skip to Main Content
29 de março de 2020 | 04:26 pm

ROSEMBERG MOSTRA FORÇA EM VISITA DO GOVERNADOR AO MÉDIO SUDOESTE

Tempo de leitura: 2 minutos

Rosemberg e o governador durante assinatura de convênio

O deputado estadual Rosemberg Pinto (PT) demonstrou força e unidade no Médio Sudoeste, sua região de origem, com o governador Rui Costa, prefeitos e lideranças políticas durante inauguração da BA-262, em Nova Canaã, e na entrega de sistemas de abastecimento de água para o Riachão do Lopes e para a Roça Comunitária, em Ibicuí, na quarta-feira (30).
O parlamentar recebeu o governador, em Ibicuí, com uma comitiva formada pelos prefeitos de Almadina, Milton Cerqueira; de Itororó, Adauto Menezes; de Itambé, Eduardo Gama; de Firmino Alves, Lero Cunha; e de Nova Canaã, Marival Fraga; e de Iguaí, Rony Moitinho.
Na primeira parada, o governador assinou a autorização para a licitação da obra que vai recuperar mais 36 quilômetros da BA-262, no trecho entre Ibicuí, Iguaí e Ponto do Astério. A reivindicação do deputado Rosemberg para região que vai melhorar a vida dos moradores de Firmino Alves, Santa Cruz da Vitória e Nova Canaã.

Rosemberg, camisa clara, com prefeitos de Nova Canaã, Almadina, Itororó, Firmino Alves e Itambé

Rosemberg elogiou a atenção do governador Rui Costa a uma das regiões que representa – o Médio Sudoeste-. “E agora, como compromisso dele (governador) a pedido nosso, quando ele esteve em Iguaí, lançando a estrada Iguaí – Poções, fazer essa outra parte ligando Iguaí até Ponto do Astério. Isso é fenomenal, porque o governador está cumprindo a sua palavra”, declarou o deputado Rosemberg.
Já em Nova Canaã foi inaugurada a restauração e pavimentação da rodovia BA-262, na qual foram investidos R$ 27,6 milhões, num trecho de 57 quilômetros, entre Poções, Nova Canaã e Iguaí. A população destas cidades e região tem mais uma demanda atendida com a interlocução do deputado Rosemberg.
“É uma obra que melhora a vida das pessoas e facilita a mobilidade. Assim, acaba por movimentar o comércio da região. Além disso, garantimos que, em uma situação de uma emergência médica, o transporte seja realizado de forma mais segura”, afirmou o governador Rui Costa.
Além disso, foi anunciado pelo governador o calçamentos para Itororó, Iguaí e Nova Canaã, resultados de emendas do deputado Rosemberg. “Estou muito feliz nesse momento, revendo os amigos e torcendo para que nossa região continue crescendo como ela merece”, completou o parlamentar.

DEM E PSDB CONFIRMAM ZÉ RONALDO AO GOVERNO E JUTAHY AO SENADO

Tempo de leitura: < 1 minuto

DEM e PSDB terão Zé Ronaldo como candidato ao governo do estado

Democratas e PSDB anunciaram que vão caminhar juntos nas eleições de outubro. José Ronaldo (DEM), ex-prefeito de Feira de Santana,  será o candidato a governador, enquanto o deputado federal Jutahy Magalhães Júnior (PSDB) concorrerá a uma vaga ao Senado.
A outra vaga de senador e o pré-candidato ao cargo de vice-governador serão definidos com a participação de outros partidos ou mesmo das próprias legendas. A união foi selada na presença do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), postulante inicial ao Executivo estadual, mas que decidiu cumprir o mandato à frente da capital baiana.
Lideranças políticas de todo o estado, entre prefeitos, ex-prefeitos, vereadores, secretários municipais, deputados estaduais e federais participaram do encontro. Zé Ronaldo disse que a chapa está sendo formada ouvindo outros partidos e a classe política, e que até o mês de junho será divulgada a formação completa.
O prefeito ACM Neto destacou a importância do Democratas e PSDB caminharem juntos. Estamos somando apoios importantes para essa aliança e de forma democrática vamos conduzir até a formação final com a outra vaga para o Senado e vice-governador”. Do A Tarde.

