skip to Main Content
31 de maio de 2020 | 11:05 pm

MULHERES SÃO PRESAS COM 28 FACAS E 18 CELULARES NO PRESÍDIO DE ITABUNA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Armas, celulares e chips apreendidos no Presídio de Itabuna hoje

Policiais militares da Companhia Independente de Policiamento de Guarda (CIPG) prenderam duas mulheres com 28 facas e 18 celulares, na manhã desta quinta (3), no Presídio de Itabuna. As visitantes ainda carregavam 16 chips de celular, 7 carregadores, 5 fones de ouvido e 4 correntes de ouro e prata.
De acordo com a polícia, o material apreendido estava escondido dentro de vasilhas plásticas utilizadas pelas mulheres para levar comida para os internos. Presas em flagrante, elas foram encaminhadas para o Complexo Policial de Itabuna. Os nomes das duas mulheres não foram informados pela polícia.

INTERNOS DO PRESÍDIO DE ITABUNA TÊM AULÃO PREPARATÓRIO PARA O ENEM-PPL

Tempo de leitura: 2 minutos

Internos assistem a Aulão preparatório para o Enem -PPL

Cerca de 60 internos do Conjunto Penal de Itabuna (CPI), entre estudantes e aqueles que já concluíram o Ensino Médio, farão as provas do Exame Nacional do Ensino Médio para pessoas privadas de liberdade (Enem-PPL), nas próximas terça e quarta-feiras (12 e 13). A Coordenação de Educação do CPI, preparou, junto com professores que atuam nas escolas que funcionam na unidade, um “Aulão do Enem”, a fim de passar para os candidatos todas as novidades dessa edição do exame e também valiosas dicas para o melhor aproveitamento nas provas.

Lembrando os cursinhos preparatórios, os professores enfocaram a necessidade de se fazer uma boa leitura dos textos verbais e não verbais, como estratégia para a resolução das questões. “O caminho das pedras é a compreensão do enunciado. Por isso vocês devem se ater à interpretação dos textos, que podem ser verbais e não-verbais, como charges e fotografias. Grande parte da resposta está nessa primeira decodificação”, ensinou o professor José Maurício de Jesus, da área de Ciências Humanas e suas Tecnologias.

Quem também passou dicas semelhantes foi o professor Joselito Machado, de Matemática. “Compreender o enunciado, mesmo em Matemática, vai ajudar na resolução dos problemas. A prova do Enem tem essa particularidade: o candidato precisa interpretar o que se pede. A partir daí, aplicando aquilo que já passamos para vocês ao longo das aulas, o sucesso é garantido”.

Já o professor Antônio Valter Barreto, doutorando em Estudos da Linguagem pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, focou nas provas de Redação e Linguagens e suas Tecnologias. Os candidatos receberam um material de apoio, com a proposta de Redação do Enem – 2014 e, a partir daí, puderam compreender como o exame cobra a redação, bem como as questões de linguagens.

Leia Mais

TROPAS DA PM FAZEM REVISTA NO PRESÍDIO DE ITABUNA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Portão de acesso ao presídio de Itabuna

A Cipe Cacaueira e a Companhia Independente de Policiamento de Guarda (CIPG), tropas especializadas da Polícia Militar,  fazem revista no Conjunto Penal de Itabuna. A revista é comandada pelo Tenente Farias. A revista começou às 5h30min desta sexta (24).

O balanço da operação no presídio itabunense deverá ser divulgado até o final do dia. A revista ocorre após uma nova escalada da violência no sul da Bahia, com assassinatos e aumento do roubo de carros, principalmente em Itabuna. A maioria dos crimes é ordenada de dentro do presídio.

MULHER TENTA ENTRAR EM PRESÍDIO COM CELULARES ESCONDIDOS EM FEIJOADA

Tempo de leitura: < 1 minuto
Celulares estavam escondidos em pote de feijoada || Montagem Pimenta

Celulares estavam escondidos em pote de feijoada || Fotos Divulgação

Uma mulher foi detida, ontem (11), ao tentar entrar no presídio de Itabuna com celulares. Aiana Paiva dos Santos escondeu os aparelhos telefônicos em um vasilhame com feijoada.

