skip to Main Content
2 de julho de 2020 | 03:13 pm

MORRE SECRETÁRIO DE COMUNICAÇÃO DO PT DE ITABUNA

Franklin Santana faleceu vítimas de AVC e complicações respiratórias
Tempo de leitura: < 1 minuto

Secretário de Comunicação do diretório itabunense do Partido dos Trabalhadores (PT), Franklin Santana Santos faleceu, nesta terça-feira (26), aos 38 anos, em Itabuna, vítima de complicações respiratórias e Acidente Vascular Cerebral (AVC).

A presidência do diretório municipal emitiu nota em que lamentou a partida de Franklin, que se relacionava bem com as várias alas do partido. “”Externamos nossos sentimentos em nome da militância do Partido dos Trabalhadores, rogando para que a misericórdia divina console a todos, especialmente aos familiares e amigos, nesse momento tão difícil”, escreveu o presidente do PT de Itabuna, Jackson Moreira, em nota oficial.

Políticos locais, a exemplo do vereador Júnior Brandão e da ex-diretora da Direc 7 Miralva Moitinho prestaram homenagem a Franklin nas redes sociais. “Franklin era mais que amigo. Era irmão. Lutou contra um AVC. Deixará lembranças e saudades, imensas”, escreveu Júnior Brandão, que já foi do PT e hoje está na Rede Sustentabilidade.

Miralva Moitinho lembrou da figura alegre. “Franklin foi morar no céu, ao lado do nosso Pai celestial. Entre nós agora somente as lembranças da sua alegria contagiante, sua solidariedade e carinho com todxs”, afirmou em postagem no Instagram. Franklin é filho de uma das mais carismáticas e históricas figuras do PT Itabuna, França do São Pedro.

ARTIGO || O BALAIO DA POLÍTICA ILHEENSE

Tempo de leitura: 4 minutos

O empresário Valderico Junior tem se destacado e se notabilizado como uma força crescente, principal opositor do prefeito e um nome a ser batido. Valderico já tem ao seu redor vários partidos da oposição ao governador Rui Costa.

Jerberson Josué

Semana passada fiz uma análise do cenário eleitoral e até hoje dá “pano pra manga”. Um amigo me contou que no PSD os pré-candidatos de menor força e popularidade foram tirar satisfações com os dirigentes, pois não sabiam que poderiam ser mulas de figurões da política, e ameaçaram promover abandono de pré-candidaturas, o que dificultaria a vida dos ditos tubarões. Vale lembrar que não existe mais tempo pra mudanças.

No PSB, a confusão é sobre o nome do ex-vereador Marcos Flávio. Ele se filiou inicialmente no dia 2 abril ao Podemos, algo normal. O problema é que no dia 4 de abril o ex-presidente da OAB se filiou ao PSB e também ao PCdoB. Qual é o destino do nobre advogado Marcos Flávio? É a pergunta geral. Tem gente achando que foi uma barbeiragem; outros acreditam que foi uma jogada do prefeito, pois o ex-vereador Marcos Flávio é aliado do prefeito e foi para o PSB com a missão de garantir o PSB na base e, de quebra, assegurar a vice e ter um fiel aliado como opção.

A filiação ao PC do B não bate com essa estratégia. Tem gente que diz que essa tática assegura caminhos a seguir e tranquilidade pra escolher a melhor opção mais a frente, no pós-pandemia. Saberemos a resposta quando Marcos Flavio falar ou agir, apontando ao TRE em que partido quer ficar. Outro movimento importante é feito pelo ex-prefeito de Ilhéus, o professor Jabes Ribeiro. Conhecido como um grande articulador, ele faz jus à fama, e nos bastidores atua fortemente pra garantir grandes apoios ao seu pré-candidato, o empresário Cacá Colchões.