MARÃO RECEPCIONARÁ ÁLVARO DIAS

Tempo de leitura: < 1 minuto

Álvaro Dias participará de almoço com o prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre

O prefeito Mário Alexandre, de Ilhéus, recepcionará o senador paranaense e presidenciável do Podemos, Álvaro Dias, nesta sexta-feira (4). O político tem compromissos políticos em Itabuna.
Os dois agendaram almoço em um dos mais famosos pontos turísticos da Terra de Gabriela, o Vesúvio. Do encontro, também participam Renata Abreu, presidente nacional do Podemos, e deputado Bacelar, que comanda o diretório estadual.
Álvaro Dias vem ao sul da Bahia pela primeira vez. A agenda prevê encontro com produtores rurais e empresários na Ceplac, às 14h. Depois, às 18h, concede entrevista coletiva, no Palace, no centro de Itabuna, de onde seguirá para o III Encontro Regional do Podemos, na Terceira Via Hall, na J.S. Pinheiro. O encontro, às 19h, também marcará a posse do empresário Rafael Moreira como presidente do diretório itabunense do Podemos.

A NOVELA CONTINUA

Tempo de leitura: 2 minutos

Marco Wense
 

Rui versus Geraldo. Um pega-pega de priscas eras, como diria o saudoso e inesquecível jornalista Eduardo Anunciação, meu primo predileto, hoje em um lugar chamado de eternidade.

 
Ninguém sabe o fim da novela Vai-não-Vai, tendo como protagonistas o governador Rui Costa e Geraldo Simões, ex-prefeito de Itabuna por duas vezes.
Geraldo vai ou não assumir uma secretaria no governo do PT? As apostas continuam, agora com uma ligeira vantagem de que “Minha Pedinha” será candidato a deputado estadual.
Que o chefe do Palácio de Ondina não gosta do ex-alcaide é do conhecimento de todos. Aliás, esse péssimo relacionamento político vem desde o tempo em que Rui Costa era secretário de Relações Institucionais do então Governo Jaques Wagner.
Eu mesmo presenciei um atrito entre Rui e Geraldo. O então prefeito, candidato à reeleição, acusou Rui de ser o responsável pela perda do apoio do PHS.
Os próximos capítulos da novela Vai-não-Vai vão ficar emocionantes. E a pergunta é: Por que o governador Rui Costa não quer o empresário Newton Cruz como chefe de gabinete de Geraldo em um eventual cargo?
Teria Rui Costa algum problema com Newton Cruz, alguma queixa? Ou é só uma maneira de dizer “não” a Geraldo, que não quer o “companheiro” no primeiro escalão do governo?
Rui versus Geraldo. Um pega-pega de priscas eras, como diria o saudoso e inesquecível jornalista Eduardo Anunciação, meu primo predileto, hoje em um lugar chamado de eternidade.
Marco Wense é articulista e editor d´O Busílis.

A INCÓGNITA PRESIDENCIAL DE 2018

Tempo de leitura: 2 minutos

Áureo Júnior | aureojunior1996@gmail.com
 
 

Neste sentido podemos inferir que, se Lula não puder registrar sua candidatura, a alternativa mais racional para o PT chegar ao poder novamente é ser vice em uma dobradinha Ciro-Haddad (PT) ou Ciro-Wagner(PT).

 
No presente ano podemos ter uma disputa presidencial sem a polarização PT x PSDB que foi constante nas últimas eleições. Se com Lula na disputa só resta saber quem será o seu adversário no segundo turno, sem ele a competição fica muito embolada entre Jair Bolsonaro (PSL), Marina Silva (Rede), Joaquim Barbosa (PSB), Geraldo Alckmin (PSDB) e Ciro Gomes (PDT). Como todos os citados estão pontuando razoavelmente bem, dificilmente abrirão mão de candidatura própria.
Neste sentido podemos inferir que, se Lula não puder registrar sua candidatura, a alternativa mais racional para o PT chegar ao poder novamente é ser vice em uma dobradinha Ciro-Haddad (PT) ou Ciro-Wagner(PT), pois esses dois nomes citados pelo partido para uma eventual candidatura atingiram somente 2% dos votos na última pesquisa do Datafolha.
Podemos também notar que o deputado Bolsonaro vem há muito tempo mantendo sua base de votos, que gira em torno de 15%, porém não consegue decolar. Situação essa que tende a piorar com o início dos debates, pois o mesmo tem limitações para argumentar sobre alguns assuntos como economia, por exemplo.
Também é importante lembrar que, embora não sejam protagonistas, temos outros candidatos muito interessantes, com uma boa oratória e que certamente vão enriquecer os debates, como Guilherme Boulos(PSOL), Manuela D’ávila(PCdoB), João Amoêdo(NOVO), Flávio Rocha(PRB) e o próprio presidente Michel Temer(MDB).
Áureo Júnior é estudante de Pedagogia na Faculdade Educacional da Lapa (Fael).

