skip to Main Content
5 de abril de 2020 | 07:55 pm

ITABUNA: ROSIVALDO PINHEIRO DISPUTARÁ VAGA NA CÂMARA PELO PP

Rosivaldo Pinheiro e Minas Aço em filiação ao PP de Itabuna
Tempo de leitura: 2 minutos

Após convites de vários partidos, o comunicador e economista Rosivaldo Pinheiro escolheu disputar cadeira na Câmara de Vereadores de Itabuna pelo Partido Progressista (PP), o mesmo do vice-governador da Bahia, João Leão. Desde que saiu do PCdoB, em 2017, Rosivaldo sempre deixou claro que escolheria um partido da base do governador Rui Costa.

No PP local, Pinheiro se junta a Roberto Minas Aço, empresário e presidente do PP no município, responsável, juntamente com Aldenes Meira, pela ida de Rosivaldo para o Progressista.

Minas Aço diz que o partido está se renovando e busca pessoas como Rosivaldo “que chegam para somar, qualificando ainda mais o debate no cenário político. Sei da imensa capacidade dele de pensar e realizar. Juntos faremos um grande time”, que falou do entusiasmo da cúpula estadual do PP, do vice-governador João Leão e do secretário-geral Jabes Ribeiro com a chegada do novo filiado, apontando-o como “um político ímpar e ser humano de grande valor”, destacou Roberto Minas Aço.

CAMINHOS DIFERENTES PARA ITABUNA

Rosivaldo anunciou a filiação ao PP falando de sonhos e vontade de construir “um caminho diferente” para Itabuna. “Tenho imenso desejo de ajudar minha cidade, mais do que faço individualmente e com os amigos e do que já fiz ao longo da minha vida, desde muito jovem contribuindo com proposições e ações, inclusive na minha passagem pela Câmara e no comando da Secretaria de Indústria, Comércio, Agricultura e Turismo de Itabuna”, ressaltou.

Rosivaldo também mencionou a força política do PP, com o vice-governador João Leão, e o fato de estar na base aliada do governador Rui Costa e ter o apoio do deputado estadual Rosemberg Pinto e do prefeiturável Aldenes Meira, ex-presidente da Câmara de Vereadores de Itabuna. “Tudo isso me levou ao encontro do Partido Progressista nesse meu momento de vida”, disse ele, que também é especialista em Planejamento de Cidades pela Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc).

OLÍVIA SANTANA ABRE DISCUSSÕES DE PROGRAMA DE GOVERNO PARA SALVADOR

Tempo de leitura: < 1 minuto

Olívia Santana é pré-candidata do PCdoB à Prefeitura de Salvador

A direção municipal do PCdoB em Salvador marcou para a próxima quarta-feira (12) o início dos debates de elaboração do programa de governo da pré-candidatura de Olívia Santana à prefeitura da capital baiana. Em rota de colisão com o governador Rui Costa, a pré-candidatura comunista será a primeira a iniciar as discussões sobre a cidade neste ano eleitoral.

A atividade será no Wish Hotel da Bahia, no Campo Grande, a partir das 18h. Segundo o partido, o tema será ‘Salvador, desigualdades sociais e transformações do espaço urbano’. Foram convidados para o debate o professor Gilberto Corso Pereira (Arquitetura/UFBA) e a pesquisadora Claudia Monteiro Fernandes (Observatório das Metrópoles). O evento é aberto “aos interessados no projeto de uma cidade mais humana e mais igual”, segundo a direção do PCdoB-Salvador.

ELEIÇÕES 2020: PSD SE INTEGRA A FRENTE COM PT, PCdoB E PSB EM ITABUNA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Membros de PSD, PSB, PT e PCdoB discutem frente para eleições de 2020

O PSD decidiu se incorporar a frente partidária formada por PCdoB, PT e PSB na construção de programa de gestão para Itabuna. O foco é a eleição a prefeito do próximo ano. Os três partidos de esquerda já vinham se reunindo com frequência para definir um programa para as eleições de 2020 no maior município baiano e, agora, ganhou o reforço da legenda de Otto Alencar e que tem o ex-deputado Augusto Castro como pré-candidato a prefeito.