O ex-prefeito Jabes conversa com capa pretas estadual de diversos partidos, de diversas correntes ideológicas. Com a saída de alguns nomes do partido na proporcional, o ex-prefeito também trouxe para fileiras progressistas lideranças dos principais e mais importantes bairros. A lista do progressista é guardada pelo ex-prefeito Jabes a sete chaves. Ele sabe muito bem do poder de convencimento da caneta de um prefeito e por isso não vai dar mole ao prefeito Mário. Alguns experientes articuladores na montagem de chapa, apontam que o progressista vem muito forte e devidamente espalhado em todos os cantos, inserido em todas as classes sociais e segmentos, ou seja, diferente do que muitos pensam, o partido do ex-prefeito vem forte sim, também, na corrida para o legislativo ilheense.

A SABER AO ABRIR AS URNAS. Na articulação para a majoritária, o sonho do ex-prefeito é ter nas fileiras de seu pré-candidato quase todos os partidos da base do governador RUI, à exceção do PSD, apesar de até no PSD ter amigos e filhos políticos. As conversas, principalmente com o PT, PSB, PCdoB e Cidadania, são contínuas e diárias. O PT segue firme com seu pré-candidato, o empresário Nilton Cruz.

Nilton Cruz anda a cidade de norte a sul, na construção de sua candidatura, além de articular nos gabinetes de Ilhéus e Salvador. Um forte aliado do empresário e pré-candidato é o deputado Rosemberg Pinto, o líder do governo na Assembleia Legislativa. Nilton Cruz, assim como Jabes, sonha em aglomerar em torno de sua campanha o máximo de partidos da base governista para atrair o governador Rui e o senador Jaques Wagner, que são de seu partido.

O prefeito Mário Alexandre PSD vive difíceis momentos, diante de desmandos e caos administrativos, confusões e fofocas de bastidores, um verdadeiro inferno astral, principalmente que os problemas da pandemia fazem estourar todo dia uma nova bomba no seu colo. Além de insatisfação de aliados, inclusive na Câmara, vereadores de sua base reclamam que não têm demandas atendidas pelo governo, e as pressões nas bases apertam mais ainda os vereadores que se sentem abandonados pelo prefeito Mário. Vale lembrar que Mário tem fama de não cumprir com o combinado e ser inadimplente da palavra.

Alguns dizem que o que ele diz sentado, não vale em pé. Diante de tanta problemática e com gigante rejeição, sua reeleição fica cada dia mais improvável. Dizem até que o grupo já pensa em um plano B, em lançar um nome novo e diferente, até de fora da política. Mário tem batido cabeça também no estado, por sua aproximação com ferozes opositores do governador, como a deputada Dayane Pimentel, do PSL, ex-partido de Bolsonaro.

O constrangimento é grande, principalmente porque bolsonaristas com cargos no governo Mario, batem no governador Rui Costa todo dia nas redes sociais. O CLIMA fica ruim quando esse assunto é discutido em Salvador, e nem os senadores Otto e Coronel, ambos do PSD e aliados do governador, conseguem defendê-lo. Principalmente, porque os senadores fazem contraponto ao governo Bolsonaro. Coronel é presidente da CPMI das FAKES NEWS. O engraçado é que essa mesma turma é vetor de retransmissão na cidade, da rede de compartilhamento investigada pela CPMI que o Coronel preside. Até onde vai esse imbróglio, só vamos saber mais à frente. Diante de tudo isso, esse é o pior momento do governo Mário.

O empresário Valderico Junior tem se destacado e se notabilizado como uma força crescente, principal opositor do prefeito e um nome a ser batido. Valderico já tem ao seu redor vários partidos da oposição ao governador Rui e avança nas articulações até com partidos da base do governador. É certo que a eleição de 2020 é laboratório para 2022. Por isso, Rui está atento ao que acontece em Ilhéus e, dificilmente, ficará de braços cruzados. Mas qual será a tendência do bem avaliado Rui Costa é a pergunta recorrente. Só não deve vacilar e mexer na peça errada do xadrez político ilheense. E assim, aguardamos os próximos capítulos.

