skip to Main Content
7 de junho de 2020 | 05:14 am

“FINANCIAL TIMES” DIZ QUE ROLLS-ROYCE PAGOU PROPINA A FUNCIONÁRIOS DA PETROBRAS

Tempo de leitura: < 1 minuto

O jornal britânico Financial Times publicou reportagem hoje (16) em que diz que a Rolls-Royce pagou suborno a funcionários da Petrobras para conseguir um contrato de US$ 100 milhões com a estatal brasileira. A empresa, famosa pelos carros de luxo, também fabrica turbinas de gás para plataformas de petróleo.

Na reportagem, publicada com destaque, na capa, o Financial Times cita depoimento do ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco, que teria dito à polícia que recebeu pelo menos US$ 200 mil da Rolls-Royce. O depoimento faz parte da investigação divulgada pela Justiça Federal brasileira.

Na resposta ao jornal, de acordo com a reportagem, a Rolls-Royce disse que “não tolera conduta empresarial indevida de qualquer tipo”, e tomará “as medidas necessárias para garantir o cumprimento das leis”.

NAVIO-PLATAFORMA EXPLODE E DEIXA TRÊS PESSOAS MORTAS

Tempo de leitura: 2 minutos
Imagem do navio-plataforma que explodiu nesta quarta (Foto Agência Petrobras).

Imagem do navio-plataforma que explodiu nesta quarta (Foto Agência Petrobras).

A Petrobras confirmou a morte de três trabalhadores na explosão do navio-plataforma Cidade de São Mateus, no litoral do Espírito Santo. Segundo a empresa, o acidente ocorreu às 12h50 e havia 74 pessoas embarcadas.

Dez pessoas feridas foram levadas para hospitais em Vitória. Seis trabalhadores estão desaparecidos. Trinta e três pessoas foram desembarcadas e 31 permanecem a bordo.

A Petrobras informou que a unidade é operada pela empresa BW Offshore, afretada pela Petrobras, e que opera desde junho de 2009 no pós-sal dos campos de Camarupim e Camarupim Norte.

Em nota, a petroleira disse que o fogo foi controlado rapidamente. As operações foram interrompidas. A plataforma produzia 2,25 milhões de metros cúbicos de gás por dia e 350 metros cúbicos de óleo por dia.

A Agência Nacional de Petróleo informou, também por meio de nota, que a explosão ocorreu na casa de bombas, mas não houve derramamento de óleo. O fogo foi controlado e a plataforma está estabilizada. A agência formou duas equipes para investigar as causas do acidente. Uma seguiu para o navio-plataforma e outra para a sede da Petrobras.

A concessão de Camarupim é operada pela Petrobras e a de Camarupim Norte é uma parceria entre a Petrobras e a empresa Ouro Preto Energia. A operação da plataforma foi autorizada pela Marinha em 2015. A ANP fez atualização da documentação marítima em setembro de 2014. Informações da Agência Brasil.

PRESIDENTE DA PETROBRAS E CINCO DIRETORES RENUNCIAM AO CARGO

Tempo de leitura: < 1 minuto

A presidenta da Petrobras, Maria das Graças Foster, e cinco diretores da empresa renunciaram ao cargo hoje (4). O Conselho de Administração da companhia se reúne na próxima sexta-feira para a escolha dos novos executivos que ficarão no comando da companhia.

As renúncias foram confirmadas pela Bovespa em comunicado ao mercado. Na solicitação, a Bovespa pede esclarecimentos à Petrobras sobre notícias publicadas na imprensa sobre o fato de que o Palácio do Planalto já havia informado à presidenta da Petrobras, Graça Foster, de que ela seria substituída no cargo, informa a Agência Brasil.

“Solicitamos esclarecimentos, o mais breve possível, considerando o comportamento das ações no pregão de hoje, diante das informações do afastamento da cúpula da Petrobras”, diz o pedido da Bovespa.

Diante disso, a Petrobras informou, em nota, à Bolsa de Valores de São Paulo: “Em resposta a esta solicitação, a Petrobras informa que seu Conselho de Administração se reunirá na próxima sexta-feira, dia 06.02.2015, para eleger nova Diretoria face à renúncia da Presidente e de cinco Diretores”.