Todas as legendas possuem nomes para colocar à disposição da frente, na avaliação de membros de PT, PCdoB e PSB, mas eles dizem que, no atual momento, a prioridade é discutir conceitos políticos e administrativos que unam as legendas.

O PT tem Geraldo Simões e Júnior Brandão e o PCdoB definiu Jairo Araújo como pré-candidato. O PSB tem à frente o ex-deputado Renato Costa, que também já foi vice-prefeito de Itabuna, e pode apresentar como pré-candidato o vereador Aldenes Meira.

Os partidos se comprometeram a promover seminários temáticos para debater com a sociedade “os desafios para a construção de uma cidade melhor para se viver”. Na próxima sexta (20), os partidos farão um almoço de confraternização.

A BASE ALIADA E O PDT DE MANGABEIRA

Tempo de leitura: 2 minutos

Marco Wense

 

 

Como o governador petista Rui Costa é aliado do alcaide Fernando Gomes, os partidos da base de sustentação política ficam com receio de magoar o chefe do Palácio de Ondina. Alguns até temem um puxão de orelha.

 

Das legendas que integram a base aliada do governador Rui Costa, só o PDT, sob o comando do médico Antônio Mangabeira, faz oposição declarada ao governo Fernando Gomes, ainda sem partido depois que rompeu com ACM Neto (DEM).

PCdoB de Davidson Magalhães, PSB de Renato Costa, PR, PP, PSD e outras legendas de menor expressão, estão silenciosas em relação a gestão municipal. Os senhores dirigentes fogem da crítica como o diabo da cruz.

Como o PCdoB tem seu representante na Câmara de Vereadores, o edil Jairo Araújo, que faz oposição ao governismo municipal, termina amenizando o cruzar dos braços e a inércia do comunismo tupiniquim.

O PSB fica sem saber o que fazer, já que tem figuras importantes do partido no primeiro escalão do governo estadual, hoje aliado de Fernando Gomes, que em priscas eras era um ferrenho inimigo do petismo.

Mais cedo ou mais tarde, o eleitorado vai querer saber qual é a posição dos comunistas e socialistas no tocante ao governo FG. O limite para o atucanismo, obviamente ao modo PSDB, tem um prazo. Ou seja, não se consegue ficar em cima do muro por muito tempo.

Essa indefinição, que atinge quase todas as agremiações partidárias de Itabuna, é que faz Mangabeira crescer nas pesquisas de intenções de voto, ficando em uma situação confortável em relação ao segundo colocado.

Queiram ou não, o PDT é, pelo menos até agora, o único partido de oposição escancarada ao governo Fernando Gomes, sem fazer arrodeios e sem adotar a política do assopra pelo dia e morde pela noite.

Como o governador petista Rui Costa é aliado do alcaide Fernando Gomes, os partidos da base de sustentação política ficam com receio de magoar o chefe do Palácio de Ondina. Alguns até temem um puxão de orelha.

O prefeiturável Antônio Mangabeira, que em duas eleições – prefeito e deputado federal – obteve 20 mil votos em Itabuna, com essa escassez de oposição a FG, só faz ficar cada vez mais favorito na sucessão de 2020.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

DE SAÍDA DO PCdoB, “DAL” DEVE IR PARA O PP

Tempo de leitura: < 1 minuto

Eleito pelo PCdoB, Dal estaria de malas prontas para o PP, segundo coluna

O deputado estadual eleito Adalberto Barreto, o Dal, deverá se filiar ao PP do vice-governador João Leão, de acordo com a Satélite, coluna do Correio24h. Dal foi eleito pelo PCdoB. A saída da legenda dos “cururus” estava decidida desde a confirmação de eleição do futuro parlamentar.

O PCdoB deverá buscar a vaga de Dal na Justiça Eleitoral. Já o deputado estadual eleito disse que não teme perder o mandato, pois o PCdoB não alcançou votos suficientes para superar a cláusula de barreira. Ainda nos bastidores, era comentada saída do deputado estadual reeleito Bobô, gerando segunda baixa no partido de esquerda.