Jerberson Josué se define como um estudante na escola da vida.

ROSEMBERG: BANCADA VOTARÁ A FAVOR DA ISENÇÃO DA CONTA DE LUZ PARA MAIS POBRES

Rosemberg defende celeridade em votação de projeto que beneficia 677 mil famílias
Tempo de leitura: < 1 minuto

Tão logo foi anunciada pelo governador Rui Costa a isenção do pagamento de conta de luz para os mais pobres do Estado no período da pandemia do novo coronavírus, o deputado estadual se pronunciou e disse que a Bancada da Maioria está pronta para aprovar o projeto o quanto antes.

A proposta do governo estadual beneficia cerca de 677 mil famílias que têm consumo médio até 80 kw/mês de energia elétrica por três meses. Segundo Rosemberg, a bancada se prontifica a votá-la o quanto antes para que o mais rápiodo possível o governador sancione a medida.

– A bancada da maioria na Assembleia estará à disposição do presidente Nelson Leal para votar e aprovar a proposta para que o governador Rui sancione o mais rápido possível essa importante iniciativa – escreveu Rosemberg por meio do Twitter.

O presidente da Assembleia Legislativa, Nelson Leal, prevê a votação da iniciativa do governo estadual já nesta sexta-feira (3) para que passe a valer imediatamente, após sanção de Rui Costa.

ITABUNA: EX-VEREADOR DEIXA O PT E FILIA-SE AO PL

Paulinho do INSS, de óculos, ao lado de Capitão Azevedo e Marcelo Cafuringa
Tempo de leitura: < 1 minuto

O ex-vereador Paulinho do INSS deixou o Partido dos Trabalhadores (PT) e filiou-se ao PL. Ontem (17), o vereador assinou a ficha de filiação ao novo partido no escritório de pré-campanha de Capitão Azevedo, também do PL, que disputará, pela terceira vez, a Prefeitura de Itabuna. O ato também reuniu o presidente do PL de Itabuna, Fernando Netto, e o vice, Edmilson Silva.

Paulinho do INSS foi vereador de Itabuna no período de 2013 a 2016. Disputou a reeleição, porém ficou como suplente da coligação que reelegeu o vereador Júnior Brandão, que também deixou o PT no início deste mês.

RESOLUÇÃO DO PT OFICIALIZA GERALDO COMO PRÉ-CANDIDATO DO PARTIDO

Resolução oficializa Geraldo como o nome do PT na corrida eleitoral em Itabuna
Tempo de leitura: < 1 minuto

A direção do Partido dos Trabalhadores (PT) acaba de editar uma Resolução em que indica oficialmente o nome do ex-prefeito Geraldo Simões como o pré-candidato que irá disputar a prefeitura de Itabuna em 4 de outubro. O nome de Geraldo será referendado em Encontro Municipal, cuja data ainda será divulgada.

A Resolução Política traz, além da indicação, outros dois pontos, e um deles reafirma a oposição ao governo do atual prefeito Fernando Gomes, bem como rechaça qualquer composição com os segmentos da extrema direita e do que chama de “carlismo bolsonarista”, em qualquer de suas manifestações.

Para bom entendedor, é uma indicação aos petistas para que fiquem longe de nomes que são identificados com o “carlismo-carlismo-bolsonarista”, a exemplo do médico Antônio Mangabeira e do próprio Fernando. Em compensação, prega a aproximação com os partidos de centro-esquerda, como já vem fazendo com PSD, PSB, PC do B, Avante entre outros.

“Nosso propósito é dialogar com as forças progressistas de nossa cidade, e a oficialização do nome do companheiro Geraldo é importante para que todos os parceiros tenham a segurança de que estão tratando com um partido comprometido não apenas com o processo eleitoral, mas com a construção de uma alternativa viável e institucionalmente definida”, observa o presidente do PT em Itabuna, Jackson Moreira.