PETROBRAS ABRE INSCRIÇÕES PARA ESTÁGIO COM ATÉ R$ 1,8 MIL DE REMUNERAÇÃO

Tempo de leitura: 2 minutos

petrobrasA Petrobras abriu nesta terça-feira (3), as inscrições do seu processo de recrutamento e seleção para estagiários de nível superior, médio e técnico. Os interessados devem apresentar frequência ativa em instituições de ensino reconhecidas pelo MEC, e no ato da contratação, ter idade mínima de 16 anos.

As cargas são de 20h, 30h ou 40 horas semanais e os salários variam de R$ 473,97 a R$ 1.853,27. OS interessados podem se inscrever de 3 a 26 de fevereiro de 2015, pelo site da Petrobras, gratuitamente.

O processo seletivo será composto de Análise de Pré-Requisitos e Avaliação dos Conhecimentos Básicos, com a realização de Prova Online e Entrevista. As oportunidades são para estudantes dos níveis médio e superior. Confira as áreas em que há vaga de estágio no “leia mais”.

Leia Mais

ACAREAÇÃO NA CPI

Tempo de leitura: < 1 minuto

Do Correio Braziliense
Integrantes do Comissão Parlamentar Mista de Inquérito da Petrobras preparam os questionários para apertar os ex-diretores da estatal na acareação de hoje no Senado. Na avaliação do deputado federal responsável pela convocação de Paulo Roberto Costa e Nestor Cerveró, Ênio Bacci (PDT-RS), o silêncio de Costa não deve comprometer o rumo das investigações.
0 Ele não vai falar, mas vai ouvir”, criticou Bacci. “É um direito constitucional, mas ele só usa porque tem culpa. Ele tem medo de enfrentar os poderosos. É neste momento que tenho saudades do Roberto Jefferson, que teve coragem de enfrentar Dirceu – comparou Bacci, referindo-se ao mensalão revelado pelo delator com detalhes.

"LAVA JATO": EMPREITEIRA ENTREGA COMPROVANTE DE PAGAMENTO DE PROPINA

Tempo de leitura: < 1 minuto

A defesa do diretor da Galvão Engenharia Erton Medeiros Fonseca, preso na sétima fase da Operação Lava Jato, da Polícia Federal (PF), entregou à polícia comprovantes do pagamento R$ 8,8 milhões de propina a uma pessoa que se apresentou como emissário da Diretoria de Serviços da Petrobras.
O advogado José Luis Oliveira Lima, representante do diretor, disse que a empresa foi obrigada a pagar propina por meio da LSFN Consultoria Engenharia, entre 2010 e 2014. Segundo ele, os pagamentos foram ordenados por Shinki Nakandari, com conhecimento do ex-gerente de Serviços da Petrobras, Pedro Barusco.
O advogado disse que havia ameaça de retaliação nos contratos que a Galvão Engenharia tinha com a Petrobras, caso não houvesse o pagamento dos valores estipulados de “maneira arbitrária, ameaçadora e ilegal”. A defesa garantiu que Erton Fonseca aceita fazer acareação com o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa e o doleiro Alberto Youssef, principais articuladores do esquema.
De acordo com a planilha apresentada, foram feitos 23 pagamentos entre 2010 e 2014 a Luís Fernando Sendai Nakandakari  e a Juliana Sendai Nakandakari.
A confissão de pagamento de propina é uma das estratégias das defesas dos executivos de empreiteiras. Na semana passada, Sérgio Cunha Mendes, vice-presidente da empreiteira Mendes Júnior, confirmou em depoimento à Polícia Federal o pagamento de propina ao doleiro Alberto Youssef.
Segundo Marcelo Leonardo, advogado do diretor, Sérgio Mendes relatou aos delegados que foi obrigado a pagar propina de R$ 8 milhões. Na confissão, ele disse que Youssef exigiu o pagamento para que a empreiteira Mendes Júnior recebesse o dinheiro a que tinha direito em contratos de serviços prestados, e para continuar participando das licitações da Petrobras. Da Agência Brasil.

BICO QUEBRADIÇO

Tempo de leitura: 2 minutos

marco wense1Marco Wense

A diferença do lamaçal petista para o tucano é na impunidade.  Os larápios petistas foram julgados e condenados. Os gatunos tucanos sequer foram a julgamento. Continuam livres e soltos.

