skip to Main Content
12 de maio de 2021 | 01:42 pm

FALANDO DE “TRAIÇÕES”

Tempo de leitura: < 1 minuto

Lúcio Vieira Lima, o presidente da executiva estadual do PMDB, tem a resposta na ponta da língua quando acusam seu partido de ter traído o PT. Diz ele que o ex-aliado tem maneira bem peculiar de lidar com traições.

“Por exemplo, o PP em 2006 era aliado de Paulo Souto e se afastou do DEM para se juntar ao PT. Isso para os petistas não é traição, pois foi algo que os beneficiou”, afirma o irmão de Geddel.

Para alfinetar um pouco mais, ele lembra que, ao trazer para o governo figuras como João Leão e Roberto Muniz, o PT ainda “traiu” a companheira Moema Gramacho, prefeita de Lauro de Freitas e ferrenha adversária da dupla do PP.

Em suma, o peemedebista acha que, para o PT, traição só existe no momento em que alguém se afasta da legenda. Quando é para aderir, segundo ele, a manobra ganha conceito mais nobre.

PETISTA É A TERCEIRA NA HIERARQUIA DA SAÚDE DE AZEVEDO

Tempo de leitura: < 1 minuto

Sabem o fervor do crente novo convertido? Era assim o da (ainda) petista Cristiane Araújo Bittencourt nas hostes do Partido dos Trabalhadores. Era. “Ela era a primeira a pegar a bandeira e chamar os companheiros em nossas atividades”, lembra uma liderança do PT em Itabuna. Era.

Hoje ela está mais preocupada em desempenhar as funções no cargo que conseguiu do governo democrata do Capitão Azevedo, em Itabuna. Quando falamos que ela “conseguiu”, queremos dizer que houve disputa, mesmo. Mas não é qualquer carguinho.

Ela, que goza da amizade pessoal do prefeito, deixa a estrelinha de lado para chefiar a divisão de módulos assistenciais. Quem entende, diz que será a terceira mais poderosa dentro da secretaria da Saúde (símbolo CC-4 – peixe grande, traduzindo para o politiquês mais popular). O decreto foi assinado por Azevedo no dia 24 de agosto, e a moça já assumiu suas funções.

Ela não é a primeira. Entre os casos mais rumorosos, o do técnico agrícola Joel Gomes também caiu como uma bomba no partido da estrelinha. Joel foi convidado a apresentar sua carta de desfiliação, para não ser expulso. Cristiane, cuja família também detém cargos no governo Wagner, deve seguir o mesmo caminho de Joel.

“Petista não pode assumir cargo de confiança em governo do DEM. Se é de confiança lá, não é de confiança cá. Nesse caso específico, teve até disputa!”, escandaliza-se a liderança local do PT. O Conselho de Ética deve ser o caminho natural da ex-companheira.

“ADEUS, NÃO, E DIGA ATÉ BREVE…”

Tempo de leitura: 3 minutos

.

Senildo Paulino | senildopaulino@gmail.com

Do final da semana passada para cá, tenho recebido várias ligações a respeito da saída ou não de Ruy, ou Dr. Ruy como é popularmente conhecido, do Partido dos Trabalhadores (PT).

Antes de tecer comentários sobre essa informação fatídica, gostaria de relembrar alguns momentos de Ruy no PT de Ilhéus, que se confundem também com parte da minha militância nesse partido que mudou a cara e a forma de fazer política nesse país, e que muito me orgulha por fazer parte das fileiras do mesmo.

Ruy entrou no PT logo após as eleições municipais de 1992, motivado principalmente pelo apoio e carinho da militância do Partido dos Trabalhadores, demonstrados durante todo aquele processo eleitoral, quando o seu partido à época, o PSB, o abandonou no meio do pleito. A filiação foi apenas formal, pois Ruy já era um pouco PT a muito tempo.

Lembro bem que, em 1987, na famosa greve dos professores da rede municipal, ele foi um dos primeiros vereadores a apoiar o movimento e inclusive acompanhar clinicamente o prof. Genildo (Índio), durante a sua greve de fome. Greve (a dos professores) que, junto com as manifestações estudantis daquele ano, contribuiu para o crescimento do Partido no município de Ilhéus.

.

Ruy Carvalho na disputa eleitoral de 2008.

E em 1989 Lá estava Ruy apoiando a primeira candidatura de LULA à presidência da República, e ao PT desde o primeiro turno.

Foi também importante e decisiva a participação de Ruy, nos debates que culminaram na grande aliança progressista de 1996, que derrotou as forças ligadas ao antigo carlismo em Ilhéus.