CLIQUE E CONFIRA A RESOLUÇÃO

ITABUNA: PT CONVIDA E LANNS ALMEIDA SERÁ PRÉ-CANDIDATO A VEREADOR PELO PARTIDO

Lanns Almeida, ao centro, acompanhado de Paulo César, Jackson, Geraldo e Flávio Barreto
Tempo de leitura: 2 minutos

O engenheiro agrônomo e diretor da Biofábrica de Cacau, Lanns Almeida, foi convidado pela direção do PT itabunense para disputar vaga à Câmara de Vereadores. E aceitou. O martelo foi batido na tarde desta terça (3) durante encontro com o presidente do PT de Itabuna, Jackson Moreira, o pré-candidato a prefeito Geraldo Simões e com o ex-presidente do PT Flávio Barreto, além do assessor Paulo Sérgio.

Para Jackson Moreira, a filiação de Lanns é “demonstração de que o PT pretende qualificar o debate político” no município. “O companheiro Lanns dispensa apresentações. Um profissional reconhecido, mas também um pensador, que muito tem a contribuir para a elevação do nível da Câmara de Vereadores, quando eleito. É daqueles quadros que qualificam o cargo”.

Jackson reafirma o compromisso do PT de “apresentar soluções para o enfrentamento da situação de caos observado em diversos setores da administração pública” de Itabuna. “Para isso apresentamos o nome do companheiro Geraldo Simões, para candidato a prefeito, porque já tem o currículo duas gestões extraordinárias no município, além da experiência parlamentar e de gestão de diversos órgãos, como uma secretaria estadual e a Codeba. Vamos mostrar à população, com Geraldo e com nosso time de candidatos a vereadores e vereadoras, que temos um grande compromisso com o desenvolvimento de Itabuna”.

LANNS ALMEIDA

Engenheiro Agrônomo formado em 2013 pela Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), Lanns Almeida é casado e pai de dois filhos. Já atuou como coordenador de projetos pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), como assessor técnico da diretoria executiva da CAR e secretário municipal de Agricultura e Meio Ambiente de Itabuna. Ele atua nas áreas de Planejamento e Gestão de Programa e Projetos, Geoprocessamento e Cacauicutura no Sistema Cabruca.

O presidente do PT de Itabuna, Jackson Moreira, afirma, ainda, que será realizado, nos próximos dias, um evento de filiação e lançamento da pré-candidatura a vereador. “Vamos marcar esse momento, que é muito importante, simbolicamente, para o PT e para o momento político em nossa cidade”.

ITABUNA: PT CONFIRMA PRÉ-CANDIDATURA DE GERALDO E NEGOCIA COM PARTIDOS ALIADOS

Miralva, Porfírio e Jackson: apoio a Geraldo e definição da chapa de vereadores || Pimenta
Tempo de leitura: 2 minutos

O ex-prefeito Geraldo Simões conseguiu vencer resistências internas e será o nome do PT na sucessão municipal de Itabuna. Há pouco, representantes dos deputados Rosemberg Pinto, Josias Gomes, Afonso Florence, Osni Cardoso e Joseildo Ramos sentaram-se à mesa com o presidente do PT de Itabuna, Jackson Primo, definindo o apoio à pré-candidatura do ex-prefeito. O encontro ocorreu em um restaurante de Itabuna.

Deputado estadual e líder do Governo Rui Costa na Assembleia Legislativa, Rosemberg Pinto conversou com o presidente do PT itabunense no final de semana. O parlamentar selou apoio a Geraldo e trabalha para manter no partido o vereador Júnior Brandão, que era um dos dois nomes do PT na corrida municipal. O encontro nesta tarde teve a participação de Jackson, Miralva, Manoel Porfírio e de Marcos “Japu” Souza. Miralva e Jackson, que se enfrentaram nas urnas no PED do PT de Itabuna, vestiam camisas cor de rosa para simbolizar o momento.

– Vamos ter um pré-candidato, que é o ex-prefeito Geraldo Simões. Agora, estamos trabalhando para ter uma chapa proporcional competitiva, com representantes da comunidade e de setores como Educação e Saúde e da nossa militância histórica – afirmou Jackson Primo ao PIMENTA há pouco.

