex-secretário de Saúde de Itabuna) e Jairo Xavier, o prefeito Mário Alexandre (Ilhéus) e Raimundo Santana, dirigente do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde de Itabuna e Região (Sintesi).

Além de fazer um balanço dos dois meses de pandemia, eles abordarão ações efetivas adotadas na região para superar a crise de social e econômica com o novo coronavírus. Secretário-executivo da Associação dos Municípios da Região Cacaueira (Amurc), Luciano Veiga também participará do programa. As entrevistas serão feitas na plataforma Zoom.

O Bom Dia Bahia programa terá a participação do cardiologista itabunense Jairo Xavier e do secretário-executivo da Amurc-Associação dos Municípios do Sul, Extremo-sul e Sudoeste da Bahia, Luciano Veiga. Os ouvintes poderão interagir por meio do Whatsapp (73)98889-1909.

Apresentado por Ederivaldo Benedito-Bené e o advogado Andirlei Nascimento, com Sheila Lima como operadora de áudio, o Bom Dia Bahia vai ao ar aos sábados, das 8h às 10h, pela Difusora de Itabuna AM-640.

MORRE EX-PREFEITO DE ITARANTIM E IRMÃO DO SENADOR OTTO ALENCAR

Tempo de leitura: < 1 minuto

Cícero Alencar, ex-prefeito de Itarantim e irmão do senador Otto Alencar (PSD-BA), faleceu neste sábado (7), em Itapetinga. Pecuarista, Cícero sofreu um infarto fulminante, na própria residência, no município do sudoeste baiano.

Cícero foi prefeito de Itarantim no período de 1993 a 1996 e ensaiava participar da disputa de 2020. Políticos e dirigentes de entidades lamentaram a morte do ex-prefeito, a exemplo da Associação dos Municípios do Sul, Extremo Sul e Sudoeste da Bahia (Amurc).

O presidente da Amurc, Aurelino Cunha (Lero Cunha), manifestou profundo pesar pela morte de Cícero. “Neste momento de grande tristeza, rogamos a Deus que conforte a família e os amigos por esta perda inestimável”.

PSD LANÇA PRÉ-CANDIDATURA DE AUGUSTO CASTRO À PREFEITURA DE ITABUNA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Otto confirma participação em evento das mulheres e do pré-candidato Augusto Castro

Os senadores Otto Alencar e Angelo Coronel estarão em Itabuna nesta quinta-feira (28) para participar do Encontro do PSD Mulher e do lançamento da pré-candidatura de Augusto Castro a prefeito do município pelo PSD. O evento será no plenário da Câmara de Vereadores de Itabuna, a partir das 18h.

O PSD aposta em Augusto para a disputa pela prefeitura de maior orçamento do sul e extremo-sul da Bahia. O partido já comanda, na Região Cacaueira, Ilhéus, com Mário Alexandre, e Jussari, com Valete. Já o presidente do PSD de Itabuna, Alcântara Pellegrini, também fala em reconhecimento à mulher com a promoção de encontro regional, hoje.

 

OTTO E O GRUPO DOS 13

Tempo de leitura: 2 minutos

Marco Wense

 

Esse confronto Otto versus PT já era esperado. Até as freiras do convento das Carmelitas sabiam que, mais cedo ou mais tarde, o pega-pega seria inevitável.

 

Davidson Magalhães, presidente do PCdoB da Bahia, foi mais um da base aliada do governo estadual a criticar a declaração do senador Otto Alencar, que chamou de “incoerentes” os parlamentares que votaram contra a reforma Previdenciária.

Davidson, que é também secretário do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte, achou “injusta” a opinião do senador, que é presidente estadual do PSD e pré-candidato a governador na sucessão de 2022.

Otto condenou o fato de votarem a favor da mudança no sistema de aposentadoria do Estado e ser contra a reforma bolsonariana. O comunista rebateu dizendo que “as propostas do governo Bolsonaro e da gestão de Rui Costa são coisas completamente diferentes”.