Antes de ser convidado para disputar as eleições de 2000, por mim e prof. Ednei,  representando o desejo da grande maioria do PT de Ilhéus, Ruy esteve presente e atuante em todos os principais eventos políticos do nosso município, dando a cara e a cor do Partido nestes. Afirmo isso como testemunha ocular, pois acompanhei e participei desses momentos importantes e marcantes para o PT e para a política de Ilhéus.

Nas duas últimas campanhas de Ruy para prefeito, participei das equipes de coordenações e pude conviver ainda mais com o mesmo. Compartilhei dos momentos alegres de contato com a população, presenciei as várias demonstrações de carinho que ele recebia. Compartilhei dos momentos de conflitos, zangas, dificuldades financeiras, onde “Ruy Trovão”, como alguns carinhosamente chamavam nesses momentos, estourava, esbravejava, desabafava, mas em questão de minutos voltava a ser o mesmo Dr. Ruy de sempre, amável, companheiro e solidário.

Também sofremos juntos durante todos esses anos, em diversos momentos. Sofremos pelas escolhas equivocadas do povo de Ilhéus em várias eleições, sofremos nas três “derrotas” de LULA, sofremos durante a crise que a direita revanchista, juntamente com a mídia golpista, impôs ao PT, em 2005. Sofremos inclusive por não concordarmos, mas que por disciplina partidária tivemos que aceitar, com o jogo da governabilidade, que destrói relações e menospreza a história de lutas antagônicas.

Faço os relatos acima, para responder aos que me perguntaram qual era a minha opinião sobre a saída de Ruy.  Como opinar sobre uma decisão individual, tomada por alguém que durante esses mais de 20 anos, só fez política coletivamente? Prefiro falar dos momentos políticos que discutimos, debatemos e participamos juntos.

Perguntaram-me ainda se eu, como dirigente do PT, iria pedi para ele ficar. E disse aos mesmos que nas relações pessoais como na política, quando alguém toma alguma decisão precipitada ou no calor da emoção, talvez precise de um tempo para refletir, rever posições e, quem sabe, corrigir a rota. Não sei se é o caso em questão, pois parece que Ruy, bem ou mal assessorado, já vem trabalhado essa decisão há algum tempo.

Por ter aprendido a compreender e a gostar dessa figura polêmica, ‘bruta’ às vezes, mas sempre intensa no que faz que é o Dr. Ruy, finalizo usando um refrão de um reggae do Muzenza, que penso seja assim:
“… adeus não, e diga ATÉ BREVE…”

Senildo Paulino é advogado e integra o Conselho Estadual de Ética do PT.

RUY EXPLICA SAÍDA DO PT

Tempo de leitura: < 1 minuto

O ex-candidato a prefeito de Ilhéus, Ruy Carvalho, concederá entrevista coletiva, amanhã, às 9h30min, no Ilhéus Praia Hotel, para explicar os motivos que o levaram a trocar o PT pelo PV. A desfiliação do Partido dos Trabalhadores foi confirmada no início da noite de ontem, durante encontro com dirigentes do diretório municipal do PT.

Ontem, o secretário estadual de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza, Valmir Assunção, e o secretário de imprensa do PT, Ivan Alex, se reuniram com Ruy para demovê-lo da ideia de ingressar no PV. O ex-candidato a prefeito agradeceu a gentileza dos petistas, mas ‘pediu o boné’.

Atualizado às 14h38min

VELOSO DIZ QUE MANTERÁ CARGOS

Tempo de leitura: < 1 minuto

O deputado federal peemedebista Ramundo Veloso está certo de que manterá seus indicados para cargos estaduais, sem ser afetado pelas consequências do rompimento entre PT e PMDB na Bahia.

Veloso argumenta que, apesar da dissolução da aliança estadual, seu mandato continua apoiando o PT em Brasília. Portanto, entende o parlamentar, suas indicações estão a salvo de qualquer represália.

O problema é que alguns afirmam que a contrapartida para o apoio do PMDB a Lula seria a ocupação de cargos federais e, portanto, Wagner não poderia pagar a fatura de Brasília.

E aí?

RUY DÁ ADEUS AO PT

Tempo de leitura: < 1 minuto

Agora é oficial. O ex-candidato a prefeito de Ilhéus, Ruy Carvalho, não pertence mais aos quadros do PT. O pedido de desfiliação foi feito na noite desta quarta-feira (26), durante encontro emocionado que manteve com dirigentes da executiva do partido.