Jackson disse ainda não ter informação oficial sobre a saída de Júnior Brandão do PT, mas tanto ele como a ex-presidente do PT itabunense Miralva Moitinho ficaram de conversar com o vereador para tentar demovê-lo da ideia de deixar a legenda. “Júnior é um quadro importante e vamos conversar, pois é dos candidatos prioritários para a Câmara”, disse Jackson.

Jackson disse que o PT tem, até aqui, 35 nomes para a Câmara de Vereadores, além até do máximo permitido por partido (32) em tempos de fim de coligação para as eleições proporcionais.

TODOS, MENOS FERNANDO E MANGABEIRA

O dirigente disse que, após a definição da pré-candidatura do partido, agora avança nas negociações com os partidos aliados. “Vamos conversar com Augusto Castro (PSD), Azevedo (PL), Dr. Isaac (Avante), Aldenes Meira (PSB) e Jairo Araújo (PCdoB)”, disse ele, observando que o nome do candidato destes partidos da base sairá dos diálogos que estão sendo mantidos desde o ano passado.

Questionado se o partido não dialogaria com o prefeito Fernando Gomes, Jackson reagiu:

– Fernando se diz amigo do governador, mas não tem relação com o PT e nós do PT temos restrições severas contra ele. É o único da base do governador com quem a gente não senta para conversar. Em circunstancia nenhuma. Nem ele nem com Dr. Mangabeira, porque o dr. apoia Bolsonaro e é oposição ao governador – disse Jackson.

O presidente do PT de Itabuna disse que a unidade no município segue orientação do diretório nacional e um pedido do presidente Lula. “Optamos por um nome que governou a cidade por duas vezes. Itabuna enfrenta sérias dificuldades, muitas. Vamos discutir a agenda municipal e a nacional, também”, disse ele.

EVANGÉLICOS

O partido também destacou nomes como José Veridiano e Zaquel Oliveira para ser a ponte com o segmento evangélico no município. Desde a semana passada, o PT baiano definiu núcleo evangélico para estabelecer diálogo com os evangélicos, setor onde o PT e a esquerda passaram a sofrer grandes resistências desde as eleições de 2018, quando o presidente Bolsonaro atribuiu ao presidenciável Fernando Haddad (PT) a criação do Kit Gay, fake news eleitoral que o partido não conseguiu desmistificar.

JOSEFINA CASTRO DEIXARÁ A CHEFIA DO NTE-5 E DEVE DISPUTAR A ELEIÇÃO EM COARACI

Josefina Castro vai deixar o NTE e deve disputar a eleição em Coaraci
Tempo de leitura: < 1 minuto

A ex-prefeita de Coaraci Josefina Castro vai deixar a diretoria do Núcleo Regional de Educação do Sul da Bahia (NTE-5), na próxima semana, para dedicar-se exclusivamente às articulações para eleição municipal deste ano em Coaraci. Nesta sexta-feira (28), ela informou ao PIMENTA que a exoneração deve ser publicada na edição do Diário Oficial do Estado a qualquer momento, provavelmente na próxima terça-feira (3). Leninha Vilanova deverá ser a substituta.

Ao ser questionada se seria para dedicar-se à própria campanha na tentativa de retornar ao cargo que ocupou por dois mandatos consecutivos, Josefina Castro se esquivou. Informou que ainda vai se reunir com o seu grupo político e que não tem nada definido sobre quem será o candidato do PT que enfrentará o prefeito Jadson Albano (PP). Segundo ela, a decisão será do grupo.

De acordo com pessoas ligadas a Josefina Castro,  é quase certo que ela será a candidata do PT à Prefeitura de Coaraci.  Há duas semanas, numa conversa rápida com o nosso repórter, Castro falou que a candidatura do grupo estava entre ela e Kadu Castro, o seu sobrinho.

