skip to Main Content
6 de julho de 2020 | 09:53 pm

VANE, RELIGIÃO E POLÍTICA

Tempo de leitura: < 1 minuto

marco wense1Marco Wense

Revigorado com uma pesquisa que aponta uma melhora na avaliação do governo, o prefeito Claudevane Leite volta a sonhar com o segundo mandato.

Nos bastidores, o tititi é de que o PCdoB não teve acesso a essa nova consulta financiada pelo chamado “núcleo vanista”, que tem na linha de frente Oton Matos, controlador-geral do município.

Ansiosamente esperada, principalmente pelo enigmático chefe do Executivo, é a enquete que será feita no segmento evangélico. É essa que vai decidir se Vane será ou não candidato à reeleição.

Se o alcaide não disputar o processo sucessório de 2016, o Centro Administrativo vai pegar fogo. As grandes labaredas surgirão do duelo entre o PCdoB e o PRB.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

SEM CRISE

Tempo de leitura: < 1 minuto

Davidson diz que não há crise no PCdoB ilheense.O deputado federal Davidson Magalhães não enxerga crise no PCdoB de Ilhéus, apesar da renúncia do presidente do Diretório Municipal, Rodrigo Cardoso.

Defensor da tese de que os cururus devem sair do Governo Jabes, Rodrigo deixou a presidência ao ver o partido assumindo mais uma secretaria na Prefeitura de Ilhéus.

Davidson busca amenizar o clima. Segundo ele, não há turbulência no partido. Rodrigo, diz o deputado, sai da presidência do diretório porque vai cuidar de sua candidatura a vereador.

Como já anunciado, Josenaldo Cerqueira (Jô), ex-presidente do PCdoB de Itabuna, assumirá o diretório ilheense – e também a Secretaria de Turismo de Ilhéus.

A posse de Jô, aliás, estava prevista para a quinta-feira passada, mas foi adiada por causa da participação do prefeito Jabes Ribeiro na marcha nacional de gestores municipais em Brasília.

JÔ ASSUME SECRETARIA DE TURISMO NA QUINTA

Tempo de leitura: < 1 minuto
Jô assume Turismo de Ilhéus na quinta (28).

Jô assume Turismo de Ilhéus na quinta (28).

Longe de representar um consenso no diretório municipal do PCdoB, a nomeação do comunista Josenaldo Cerqueira (Jô) para comandar a Secretaria de Turismo de Ilhéus vai acontecer na próxima quinta (28).

O assunto, que corre há cerca de um mês nos bastidores, só foi discutido com os comunistas ilheenses na última sexta (22), quando o deputado federal Davidson Magalhães veio à cidade aparar as arestas.

Boa parte da executiva municipal do partido, incluindo o presidente, o sindicalista Rodrigo Cardoso, é contrária à ocupação de mais espaço, pelo partido, no Governo Jabes. Os cururus já indicaram a secretária de Educação, Marlúcia Rocha.

A posição contrária do diretório municipal – que não é por conta do nome de Jô -, ficou clara quando o vice-prefeito de Itabuna, Wenceslau Júnior, teve que vir a Ilhéus negociar a indicação com Jabes.

DUAS SUCESSÕES

Tempo de leitura: 2 minutos

marco wense1Marco Wense

O voto útil pode levar o PCdoB a apoiar o ex-prefeito Geraldo Simões.

O jornalismo político sofre com a indefinição do prefeito Claudevane Leite, cada vez mais enigmático em relação ao processo sucessório, se vai ou não disputar o segundo mandato.

De dez eleitores, dois apostam que o chefe do Executivo será candidato à reeleição. Na imprensa falada e escrita, é quase unânime a opinião de que o gestor ficará fora do confronto.

A sucessão A, com Vane candidato, além de diminuir a possibilidade de surpresas e inesperados sobressaltos, evita um pega-pega entre o PCdoB e o PRB, entre comunistas e evangélicos da Igreja Universal.

A sucessão B, com o alcaide jogando a toalha, pode provocar um fato inusitado, estranho, considerado como uma invencionice de quem quer jogar lenha na fogueira: um possível apoio do PCdoB a Geraldo Simões (PT).

Com Vane fora, o PCdoB lança o seu candidato, o vice Wenceslau Júnior ou Davidson Magalhães. O partido do prefeito, o PRB, também.

A candidatura do PCdoB não decola. O tucano Augusto Castro assume a dianteira nas pesquisas de intenção de votos. Geraldo Simões vem logo atrás.

Para evitar o comando do poder municipal nas mãos do tucanato (PSDB), os comunistas partiriam para o voto útil, assim como aconteceu na eleição de 2012, com os petistas votando em Vane para evitar a vitória de Azevedo (DEM).

É bom lembrar que o suplente Davidson Magalhães deve ao governador Rui Costa o seu assento na Câmara Federal. Um pedido do petista-mor não pode ser negado, seria uma inominável ingratidão.