GOVERNO DEVE RETIRAR PROJETO DO REGIME JURÍDICO E DIALOGAR MAIS, ALERTA ALDENES

Tempo de leitura: 3 minutos

Aldenes defende retirada de projeto e que governo amplie negociações

O vereador Aldenes Meira (PCdoB) defendeu a retirada do projeto que altera o regime jurídico do servidor itabunense de celetista para estatutário. A mudança está em discussão na Câmara de Vereadores e levou os servidores à greve, iniciada na última sexta (10). “A gente está discutindo com o prefeito [Fernando Gomes] a retirada do projeto para que se dialogue mais [com os servidores]. Ou retira ou ele manda uma mensagem aditiva”, disse Aldenes em entrevista ao PIMENTA.
Desde a segunda-feira (13), escolas não abrem e unidades de saúde estão funcionando com apenas 30% dos servidores como forma de pressionar o governo a rever o projeto. “Melhor caminho para o governo é retirar e manter diálogo”, afirma Aldenes. A Câmara também não vota nem analisa projetos desde a segunda, quando os servidores iniciaram a ocupação do Legislativo.
PRÓS E CONTRAS DE MUDANÇA
O vereador diz que há prós e contras na mudança do regime jurídico. Hoje, os servidores são regidos pela Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) e mudariam para o Estatutário, com perda do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e rescisões na Justiça do Trabalho. Com a mudança de contrato, as questões seriam tratadas na Justiça Comum (Fazenda Pública).
“O grande questionamento é o FGTS. Como compensação, o governo ofereceu quinquênio, mas os servidores querem anuênio. A gestão quer discutir o Plano de Cargos e Carreiras em um prazo de 180 dias. Os servidores reivindicam que as discussões do Plano ocorram concomitantemente com a discussão da mudança de regime”, observa Aldenes.
“ESTRATÉGIA DOS SERVIDORES É CORRETA”
O vereador e ex-presidente da Câmara observa que o FGTS é um dos pontos que os prefeitos, ao longo dos tempos, não respeitam. “Parcelam, mas não depositam, prejudicando os servidores”, acrescentando que a Câmara até já votou projeto de individualização do FGTS em outras legislaturas.
Para ele, uma das vantagens com a mudança para o Regime Estatutário estaria na aposentadoria. Os cálculos são de que o valor de aposentadoria equivaleria a 1,3 do salário com a adoção da progressão, por exemplo, para quem já é servidor há dez anos. Como exemplo, Aldenes cita o servidor que recebe o mínimo. Em vez de se aposentar com salário mínimo, receberia em torno de R$ 1,3 mil com o fator de progressão, em valores de hoje. Os servidores, na avaliação do vereador, utilizam estratégia correta ao pressionar por mais negociação. “Tem que fazer pressão para que o governo ceda, neste sentido”.
PERDA DE MANDATO
Aldenes disse ter estranhado a nota emitida pelo diretório municipal do PCdoB, ontem à noite. Mas preferiu não falar da postura do comitê itabunense. “Conversei com Davidson [Magalhães, presidente estadual do PCdoB]. Acho que nem estava sabendo [da nota pública]“, afirmou Aldenes.
Ao PIMENTA, o vereador antecipou que somente irá se posicionar quanto à nota do partido depois de nova conversa com Davidson. Na nota de ontem, o PCdoB ameaçou tomar o mandato de Aldenes (reveja aqui). O vereador, porém observa: “a votação da mudança de regime é um processo muito dialogado. Inclusive, Jairo [Araújo, vereador do PCdoB] e Wilmaci [Oliveira, presidente do Sindserv] colocaram todas as emendas necessárias. De última hora, mudaram”, acrescentou.
Atualização às 11h05min – Há pouco, o presidente da Cãmara de Vereadores de Itabuna, Chico Reis (PSDB), decidiu adiar a votação do projeto. Mais cedo, houve audiência de conciliação entre servidores e a Câmara em ação judicial de desocupação do Legislativo. O presidente definiu votação para o dia 29.

