skip to Main Content
11 de julho de 2020 | 11:24 pm

CANDIDATOS RECORREM AO MP-BA PARA ANULAR PROVA DO CONCURSO DA UESC

Tempo de leitura: 2 minutos

Candidatos querem a anulação de concurso da Uesc||Foto Pimenta

Candidatos estão decididos brigar pela anulação do concurso da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), após a Consultec invalidar oito das das 24 questões da prova de conhecimentos específicos para o cargo de técnico universitário. A anulação das questões ocorreu depois de denúncia de plágio. As provas foram aplicadas no dia 15 de abril.
Com anulação das questões, os candidatos que tinham marcado as opções incorretas foram beneficiados. Por isso, um grupo de candidatos decidiu protocolar representação no Ministério Público da Bahia (MP-BA), em Ilhéus, com objetivo de anular toda a prova. As questões anuladas pela banca organizadora foram exatamente as de maior peso. Conforme o grupo, a ideia é que o MP leve à Justiça pedido de suspensão do concurso e de “anulação da prova” do cargo de técnico administrativo.

Outra questão idêntica a de outras bancas foram aplicadas no concurso da Uesc

Para os candidatos, ao elaborar a prova, a Consultec agiu de forma imprudente e negligente, “o que pode configurar ato ilícito e foi entendendo a presença de ilicitude no procedimento administrativo (o concurso) que foi feita uma representação no Ministério Público Estadual (MPE), em Ilhéus, na data de 24 de abril último”, afirmam.
Eles argumentam que, ao anular 1/3 das questões da prova de conhecimentos específicos – a mais relevante para a composição das notas, a Consultec prejudicou os candidatos que se saíram melhor, beneficiando os concorrentes que não foram bem na avaliação.O grupo aguarda a análise da representação pelo Ministério Público. Com informações do Blog do Gusmão.

CONSULTEC É ACUSADA DE PLÁGIO EM CONCURSO DA UESC

Tempo de leitura: 2 minutos

Como em 2010, novo concurso da Uesc é alvo de acusação de plágio

A Consultec foi acusada de plagiar, ao menos, cinco questões das provas do concurso público para os cargos de técnico e de analista universitário da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc).
O exame foi aplicado no último dia 14. Conforme candidatos, questões são semelhantes ou idênticas às de provas da Fundação Getúlio Vargas (FGV) e da Fundação Carlos Chagas e parte delas havia sido divulgada em sites de concursos.
Luciano Cordier é um dos candidatos que fizeram a prova, no último dia 14. “Em sites de simulados e no site do PCI Concursos, a gente pode ver e baixar as provas [questões] plagiadas”, disse ao PIMENTA.
A Uesc ainda não se posicionou quanto à denúncia. A Consultec informou que os recursos protocolados estão em “fase de análise” e promete adoção de “medidas cabíveis”, porém fala em preservar o certame.
CONCURSO CANCELADO EM 2010
A universidade já cancelou um concurso para técnico e analista universitário, em 2010, após descoberta de fraudes como plágio e violação do sigilo das provas (relembre aqui). A empresa Concepção foi contratada a menos de 20 dias das provas. Novo certame, e com outra banca, ocorreu em 2011.
 

Questões idênticas às de outros concursos foram identificadas por candidatos

Outra questão idêntica a de outras bancas foram aplicadas no concurso da Uesc

COMPOSITOR BAIANO ACUSA MICHEL TELÓ DE PLÁGIO

Tempo de leitura: < 1 minuto
Michel Teló é acusado de plágio por Elivandro Cuca (Fotos Divulgação).

Michel Teló é acusado de plágio por Elivandro Cuca (Fotos Divulgação).

O compositor itabunense Elivandro Cuca pretende acionar, judicialmente, o cantor Michel Teló, famoso pelo hit Ai, seu eu te pego. O plágio, segundo Elivandro Cuca, ocorre com a utilização de trechos da música Beber, beber na composição de Eu te amo e open bar.

Elivandro Cuca é autor de melodias que se tornaram sucesso nas vozes de Netinho, Durval Lélis e Ivete Sangalo (A galera) e diz considerar Teló “um grande artista”. “É desnecessário o que ele está fazendo. Não estou querendo me promover. Tenho 15 anos de carreira e mais de 160 músicas gravadas”, afirma.

O músico grapiúna diz que a empresa de Teló havia entrado em contato em busca de autorização para utilizar trechos da música, mas tanto ele como Guilherme Lopez e Raimundo Bahia negaram. Beber, beber já havia sido gravada pelo sertanejo Leonardo.

Em contato com o PIMENTA por uma rede social, Cuca disse que denunciou Teló para evitar que plágio vire moda. O novo queridinho da música brasileira já havia sido acusado no hit Ai se eu te pego. “Estou denunciando para que isso não vire moda. Sou um profissional da música, vivo do meu trabalho. Será que é justo o que o Michel Teló, seu irmão Teofilo Teló e o Produtor Dudu Borges fizeram? Será que estou errado?”, questiona. Clique no “leia mais” e confira mais detalhes em vídeo.

Leia Mais

MARCA DAS OLIMPÍADAS: PLÁGIO?

Tempo de leitura: < 1 minuto

Coincidência, pegadinha do subsconsciente ou plágio puro e simples? O fato é que a marca das Olimpíadas 2016, apresentada durante o Réveillon no Rio de Janeiro, é bem parecida com a imagem utilizada como símbolo do Carnaval de Salvador em 2004.

Aquela festa prestou homenagem ao escritor baiano João Ubaldo Ribeiro e teve como tema a frase “Viva o Povo Brasileiro”, título da obra mais conhecida do paxá de Itaparica. A ilustração-símbolo mostrava quatro bonecos coloridos, de mãos dadas, num clima de festa.

A ilustração dos Jogos Olímpicos do Rio traz um boneco a menos, mas lembra muito a figura do Carnaval, que por sua vez lembra uma pintura do artista francês Henri Matisse.

Lavoisier explica.

A marca dos Jogos...

... é parecidíssima com a do Carnaval

Back To Top