“Como brasileiro, sinto vergonha”, diz o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso sobre o escândalo da Petrobras. Que coisa, hein! O FHC indignado com a corrupção. Vai terminar virando uma figura folclórica.
O cartel das empreiteiras assalta os cofres da Petrobras há pelo menos 15 anos, desde que a empresa era comandada por Henri Philippe Reichstul, nomeado pelo então presidente FHC para o cobiçado cargo.
Esse Henri causou prejuízos bilionários trocando ativos da estatal com a espanhola Repsol. Ficou conhecido por tentar privatizar a Petrobras. Chegou até a propor a mudança do nome Petrobras para Petrobrax.
Durante o reinado de FHC, Paulo Roberto Costa, réu no processo que investiga o desvio de bilhões de reais na estatal, foi gerente de Produção e Exploração (1995), diretor da Gaspetro (1997) e diretor geral.
Na era FHC, os réus viravam vítimas com o bolso cheio, os delegados eram afastados e os juízes removidos. Alguém se lembra de um mangangão preso no governo FHC ou de alguma devolução de dinheiro?
E os mensalões? O Ministério Público Federal considerou o mensalão do PSDB como o embrião do mensalão do PT. Tem algum mangangão tucano preso? Nem manganguinho.
A diferença do lamaçal petista para o tucano é na impunidade.  Os larápios petistas foram julgados e condenados. Os gatunos tucanos sequer foram a julgamento. Continuam livres e soltos.
O combate à corrupção no governo Dilma Rousseff alcançou as esferas dos corruptores. A Lava Jato vai terminar fortalecendo a presidente, que quer tudo apurado, doa a quem doer.
Alguns jornalistas, defensores do “terceiro turno”, escrevem que a prisão de gente graúda se deve a instituições que funcionam com independência, citando o Ministério Público, Polícia Federal, Congresso Nacional e o STF.
Ora, ora, por que essas instituições não tiveram o mesmo procedimento no governo FHC? Não eram independentes? Agiam de acordo com os interesses do Executivo, do mandatário-mor de plantão?
A reeleita presidente Dilma Vana Rousseff tem razão quando diz que a Operação Lava Jato vai “mudar para sempre as relações entre a sociedade brasileira, o Estado e as empresas privadas”.
O lado cômico do escândalo da Petrobras é FHC se dizendo envergonhado com a corrupção. Das duas, uma: ou tomou alguma pancada na cabeça ou sofre de “memorinite”.
Ao admirar exageradamente a sua própria imagem, sua paixão por si mesmo, o príncipe da privataria tucana esquece que tem telhado de vidro e bico quebradiço.
Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

PF CUMPRE 85 MANDADOS COM 21 PRISÕES EM NOVA FASE DA OPERAÇÃO LAVA JATO

Tempo de leitura: 2 minutos

A Polícia Federal cumpre neste momento 85 mandados judiciais, sendo 21 de prisão temporária, nove de condução coercitiva e 49 de busca e apreensão na sétima fase da Operação Lava Jato. A ação decorre da análise de material aprendido e de depoimentos colhidos em fases anteriores. Deflagrada no dia 17 de março, a operação desarticulou uma organização que tinha como objetivo a lavagem de dinheiro em seis estados e no Distrito Federal.
As ordens estão sendo cumpridas nos estados do Paraná, de São Paulo, do Rio de Janeiro, de Minas Gerais, de Pernambuco e no DF. Foi decretado o bloqueio de aproximadamente R$ 720 milhões em bens pertencentes a 36 investigados. Segundo a PF, entre os mandados de busca e apreensão, 11 estão sendo cumpridos em grandes empresas.
À Justiça, o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa disse que as empresas Odebrecht, Camargo Corrêa, Andrade Gutierrez, Iesa, Engevix, Mendes Júnior, UTC Engenharia, Queiroz Galvão e Galvão Engenharia participavam do esquema de superfaturamento de contratos firmados com a Petrobras e repasse de propina aos partidos.
A Receita Federal também participa das ações de desta sexta-feira. As atividades envolvem ainda uma força-tarefa do Ministério Público Federal. As buscas da Receita servirão para verificar pagamentos por serviços contratados que possam não ter sido prestados, especialmente de assessoria ou consultoria, cujos valores, contabilizados como custos operacionais, reduziriam de forma fraudulenta a base de cálculo de tributos. Participam da operação 60 servidores da Receita Federal, além de 300 policiais federais.
Segundo a Polícia Federal, o grupo investigado, “além de envolver alguns dos principais personagens do mercado clandestino de câmbio no Brasil”, é responsável pela movimentação financeira e lavagem de ativos de diversas pessoas físicas e jurídicas envolvidas em crimes como tráfico internacional de drogas, corrupção de agentes públicos, sonegação fiscal, evasão de divisas, extração e contrabando de pedras preciosas e desvio de recursos públicos. A operação foi intitulada Lava Jato porque o grupo usava uma rede de lavanderias e postos de combustíveis para movimentar o dinheiro. Da Agência Brasil.