DAVIDSON QUESTIONA RUI COSTA E FALA EM "IRRITAÇÃO" DO PCdoB COM O GOVERNADOR

Tempo de leitura: 2 minutos

Davidson questiona método de Rui || Foto Pimenta

O PCdoB decidiu falar grosso. Davidson Magalhães, presidente estadual da legenda, questionou a forma como o governador Rui Costa está montando a chapa majoritária. O nome de Davidson foi ventilado para a primeira suplência do virtual candidato a senador na chapa governista, porém sem consulta prévia ao PCdoB.
– Não temos nada contra a suplência de Angelo Coronel e do PSD. O problema é uma questão de método, de forma como se discute e pactua politicamente as coisas. A nossa irritação foi exatamente nesse sentido – disse o dirigente comunista numa entrevista ao site Bahia Notícias, de Salvador, reclamando que do muito que soube da montagem da chapa foi pela imprensa.
O dirigente estadual também cobrou fatura. “Na crise somos partido de primeira, mas no momento de definição nós também temos que ser um partido de primeira. Estar de lado na discussão nos incomodou bastante”, revelou.
O PCdoB não é o único a externar insatisfação com o fato de ir para a suplência de uma das vagas ao Senado Federal na chapa governista. Presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira avisou que a exclusão da senadora Lídice da Mata da chapa terá consequências. O partido trata a reeleição de Lídice como prioridade. Falta combinar com Rui…
O GRITO DE LÍDICE E O “NÃO” DE ACM NETO
A própria Lídice gritou. E com legitimidade. Classificou como absurda a hipótese – cada vez mais real – de ficar fora da disputa à reeleição, dando ao PSB a suplência de Jaques Wagner, pré-candidato ao Senado. “Querem tirar a única mulher da chapa majoritária do governador”.
Explorando a crise na base governista, a oposição chegou até a cogitar a hipótese de apoiar Lídice como candidata ao Senado. A bola foi levantada pelo deputado federal Jutahy Jr. (PSDB), mas o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), jogou água no chopp do tucano. Praticamente, fechou a porta para essa possibilidade. Hoje, os opositores têm como candidato a governador o ex-prefeito de Feira de Santana José Ronaldo, além de Jutahy e Irmão Lázaro no páreo para disputar vagas ao Senado.

MANUELA D´ÁVILA DIZ QUE "GOLPE" FOI PARA "INSTALAR PROJETO ANTINACIONAL" NO BRASIL

Tempo de leitura: 2 minutos

Manuela D´Ávila durante evento em Itabuna

Pré-candidata a presidente da República pelo PCdoB, a deputada estadual gaúcha Manuela D´Ávila disse neste sábado (9), em Itabuna, que o impeachment de Dilma, classificado por ela como “golpe”, teve o fim de “instalar projeto antinacional” no Brasil. “Enquanto aumenta o desemprego, com o Temer, aumenta o lucro dos bancos. A razão principal do golpe foi instalar um projeto antinacional e não melhorar a vida do povo”, disse ela, no auditório do Instituto de Cultura Espírita de Itabuna (ICEI).
O evento reuniu cerca de mil pessoas, segundo a organização, e teve a participação de militantes e a presença da cúpula do PCdoB baiano. Manuela lamentou que 30% da população economicamente ativa do país esteja desempregada ou subocupada. “Vivemos no Brasil uma crise que faz com que, cada dia mais, a pobreza seja visível aos olhos de cada brasileiro e cada brasileira”, observou, pontuando que são 14 milhões de desempregados e 11 milhões de subocupados.
– O próximo presidente do Brasil, eu espero que seja a próxima, porque eu espero que seja eu, enfrente os problemas relacionados ao nosso povo. Temos que superar essa crise com um projeto nacional de desenvolvimento, um país livre para seguir o seu caminho, por isso que o nosso manifesto é ‘Liberdade para o Brasil’, que garanta o desenvolvimento e gere emprego – disse ela.
Para Davidson Magalhães, presidente do PCdoB na Bahia, a greve dos caminhoneiros foi a maior demonstração do fracasso do golpe. Na avaliação do dirigente estadual, o lançamento do nome de Manuela é oportunidade para a legenda dizer o que pensa como saída da crise e esforço de buscar unidade das forças políticas “para impedir o retrocesso econômico, político e social do Brasil”.