ATROPELADO PELA VAIDADE

Tempo de leitura: 2 minutos

Marco Wense
 

O vereador Guinho, que faz um bom trabalho no Legislativo, está sendo atropelado pela vaidade. O eleitor não costuma perdoar os ingratos.

 
O vereador Enderson Guinho, eleito pelo PDT do ex-prefeiturável Antônio Mangabeira, presidente do diretório municipal, pode ir para o PR.
Segundo o blog Ipolítica, o edil estará em Salvador na próxima semana para uma conversa com o deputado federal José Carlos Araújo, dirigente-mor estadual da legenda.
Guinho, que só chegou no Legislativo de Itabuna graças aos votos de legenda do Partido Democrático Trabalhista, foi sufragado por 669 eleitores.
O vereador, que é pré-candidato a deputado estadual, abandona o partido que o elegeu e lhe deu todo o apoio, dando um chega-pra-lá nos companheiros.
O motivo alegado é que a cúpula estadual do PDT resolveu se juntar com outras legendas, incluindo aí o PT, na eleição proporcional para à Assembleia Legislativa, o chamado “chapão”.
O problema de Guinho não é o PT, já que o vereador sempre demonstrou ser um simpatizante do partido, mas sim um caminho mais fácil para alcançar seus interesses pessoais.
Para frear a fúria de alguns pedetistas, Guinho insinua que o PR pode apoiar Mangabeira na sucessão municipal de 2020, como se esse inconsistente argumento servisse para amenizar a ingratidão.
O vereador Guinho, que faz um bom trabalho no Legislativo, está sendo atropelado pela vaidade. O eleitor não costuma perdoar os ingratos.
Outro ponto é que o PR está caminhando a passos largos para apoiar ACM Neto (DEM). Guinho vai ter que rever seu voto na reeleição de Rui Costa.
Em tempo: a suplente do PDT, a fisioterapeuta Sandra Rihan, pode questionar o mandato do vereador Enderson Guinho.
Marco Wense edita O Busílis.

GERALDO COMEÇA A OUVIR LIDERANÇAS E ENSAIA PRÉ-CANDIDATURA A DEPUTADO ESTADUAL

Tempo de leitura: 2 minutos

De olho na AL-BA, Geraldo começa a ouvir lideranças

Apesar de cogitado para comandar secretaria no Governo Rui Costa a partir de abril, o ex-deputado e ex-prefeito de Itabuna Geraldo Simões começou a fazer consultas individuais a lideranças sul-baianas. Está colhendo propostas para montar as bandeiras de possível candidatura à Assembleia Legislativa. Por enquanto, ele defende temas nas áreas de Educação, Infraestrutura Hídrica e afirma já ter passado da hora de o sul da Bahia levar a sério – e cobrar do governo – a criação da Região Metropolitana do Sul da Bahia.
Ao PIMENTA, Geraldo se disse que planeja realizar, ao final de março, um encontro regional para definir as propostas para a campanha a deputado estadual. Ainda sem dizer se é realmente pré-candidato, ele afirma que a construção da Barragem do Rio Colônia, a ser inaugurada em abril, dá a Itabuna condições de se firmar como polo industrial do interior da Bahia.
O ex-prefeito itabunense desconversou, mas não negou ter recebido proposta para assumir cargo no primeiro escalão do governo. E não deixa de elogiar Rui Costa. Para Geraldo, Rui é favorito na disputa. Favoritismo que é ampliado se Lula for candidato a presidente da República.
Geraldo ainda dá pitaco quanto à candidatura de oposição na corrida ao Palácio de Ondina. Para ele, ACM Neto será candidato. Assumir o cargo de presidente nacional do DEM só reforça esse projeto, pelo menos, na leitura do ex-prefeito itabunense.
ITABUNA
O ex-prefeito ainda se mostrou preocupado com os desdobramentos da greve na rede municipal de ensino em Itabuna. Sem se prolongar em análises quanto ao governo de Fernando Gomes, Geraldo diz que muitos governos só se preocupam em investir o percentual constitucional, não atentando à qualidade da educação. “Quando prefeito de Itabuna, chegávamos a investir 32% dos nossos recursos em Educação”, disse.
Afirmou que a Educação sempre foi uma prioridade de governo e, também, dos mandatos como deputado estadual e federal. No último mandato como federal, Geraldo defendeu a instalação da reitoria da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) em Itabuna, quando o então ministro Aloizio Mercadante preferia Porto Seguro. Acabou convencendo o governo. A reitoria ficou em Itabuna.