Josefina Castro foi a primeira mulher a administrar Coaraci. Em 2012,  foi reeleita, outro feito inédito até hoje. Seus antecessores tentaram a reeleição, mas fracassaram.

A CONVERSA DE FERNANDO GOMES COM RUI COSTA

Tempo de leitura: 3 minutos

Marco Wense

 

O governador vai tentar convencer Fernando de que o melhor caminho é um partido aliado do governo. Se o conselho não for seguido, o bom relacionamento com o neoaliado, que chegou até a colocar a estrela do PT do lado esquerdo do peito, tende a se esfriar.

 

O encontro do prefeito Fernando Gomes com o governador Rui Costa, tendo como pauta principal a sucessão de Itabuna, vem provocando uma avalanche de especulações e disse-me-disse.

A decisão do alcaide, que continua sem abrigo partidário, de disputar ou não à reeleição (ou o segundo mandato consecutivo) mexe com todo o pleito para o cobiçado comando do centro administrativo Firmino Alves.

Salta aos olhos, que não precisam ser do tamanho dos da coruja, que o processo sucessório com Fernando Gomes disputando o sexto mandato é um. Sem ele, outro completamente diferente.

As torcidas dos prefeituráveis caminham em sentidos opostos. Cito dois exemplos, sem dúvida os mais interessantes. O grupo de Mangabeira (PDT) quer Fernando como candidato. Já o do Capitão Azevedo (PL) reza todos os dias para que o atual gestor não tenha seu nome nas urnas eletrônicas.

Com Fernando na disputa, as chances do ex-prefeito Azevedo caem abruptamente. Ambos têm os mesmos redutos eleitorais, são políticos que pertencem ao campo do populismo. A polarização com Mangabeira é dada como favas contadas. O voto útil do antifernandismo vai ser direcionado para o pedetista.

Sem o experiente Fernando Gomes, Azevedo passa a ser o maior adversário de Mangabeira, que continua na frente nas pesquisas de intenções de voto e com um baixíssimo índice de rejeição, que, quando comparado aos de Fernando e Geraldo Simões, pré-candidato do PT, quase que não existe.

E a conversa de Fernando Gomes com Rui Costa? Eu diria que o chefe do Palácio de Ondina não anda nada satisfeito com a possibilidade do alcaide ir para uma legenda que não seja da base aliada, como o Republicanos do bispo e deputado federal Márcio Marinho, que apoia o governo soteropolitano de ACM Neto (DEM) e o prefeiturável Bruno Reis, também demista.

No evento que anunciou Bruno Reis como postulante do DEM à prefeitura de Salvador, Marinho afirmou, com todas as letras maiúsculas, que a legenda vai pleitear a vice do democrata. “O Republicanos faz parte da base do prefeito ACM Neto”, disse o parlamentar.

Ora, o governador, conversando com seus próprios botões, como diria o irreverente e polêmico jornalista Mino Carta, vai dizer mais ou menos assim: Fiz de tudo para alavancar a pré-candidatura dele (Fernando Gomes) e agora ele quer ir para uma legenda que me tem como adversário e que vai apoiar a candidatura de ACM Neto ao governo da Bahia na eleição de 2022.

Vale lembrar que Marinho, aqui em Itabuna representado por Lourival Vieira, presidente do diretório local, não cansa de dizer que quer distância do Partido dos Trabalhadores. O bispo da Igreja Universal é adepto fervoroso do “PT nunca mais”. Como não bastasse, já descartou qualquer tipo de aliança com Rui Costa.

O governador vai tentar convencer Fernando de que o melhor caminho é um partido aliado do governo. Se o conselho não for seguido, o bom relacionamento com o neoaliado, que chegou até a colocar a estrela do PT do lado esquerdo do peito, tende a se esfriar. Começam a aparecer as primeiras pulgas atrás das orelhas da autoridade máxima do Poder Executivo estadual.