PRESIDENCIÁVEL MANUELA D´ÁVILA PARTICIPA DE DEBATE EM ITABUNA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Manuela d´Ávila participará de debate em Itabuna || Foto Divulgação

A pré-candidata à presidência da República pelo PCdoB, Manuela D’Ávila, participará de encontro com lideranças e militantes regionais em Itabuna. O evento será no próximo sábado (9), no Instituto de Cultura Espírita de Itabuna (ICEI), às 9h30min.
Manuela D´Ávila debaterá sobre democracia, emprego e desenvolvimento em evento que contará com a presença do presidente estadual do PCdoB, Davidson Magalhães, do presidente da Bahiagás, Luiz Gavazza, e dos deputados federais Alice Portugal e Daniel Almeida.
Jornalista e deputada estadual pelo Rio Grande do Sul, Manuela D´Ávila cumpriu dois mandatos como deputada federal e foi líder do PCdoB na Câmara dos Deputados. Indicada três vezes pelo Diap como uma das “100 Cabeças do Congresso” e cinco vezes ao Prêmio Congresso em Foco, que premia os melhores parlamentares do Brasil.
Será a segunda vez, neste ano, que o município sul-baiano receberá a visita de presidenciável. Em maio, Álvaro Dias, do Podemos, também participou de eventos em Itabuna, quando se reuniu com filiados ao partido, além de produtores rurais e empresários do sul do Estado.

PCdoB LANÇA PRÉ-CANDIDATURA DE MANUELA D´ÁVILA À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Tempo de leitura: 2 minutos
Manuela d´Ávila é lançada como pré-candidata pelo PCdoB || Foto Divulgação

Manuela d´Ávila é lançada como pré-candidata pelo PCdoB || Foto Divulgação

O PCdoB emitiu comunicado, neste domingo (5), para anunciou o lançamento da pré-candidatura da jornalista e ex-deputada federal e deputada estadual gaúcha Manuela d´Ávila. O comunicado é assinado pela presidente nacional do partido, Luciana Santos.

“Trata-se de uma pré-candidatura que tem como algumas de suas linhas programáticas mais gerais a retomada do crescimento econômico e da industrialização; a defesa e ampliação dos direitos do povo, tão atacados pelo atual governo”, informa o comunicado. Confira a íntegra da nota, abaixo.

1. O Partido Comunista do Brasil decidiu na data de hoje lançar a pré-candidatura de Manuela d’Ávila à Presidência da República. 

2. Trata-se de uma pré-candidatura que tem como algumas de suas linhas programáticas mais gerais a retomada do crescimento econômico e da industrialização; a defesa e ampliação dos direitos do povo, tão atacados pelo atual governo; a reforma do Estado, de forma a torná-lo mais democrático e capaz de induzir o desenvolvimento com distribuição de renda e valorização do trabalho. 

3. Manuela d’Ávila é jornalista, tem 36 anos e é deputada estadual desde 2014, a mais votada naquele pleito. Cumpriu dois mandatos como deputada federal, tendo sido, nas duas ocasiões, a mais votada do Rio do Grande do Sul. Em 2010, teve mais de 400 mil votos, o que representou 8,06% dos sufrágios. Foi líder do PCdoB na Câmara dos Deputados, indicada três vezes pelo DIAP como uma das 100 “Cabeças” do Congresso e cinco vezes ao Prêmio Congresso em Foco, que premia os melhores parlamentares do Brasil. Na Câmara Federal, Manuela foi autora da Lei do Estágio e relatora do Vale-Cultura e do Estatuto da Juventude, presidiu a Comissão de Direitos Humanos e foi coordenadora da bancada gaúcha.

4. Será convocada uma entrevista coletiva com a deputada Manuela d’Ávila e a presidenta do PCdoB, Luciana Santos, na qual mais detalhes serão oferecidos à imprensa. 

São Paulo, 5 de novembro de 2017

Luciana Santos 
Presidenta Nacional do PCdoB

Leia Mais
Back To Top