Durante o dia, representantes do PT estadual ainda tentaram a última cartada, oferecendo, dentre outras coisas, uma destacada participação do médico na executiva estadual do PT. Mas, apesar de balançado, Ruy decidiu pela saída. Nos próximos dias, conforme antecipado pelo Jornal Bahia Online, Ruy Carvalho anuncia o ingresso no Partido Verde (PV).

Leia mais

VALMIR CONVERSA COM RUI CARVALHO

Tempo de leitura: < 1 minuto

Prestes a passar pelo sinal verde,  o médico ilheense Rui Carvalho ouviu hoje fortes argumentos para continuar no vermelho.

Explique-se: após a ida de Marina Silva para o PV, Carvalho ficou inclinado a seguir o mesmo caminho, mas a visita que acaba de receber do secretário de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza do Estado, Valmir Assunção, pode ter balançado o médico.

Assunção pediu que Carvalho pesasse a sua história no PT e considerasse as mudanças promovidas pelo governador Jaques Wagner. O quase-dissidente não disse que sim nem que não, mas parece que o sangue vermelho reaqueceu em suas veias.

Agora, é esperar pela decisão.

CEPLAQUEANO DISPUTA PRESIDÊNCIA DO PT

Tempo de leitura: < 1 minuto

O pesquisador da Ceplac e doutor em ecologia Kazuiyuki Nakayama, conhecido na militância do PT regional por Kazuo, inscreveu chapa para disputar a presidência do Partido dos Trabalhadores na Bahia, no Processo de Eleição Direta (PED). A eleição ocorre no dia 22 de novembro em todo o território nacional.

A chapa, que representa a tendência Movimento PT,  tem participação de militantes de diversas regiões e municípios, mas a maior parte é formada por filiados das regiões Sul e Extremo Sul do estado, basicamente por ex-integrantes da tendência Democracia Socialista (DS). A corrente Movimento PT é a segunda maior do partido, e reúne 12 deputados federais.

Apesar da inscrição de pelo menos cinco chapas no PED Bahia, informações dão conta de que há uma forte tendência ao entendimento até o dia da eleição, e a formação de uma chapa de consenso. Esse entendimento também deve prevalecer na disputa do Diretório Municipal de Itabuna, hoje comandado pela corrente Construindo um Novo Brasil (CNB).

Um dos representantes da corrente Movimento PT, por exemplo, afirma que estão todos abertos ao diálogo, como é próprio da natureza do PT e seus filiados. “Claro que devem ser observados os anseios de cada movimento, a ocupação dos espaços políticos dentro do partido, tanto no âmbito estadual quanto no municipal. Tem que ser bom para todos. Mas, se não houver esse consenso, estamos prontos para a disputa”.

O JOGO DO PODER

Tempo de leitura: < 1 minuto

Publicado na coluna Painel, da Folha, hoje:

Rei morto… Nem bem deu adeus ao PMDB de Geddel Vieira Lima, Jaques Wagner (PT) começa a tratar o PP do líder na Câmara, Mário Negromonte, como aliado vip.

… rei posto. Com espaço maior no primeiro escalão do governo baiano, o PP já pleiteia uma das vagas ao Senado na chapa reeleitoral de Wagner. O PT, que tem postulantes ao cargo, está pacífico agora que não disputa mais com o PMDB espaços no governo.

RUY CARVALHO DEIXA O PT E SE FILIA AO PV

Tempo de leitura: 2 minutos

Do Jornal Bahia Online

Ruy Carvalho deixa o PT e vai se filiar ao PT.

Ruy Carvalho deixa o PT e vai se filiar ao PV.

Candidato a prefeito de Ilhéus pelo Partido dos Trabalhadores nas eleições de 2008 e um dos mais respeitados nomes do PT no sul da Bahia, o médico Ruy Carlos Carvalho Santos vai anunciar na próxima quarta-feira (26) a sua saída da sigla.

Fontes muito próximas a Ruy Carvalho, garantiram ao Jornal Bahia Online que o médico não estaria satisfeito com o que ele chama de “desatenção do governo do PT” para com a cidade e a região e teria revelado que essa seria a forma mais expressiva de reagir ao descontentamento que tem com a atual forma de se fazer política na Bahia.

Na quinta-feira (27), um dia depois de comunicar a sua saída ao PT, Ruy vai conceder uma entrevista coletiva, falando sobre os motivos da mudança e a decisão de se filiar ao Partido Verde (PV).