No mais, esperar o resultado da conversa. Se eu fosse apostar, jogaria todas as fichas que Fernando Gomes não vai para o Republicano.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

A CONVERSA DE FERNANDO GOMES COM RUI COSTA

Tempo de leitura: 3 minutos

Marco Wense

 

 

O governador vai tentar convencer Fernando de que o melhor caminho é um partido aliado do governo. Se o conselho não for seguido, o bom relacionamento com o neoaliado, que chegou até a colocar a estrela do PT do lado esquerdo do peito, tende a se esfriar.

 

O encontro do prefeito Fernando Gomes com o governador Rui Costa, tendo como pauta principal a sucessão de Itabuna, vem provocando uma avalanche de especulações e disse-me-disse.

A decisão do alcaide, que continua sem abrigo partidário, de disputar ou não à reeleição (ou o segundo mandato consecutivo) mexe com todo o pleito para o cobiçado comando do centro administrativo Firmino Alves.

Salta aos olhos, que não precisam ser do tamanho dos da coruja, que o processo sucessório com Fernando Gomes disputando o sexto mandato é um. Sem ele, outro completamente diferente.

As torcidas dos prefeituráveis caminham em sentidos opostos. Cito dois exemplos, sem dúvida os mais interessantes. O grupo de Mangabeira (PDT) quer Fernando como candidato. Já o do Capitão Azevedo (PL) reza todos os dias para que o atual gestor não tenha seu nome nas urnas eletrônicas.

Com Fernando na disputa, as chances do ex-prefeito Azevedo caem abruptamente. Ambos têm os mesmos redutos eleitorais, são políticos que pertencem ao campo do populismo. A polarização com Mangabeira é dada como favas contadas. O voto útil do antifernandismo vai ser direcionado para o pedetista.

Sem o experiente Fernando Gomes, Azevedo passa a ser o maior adversário de Mangabeira, que continua na frente nas pesquisas de intenções de voto e com um baixíssimo índice de rejeição, que, quando comparado aos de Fernando e Geraldo Simões, pré-candidato do PT, quase que não existe.

E a conversa de Fernando Gomes com Rui Costa? Eu diria que o chefe do Palácio de Ondina não anda nada satisfeito com a possibilidade do alcaide ir para uma legenda que não seja da base aliada, como o Republicanos do bispo e deputado federal Márcio Marinho, que apoia o governo soteropolitano de ACM Neto (DEM) e o prefeiturável Bruno Reis, também demista.

No evento que anunciou Bruno Reis como postulante do DEM à prefeitura de Salvador, Marinho afirmou, com todas as letras maiúsculas, que a legenda vai pleitear a vice do democrata. “O Republicanos faz parte da base do prefeito ACM Neto”, disse o parlamentar.

Ora, o governador, conversando com seus próprios botões, como diria o irreverente e polêmico jornalista Mino Carta, vai dizer mais ou menos assim: Fiz de tudo para alavancar a pré-candidatura dele (Fernando Gomes) e agora ele quer ir para uma legenda que me tem como adversário e que vai apoiar a candidatura de ACM Neto ao governo da Bahia na eleição de 2022.

Vale lembrar que Marinho, aqui em Itabuna representado por Lourival Vieira, presidente do diretório local, não cansa de dizer que quer distância do Partido dos Trabalhadores. O bispo da Igreja Universal é adepto fervoroso do “PT nunca mais”. Como não bastasse, já descartou qualquer tipo de aliança com Rui Costa.

O governador vai tentar convencer Fernando de que o melhor caminho é um partido aliado do governo. Se o conselho não for seguido, o bom relacionamento com o neoaliado, que chegou até a colocar a estrela do PT do lado esquerdo do peito, tende a se esfriar. Começam a aparecer as primeiras pulgas atrás das orelhas da autoridade máxima do Poder Executivo estadual.

No mais, esperar o resultado da conversa. Se eu fosse apostar, jogaria todas as fichas que Fernando Gomes não vai para o Republicano.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

Back To Top