Otto peitou o “Grupo dos 13”, formado por deputados federais do PT, PCdoB, PSB, PDT e PP. Todos com cargos no primeiro escalão do governo Rui Costa.

A firmeza do senador, cada vez mais se distanciando do petismo, foi elogiada pelos presidentes Jair Bolsonaro, Rodrigo Maia e ACM Neto, respectivamente da República, Câmara dos Deputados e DEM nacional.

De todo esse bafafá, ficou a forte impressão que Otto Alencar não iria girar sua metralhadora para 13 deputados da base sem saber qual seria a reação do governador Rui Costa. Não iria comprar uma briga com legendas aliadas para contrariar o chefe do Palácio de Ondina.

Nos bastidores, longe dos holofotes e do povão de Deus, o que se comenta é que Rui sabia que Otto iria criticar o “Grupo dos 13”.

A atitude de Otto é encarada como mais um passo para se distanciar do PT, que já decidiu que não abre mão de candidatura própria no pleito de 2022 para o governo do Estado.

Esse confronto Otto versus PT já era esperado. Até as freiras do convento das Carmelitas sabiam que, mais cedo ou mais tarde, o pega-pega seria inevitável.

PS – A segunda etapa do modesto Editorial do Wense vai até o número 200. Somados com os 300, um total de 500. Não vai ser fácil. Depois, quem sabe, um livro.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

EM EVENTO COM OTTO E KASSAB, EX-DEPUTADO AUGUSTO CASTRO FILIA-SE AO PSD

Tempo de leitura: < 1 minuto

Sob olhar de Otto, Augusto Castro assina filiação ao PSD || Foto Vagner Souza/BNews

Ex-deputado estadual por dois mandatos, Augusto Castro acaba de assinar a ficha de filiação ao PSD nesta manhã de segunda-feira (6) em evento do partido no auditório da União dos Municípios da Bahia (UPB), em Salvador. A ficha foi abonada pelo senador e presidente estadual do PSD, Otto Alencar, e o presidente nacional da legenda, Gilberto Kassab, em ato do Diretório Municipal da capital baiana e que reúne representantes da sigla em todo o estado.

Augusto foi deputado estadual pelo PSDB de 2011 a 2019. Deixou o partido apontando discordâncias com a principal liderança de oposição no Estado, o prefeito de Salvador, ACM Neto. Para o ex-tucano, Neto comprometeu as oposições na Bahia ao deixar de disputar o governo do Estado em 2018.

O ex-deputado é dos nomes cotados para disputar a Prefeitura de Itabuna em 2020. Há uma semana vem se reunindo com prefeituráveis de siglas da base de sustentação ao governo do Estado no município, a exemplo de Eric Ettinger Júnior, provedor da Santa Casa de Itabuna e filiado ao PP.

A FORÇA DE ACM NETO; E A REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Tempo de leitura: 2 minutos

Marco Wense

 

Em relação ao gestor de Salvador, é evidente que presidir nacionalmente uma legenda (DEM), que tem três ministros e os presidentes das duas Casas Legislativas, a Câmara dos Deputados e o Senado da República, respectivamente com Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, é uma invejável prerrogativa.

 

Dois assuntos hoje no editorial: a “fraternidade” da Reforma Previdenciária e a “força” do prefeito ACM Neto.

O atento e perspicaz leitor, percebe logo que tem duas palavras aspeadas. Não estão na própria acepção, no sentido verdadeiro, sem causar dúvidas e variadas interpretações.

Ora, ora, como falar de reforma fraternal, como diz o governo Bolsonaro, se querem desatrelar o Benefício da Prestação Continuada (BPC), concedido aos idosos e pessoas de baixa renda, em condição de miserabilidade, do salário mínimo?

Salta aos olhos, e não precisam que sejam do mesmo tamanho dos da coruja, que a reforma da Previdência é imprescindível, sem a qual o país se enterra sob 17 palmos de terra.

