skip to Main Content
26 de fevereiro de 2021 | 01:19 am

RICARDO XULA ASSUME O PRP DE ITABUNA

Tempo de leitura: < 1 minuto
Alexandre Marques define Xula como presidente do PRP de Itabuna.

Alexandre Marques define Ricardo Xula como presidente do PRP de Itabuna.

Ricardo Xula é o novo presidente do PRP de Itabuna. A definição ocorreu, na tarde de hoje (17), em Salvador, durante reunião com o dirigente estadual da sigla, Alexandre Marques.

– Xula comandará o PRP na região e vai presidir o diretório de Itabuna – disse Alexandre ao PIMENTA, por telefone.

Para Alexandre Soares, o novo dirigente representa o ideal de juventude e renovação da sigla. “Estamos nos preparando para 2018. Temos presença em mais de 300 municípios, dois prefeitos e mais de 70 vereadores na Bahia”, assinalou em entrevista ao blog.

Xula trabalha na área de saúde e, em 2012, concorreu à Câmara de Vereadores de Itabuna. Não obteve sucesso e deixou o PT logo após o processo eleitoral. Xula sucederá Waldir Catarino no comando do PRP.

INFARTO MATA PRESIDENTE ESTADUAL DO PRP

Tempo de leitura: < 1 minuto

Jorge Aleluia
Do Bahia Notícias
O presidente estadual do Partido Republicano Progressista (PRP) na Bahia, Jorge Aleluia, morreu na noite desta terça-feira (4), após sofrer um infarto fulminante durante uma partida de futebol no Clube 2004, na Praia de Armação, na Orla de Salvador.
O político é primo do secretário de Infraestrutura da capital baiana, José Carlos Aleluia. Segundo informações obtidas pelo site, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou a ser acionado e prestar os primeiros socorros, mas Aleluia não resistiu.

IBICARAÍ: TRE LIBERA CANDIDATURA, MAS LENILDO TERÁ QUE SUBSTITUIR O VICE

Tempo de leitura: < 1 minuto

Lenildo: candidatura liberada.

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) liberou o registro de candidatura à reeleição de Lenildo Santana (PT), por 4 votos a 1. A decisão foi tomada em sessão do TRE ocorrida nesta tarde de terça-feira, 2. Lenildo teve o pedido de registro indeferido em primeira instância por apresentar falha nas atas de convenção dos partidos (relembre aqui).

As atas são exigidas pela Justiça Eleitoral para registro da coligação majoritária. O prefeito vai para a disputa no dia 7 tendo a única adversária, Monalisa Tavares (PRP), com o registro de candidatura indeferido em primeira instância e também pelo TRE (relembre aqui).

Lenildo, no entanto, terá de fazer a substituição do vice Lula Sampaio (PV) por um nome que seja do próprio PT. O nome já escolhido foi o do vereador Allain Fabrício. Não houve alteração nas coligações proporcionais.

O DILEMA DE MONALISA

Tempo de leitura: 1 minuto

Monalisa tem dificuldades no próprio grupo.

Monalisa Tavares (PRP) ficou em maus lençóis com a decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-BA), ontem, quando negou registro de candidatura a ex-prefeita por falta de certidão criminal (reveja aqui).

Monalisa pode recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília, porém a situação dela pode complicar-se ainda mais se cair a liminar que impediu o TRE de julgá-la por causa das contas rejeitadas tanto pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) como pela Câmara de Vereadores. As contas de 2005 a 2008 da ex-prefeita foram rejeitadas.

O próprio acórdão do TRE anota que houve ingerência da Justiça comum na Justiça Eleitoral. Caindo a liminar, Monalisa sofre mais um julgamento. Para obter a liminar na Justiça Comum, a candidata alegou cerceamento de defesa por parte do legislativo, o que é rebatido pelos vereadores.

Os problemas se ampliam por que, no momento, Monalisa não teria alguém da sua confiança para eventual substitui-la na disputa eleitoral contra o prefeito Lenildo Santana (PT). O vice de Monaliza, Lula Brandão, é visto como nome estranho por ter muito mais ligações com o grupo político do ex-prefeito Astor Mauro, hoje encabeçado pelo empresário Luís Ribeiro.

É o tal do se correr o bicho pega, se ficar o bicho come. Além de ser chamada de ficha-suja, a ex-prefeita ainda sofre com maldades como a de se dizer que ela dá água mineral a cavalo. Coisas de campanha.