—————–

Mais cedo, o Blog do Gusmão, também de Ilhéus, conversou com Ruy Carvalho, quando o ex-candidato a prefeito deixava a sua clínica, no centro da cidade. Ao ser perguntado se estava saindo do PT, Ruy demonstrou espanto:

– Ave Maria! Quem te falou isso? Não comentei isso com ninguém.

Até aquele ponto, Ruy deixava nas entrelinhas que estava mesmo de partida. Emílio Gusmão, editor do blog, repetiu a pergunta e, então, o ex-candidato a prefeito negou a saída do partido. Coisa de político!

O PT E SEUS CONFLITOS

Tempo de leitura: < 1 minuto

As pendengas com os aliados não representam a única preocupação do governador Jaques Wagner. Na própria “cozinha” do PT – como de costume – os ilustres confrades não param de mexer seu caldeirão de diferenças e conflitos.

Com a proximidade do Processo de Eleição Direta, Wagner já se preocupa com a temperatura que as divergências podem atingir. E incentiva o PT baiano a marchar unido no PED, apoiando a reeleição de Jonas Paulo, da corrente Construindo um Novo Brasil.

Ocorre que outras tendências, como a Articulação de Esquerda (Walmir Assunção) e ADS (Walter Pinheiro) querem lançar candidatos à presidência do diretório estadual. A ADS, inclusive, se reúne neste fim de semana em Salvador para definir um candidato.

“ATIROU NO QUE VIU E ACERTOU NO QUE NÃO VIU”

Tempo de leitura: < 1 minuto
Geddel: dificuldades na Bahia e em Brasília

Geddel: dificuldades na Bahia e em Brasília

“Eu nunca vi um negócio que começou errado acabar dando tão certo”. É assim que um importante petista baiano define o rompimento entre PT e PMDB no estado.

Na análise desta fonte vermelha, o ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, terá sérias dificuldades em sua tentativa de conquistar o governo baiano. E não só porque Jaques Wagner atraiu praticamente todos os partidos que o PMDB poderia ter como aliados…

Outro problema, ainda segundo a mesma fonte, é que a cúpula do PMDB nacional reprova as movimentações de Geddel na Bahia. E o ministro, que já não é visto com simpatia pela dupla José Sarney-Michel Temer, passou a ter dificuldades também no relacionamento com outros integrantes do seu partido em Brasília.

É aquela história: a rapadura é doce, mas não é mole…

PRESTÍGIO

Tempo de leitura: < 1 minuto

.

Fortes prestigia posse do secretário João Leão, também filiado ao PP.

Que a escolha do deputado federal João Leão para a Secretaria de Infraestrutura baiana foi muito criticada, disso não há dúvida. Talvez por isso, o deputado tenha procurado mostrar força ao contar com o ministro das Cidades, Márcio Fortes, entre as autoridades presentes à sua posse.

Agora, mãos à obra…

WAGNER CITA DIÁLOGO COM JOÃO HENRIQUE

Tempo de leitura: 2 minutos

Raul Monteiro | Política Livre

Wagner diz que João revelou se sentir livre (Foto Manu Dias/Agecom).

Wagner diz que João revelou se sentir livre após rompimento (Foto Manu Dias/Agecom).

Num discurso de cerca de 30 minutos em que repetiu à exaustão palavras como humildade, lealdade e gratidão, e no qual, pela primeira vez, embora sem citar nomes, falou diretamente sobre o rompimento com o PMDB, consumado há 15 dias, o governador Jaques Wagner insinuou hoje à tarde que o prefeito João Henrique (PMDB) não se relacionava com ele por imposição do ministro Geddel Vieira Lima (Integração Nacional).

“Quanto prazer me deu receber o prefeito João Henrique para me dizer: ‘governador, não há mais obstrução, vamos conversar normalmente?’ Se eu converso com os prefeitos do DEM, porque não podia eu conversar com o prefeito da minha capital, do PMDB? E esta desobstrução aconteceu porque as coisas mudaram, porque as pessoas despertaram”, disse Wagner, durante a solenidade de posse dos secretários João Leão (Infraestrutura) e James Correia (Indústria e Comércio), no Centro de Convenções.

O governador prosseguiu sob aplausos: “Me perdoem a sinceridade, (a desobstrução ocorreu) porque o bem, o jeito de fazer política do bem, venceu o jeito de fazer política da intimidação, de acuar, de intimidar quem quer que seja”. As declarações do governador funcionaram praticamente como a confirmação de que o prefeito teria relatado a ele, em audiência na segunda-feira, ter se desentendido com o líder do PMDB baiano, dando detalhes da briga que acabaram vazando para a imprensa.

Leia mais

Back To Top