skip to Main Content
16 de julho de 2020 | 12:11 am

CENÁRIO MENOS ÁRIDO

Tempo de leitura: < 1 minuto

 

Sondagens e pesquisas eleitorais feitas nos últimos dias fizeram brilhar os olhos de candidaturas da base do Governo Rui Costa em Itabuna. Ninguém da turma lidera, mas o fato é que o cenário ficou menos árido.

A torcida dos pré-candidatos é para que esta seja uma tendência. E, também, torcer para que o Governo Dilma não caia e possa ganhar fôlego, rezar pela execução das obras prometidas pelo Governo Rui Costa e orar (muito!) por menos trapalhadas na Gestão Vane. Ontem, houve mais uma: fatiamento do salário dos professores (o governo alega não ter dinheiro em caixa.

Do outro lado, ataque aos adversários. Rui Costa, com melhor avaliação, será o alvo preferido para que não “puxe” seus aliados em Tabocas City. Há muita água para passar por debaixo da ponte.

NÃO HÁ MOTIVOS PARA VACILAÇÕES

Tempo de leitura: 2 minutos

JOSIAS~1Josias Gomes | josiasgomes@uol.com.br
Atravessamos um momento dos mais importantes para a continuidade do atual projeto político baiano, que envolve discernimento e coragem, para que possamos seguir em frente, sem sobressaltos.
Falo da enxurrada de números referentes a pesquisas de opinião pública, sobre a sucessão no estado, que somente podem encabular ou entusiasmar, conforme o caso, aos menos avisados.
Nós sabemos que a candidatura Rui Costa está sendo construída sob o signo da sua ligação mais estreita com o projeto vitorioso do governo Jaques Wagner, do governo Dilma, e do projeto iniciado pelo ex-presidente Lula. Este, também avalista da candidatura de Rui.
Até agora, e não poderia ser outro o caminho, a nossa ação política consiste em arrumar o palanque, organizar nossas forças, estabelecer o marketing, consolidar as linhas do nosso programa consonante com o que vem desenvolvendo o governador Jaques Wagner e a presidente Dilma Rousseff.

Leia Mais

EM ASCENSÃO

Tempo de leitura: < 1 minuto

Sem a companhia de Wagner, Rui caminhou sozinho (foto Rodrigo Aguiar/Bahia Notícias)
Coluna Tempo Presente | A Tarde
As pesquisas deste ano, como a divulgada pelo site Bahia Notícias, mostram que Rui Costa, que nas do ano passado sempre aparecia na rabeira com 4 e no máximo 7 pontos, já superou a casa dos dois dígitos.  A questão é saber até onde chega.

PESQUISAS E BÚZIOS

Tempo de leitura: < 1 minuto

buziosColuna Tempo Presente (A Tarde):

ACM Neto lidera (disparado), seguido de Paulo Souto e Geddel, todos da oposição. A banda governista vem atrás, com Lídice da Mata na frente (em todas) seguida de Walter Pinheiro, e na rabeira, Otto Alencar e Rui Costa.

Em síntese, é isso que todas as pesquisas feitas este ano para aferir o cenário apontam. O que isso quer dizer? Muito pouco. Sinaliza que o governo, lá e cá, passa por um momento difícil e a oposição se anima com isso. Só.

Pesquisas para possibilitar diagnósticos densos teriam que ser feitas como as de Nate Silver, âncora do blog do The New York Times. Ele virou sensação nos EUA porque em 2008 acertou os resultados das eleições presidenciais em 49 dos 50 estados  ano passado em todos, antecipando a vitória de Obama.

O que ele fez: contratou (e o jornal pagou) pesquisas sequenciadas em períodos intercalados, quantitativas e qualitativas, em todos os estados, que produziam relatórios detalhados sobre as conjunturas econômicas e políticas de cada um deles.

Aqui, nós só contamos com pesquisas esporádicas e assim mesmo pagas pelos interessados (que só divulgam o que lhes convém) e mais os búzios.

No nosso terreiro, nem Dilma age como Nate, por isso não viu as insatisfações que explodiram nas ruas. O que agravou a situação para o nosso lado, produzindo um cenário tão difuso que até os búzios estão confusos.

SALVADOR: “DATANILO” MOSTRA EMPATE TÉCNICO

Tempo de leitura: < 1 minuto

Tribuna:

Ao surpreendente resultado do Ibope divulgado ontem, que colocou ACM Neto (DEM) com oito pontos de frente em relação a Nelson Pelegrino, o deputado estadual Marcelo Nilo (PDT) reagiu com números de sua conhecida Babesp (ou DataNilo). A sondagem coloca o candidato do DEM, ACM Neto, com 41,2% das intenções de voto, seguido de Nelson Pelegrino (PT), com 40,4%. Foram 1.540 entrevistas, realizadas nos dias 17 e 18 últimos.