DEPUTADO ACUSA "GOLPE DA FOTO"

Tempo de leitura: < 1 minuto

De passagem pelo município de Barro Preto, onde participou de uma atividade com agricultores, o deputado estadual Rosemberg Pinto (PT)  foi fotografado ao lado do ex-prefeito Sérgio Costa (PRP). Segundo dizem na cidade, foi o próprio Costa quem pediu para alguém fazer a imagem e distribuí-la, informando que ele contaria com o apoio do PT na sucessão municipal.
Ao tomar conhecimento da “astúcia”, Rosemberg Pinto se mostrou indignado e informou que o PT tem candidato – ou melhor, candidata – em Barro Preto. E não é Sérgio Costa, mas sim Jaqueline Mota.
O deputado diz que na próxima vez que for àquele município ficará mais atento na hora das fotografias.

VOTAÇÃO DA PEC 300

Tempo de leitura: < 1 minuto

Clamada por policiais e bombeiros em todo o Brasil, a PEC 300 estabelece como piso nacional unificado e equivalente ao pago à categoria no Distrito Federal, cerca de R$ 4 mil. O governo resiste à aprovação da proposta de emenda constitucional, sob a alegação de forte impacto nos cofres públicos.
Ontem, o deputado federal Jânio Natal (PRP) apresentou requerimento à Mesa Diretora da Câmara para que a PEC seja incluída na pauta. Para ele, a matéria é relevante e, com certeza, será aprovada pelos deputados. A PEC já havia sido aprovada em primeira votação – e por unanimidade, no ano passado.

OPOSIÇÃO DISCUTE 2012

Tempo de leitura: < 1 minuto

Representantes de oito partidos estão reunidos na sala de comissões da Câmara de Vereadores de Itabuna. Na pauta, as eleições de 2012.
O encontro tem a participação de nomes como Renato Costa (PMDB), Wenceslau Júnior e Luís Sena (PCdoB), Leninha (sem partido), Edson Dantas (PSB), Moacir Smith (PTB) e Ruy Porquinho (PRP).
Os partidos discutem cenários e propostas para a sucessão 2012.

DIDI E A PRIMEIRA SECRETARIA DA CÂMARA

Tempo de leitura: 2 minutos

Didi pediu pra sair

Uma das mais intensas brigas políticas recentes em Itabuna se deu em torno da primeira-secretaria da Mesa Diretora da Câmara de Vereadores. O cargo foi durante várias gestões comandado pelo vereador Roberto de Souza (PR), que perdeu a cadeira com a ascensão de Ruy Machado (PRP) à presidência.

Fala-se que antes houve um acordo para Roberto continuar na primeira-secretaria, mas na hora de registrar a chapa na Secretaria Parlamentar, o nome do vereador do PR não constava. Deu confusão, bate-boca, briga na justiça.

Pois agora, de repente, o vereador Didi do INSS (PDT), atual primeiro-secretário, decidiu abrir mão do cobiçado cargo, que tem a atribuição de administrar o funcionamento da casa, celebrar contratos, assinar pagamentos. Ou seja, trabalha com aquilo que os políticos muito apreciam: dinheiro.

Para a plateia, o discurso é de que a primeira-secretaria exige dedicação em tempo integral e Didi não possui tanta disponibilidade. Ele diz que este será seu último mandato e quer levá-lo em ritmo suave e pouco trabalhoso. Uma sessãozinha às quartas e olhe lá.

Nos bastidores da Câmara, porém, a versão é de que Didi acha que Ruy Machado concentra poderes e controlou com mão de ferro a nomeação dos cargos da Mesa. O primeiro-secretário sentiu-se sem “margem de manobra” e não topou ir pra briga, preferindo pedir o boné.

Informação colhida pelo PIMENTA dá conta de que o vereador Claudevane Leite (PT) é o mais cotado para substituir Didi no cargo de primeiro-secretário.

GEDDEL, RENATO E GERALDO

Tempo de leitura: 2 minutos

Marco Wense

Geddel, então ministro da Integração Nacional, já teria perdoado os petistas pela sonora vaia que recebeu em Ilhéus?

A impressão que fica é que Renato Costa, presidente do PMDB de Itabuna, acredita em uma reaproximação política entre Geraldo Simões e Geddel Vieira Lima.

Renato, toda vez que é entrevistado sobre a sucessão municipal, não descarta uma conversa com o ex-prefeito, deixando nas entrelinhas que o PMDB pode até apoiar a petista Juçara Feitosa.

O PMDB de Itabuna não tem autonomia para tomar uma decisão dessa envergadura. O ex-presidente Itamar Franco tem razão quando diz que “os partidos são dominados por cúpulas”.

A cúpula estadual do peemedebismo dificilmente aceitaria uma coligação PT-PMDB na eleição de 2012. Será que o pega-pega entre Geddel e Geraldo Simões é coisa do passado?

