skip to Main Content
30 de setembro de 2020 | 04:55 pm

UM TREINADO PARA BATER, O OUTRO PARA APANHAR

Tempo de leitura: 3 minutos

Apesar de atuarem em campos opostos, o bancário Luiz Sena e o Tenente PM Souza Neto sempre foram amigos e, ao avistar o militar que vinha chegando para comandar a tropa, o comunista parte para ele e começam um bate-papo amistoso, com muita gesticulação por parte de Luiz Sena.

Walmir Rosário

Me lembro como se fosse hoje dessa história, passada ainda no tempo da ditadura militar que governava o Brasil, e é absolutamente verdadeira. Vi com os meus olhos que a terra há de comer, como diz um antigo ditado popular. Era uma greve geral de bancários em Itabuna e o sindicato da categoria mobilizava seus filiados em frente às agências do Baneb e do Bradesco, ambas na avenida do Cinquentenário.

Todos os bancários paralisados, os caixas eletrônicos sem cédulas e os funcionários com cargos de direção impedidos pelos grevistas de fazer a reposição, provocando uma confusão sem precedentes. Àquela época os cartões de crédito não eram populares como atualmente e a população encontrava sérias dificuldades em fazer compras, pois nem todos os estabelecimentos comerciais aceitavam o dinheiro de plástico.

Os cheques eram aceitos em praticamente todo o comércio, mas com algumas restrições, a mais comum delas a verificação junto ao Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), cuja consulta era feita por telefone. Nos supermercados as filas eram enormes e impacientavam os clientes e funcionários, que nada podiam fazer com acabar com o sufoco criado pela greve.

E como diziam os bancários, greve é para incomodar mesmo, do contrário não valia nada, não atingia os objetivos, fazendo com que as partes sentassem-se civilizadamente à mesa de negociação. Enquanto isso não acontecia, nas ruas, de um lado os grevistas, com faixas, cartazes e muitos discursos repercutidos no carro de som do sindicato, e de outro a Polícia Militar apenas observando o movimento paredista.

No comando da tropa, o ainda tenente Souza Neto – hoje coronel reformado – com parte do efetivo policial em frente a agência do Bradesco. Cerca de 100 metros a frente se localizava a agência do Baneb, onde o sindicalista Luiz Carlos Sena, empregado do Banco do Brasil e dirigente do Partido Comunista do Brasil (PCdoB) incitava os camaradas para não esmorecê-los do movimento.

De vez em quando um cliente chegava para tentar sacar algum dinheiro e era prontamente impedido pelos bancários grevistas, que não permitiam o seu ingresso na antessala da agência, local dos caixas eletrônicos. A agonia e impaciência do cliente era motivo de galhofa dos grevistas, que diziam para ele se virar, pois agora quem mandava nos bancos era o sindicato. Ali ninguém entrava.

E, ainda por cima, sugestionavam que o cliente fosse convencer os donos dos bancos para aumentar o salário dos bancários, e as agências voltariam a funcionar imediatamente em todo o Brasil. E, bandeiras do sindicato e da CUT em punho, amedrontavam o pobre do cidadão, que nada tinha a ver com a briga entre patrões e empregados, com o discurso marxista da mais valia.

E a Polícia Militar tinha ordens expressas para não recrudescer e apenas olhar, manter a calma e somente intervir caso a situação ficasse fora do controle. Os policiais no lado de fora do passeio, parte dos grevistas – a chamada comissão de convencimento – postada em frente às portas das agências bancárias e outra parte no interior, para garantir que ninguém conseguisse ludibriar os companheiros de fora.

Numa cidade como a Itabuna do começo dos anos 1980 todos – policiais e bancários – se conheciam e nas horas mais tranquilas chegavam mesmo a bater papo com a finalidade de diminuir a tensão. E assim passavam os dias postados em frentes aos bancos, cumprido ordens: Os bancários para não deixar os clientes ter acesso ao interior do banco e os policiais militares para evitar qualquer tipo de confronto.

E esse clima amistoso permanecia também entre os dirigentes sindicais e o comando da tropa, que mantinham distância somente nos momentos mais tensionados, até que a situação voltasse à normalidade. Apesar de atuarem em campos opostos, o bancário Luiz Sena e o Tenente PM Souza Neto sempre foram amigos e, ao avistar o militar que vinha chegando para comandar a tropa, o comunista parte para ele e começam um bate-papo amistoso, com muita gesticulação por parte de Luiz Sena.

Ao perceber Luiz Sena apontando o dedo para ele a todo o momento, mesmo sendo o teor da conversa sobre amenidades, o Tenente Souza Neto não titubeou e segurou a mão de Luiz Sena com força e ainda lhe passou um sermão:

– Tire seu dedo da direção do meu rosto, pois seu povo está olhando e pensando que você está me pagando “sugesta” e meus comandados tendo a impressão que estou fraquejando, o que pode desencadear alguma animosidade. Aqui, quem foi treinado para bater fui eu, e para apanhar foi você – gritou Souza Neto, jogando a mão do sindicalista para trás, diante do espanto dos bancários.