Foram apurados 7,6% de votos nulos e não sabem em quem votar 10,8%. O levantamento foi registrado no TRE sob o número 00545/2012 e a margem de erro é de 2,7% para cima ou para baixo.

Leia mais

SECULUS E COMPET EM SILÊNCIO

Tempo de leitura: < 1 minuto

Dois dos institutos de pesquisa que prestaram serviços a candidatos ou empresas em Itabuna no período eleitoral ainda não se posicionaram sobre as diferenças entre os resultados aferidos no campo e os registrados nas urnas.

O Instituto Seculus, de Jequié, cravou reeleição de Capitão Azevedo com vantagem superior a 13 pontos percentuais – a diferença seria ainda maior se fossem considerados apenas os votos válidos. Como se sabe, a vitória foi do candidato Vane do Renascer (PRB) pela diferença de um ponto percentual.

A maior barbeiragem, no entanto, foi do Instituto Compet, que se envolveu em grande polêmica em 2008 ao ser acusado de manipular resultados para favorecer o então peemedebista Capitão Fábio. Neste ano, o instituto cravou empate técnico entre Capitão Azevedo e a petista Juçara Feitosa (35,82% a 33,44%, com o vencedor Vane aparecendo com apenas 23,08%).

Nas urnas, Vane teve 41,62% dos votos válidos, Azevedo somou 40,61% e Juçara ficou com 15,36%. Dentro da margem de erro, apenas o Instituto Gasparetto acertou o resultado.

Por enquanto, apenas silêncio da Compet e do Instituto Seculus.

AS PESQUISAS E OS PREFEITURÁVEIS

Tempo de leitura: 2 minutos

Marco Wense

Qualquer alteração só com as convenções partidárias, que acontecem no mês de junho, o início da propaganda eleitoral e os debates entre os candidatos.

Salvo algum acidente de percurso, o cenário eleitoral de Itabuna, até o mês de maio, com a sucessão do prefeito Azevedo (DEM), não vai sofrer nenhuma mudança significativa.
Qualquer pesquisa de intenção de votos vai apontar o atual chefe do Executivo e a petista Juçara Feitosa (ou Geraldo Simões) nas primeiras posições.
Se a consulta for encomendada pelo PT, Juçara Feitosa fica na dianteira. Se o contratante for o DEM, a ex-primeira dama fica atrás do democrata, ocupando a segunda colocação.
O vereador Vane do Renascer, pré-candidato pelo PRB, legenda sob o absoluto controle da Igreja Universal do Reino de Deus, vai continuar como o terceiro da fila.
Qualquer alteração só com as convenções partidárias, que acontecem no mês de junho, o início da propaganda eleitoral e os debates entre os candidatos.
SÓ PARA AS PIABINHAS
O deputado estadual Zé Neto, do PT do governador Jaques Wagner, é pré-candidato a prefeito na sucessão de Feira de Santana. Até aí nada de estranho.
O deputado federal Marcos Medrado, do PDT do saudoso Leonel de Moura Brizola, já declarou publicamente o seu apoio ao petista na eleição de 2012.
O atual prefeito de Feira é Tarzício Pimenta. O chefe do Executivo, ex-demista e carlista, agora neopedetista, vai disputar o segundo mandato (reeleição).
Marcos Medrado, de maneira desafiadora e escancarada, já disse que vai apoiar o petista Zé Neto. Se fosse um peixe miúdo, seria fisgado pelo comando estadual do PDT.
O anzol da fidelidade partidária só é acionado para fisgar as piabinhas. Não suporta o peso dos tubarões.
O VEREADOR E O PAI NOSSO

Alzimário "Gurita", o autor da lei.

O prefeito Newton Lima, da vizinha e irmã cidade de Ilhéus, sancionou a lei que obriga a reza do Pai Nosso em todas as escolas.
A iniciativa foi do vereador Alzimário Belmonte, que é do PP de Jabes Ribeiro, secretário estadual da legenda e candidatíssimo ao Palácio do Paranaguá.
O nobre edil deveria aproveitar o andar da carruagem e propor também que cada colega, ao adentrar na sede do Poder Legislativo, fizesse o seu “Pai Nosso”.
Um “Pai Nosso” de viva voz e repetido 100 vezes: “Prometo honrar o meu mandato e respeitar a coisa pública”.
Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