Outra pergunta pertinente e oportuna: Geddel, então ministro da Integração Nacional, já teria perdoado os petistas pela sonora vaia que recebeu em Ilhéus?

Francamente, como diria o saudoso Leonel Brizola, não vejo qualquer possibilidade de Geddel e Geraldo ficarem no mesmo balaio, formando uma inesperada, estranha e inusitada aliança.

Diria até que Geddel e o mano Lúcio Vieira, presidente estadual do PMDB, não estão satisfeitos com as recentes declarações de Renato Costa sobre a sucessão do demista Capitão Azevedo.

SEM SUBTERFÚGIOS

O presidente da Câmara de Vereadores de Itabuna, Ruy Machado (PRP), diz o que pensa e o que quer sem fazer arrodeios. No quesito autenticidade é inigualável.

O toma-lá-dá-cá de Ruy Machado é explícito. Não é disfarçado e, nem tão pouco, camuflado. Tem vereador, por exemplo, que é puritano durante o dia e verdadeiro diabinho na calada da noite.

De olho em uma secretaria no governo Azevedo, o polêmico edil, sem pestanejar, diz: “Eu sou presidente da Câmara e tenho o comando do PTB. Por isso tenho legitimidade para ser contemplado com uma secretaria”.

Ruy Machado é assim. E foi assim que ele chegou à presidência do Legislativo. E tem mais: é paparicado pelos ex-prefeitos Geraldo Simões (PT) e Fernando Gomes (PMDB).

Marco Wense é articulista da revista Contudo.

RUY É ELEITO PRESIDENTE DA CÂMARA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Gerson e Ruy (à direita) comemoram eleição (Foto View Sílvio).

Por 9 votos a 1, o vereador Ruy Machado (PRP) foi eleito o novo presidente da Câmara de Itabuna em disputa encerrada há pouco no plenário. Ele tomará posse na próxima segunda, 3, às 9h, em substituição a Clovis Loiola (PPS). Apesar de adversário de Ruy, Loiola acabou sendo o décimo voto do novo presidente.
Os vereadores Roberto de Souza (PR), Milton Gramacho (PRTB) e Raimundo Pólvora (PPS) abandonaram o plenário na hora da votação. O novo presidente assume tendo o compromisso de “moralizar” a Câmara e construir a sede do legislativo.
A chapa vencedora ainda é composta por Gerson Nascimento (PV) na vice, Didi do INSS na primeira secretaria, Milton Cerqueira na segunda secretaria e o petista Claudevane Leite assume a terceira secretaria. Rose Castro (PR) assume a terceira vice-presidência.
Ruy Machado foi eleito após uma intensa disputa judicial. Ele havia sido escolhido presidente em um pleito ocorrido há quase um mês e considerado irregular pela Justiça, que determinou nova disputa.
Do outro lado estava Roberto de Souza (PR), escolhido para a presidência da Casa em 5 de junho de 2009. A eleição também foi considerada irregular.

GERALDO, PT E O LEGISLATIVO

Tempo de leitura: 2 minutos

A atitude surpreendente e corajosa do diretório do PT, contrariando o prefeiturável Geraldo Simões, deixou muito gente sobressaltada

Marco Wense
Nesse lamaçal que toma conta da Câmara de Vereadores de Itabuna, sem precedente na história do Legislativo tupiniquim, o diretório do Partido dos Trabalhadores fez o que deveria ser feito.
O PT cuidou da sua imagem. O partido, defendendo candidatura própria à presidência da Casa, com o vereador Claudevane Leite, se livrou de qualquer responsabilidade diante da sujeira do processo eleitoral.
A legenda, presidida pela professora Miralva Moitinho, não pode ser acusada de ter sido conivente com o que pode acontecer em decorrência desse imbróglio protagonizado pelos “representantes do povo”.
O deputado Geraldo Simões caminhou em sentido contrário ao PT. Além de desconsiderar a decisão dos companheiros, aconselhou Claudevane a apoiar Ruy Machado, que terminou sendo “eleito”.
O ex-prefeito de Itabuna, para justificar sua posição, usa o forte argumento de que uma candidatura própria poderia contribuir para a vitória de Milton Gramacho, líder do prefeito Azevedo (DEM).
Fugindo de uma provável derrota, com a eleição de um azevista para o comando do Legislativo, Geraldo Simões, também de olho em um pedido de impeachment do chefe do Executivo, optou pelo apoio ao amigo Ruy Machado (PRP).
A atitude surpreendente e corajosa do diretório do PT, contrariando o prefeiturável Geraldo Simões, deixou muito gente sobressaltada. Sem entender “bulufa” nenhuma.
PS – Geraldo Simões é o Lula de Miralva. O PT está sob sua rigorosa batuta. Os adversários do ex-prefeito, incluindo aí muitos petistas, costumam dizer que Geraldo é o “coroné” do PT de Itabuna.
TRÊS REFEIÇÕES
O vereador Ruy Machado, sem dúvida um espertíssimo articulador político, do tipo que consegue dar nó em pingo de éter, tomava café da manhã com o prefeito Azevedo (DEM), almoçava com Fernando Gomes (PMDB) e jantava com Geraldo Simões (PT).
Agora, depois da eleição para a presidência da Câmara Municipal, com o apoio entusiasmado de Geraldo Simões, o Capitão e o ex-alcaide não querem mais saber do tititi de Ruy, já que o edil está afinadíssimo com o petista.
Sobrou para Geraldo Simões, que vai ter que “bancar” as três refeições de Ruy Machado (PRP).
Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