Portanto, duas sucessões: A e B. Certo mesmo são as candidaturas de Geraldo Simões e do médico Antonio Mangabeira.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

PRESIDENTE DO PCdoB DIZ QUE RELAÇÃO COM JABES “ESTÁ MUITO RUIM”

Tempo de leitura: < 1 minuto
Rodrigo define relação do partido com Jabes: "muito ruim".

Rodrigo Cardoso define relação do partido com Jabes: “muito ruim”.

O PCdoB ameaça deixar a base de apoio ao governo de Jabes Ribeiro, em Ilhéus. O presidente do diretório ilheense, Rodrigo Cardoso, define a relação PCdoB-Governo Jabes como “muito ruim”.

Rodrigo concedeu entrevista ao Jornal Bahia Online. “O desgaste geral que existe com a população devido aos problemas da gestão, de amplo conhecimento público, mas também a decisões políticas, como manter por três anos reajuste zero aos servidores, afeta com muita ênfase as bases partidárias, em especial os trabalhadores organizados nos sindicatos”, afirmou.

O partido tem dois vereadores em Ilhéus e pode reforçar a base de oposição ao prefeito.

GERALDO, PT E A SUCESSÃO

Tempo de leitura: 3 minutos

marco wense1Marco Wense

A política não costuma socorrer os que dormem. Quem assim procede, termina politicamente defenestrado, sucumbido. Recomendo a Geraldo Simões uma rápida pestana, sob pena de ficar a ver navios.

Já passou da hora de Geraldo Simões ter uma conversa definitiva com o governador Rui Costa sobre sua pré-candidatura a prefeito de Itabuna na eleição de 2016.

Figuras importantes do PT, como Josias Gomes e Everaldo Anunciação, respectivamente secretário de Relações Institucionais do governo da Bahia e presidente estadual da legenda, já se posicionam a favor da reeleição de Claudevane Leite (PRB).

Correligionários de GS são da opinião de que o silêncio de Rui diante do imbróglio PT versus PT, PT geraldista versus PT antigeraldista, é a prova inconteste de que o petista-mor caminha para apoiar o segundo mandato do alcaide.

O problema é que o prefeito Vane ainda não decidiu, de maneira incisiva, peremptoriamente, sem deixar nenhum resquício de dúvida, se será ou não candidato, deixando todos com a pulga atrás da orelha.

Todos, mas especificamente o vice Wenceslau Júnior, que não esconde sua pretensão de disputar o Centro Administrativo Firmino Alves. É bom lembrar que a última investida do vice foi intempestiva e atabalhoada.

Geraldo Simões, não suportando tanta fritura dos “companheiros”, não tem outro caminho que não seja o de procurar outro partido, como, por exemplo, o PSB da senadora Lídice da Mata.

E se o enigmático chefe do Executivo desistir da reeleição? Vai ficar na obrigação de apoiar o candidato do PCdoB, que teria duas opções: o vice Wenceslau ou o deputado federal Davidson Magalhães.

A pertinente e oportuna pergunta, também crucial em um futuro não muito distante, é se o comando estadual do PT e o governador Rui Costa apoiariam o pretendente comunista.

A política não costuma socorrer os que dormem. Quem assim procede, termina politicamente defenestrado, sucumbido. Recomendo a Geraldo Simões uma rápida pestana, sob pena de ficar a ver navios.

PT VERSUS PCdoB

pt-x-pc-do-b1Essa briguinha entre petistas e comunistas, pelo menos aqui em Itabuna, é de priscas eras. Tem origem na então Fespi, hoje Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), quando se enfrentavam, ou melhor, engalfinhavam em torno do comando do Diretório Central dos Estudantes, o DCE.

Eu era do PDT, e por ser de outro partido me rotulavam de direita, mesmo sendo um convicto e apaixonado brizolista. Naquele tempo, ser de direita, no movimento estudantil, era “persona non grata”.

Enfrentando as mentiras do PCdoB e do PT, consegui, depois de ser derrotado na eleição para o DCE, ser eleito presidente do Departamento Acadêmico do curso de Direito, o também desejado DA de Direito.

Voltando ao pega-pega entre petistas e comunistas, eles só se juntam por conveniência política, principalmente quando a cisão pode derrotar os dois grupos. Fernando Gomes já ganhou duas sucessões municipais em decorrência desse racha.

Os dois políticos mais importantes do petismo e do comunismo de Itabuna, sem dúvida o ex-prefeito Geraldo Simões e o deputado federal Davidson Magalhães, se detestam. Fazem teatro quando se encontram.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

AUGUSTO, GERALDO E GABRIELLI

Tempo de leitura: < 1 minuto
Gabrielli também foi citado por Augusto.

Gabrielli também é citado por Augusto entre “geraldistas”.