A feijoada seria levada para o detento Thiago Santana.

A mulher foi detida durante revista e encaminhada ao Complexo Policial pela Companhia Independente de Policiamento de Guarda (CIPG), sendo liberada logo em seguida.

TROPA DA PM APREENDE MACONHA E CELULARES NO PRESÍDIO DE ITABUNA

Tempo de leitura: < 1 minuto
Portão de acesso ao presídio de Itabuna.

Portão de acesso ao presídio de Itabuna.

Agentes penitenciários e policiais da Cipe Cacaueira, tropa especializada da PM, apreenderam drogas e mais de 20 telefones celulares no Presídio de Itabuna, hoje (7). A revista foi feita em 12 celas do Anexo 2 do conjunto penal.

Os 16 policiais da Cipe Cacaueira Polícia Militar e 20 agentes penitenciários apreenderam 24 celulares, 13 chips de telefonia, 10 gramas de maconha, 2 carregadores, além de fones de ouvido, seis baterias e um cabo USB para celular.

O material apreendido foi encaminhado para o Complexo Policial. O PIMENTA não conseguiu contato com a direção do presídio nem com a empresa que administra o conjunto penal, a Socializa. A quantidade de material apreendido em apenas 12 celas surpreendeu policiais.

PRESÍDIO DE ITABUNA FORMA BRIGADISTAS

Tempo de leitura: 2 minutos
Curso forma brigadistas no Conjunto Penal de Itabuna.

Curso forma brigadistas no Conjunto Penal de Itabuna.

A empresa Socializa, que faz a cogestão do Conjunto Penal de Itabuna (CPI) com o Governo do Estado, está capacitando todo seu corpo funcional como brigadistas de emergências. A capacitação faz parte da estratégia de investimentos da empresa buscando minimizar fatores de risco, especialmente após situações ocorridas em presídios de outros estados.

O curso é coordenado pelo engenheiro de segurança da Socializa, Rafael Pinheiro, e tem carga horária de 16 horas/aulas, nas modalidades teórica e prática. “Trouxemos para ministrar esse curso o renomado instrutor Cosme da Fonseca, um profissional altamente qualificado e atualizado no que diz respeito aos novos procedimentos preconizados pela NBR 14276, da ABNT, e à legislação específica”, afirma.

Pinheiro destaca que o curso envolve simulações de atendimentos em primeiros-socorros, métodos de combate a incêndio, classes de fogo e técnicas de resgate entre outros. “Além de Itabuna, a Socializa busca oferecer esse curso em todas as unidades que administra, com profissionais capacitados nas áreas de saúde e segurança do trabalho”, observa o engenheiro de segurança Rafael Pinheiro.

De acordo com o gerente operacional da Socializa no CPI, Yuri Damasceno, todo o material necessário ao atendimento da NBR-ABNT 14276 está sendo adquirido pela unidade, uma vez que, implantadas as brigadas de incêndio de acordo com a norma, a instituição fica obrigada a dar cumprimento a todos as exigências nela contidas. “Por exemplo, agora, todo ano teremos uma simulação de incêndio e também faremos uma reciclagem do treinamento”.

RONDESP FAZ REVISTA NO PRESÍDIO DE ITABUNA

Tempo de leitura: 2 minutos
Fachada do presídio de Itabuna.

Fachada do presídio de Itabuna.

Policiais da Rondesp Sul (Polícia Militar) fizeram, nesta manhã de quinta (19), revista no Conjunto Penal de Itabuna, o que ocorre após confusão entre integrantes de uma facção criminosa, na última terça (17). O tumulto foi controlado rapidamente por agentes penitenciários e policiais militares.