FITOPATOLOGISTA DA CEPLAC RECEBE PRÊMIO NACIONAL

Tempo de leitura: < 1 minuto

A pesquisadora Edna Dora Luz Newman, da Ceplac, receberá o prêmio Destaque de Fitopatologia 2011. A honraria será conferida durante o 44º Congresso Brasileiro de Fitopatologia, que acontece nesta semana, na cidade de Bento Gonçalves (RS).
De acordo com os organizadores do congresso, a escolha de Edna Dora como destaque em 2011 se deve a sua “grande contribuição à fitopatologia durante toda a sua vida profissional”.
Edna Dora expressou satisfação pelo reconhecimento ao seu trabalho como pesquisadora e afirmou que a homenagem “é uma demonstração da qualidade da área de pesquisas da Ceplac, que tem contribuído significativamente para o fortalecimento da lavoura cacaueira e outras culturas”.

WAGNER, DILMA E O SEGUNDO TURNO

Tempo de leitura: < 1 minuto

O governador Jaques Wagner feliz. Ele quer aumentar em até dez pontos percentuais a votação que a presidenciável e amiga Dilma Rousseff (PT) obteve na Bahia no primeiro turno, quando saiu das urnas com 62% dos votos válidos por aqui. A julgar pelos últimos números, não está distante da meta.
Pesquisas de consumo interno dão à petista praticamente três quartos dos votos (algo como 74% dos votos válidos) em Salvador, sendo que, no interior, fica seis pontos abaixo, mas seis pontos e meio acima do que obteve nas urnas no estado no dia 3 (62%)
Detalhe: o Ibope tem feito pesquisas a cada três, quatro dias por aqui e em outros três dos principais colégios eleitorais do país.

PESQUISA É MOMENTO E/OU TENDÊNCIA

Tempo de leitura: 2 minutos

Ailson Oliveira | ailsonoliveira@hotmail.com

Mesmo com o crescimento de Paulo Souto a essa altura da campanha, o quadro na Bahia ainda é de estabilidade

É grande a confiança dos candidatos que não estão bem nas pesquisas realizadas pelos institutos IBOPE, DATAFOLHA e VOX POPULI de ir para o segundo turno, sob o argumento de que é possível ocorrer uma virada e lembram a eleição de Jaques Wagner para Governador da Bahia.
Para os que acreditam em mudança de cenário eleitoral e insistentemente dizem que o Ibope errou grosseiramente, informo que as pesquisas, do Ibope, indicavam crescimento de Wagner e queda de Paulo Souto desde quando foram definidas oficialmente as candidaturas.
Quando João Durval era pré-candidato, tinha 11%, Wagner apenas 7% e Paulo Souto 63%, segundo o Ibope.
Na pesquisa de 27 de julho, Souto aparecia com 56% e Wagner com 13%. Em 14 de agosto, Souto 52% e Wagner 16%. Em 11 de setembro, Souto 50% e Wagner 26%. Em 20 de setembro, Souto 48% e Wagner 31% e no dia 30 de setembro, véspera da eleição, Souto aparecia com 51% e Wagner com 41%. Como a margem de erro foi de 2 pontos percentuais para mais ou para menos, haveria possibilidade de segundo turno. Na ocasião, o Ibope ouviu 2.002 eleitores. O levantamento foi registrado no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o número 24209/2006.
No dia da eleição, o Ibope fez pesquisa de boca de urna e o resultado foi Wagner com 49% dos votos válidos e Paulo Souto com 43% dos votos válidos. Átila Brandão (PSC) apareceu com 4%, Rosana Vedovato (PSL), com 1%, Antônio Albino (PSDC), com 1%, Hilton Coelho (PSOL), com 1%, Antônio Eduardo (PCO) com 1% e Tereza Serra (Prona), com 0% dos votos válidos.
Como a margem de erro era de dois pontos percentuais para mais ou para menos, o Ibope não garantiu a eleição de Wagner no primeiro turno, embora isso poderia acontecer de fato.
Os dados apresentados revelam que pesquisa é tendência devido ao crescimento de Wagner e estagnação de Paulo Souto e é momento, porque com a possibilidade de segundo turno, por certo, cresceu a impolgação da militância petista e aliados de Wagner, bem como, fez alguns eleitores (que votaria em Souto porque pensavam que a eleição já estava decidida), a pensar e mudar o voto. Isso se explicaria a vitória no primeiro turno.
Mesmo com o crescimento de Paulo Souto a essa altura da campanha, o quadro na Bahia ainda é de estabilidade se considerarmos que os resultados estão dentro da margem de erro da pesquisa. Mas como a vantagem não é muito grande, não custa coisa alguma sonhar acordado.
Ailson Oliveira é professor de Filosofia na Uneb

Back To Top