Mas tudo terminou bem!

Walmir Rosário é radialista, jornalista e advogado.

LAUDO DESCARTA QUE MILICIANO ADRIANO DA NÓBREGA TENHA SIDO EXECUTADO OU TORTURADO, APONTA SSP-BA

Simulação confirma versão de policiais e descarta execução, segundo laudos e SSP-BA
Tempo de leitura: 2 minutos

A reprodução simulada, promovida pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT), confirmou que o miliciano Adriano da Nóbrega atirou sete vezes contra três policiais militares baianos, no dia 9 de fevereiro deste ano, informa a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA). Com o término das perícias, o Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco) concluiu o inquérito sobre a operação.

“Através dos depoimentos de testemunhas e dos envolvidos, além dos exames do DPT, percebemos que os policiais atuaram na tentativa de efetuar a prisão e acabaram entrando em confronto, após disparos de Adriano”, afirmou o diretor do Draco, delegado Marcelo Sansão. Segundo ele, as declarações e perícias convergiram.

Acusado da morte de Marielle Franco, Adriano morreu em confronto na Bahia || Reprodução

O perito criminal José Carlos Montenegro, um dos responsáveis pela reprodução simulada, frisou que os policiais foram ouvidos separadamente. “Remontamos o cenário, com cada um de forma isolada, e a sequência relatada foi a mesma. O cenário analisado retrata um confronto”, destacou. Disse ainda que o miliciano disparou sete vezes, sendo que dois projéteis atingiram o escudo dos policiais e os outros a parede e uma janela.

O diretor do Instituto Médico Legal (IML), perito médico legal Mário Câmara, reforçou que a necropsia não constatou tortura e nem tiros com as armas encostadas em Adriano. “Foram dois tiros que atingiram Adriano, em distâncias superiores a um metro”, concluiu o perito.

Marielle Franco foi executada no Rio de Janeiro || Foto Divulgação

O miliciano é um dos nomes envolvidos na execução da vereadora carioca Marielle Franco e do motorista dela, Anderson Gomes. O crime foi cometido no Rio de Janeiro (RJ), em 14 de março de 2018, e teve repercussão internacional. As investigações

SOLDADOS DA PM-BA ACUSADOS DE SEQUESTROS, ROUBOS E ABUSO SEXUAL SE ENTREGAM

Tempo de leitura: < 1 minuto

Três soldados lotados na 32ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/Pojuca), que possuíam mandados de prisões, se entregaram, nesta terça-feira (7), informa a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA). Os agentes públicos, suspeitos de envolvimentos com sequestros e roubos, se apresentaram na Corregedoria-Geral da Secretaria da Segurança Pública, no bairro de Amaralina, com advogados.

Os soldados foram ouvidos, passaram por exames no Departamento de Polícia Técnica (DPT) e, em seguida, foram encaminhados para o Batalhão de Choque, onde cumprirão prisões temporárias de 30 dias. O trio, em parceria com outros quatro militares da mesma unidade e um vigilante, é investigado por extorsões mediante sequestro, roubo, associação criminosa e abuso sexual.

O grupo passou a ser investigado depois de um assalto que aconteceu na cidade de Igaporã, no dia 9 de junho deste ano. Um imóvel foi invadido por homens fardados que diziam cumprir mandado judicial. Após subtraírem 5 mil reais, celulares e joias, os criminosos saíram e deixaram cair uma pistola calibre 40, pertencente a um soldado da 32ª CIPM (Pojuca). No mesmo dia o militar foi preso.

Equipes das Corregedorias Geral e da Polícia Militar seguem procurando o sétimo PM, integrante do grupo e com mandado de prisão em aberto, que não foi encontrado durante a operação e também não se apresentou.

NA BAHIA, OPERAÇÃO PRENDE 7 POLICIAIS MILITARES SUSPEITOS DE SEQUESTROS E ROUBOS

Operação prendeu 7 policiais militares suspeitos de crimes
Tempo de leitura: 2 minutos

Sete policiais militares (seis homens e uma mulher), das patentes de subtenente e soldado, investigados por extorsão mediante sequestro e roubo são alvos de uma operação, nesta segunda-feira (6). O grupo é lotado na 32ª Companhia Independente da PM (CIPM/Pojuca).

A Força Tarefa da Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), que investiga grupos de extermínio, cumpriu mandados de prisão e de busca e apreensão nos municípios de Pojuca, Alagoinhas, Capim Grosso, Igaporã e Feira de Santana.

