skip to Main Content
18 de fevereiro de 2020 | 09:51 am

BANCOS MALTRATAM CLIENTES EM ITABUNA

Tempo de leitura: < 1 minuto

As agências bancárias de Itabuna têm ignorado solenemente a chamada “Lei dos 20 Minutos”, que prevê limite de tempo para o atendimento. Ao contrário do que determina a legislação municipal, os bancos maltratam os clientes, obrigando-os a esperar até mais de duas horas nas filas.

O desrespeito não poupa ninguém, atingindo até mesmo idosos, gestantes e outras pessoas que têm direito a atendimento preferencial. Na manhã desta terça-feira (10), um idoso que retirou a senha às 11h09, na agência Centro do Banco do Brasil, foi atendido somente às 13 horas.

A recomendação nesses casos é acionar o Procon e o Ministério Público.

ESCOLAS DÃO “JEITINHO” PARA EVITAR PROCON

Tempo de leitura: < 1 minuto

material escolar 2Escolas particulares de Itabuna encontraram um “jeitinho” de evitar multas e ações de órgãos de fiscalização como o Procon. Como o órgão de defesa do consumidor publicou lista com 61 itens proibidos na lista de material escolar, os estabelecimentos cobram dos pais os alunos uma taxa especial, que varia de R$ 200,00 a R$ 300,00. A taxa é para custear os itens que estão proibidos de constar na lista de materiais.

Os pais que receberem a “listinha” podem denunciar o estabelecimento ao Procon. Ou, mesmo, recorrer à justiça.

PROCON LISTA MATERIAIS QUE ESCOLAS NÃO PODEM EXIGIR

Tempo de leitura: 3 minutos
Corrida às livrarias pode ter susto menor com apoio do Procon.

Corrida às livrarias pode ter susto menor com apoio do Procon.

Marcos Bastos dá dicas para evitar abusos de escolas particulares (Foto Gabriel Oliveira).

Marcos Bastos dá dicas para evitar abusos de escolas particulares (Foto Gabriel Oliveira).

A Coordenadoria de Defesa e Proteção do Consumidor (Procon) de Itabuna está orientando os pais ou responsáveis por crianças e adolescentes em idade escolar sobre a lista de itens do material escolar que não podem ser exigidos pelos colégios.

De acordo com o diretor Marcos Bastos, o Procon tem recebido denúncias contra escolas e decidiu elaborar uma listagem para identificar materiais proibidos em lista escolar. Da lista fazem parte álcool, cartolina, flanelas, corpos descartáveis (confira todos os 61 itens no “leia mais”, abaixo).

O Procon também alerta sobre práticas consideradas irregulares. Entre elas, a de que as escolas não podem recusar a matrícula ou impor qualquer penalidade aos pais que se neguem a entregar material escolar considerado abusivo.

Segundo Marcos Bastos, a Lei Estadual nº 6.586/94 permite a solicitação do material escolar que visa o atendimento das necessidades individuais do educando, desde que atinja à finalidade didático-pedagógica.

– As escolas não podem cobrar nenhuma taxa, além dos valores semestrais ou anuais contratados pelos pais. Muitos pais pensam que o pagamento de janeiro é matrícula. É sim uma mensalidade do valor do contrato. Qualquer valor cobrado além da mensalidade é ilegal – alerta.

Os pais e responsáveis, segundo Marcos, devem solicitar da escola o Plano de Execução dos Materiais, que descreve a atividade pedagógica de cada item. “As escolas têm obrigação de fornecer a lista de material para que as famílias possam pesquisar preços e escolher fornecedores de sua preferência”, completou Marcos Bastos.

Segundo ele, no Plano de Execução de Materiais devem constar, de forma detalhada e com referência a cada unidade de aprendizagem do período letivo, a discriminação dos quantitativos de cada item de material escolar, seguido da descrição da atividade didática para o qual se destina, com seus respectivos objetivos e metodologia empregada.

Estão vedadas, explica Marcos Bastos, a cobrança de taxa de material escolar e a indicação, pelo estabelecimento de ensino, de preferência por marca ou modelo de qualquer item. “A escola não poderá exigir marcas dos materiais escolares, nem pode obrigar ao responsável adquirir material em determinado estabelecimento comercial, quando se tratar de produtos oferecidos no mercado em geral”, afirmou.

Também é proibido constar na lista ou exigir do educando materiais de consumo de expediente ou de uso genérico, tais como papel de ofício, papel higiênico, fita adesiva, cartolina, álcool e artigos de limpeza e higiene, que fazem parte do uso operacional do estabelecimento de ensino. Clique no “leia mais” e confira a lista de itens proibidos.

Leia Mais

COM 37%, TELEFONIA LIDERA QUEIXAS NO PROCON EM ITABUNA

Tempo de leitura: < 1 minuto

boca_no_tromboneAs empresas de telefonia são as campeãs de queixas de consumidores em Itabuna.
De acordo com levantamento do Procon, 37% das 2.412 queixas e reclamações envolvem os serviços de telefonia móvel e fixa e internet.
Bancos e financeiras vêm em seguida, com 18%.
As lojas de móveis e eletroeletrônicos aparecem com 13% e os prestadores de serviço privado representam 8%, enquanto a Coelba é alvo de 6%.
O Procon de Itabuna está funcionando na Praça Olinto Leone, antigo prédio da Justiça Eleitoral.