JANOT CONFIRMA MAIS PEDIDOS DE DELAÇÃO PREMIADA NA "LAVA JATO"

Tempo de leitura: < 1 minuto
Procurador-geral confirma mais acordos em operação (Foto Ag. Brasil).

Procurador-geral confirma mais acordos em operação (Foto Ag. Brasil).

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, confirmou hoje (12) que mais investigados na Operação Lava jato, da Polícia Federal, fizeram acordos de delação premiada com o Ministério Público Federal (MPF). Segundo Janot, três acordos aguardam homologação da Justiça e mais cinco ou seis estão em curso.
Por questão de sigilo, o procurador não divulgou os nomes dos investigados, mas disse que as delações envolvem doleiros, servidores públicos e executivos de empresas. Por enquanto, somente a delação premiada do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa foi homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).
De acordo com o procurador, as delações de Costa e do doleiro Alberto Youssef motivaram outros envolvidos a procurar o Ministério Público para delatar o esquema. “Há a possibilidade de que existam mais. O fenômeno que está acontecendo é que quanto mais as pessoas procuram o Ministério Público para falar, outras se sentem incentivadas de vir também.”, disse.
Ontem (12), o juiz Sério Moro, da 13ª Vara Federal em Curitiba, concedeu prazo de dez dias para que o MPF e os advogados dos réus apresentem as alegações finais na principal ação penal oriunda da Operação Lava Jato. Com a decisão, a fase de depoimentos foi encerrada e as sentenças dos acusados serão proferidas após as manifestações. Moro é o responsável pelos processos da investigação, que apura, principalmente, desvios de recursos da Petrobras. Da Agência Brasil.

VEJA, DOLEIRO E A RESPOSTA DA PRESIDENTE

Tempo de leitura: 2 minutos

A Veja seguiu o script e trouxe uma reportagem de capa em que diz que o doleiro Alberto Youssef que tanto a presidente Dilma Rousseff quanto o ex-presidente Lula sabiam dos esquemas de desvios de dinheiro na Petrobras.
Youssef prestou depoimento na última terça (21) em processo de delação premiada. O advogado dele não confirma que o doleiro tenha feito menção a Dilma e a Lula.
– Eu nunca ouvi nada que confirmasse isso. Não conheço esse depoimento, não conheço o teor dele. Estou surpreso – disse ele ao jornal O Globo.
A Veja, desde 2002, sempre apresenta reportagens, às vésperas da eleição, com a finalidade de tentar alterar o resultado das urnas. A de hoje é definida pela alta cúpula petista como mais um serviço ao tucanato. Não traz provas.
O advogado do doleiro diz que, por se tratar de uma delação, ele não pode detalhar o depoimento dado por Youssef à Polícia Federal e ao Ministério Público Federal. Desde a semana passada, nomes como Sérgio Guerra e Álvaro Dias, ambos do PSDB, são relacionados ao esquema de desvios da Petrobras.
Hoje, no programa eleitoral que foi ao ar nesta tarde, a presidente Dilma Rousseff foi contundente na resposta à publicação da Editora Abril.
“Os brasileiros darão sua resposta à Veja e seus cúmplices nas urnas. E eu darei a minha resposta a eles na Justiça”.
Dilma ainda acusa a revista de provocar “terrorismo eleitoral”. Confira o vídeo.

A capa de Veja mirando o PT era tão previsível que, ontem à noite, defensores da reeleição da presidente Dilma “trollavam” a publicação.

Em resposta à publicação, internautas sugeriram capas alternativas (Reprodução).

Em resposta à publicação, internautas sugeriram capas alternativas (Reprodução).

Back To Top