Cerca de 140 policiais militares e civis cumpriram as ordens judiciais expedidas pela Auditoria Militar de Salvador e pela comarca de Igaporã. Três PMs presos foram apresentados no Batalhão de Choque (BPChq) da PM, em Lauro de Freitas. No local, uma Base Móvel do Departamento de Polícia Técnica (DPT) realizou exames de corpo de delito nos capturados.

Os militares cumprirão as prisões temporárias de 30 dias no BPChq. Outros quatro soldados seguem sendo procurados pelas equipes. Além dos agentes públicos, um homem que atua como vigilante também foi alvo da operação. Ele foi capturado em Igaporã e apresentado na Delegacia Territorial (DT) de Guanambi.

COMO O ESQUEMA FOI REVELADO

O grupo passou a ser investigado depois de um roubo que aconteceu na cidade de Igaporã, no dia 9 de junho deste ano. Um imóvel foi invadido por homens fardados que diziam cumprir mandado judicial.

Após subtraírem R$ 5 mil, celulares e joias, os criminosos saíram e deixaram cair uma pistola calibre 40, pertencente a um soldado da 32ª CIPM (Pojuca). No mesmo dia o militar foi preso.

Leia Mais

PRESA DUPLA QUE APLICAVA GOLPE COM DINHEIRO FALSO EM VITÓRIA DA CONQUISTA

Polícia apreendeu celulares, objetos e R$ 4,4 mil falsos com dupla
Tempo de leitura: < 1 minuto

Equipes da 77ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM) apreenderam, no sábado (14), a quantia de R$ 4.400,00 em cédulas falsas, com dois criminosos, no município de Vitória da Conquista, no sudoeste do Estado. De acordo com comandante da unidade, major Nivaldo Oliva, durante procedimento de abordagem a dupla estava com uma parte do valor, momento em que os policiais perceberam se tratar de dinheiro falsificado.

“Eles acabaram confessando às guarnições que tinham mais cédulas no hotel onde estavam hospedados”, disse o comandante da 77º CIPM. Ainda segundo o oficial, os criminosos compravam pequenos produtos em diferentes estabelecimentos comerciais para receberem o troco em cédulas verdadeiras. Com eles também foram encontrados alguns materiais adquiridos aplicando o golpe. A dupla e todo valor foram apresentados à Polícia Federal.

OPERAÇÃO CARNAVAL TEM REDUÇÃO DO NÚMERO DE MORTES NAS RODOVIAS BAIANAS

Polícia Rodoviária realiza Blitz em rodovias durante o Carnaval || Foto Camila Souza/GovBA
Tempo de leitura: < 1 minuto
A Polícia Militar, por meio do Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv) e das companhias independentes de policiamento rodoviário, concluiu a Operação Carnaval 2020 na noite de quarta-feira de cinzas (26) com o registro de redução do número de mortes nas estradas estaduais baianas.
No período foram registrados 33 acidentes, que envolveram quatro mortes, 13 pessoas feridas gravemente e 18 com ferimentos leves. Em relação ao ano passado, um acidente a mais foi registrado, já que em 2019 foram 32. Neste ano, houve uma morte a menos, pois, no ano passado, a PM registrou cinco mortes.
Ao todo, 13.879 pessoas e 9.194 veículos foram abordados. Como resultado das abordagens preventivas, a PM recolheu 46 Carteiras Nacional de Habilitação (CNH), apreendeu 48 Certificados de Registro de Licenciamento de Veículo (CRLV), extraiu 2.809 autos de infração e recuperou três veículos. Ainda na operação, 10 pessoas foram conduzidas, sete presas em flagrante e 84 veículos retidos.
A Polícia Militar autuou também 1.839 veículos por excesso de velocidade com utilização de radares portáteis e realizou 1.471 testes de alcoolemia, sendo 116 condutores flagrados dirigindo sob o efeito de bebida alcoólica.

GOVERNADOR ACIONA A PGE EM CASO DE AGRESSÃO DE IGOR KANNÁRIO CONTRA A PM

Rui Costa, governador da Bahia
Tempo de leitura: < 1 minuto

O governador Rui Costa acionou a Procuradoria-Geral do Estado (PGE) para que o órgão adote as medidas legais cabíveis no caso envolvendo a agressão do cantor Igor Kannário contra a Polícia Militar. A PGE entrará com uma representação junto ao Ministério Público da Bahia a fim de que este adote, no âmbito de sua competência, ações que entender cabíveis em relação às declarações do cantor Igor Kannário na tarde de ontem (24).

No Circuito Osmar (Campo Grande), o também deputado federal agrediu e provocou publicamente a Polícia Militar da Bahia durante desfile em trio sem cordas patrocinado pela Prefeitura de Salvador. A decisão de acionar a PGE foi anunciada pelo governador em postagem feita em seu perfil oficial no Twitter, nesta terça-feira (25). Dentre as agressões, o cantor e deputado federal, de cima do trio, chamou efetivo da PM de “bunda mole”.