PROJETO EXIGE EMPACOTADORES EM SUPERMERCADOS

Tempo de leitura: < 1 minuto
Brandão quer debate amplo sobre a violência nas escolas

Júnior Brandão é o autor da proposta

Foi aprovado na tarde desta segunda-feira (11) na sessão das comissões técnicas da Câmara de Vereadores de Itabuna  projeto de lei de autoria do vereador Júnior Brandão (PT), dispondo sobre a obrigatoriedade da presença de empacotadores em supermercados e hipermercados. A matéria alcança também as empresas que operam no sistema de “atacarejo”.

Caso a lei seja aprovada em plenário e sancionada pelo executivo, os supermercados que a descumprirem estarão sujeitos a multa equivalente a 100 Unidades Fiscais do Município (UFM) a cada caixa sem empacotador. A fiscalização ficará por conta da Secretaria de Indústria e Comércio e do Procon.

O relator do projeto nas comissões foi o vereador Paulinho do INSS (PT). A previsão é de que a matéria seja votada em plenário na próxima semana.

BOMPREÇO TERÁ QUE CONTRATAR EMPACOTADORES

Tempo de leitura: < 1 minuto

A loja do supermercado Bompreço no Shopping Jequitibá deverá contratar empacotadores, conforme notificação feita pelo Procon do município. A partir do aviso, a empresa tem 45 dias para realizar as contratações.

O Procon também determinou que o Bompreço reorganize as filas dos caixas, a fim de reduzir o tempo de espera. Segundo o diretor do Procon Municipal, Marcos Bastos Ribeiro, a falta de empacotadores obriga os clientes a, de certa forma, trabalhar gratuitamente para o supermercado.

Além do Bompreço, outras lojas do shopping mereceram recentemente a atenção do Procon. Por meio de acordo, foi estabelecido prazo de 60 dias para que elas exponham os preços das mercadorias.

PROCON E DEFENSORIA PÚBLICA RETOMAM ATENDIMENTO

Tempo de leitura: < 1 minuto
Defensoria Pública e Procon voltam a atender (Foto Gabriel Oliveira).

Defensoria Pública e Procon voltam a atender (Foto Gabriel Oliveira).

O atendimento na Defensoria Pública e no Procon de Itabuna foi retomado nesta segunda-feira, 15, seis dias após registro de arrombamento e furto no prédio onde funcionam os dois órgãos. Um dos suspeitos do furto está preso e outro, menor, continua foragido. Eles arrombaram o imóvel e levaram diversos aparelhos eletrônicos.
A Procuradoria-Geral do Município reequipou a Defensoria e o Procon e também recolocou gradeado na saída de ar-condicionado por onde os bandidos entraram e “fizeram” a fasta no imóvel situado no térreo do Edifício Cruz, ao lado do Fórum Rui Barbosa, no centro de Itabuna.

PASSAGEIRO SOFRE CONSTRANGIMENTO EM ÔNIBUS DA ROTA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Um jornalista passou por um grande vexame esta tarde em um ônibus da Rota, que fazia a linha Ilhéus – Itabuna. O passageiro, acompanhado da filha, embarcou às 14h30 no Banco da Vitória. Ele seguia para Itabuna e ela ficaria poucos quilômetros adiante, na Uesc. Ainda assim, o cobrador informou-lhes que o preço da passagem era o mesmo para os dois, R$ 5,00.

O jornalista questionou e foi tratado com grosseria pelo cobrador, o que acabou gerando uma confusão que fez o motorista parar o ônibus no posto da Polícia Rodoviária Estadual. Neste momento, entraram dois policiais, que não procuraram saber exatamente o que estava acontecendo e se mostraram fiéis defensores da empresa de transporte coletivo.

Os policiais diziam que o jornalista estava atrapalhando a viagem, numa clara tentativa de jogar os outros passageiros contra ele. Quando reclamou de que estava sendo constrangido, a vítima do mau serviço e da fidelidade policial à Rota ouviu o seguinte: “se não quiser passar constrangimento, compre um veículo próprio”.

Em tempo: o número do ônibus onde se deu esse papelão é 5245. O policial, autor da frase infeliz, chama-se Adenilson.

OI SEM SINAL

Tempo de leitura: < 1 minuto

Clientes da operadora de telefonia Oi em Itabuna voltam a reclamar de problemas no sinal. Nesta manhã de segunda-feira, 3, está impossível fazer ou receber ligações, e a informação é de falha na conexão.

Esse tipo de problema é corriqueiro com a Oi e a empresa não se preocupa em dar satisfações aos usuários. Não é à toa que é uma das campeãs em queixas no Procon.

PROCON APONTA COELBA COMO CAMPEÃ DE QUEIXAS DO CONSUMIDOR

Tempo de leitura: < 1 minuto

A Coelba foi a empresa com o maior número de reclamações no ano passado ao Procon-BA, com 743 registros, segundo dados do Cadastro de Reclamações Fundamentadas 2011, divulgado nesta quinta-feira (15), Dia Mundial dos Direitos do Consumidor.
A cobrança indevida foi um dos motivos mais recorrentes das queixas dos consumidores. O ranking é seguido, nesta ordem, pelas empresas OI, Lojas Insinuante, Ricardo Eletro e a Multibrás Unidade de Eletrodomésticos.
– Esperamos que com o lançamento deste Cadastro, as empresas se sintam constrangidas e passem, com isso, a respeitar os direitos dos seus consumidores -, afirma o chefe de Gabinete da secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, Samuel Soares, que representava o secretário Almiro Sena, durante o lançamento. Informações do Correio.

Back To Top