IMBASSAHY MANDOU, SOLON MUDOU…

Tempo de leitura: < 1 minuto

Por meio de sua assessoria, o vereador Solon Pinheiro (PSDB) informa que pulou de galho e não mais apoia Roberto de Souza (PR) na guerra pela presidência da Câmara de Itabuna. Para justificar a repentina mudança, Solon diz que segue orientação do presidente estadual do partido, Antônio Imbassahy, que determinou ao PSDB itabunense apoio a Ruy Machado (PRP).
Ruy foi eleito para a presidência da Câmara em votação ocorrida na última terça-feira, 30. Mas Roberto já havia sido escolhido para o mesmo cargo em eleição ocorrida em 5 de junho do ano passado. Ocorre que, para agradar ao governo, os vereadores aprovaram uma mudança no Regimento Interno, anulando a votação de 2009 e determinando nova eleição.

O CORONEL DEU A SENHA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Nas contas otimistas, o governador Jaques Wagner poderá contar com o apoio de 50 a 55 dos deputados estaduais eleitos. Tradicionalmente ligado ao carlismo, Coronel Santana (PTN), da coligação geddelista, já deu a senha:
– Fui eleito pelo povo. Buscarei essa boa relação [com o governo].
Disse, no entanto, que adotará posição de “independência” na Assembleia Legislativa. Nos bastidores o que se comenta é que ele já está de olho nos cargos do ainda deputado estadual Capitão Fábio (PRP), que saiu derrotado das urnas.

CAPITÃO FÁBIO CHAMA LÚCIO DE "MALA"

Tempo de leitura: < 1 minuto

O deputado estadual Capitão Fábio (PRP) rebateu o presidente do PMDB baiano, Lúcio Vieira Lima, que o acusou de ser “pé frio” e de nunca ter apoiado o PMDB. Fábio reafirmou que lutará pela reeleição de Jaques Wagner e considera o peemedebista uma carga pesada.
– Lúcio é uma mala. Prejudicou minha campanha a prefeito, levando-me a desistir, e agora tá prejudicando a candidatura de Geddel.
Para o deputado, a candidatura a governador de Geddel é “barca furada”, que afundaria mais rápido com “a mala pesada chamada Lúcio Vieira Lima”. Fábio afirmou que estará ao lado de Wagner nas carreatas desta sexta-feira, 3, nos municípios de Ilhéus (9 horas), Itabuna (11 horas) e Uruçuca (13 horas).

LÚCIO DIZ QUE CAPITÃO FÁBIO É "PÉ FRIO"

Tempo de leitura: < 1 minuto

Do Bahia Notícias

Lúcio sai em defesa do irmão Geddel na briga com Fábio (Foto Pimenta arquivo 30-08-2009).

O presidente estadual do PMDB, Lúcio Vieira Lima, fez pouco caso ainda da “traição” do deputado estadual Capitão Fábio (PRP) ao candidato da sua coligação ao Palácio de Ondina, Geddel Vieira Lima. Embora o seu partido faça parte da chapa “A Bahia tem Pressa”, o parlamentar segue a apoiar o governador Jaques Wagner (PT), que concorre à reeleição.
– O PT precisa parar de criar factoide. Fábio nunca apoiou Geddel. O que importa é que a direção e os demais integrantes do partido estão conosco, porque acreditam que mais quatro anos desse governo seria um atraso ainda pior. Além do mais, Capitão Fábio é pé frio. O apoio dele em Itabuna a Juçara Feitosa (PT), que liderava as pesquisas, foi o que levou ela a perder para o candidato do DEM, Capitão Azevedo, que ganhou a eleição.

Back To Top