O deputado Augusto Castro (PSDB) apareceu aqui, ontem à noite, apontando reparos à postagem em que ele falava da impossibilidade de acordo com o PCdoB e da sua estranheza quanto à forma como o PT estadual vem tratando Geraldo Simões.

Augusto, na entrevista ao Resenha da Cidade (Rádio Difusora), não citou apenas Josias Gomes, Jonas Paulo e Everaldo Anunciação entre os nomes de expressão que obtiveram espaço em mandatos – no legislativo ou no executivo – exercidos por Geraldo Simões.

Além dos três, o deputado tucano também citou o ex-presidente da Petrobras e ex-secretário estadual de Planejamento José Sérgio Gabrielli. De memória elogiável, Augusto até lembrou que Gabrielli assessorou Geraldo em um dos mandatos do petista enquanto deputado.

Assim, este blog faz o reparo realmente necessário à nota e dá por encerrada a questão.

CASTRO DESCARTA ALIANÇA COM O PCdoB E COLA IMAGEM DE VANE NOS COMUNISTAS

Tempo de leitura: < 1 minuto

augusto castroPosicionando-se como candidato a prefeito de Itabuna, o deputado estadual Augusto Castro (PSDB) descartou qualquer possibilidade de aliança com o PCdoB em 2016. Numa entrevista ao Programa Resenha da Cidade (Rádio Difusora), o tucano fez questão de associar a imagem do Governo Vane com os comunistas.

– O PCdoB tem lado – disse Augusto, enfatizando que os comunistas comandam algumas das principais secretarias do governo, dentre elas Saúde e Educação.

Castro, relembrando entrevista do deputado federal Davidson Magalhães, disse que pode conversar sobre ações e projetos para Itabuna, mas nada a ver com a composição eleitoral em 2016. Concluiu que o PCdoB também é governo estadual, enquanto ele integra a bancada oposicionista.

A estratégia tucana é clara: colar a imagem de desgaste do Governo Vane no PCdoB, que pode ir para o pleito com Wenceslau Júnior, hoje vice-prefeito, ou com o deputado federal Davidson Magalhães.

INGRATIDÃO DO PT COM GERALDO?

Castro também comentou sobre a situação política do ex-deputado federal Geraldo Simões. O petista tem sido vetado em cargos estaduais e até mesmo federais pelo comando estadual do PT. Para Augusto, o fato é estranho, pois, lembra ele, Geraldo deu guarida a nomes como Everaldo Anunciação, Josias Gomes e Jonas Paulo, quando foi prefeito de Itabuna. “Há algo de estranho aí”, disse.

DERROTADOS, MAS AGRACIADOS

Tempo de leitura: < 1 minuto

KellyMagalhaesÁlvaro Gomes e Kelly Magalhães tentaram a reeleição para a Assembleia Legislativa, ano passado. Como se sabe, os dois foram derrotados.

O PCdoB tratou de não deixá-los desamparados. Cururu histórico, Álvaro Gomes assumiu a Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), substituindo o também comunista Nilton Vasconcelos.

Kelly esperou um pouquinho mais. Encerrado o mandato de deputada estadual no último dia 31, Kelly acabou agraciada neste sábado (21). Foi nomeada assessora especial de gabinete do titular da Setre, conforme decreto publicado na edição de hoje do Diário Oficial do Estado.

DAVIDSON PROPÕE AÇÕES INTEGRADAS CONTRA A VIOLÊNCIA

Tempo de leitura: < 1 minuto
Deputado discutiu situação de Itabuna com a ministra Ideli Salvatti

Deputado discutiu situação de Itabuna com a ministra Ideli Salvatti

O combate à violência em Itabuna já é um dos principais focos do mandato do deputado federal Davidson Magalhães (PCdoB). Empossado há uma semana, o comunista levou o assunto à tribuna da Câmara em seu primeiro pronunciamento e nesta segunda-feira (9) tratou do tema em audiência com a ministra dos Direitos Humanos, Ideli Salvatti.

Na audiência, o deputado chamou atenção para o alto índice de mortes violentas de jovens em Itabuna e propôs a implantação do Plano de Enfrentamento à Violência Letal de Crianças e Adolescentes na cidade.

Pesquisa divulgada na última semana aponta Itabuna como a primeira entre as cidades brasileiras com mais de 200 mil habitantes em mortes violentas de pessoas de 12 a 18 anos. O índice é de 17,11 mortes a cada mil habitantes.

Davidson sugere que Itabuna se torne “um modelo de ações integradas com educação, esporte e cultura, para resgatar os jovens da vulnerabilidade social que os leva ao crime”. O deputado afirma que a ministra demonstrou preocupação com os dados de Itabuna e interesse em colaborar.

O plano de enfrentamento está a cargo de um grupo interministerial. Além da Secretaria de Direitos Humanos, fazem parte a Secretaria Nacional da Juventude e a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial.

Back To Top