O presídio itabunense é o que mais traz preocupação ao Ministério Público Estadual (MP-BA), segundo a procuradora-geral de Justiça, Ediene Lousado. “A  situação que mais preocupa é a de Itabuna por conta das facções”, disse Lousado ao Bocão News, ontem. São três facções criminosas em Itabuna, todas com internos no conjunto penal: Raios A e B e, a mais recente, a DMP.

Ediene, do MP: situação preocupa por causa de facções (Foto MP-BA).

Ediene, do MP: situação preocupa por causa de facções (Foto MP-BA).

O presídio de Itabuna também enfrenta superlotação. A unidade possui mais que o dobro de internos (1.320) para a qual foi projetada (574). Na última terça (17), a superlotação foi tema de reunião de emergência da OAB de Itabuna.

“O número de internos no presídio se aproxima do triplo da sua capacidade e a onda de rebeliões [no país] tem assustado a todos e é preciso medidas urgentes para conter essa violência e resguardar a integridade física dos internos”,  disse o presidente da OAB de Itabuna, Edmilton Carneiro.

Segundo Carneiro, a entidade local criou comissão que enviará à  OAB baiana as sugestões para que trabalhe pela implantação da audiência de custódia em Itabuna, além de agendar um encontro com juízes da Vara Crime para discutir a implantação de medidas em caráter de urgência para a solução dos problemas apontados.

OAB DISCUTE SUPERLOTAÇÃO EM PRESÍDIO

Tempo de leitura: < 1 minuto
Portão de acesso ao presídio de Itabuna (Foto Pimenta/Arquivo).

Portão de acesso ao presídio de Itabuna (Foto Pimenta/Arquivo).

A superlotação no Conjunto Penal de Itabuna será tema de reunião da OAB local, nesta terça (17). O encontro reunirá os advogados da área criminal, segundo a presidência da entidade, “para discutir caminhos para amenizar essa situação”.

A reunião emergencial ocorrerá na sede da OAB , na Rua Ruffo Galvão, às 18h. O presídio itabunense abriga em torno de 1,4 mil presos, porém a sua capacidade é para 574 e já enfrentou rebeliões, a última delas há menos de dois anos.

NÚMERO DE ASSASSINATOS CAI 34% EM ITABUNA

Tempo de leitura: 2 minutos

Itabuna encerrou o primeiro semestre deste ano com a menor taxa de assassinatos dos últimos 10 anos. Os números são da Secretaria Estadual de Segurança Pública e foram divulgados pelo Jornal das Sete (Morena FM). A média mensal ficou em torno de 8 mortes violentas ante mais de 12 nos seis primeiros meses de 2014.

Foram 50 assassinatos no período de 1º de janeiro a 30 de junho. Ainda segundo a reportagem do programa da Morena, o número é 34% menor do que o registrado em igual período do ano passado, quando ocorreram 76 mortes violentas (homicídios e latrocínios). Junho deste ano também foi o menos violento dos últimos dez anos, com o registro de 6 execuções.

Para as autoridades de segurança pública, um dos principais fatores foi a transferência de presos perigosos para presídios de Serrinha e Lauro de Freitas.

O governo explica que diversas ordens para assassinato de pessoas partiam do presídio de Itabuna. As mortes eram determinadas pelo chamado alto escalão das facções criminosas raios A e B.

Marlos Macedo, da Homicídios (Foto Diário Bahia).

Marlos Macedo, da Homicídios (Foto Diário Bahia).

REVISTA NO PRESÍDIO

O diretor-adjunto do presídio de Itabuna, Bernardo Dutra, informou que na revista de ontem (1º), por exemplo, foram encontradas facas artesanais, chips de celular, quatro celulares e buchas de maconha.

A revista foi feita por agentes penitenciários, com acompanhamento da Polícia Militar. Bernardo reforçou que essas e outras ações têm contribuído para a queda de homicídios em Itabuna. “Sem os celulares, os detentos ficam ilhados”.