A DRAMATURGIA DE ANINHA

Tempo de leitura: 2 minutos

Adroaldo Almeida | adroaldoalmeida@hotmail.com
 
 

O certo é que a crítica “republicana” de Aninha não se interessa pela atuação dos atores e diretores a quem o PT combate. Pelo visto, nem com duas batidas de Molière ela acertaria o fim do espetáculo dos vampirões que tomaram o país.

 
Vez por outra Aninha Franco tenta falar sobre política em seus artigos, mas o que sempre sai é um arremedo de crítica monotemática, repetidamente contra o PT e seus dirigentes, como agora nesse burlesco “A dramaturgia de Jaques Wagner”. Ao que parece, Aninha, a escritora e dramaturga, acha que pertence a uma categoria que chegou ao Planeta para atacar os que pensam diferente dela, inclusive em questões de estética, arquitetura e decoração de interiores. Preconceituosa e enviesada, sugere que a esquerda deve morar para sempre na Cabana do Pai Tomás.
Outro desencontro da personagem política de Aninha é se valer de um jornal, o Correio da Bahia, notório adversário e inimigo imperdoável de Wagner por ter infligido a maior e mais humilhante derrota aos seus proprietários em 2006. Assim fica fácil. Isso é sabujice do pior teatro serviçal.
Neste Brasil véi sem fronteira, muita gente faz teatro como Aninha; alguns, inclusive, a favor dos poderosos; outros, na trincheira da vanguarda contra o atraso; porém há aqueles que não são nem uma coisa nem outra, mas personagens de si mesmos, e escrevem repetitivos monólogos enfadonhos que adormecem a plateia.
Agora, tudo indica, suponho, que Aninha premiada roteirista, não entende patavina de cinema. Pois quando Geddel apareceu chorando diante de um juiz federal em cadeia nacional do JN da TV Globo, Aninha nada falou. Nem, tampouco, quando Rocha Loures foi flagrado correndo, numa cena de perseguição à noite pelas ruas do Rio de Janeiro. Também se calou quando um avião, pertencente ao Senador Perrela, foi filmado pousando no Espírito Santo com meia tonelada de cocaína pura. Ou, quem sabe, ela não aprecie as produções de “terrir” (o terror cômico dos filmes B).
Quem sabe?
O certo é que a crítica “republicana” de Aninha não se interessa pela atuação dos atores e diretores a quem o PT combate. Pelo visto, nem com duas batidas de Molière ela acertaria o fim do espetáculo dos vampirões que tomaram o país.
Adroaldo Almeida é advogado e ex-prefeito de Itororó.

NA BAHIA, O POVO DIZ O QUE QUER DA POLÍTICA

Tempo de leitura: 3 minutos

Josias Gomes
 

Político correto, unindo discurso e prática, acertando na gestão, Rui é, na verdade, o exemplo escolhido pelo povo para dizer: “olha, a política deve ser assim; o político que a gente quer é desse jeito”.