– É inaceitável o ato público de desrespeito e agressão contra a Polícia Militar da Bahia registrado ontem no Campo Grande. Acionei a Procuradoria Geral para que o Estado formalize uma representação junto ao Ministério Público da Bahia a respeito deste fato. Medidas cabíveis que estiverem no âmbito do MP precisam ser tomadas em respeito à PM e em defesa da honra de pais e mães de família que fazem parte da corporação – disse Rui na rede social.

A Procuradoria-Geral do Estado considera o fato gravíssimo, por atentar contra a ordem pública, no uso de um trio elétrico patrocinado pelo erário municipal. O órgão estadual também estuda a adoção de outras medidas em relação ao caso.

PM-BA DIVULGA RESULTADO DE SORTEIO PARA 3,3 MIL VAGAS EM COLÉGIOS E CRECHE

Tempo de leitura: < 1 minuto

A Polícia Militar da Bahia divulgou, nesta segunda-feira (13), o resultado do sorteio eletrônico para admissão de alunos nas 15 unidades do Colégio da Polícia Militar (CPM) e da Creche da PM Nossa Senhora das Graças/CMEI para o ano letivo de 2020.

Confira o resultado aqui

A PMBA dispõe de 15 unidades do colégio em todo estado e 12.814 alunos. Além dos cinco colégios na capital (Dendezeiros, Luiz Tarquínio, Ribeira, Lobato e Cajazeiras), os CPMs estão distribuídos nas cidades de Teixeira de Freitas, Alagoinhas, Ilhéus, Itabuna, Feira de Santana, Vitória da Conquista, Candeias, Juazeiro, Jequié e Barreiras.

POLICIAL TEVE CORPO MUTILADO ANTES DE SER MORTO POR TRAFICANTES EM SALVADOR

Tempo de leitura: 2 minutos

PM sofreu tortura e teve corpo mutilado antes de ser morto por traficantes

“O que fizeram com ele não se faz nem com um gado de abate”. A frase é de um amigo do policial militar Gustavo Gonzaga da Silva, 44 anos, assassinado na madrugada do sábado (9) por traficantes no bairro da Santa Cruz, em Salvador.
Gonzaga estava voltando para casa depois do trabalho e dava carona para um amigo de infância, identificado como “Jai”, quando foi abordado por três traficantes. Os autores do crime foram identificados como Choquito, Keka e Leno.
O PM foi torturado e teve o corpo mutilado antes de ser morto pelos criminosos, informa o Correio24h. Gonzaga ainda recebeu vários tiros na cabeça. “Eu nunca vi isso. Tem gente que tá há mais de 30 anos na polícia e nunca viu alguém ser morto dessa forma”, diz um colega do policial.
Os autores do crime chegaram a arrancar o coração da vítima e deixaram o órgão na região do Nordeste de Amaralina, em uma localidade conhecida como Boqueirão, a mais de 1 km onde Gonzaga foi morto.
‘Jai’, que estava com Gonzaga, teria fugido no momento do crime e ainda não apareceu para prestar depoimento. “Era uma grande amigo dele, a família toda conhece. Ele que tava junto. Ele tem que falar”, diz um familiar do policial.
“O cara sumiu. Abriu um buraco no chão e desapareceu”, reclama um amigo da vítima, que não aponta Jai como participante do crime, mas quer que ele preste depoimento. “Está tudo muito estranho”. Mesmo questionando o sumiço, amigos e policiais militares ouvidos pelo CORREIO acreditam que Jai não participou do crime.

Leia Mais

BAHIA CONVOCARÁ 2 MIL PMs DA RESERVA PARA FUNÇÕES DE RETAGUARDA

Tempo de leitura: < 1 minuto
Rui anuncia convocação de 2 mil PMs da reserva || Foto Carol Garcia/GovBA

Rui anuncia convocação de 2 mil PMs da reserva || Foto Carol Garcia/GovBA

O governo baiano anunciou, há pouco, que encaminhará à Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), ainda neste mês, projeto de lei criando uma remuneração especial para policiais da reserva – oficiais e soldados.

Segundo o governador Rui Costa, os profissionais da reserva serão convidados a retornar à ativa para exercer funções de retaguarda, a exemplo de monitoramento de câmeras de segurança, que exigem a presença de policiais 24 horas por dia, ao longo de sete dias na semana. “Com isso, vamos liberar quase dois mil policias de funções de retaguarda e da área administrativa, para atuar nas ruas”, afirmou.

Com os dois mil policiais e igual número de novos concursados da Polícia Militar, cujo concurso está em andamento, o governador afirmou que a Segurança Pública do Estado contará com o reforço de mais quatro mil policiais para atuar nas ruas das cidades baianas já no primeiro semestre de 2018.

Back To Top