O titular da Delegacia de Homicídios de Itabuna, Marlos Macedo, afirmou que toda a ação direta do estado contribui para a queda. “As operações, principalmente em locais mais violentos, têm sido fundamentais”, disse o delegado ao Jornal das Sete. A matéria completa pode ser conferida n´A Região.

NÃO QUEREMOS SER PEDRINHAS

Tempo de leitura: 3 minutos

davi pedreiraDavi Pedreira | advocaciadavipedreira@yahoo.com.br

O  Conjunto Penal de Itabuna já tinha, antes desta rebelião, o maior excesso populacional, a maior superpopulação prisional do Estado em termos proporcionais, de presos por número de vagas.

Com todo o respeito que deve ser tratada qualquer cidade que, com certeza, também deve ter valores positivos,  não queremos ser na Bahia como Pedrinhas no Maranhão. Pedrinhas, como todos sabemos, tem um dos piores presídios do País.
Na segunda feira (26), estiveram em inspeção ao Presídio, o Juiz da Vara de Execução Penal, Dr. Maurício Alves Barra, o Promotor – Dr Thomas luz, Defensores Estaduais, o Delegado Coordenador  da  6ª Coorpin, Conselho da Comunidade e representantes da Pastoral Carcerária, inclusive o Coordenador Estadual da Pastoral – Francisco Carlos Fernandes de Souza e eu, Davi Pedreira, Assessor Jurídico da Pastoral da Bahia e Coordenador da Diocese de Itabuna.
Elaboramos uma ata de reunião que foi subscrita pelos presentes, com algumas reivindicações, entre elas: Construção de uma cadeia pública para abrigar os presos provisórios, melhorar o atendimento médico aos presos feridos na rebelião e agilidade na reforma das celas destruídas.
É bom que se lembre que a rebelião foi uma tragédia anunciada. Há vários anos que se tem diagnosticado que existe uma profunda rivalidade entre os presos do Conjunto Penal de Itabuna – Raio A e Raio B e nada, nada mesmo foi feito pelo Estado para que se evitasse chegar a este Estado de coisas.
A rebelião ocorreu por que – pasmem os céus – a parede que separava os presos destes dois raios foi derrubada pelos presos com a força física destes, tamanha é a espessura e resistência destas paredes. E tal situação não seria evitada apenas com a construção de paredes mais sólidas, mas, principalmente, com a eliminação do excesso populacional.
A fragilidade do Conjunto Penal de Itabuna já houvera sido colocada em xeque de forma avassaladora quando, recentemente, presos haviam fugido cavando um túnel. A bem da verdade,  não temos o que comemorar ou trazer de positivo acerca do sistema prisional de nosso estado.
E é importante que se destaque que esta situação não é atual, recente, tal vem se repetindo desde sempre – à muito tempo – em nosso Estado, para que não se pense em um ano eleitoral que antes já fora melhor. Inclusive este descaso com a questão prisional é uma das unanimidades burras: direita, esquerda, centro, PT, PSDB, DEM, PSB etc… , todos da nossa classe política assim agem nos diversos Estados da Federação.
O quadro do sistema prisional Baiano é desolador. A mais nova unidade prisional – Eunápolis, já teve uma rebelião e já se encontra superlotada. Todas as unidades prisionais estão acima de sua capacidade e, ainda, temos a realidade de muitos presos em cadeias públicas, que, evidentemente, deveriam estar em unidades da Secretaria de Assuntos Prisionais – SEAP.
O  Conjunto Penal de Itabuna já tinha, antes desta rebelião, o maior excesso populacional. Ou seja, em Itabuna se tinha a maior superpopulação prisional do Estado em termos proporcionais: de presos por número de vagas. Agora, depois da rebelião do último dia 23 de maio, a situação ficou caótica.  Existem celas com 25, 30 e até 40 presos.
Mesmo aqueles que por alguma ideologia querem ver os presos subjugados e sem os seus direitos atendidos, precisam enxergar que tal situação é geradora de profunda violência.  Que tipo de pessoas o sistema prisional está devolvendo às ruas?

Leia Mais
Back To Top