 
Termina o Carnaval, na Bahia e no Brasil, em meio ao qual as sombras que rondam a política brasileira pairaram ameaçadoras. O povo aproveitou a folia para expor veementemente sua insatisfação com os rumos do país.
Blocos, escolas de samba, grupos de foliões, expressões carnavalescas de diversos estados, de Norte a Sul do país, por suas alegorias, enredos, dizeres, marchinhas e fantasias reverberaram toda a insatisfação popular com o canhestro e ilegítimo governo federal, do momento.
No balanço desses dias, vai ser muito difícil encontrar algum exemplo de político que tenha testado sua popularidade, peito aberto, caminhando em meio ao povo, sem aparato de segurança, que tenha se saído bem.
Na Bahia, porém, há um belo exemplo de político de bem com o povo, no caso, o governador Rui Costa, do PT, que termina por redimir a própria política, sugerindo que o povo pode não estar propriamente insatisfeito com ela (a política).
Desde a Lavagem do Senhor do Bonfim, onde os possíveis candidatos costumam testar suas chances com o povo, especialmente em ano eleitoral, que é notável a diferença entre o tratamento popular dispensado a Rui Costa e o que é dedicado a seus adversários.
Nesse ritmo, o clima que rondou a presença do governador foi, todo o tempo, de muita alegria, com Rui sempre aplaudido, por onde quer que caminhasse, desde o ato ecumênico que marcou o início do cortejo, até o seu final.
Na oportunidade, o povo soteropolitano, irmanado com gente vinda de toda a Bahia, e do país, não deixou margem a qualquer dúvida sobre o acerto das decisões do atual governo baiano no campo da mobilidade urbana, da saúde e da educação, exemplos para todo o país.
Agora, mesmo, no Carnaval, Rui Costa não arrumou qualquer desculpa que lhe permitisse fugir do povo, e, acompanhado da esposa, e poucos assessores mais diretos, caminhou sempre muito tranquilamente em meio aos foliões.
Por onde passava, Rui Costa era amplamente aplaudido, com o povo gritando o seu nome, buscando abraça-lo, fazendo selfies, em passeios sem atropelos, embora cercado de muito calor humano a comprovar a aprovação dos baianos ao seu governo.
Ainda no Carnaval, Rui Costa foi prestigiar a saída do tradicional bloco Ilê Aiyê, onde sua presença foi saudada pelos brincantes e pelo povo. Também, nessa oportunidade, seus adversários arrumaram outra coisa para fazer, e, não foram.
São essas histórias do Carnaval e dos eventos mais tradicionais da Bahia que efetivamente revelam a enorme vantagem popular de Rui Costa, frente a seus adversários, o que enche de orgulho a todos aqueles, que, a meu exemplo, têm a honra de participar do seu governo.
Mas, retornando à questão: Haverá mesmo, no Brasil atual, uma rejeição popular à política? Afinal de contas, Rui Costa, é político, dos mais refinados, escolhido por Jacques Wagner para o governo, dentro de um processo claramente político e do mais amplo conhecimento público.
O que pode estar havendo, de verdade, é não um questionamento da política, mas das práticas políticas em curso. Político correto, unindo discurso e prática, acertando na gestão, Rui é, na verdade, o exemplo escolhido pelo povo para dizer: “olha, a política deve ser assim; o político que a gente quer é desse jeito”.
Somente com uma leitura correta da realidade é que será possível encontrar a saída para a atual crise de identidade que tanto atormenta o mundo político, o que recomenda atentar com muita acuidade para o fenômeno  Rui, que é um político, com clara definição partidária pelo PT, e, ao mesmo tempo, detentor de amplo e inegável apoio popular.
Josias Gomes é secretário de Relações Institucionais da Bahia e deputado federal licenciado.

ENCONTRO ESTADUAL DO PSD

Tempo de leitura: < 1 minuto

Otto destaca força do PSD na Bahia

O PSD promove encontro estadual, neste sábado (2), a partir das 15h, no Hotel Pena Branca, em Santo Antônio de Jesus, com a participação do presidente estadual e senador Otto Alencar, além do presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, Angelo Coronel, e do presidente da Desenbahia, Otto Alencar Filho.

Otto Alencar, presidente estadual da legenda, ressalta que o PSD é o partido que mais cresce na Bahia. Possui 84 prefeitos e 592 vereadores, sendo 13 prefeitas e 77 vereadoras. “É a legenda com a maior representação feminina no Estado”, observa.

PSD JOVEM

O evento também marcará a posse do novo coordenador do PSD Jovem Bahia, Rogério Andrade Filho, que substituirá Lurian Carneiro. Rogério é neto do ex-deputado estadual e ex-prefeito de Elísio Medrado, Aloísio Andrade, e filho do ex-deputado estadual e hoje prefeito de Santo Antônio de Jesus, Rogério Andrade.

 

Back To Top