Mas tenha santa paciência! Que coisa hein! Que irmandade é essa que empurra os miseráveis para a beira da cova, sem dó e piedade?

Portanto, em vez de ficar prejudicando os “descamisados”, que se corte os vergonhosos privilégios de determinados segmentos da sociedade. Só assim teremos uma reforma previdenciária justa e fraterna.

Em relação ao gestor de Salvador, é evidente que presidir nacionalmente uma legenda (DEM), que tem três ministros e os presidentes das duas Casas Legislativas, a Câmara dos Deputados e o Senado da República, respectivamente com Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, é uma invejável prerrogativa.

O problema é que ACM Neto não teve a força de indicar ninguém do seu staff político para o primeiro escalão do governo bolsonariano. Os três ministros democratas foram considerados da cota pessoal do presidente Jair Messias Bolsonaro.

Quanto a Maia e a Alcolumbre, o alcaide soteropolitano não influenciou em nada a eleição de ambos. E mais: alguns partidos de esquerda tiveram um papel mais importante que ACM Neto, agora animadíssimo com sua pré-candidatura ao Palácio de Ondina na sucessão de 2022.

O adversário mais provável do democrata é o senador Otto Alencar, o comandante estadual do PSD. Não acredito em uma traição do PT, lançando candidatura própria.

Marco Wense é articulista político e colunista do Diário Bahia.

OTTO ATACA PP NA DISPUTA PELA AL-BA: "ANTIÉTICO"

Tempo de leitura: < 1 minuto

Otto acusa PP de agir sem ética na disputa pelo comando do AL-BA

O senador e presidente do PSD baiano, Otto Alencar, disse ter boas relações com o PP no Estado, mas atacou a estratégia adotada pelos progressistas na disputa pela presidência da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA). Na terça (13), o vice-governador João Leão se reuniu com o presidente estadual do PCdoB e com a bancada de deputados estaduais eleitos comunistas e deles obtiveram garantia de apoio a Nelson Leal na disputa pela cadeira principal da AL-Ba (relembre aqui).
Otto enxergou deslize ético do PP na estratégia. Ao Bahia.ba, o senador baiano assim se expressou:
– Não tenho nada contra Nelson Leal, nada contra João Leão, mas o atual presidente da Casa e senador eleito, Angelo Coronel, precisa ser ouvido. Eu fui ouvido na época da minha sucessão, Coronel tem que ser ouvido. O governador tem que ser ouvido, Jaques Wagner também. Os presidentes dos partidos. É antiético.

CORONEL DIZ QUE CANDIDATURA AO SENADO DEPENDE DE OTTO ALENCAR

Tempo de leitura: < 1 minuto

Coronel durante a Lavagem do adro da Igreja Matriz de Pojuca, neste domingo

Presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, o deputado estadual Angelo Coronel (PSD) disse que dependerá de Otto Alencar a sua candidatura ao Senado Federal. “O meu nome poderá constar, ou não, na chapa majoritária do governador Rui Costa. Fazendo uma correlação com o futebol, sou jogador do meu partido, o PSD, sob o comando do senador Otto Alencar”.
E completou: “Estou em forma e pronto para entrar em campo, mas a decisão é de quem escala o time”. Ao mesmo tempo, Coronel deixa claro, ainda, que uma das vagas à Câmara Alta do Congresso já é do PSD. “Mesmo se não jogar, ficarei no banco, trabalhando pela reeleição do governador Rui Costa”, disse.
As afirmações foram feitas durante a participação de Angelo Coronel na Festa do Senhor Bom Jesus da Passagem, em Pojuca. Há, nelas, um jogo de palavras, quando Coronel diz que é jogador do PSD e o comando é do senador Otto Alencar. E, logo depois, fala em escalação de time e ficar ou não no banco (“mesmo se não jogar, ficarei no banco”). Também assume compromisso com a reeleição do governador Rui Costa.

Back To Top