skip to Main Content
5 de abril de 2020 | 01:25 am

FERNANDO, MANGABEIRA, JOSIAS E A DISPUTA DE 2020

Tempo de leitura: 2 minutos

Marco Wense

 

É bom lembrar que na última vez que falou sobre a sucessão de 2020, no programa de Roberto de Souza, Rádio Nacional, Josias não descartou a possibilidade de sair candidato a prefeito de Itabuna. Transferiria seu domicílio eleitoral de Ilhéus para a irmã e vizinha cidade.

 

Um, dois, três… De quinze pré-candidatos, somente cinco ou seis vão até o fim disputando a sucessão de Fernando Gomes, prefeito de Itabuna por cinco vezes.

Dificilmente teremos outro político para superar essa marca de ter governado Itabuna em cinco oportunidades, sendo sempre derrotado quando tentava o segundo mandato consecutivo.

Com efeito, nenhum alcaide conseguiu quebrar o tabu de permanecer no cargo pelo instituto da reeleição. O eleitorado itabunense não gosta de reeleger o chefe do Executivo.

O substituto de Fernando, que será conhecido em outubro de 2020, vai sair do grupo do governador Rui Costa ou de Mangabeira, sem dúvida o nome da oposição com mais chances de derrotar o candidato do governismo, seja municipal ou estadual.

O candidato do governador será também o de Fernando Gomes e vice-versa. Não teremos dois postulantes ao Centro Administrativo Firmino Alves dessa aliança. A tendência é pela escolha de um petista.

Nos bastidores, principalmente do Palácio de Ondina, o que se comenta é que Josias Gomes, ex-secretário de Relações Institucionais, seria o nome indicado pela cúpula do PT com o aval de Rui Costa e o ok de Fernando Gomes.

É bom lembrar que na última vez que falou sobre a sucessão de 2020, no programa de Roberto de Souza, Rádio Nacional, Josias não descartou a possibilidade de sair candidato a prefeito de Itabuna. Transferiria seu domicílio eleitoral de Ilhéus para a irmã e vizinha cidade.

Do outro lado, o grupo de Mangabeira com Augusto Castro e todos que querem uma mudança na política de Itabuna, um ponto final no fernandismo, que não pode ser subestimado, continua enraizado e respirando sem ajuda de aparelhos.

Se a eleição fosse hoje, o prefeito de Itabuna seria o médico Antônio Mangabeira, do Partido Democrático Trabalhista (PDT).

O que chama atenção na sucessão de 2020, é a pretensão de se candidatar dos ex-prefeitos Geraldo Simões, Claudevane Leite e Capitão Azevedo. Os dois primeiros ligados ao PT. O militar a ACM Neto, gestor soteropolitano, presidente nacional do DEM e candidatíssimo ao governo da Bahia no pleito de 2022.

No mais, esperar o desenrolar dos acontecimentos para um comentário mais firme, consistente e com pouca especulação.

Vale ressaltar que especular, dentro de uma certa lógica e racionalidade, é inerente ao jornalismo político. Do contrário, a análise ficaria condicionada ao surgimento do fato, que poderia acontecer até mesmo na véspera do dia da eleição. Portanto, a projeção do que pode vim pela frente é perfeitamente aceitável.

Lá na frente teremos o fernandismo e o petismo de mãos dadas para fazer o sucessor de Fernando Gomes, ilustre integrante do Movimento dos Sem Partido, o MSP.

Marco Wense é articulista e colunista do Diário Bahia.

RUI VISTORIA OBRAS DA NOVA PONTE DE ILHÉUS

Tempo de leitura: < 1 minuto

Obras da nova ponte atingiram 65% de conclusão em dezembro, segundo a OAS || Fotos José Nazal

O governador Rui Costa cumprirá agenda de trabalho em Ilhéus, na próxima sexta-feira (28), quando fará vistoria nas obras de construção da ponte semiestaiada. As obras da ponte atingiram 65% de execução e tiveram prazo de entrega adiado para agosto de 2019.
Ainda neste ano, o governador fez duras críticas à construtora responsável pelas obras, a OAS. Rui criticou a lentidão na obra, que tinha prazo original de conclusão anunciado para setembro de 2018, depois adiado para dezembro deste ano (relembre aqui). O investimento na obra é de, aproximadamente, R$ 98 milhões. Atualizada às 17h38min.

RUI DIZ QUE COMEÇARÁ NOVO MANDATO "CARREGADO DE INAUGURAÇÕES E INÍCIO DE OBRAS"

Tempo de leitura: < 1 minuto

Com filhas, esposa e o presidente do TRE baiano, Rui exibe diploma || Foto Divulgação

Durante cerimônia de diplomação dos eleitos na Bahia em outubro de 2018, o governador Rui Costa, reeleito, disse que iniciará novo governo com agenda já definida de inaugurações e início de novas obras.
– [Iniciarei o] segundo mandato com o mês de janeiro carregado de inaugurações e de início de obras. Vamos inaugurar, por exemplo, o novo Aeroporto de Vitória da Conquista, que é uma obra sonhada por toda a região. Vamos iniciar a obra do novo [Hospital] Clériston Andrade, que também é esperada há muitos anos pela população de Feira de Santana – afirmou.
O governador acrescentou ainda que a capital baiana terá mais 5 quilômetros do metrô, além das obras do VLT, que vão ligar Salvador a Simões Filho. “Portanto, o ano será iniciado com muitas entregas e ações positivas. Vamos seguir trabalhando”.
Rui também terá o desafio de convencer os servidores públicos estaduais das necessidades de limitações de gastos impostas por lei aprovada pela Assembleia Legislativa e que impõe corte de cargos e aumento de contribuição previdenciária de 12% para 14%. A cerimônia de diplomação ocorreu no Teatro Castro Alves, nesta segunda (17).

GERALDO SIMÕES E A REFORMA DE RUI

Tempo de leitura: 2 minutos

Marco Wense
 

Nos bastidores, o que se comenta é que o ex-governador e senador eleito Jaques Wagner pode levar Geraldo para Brasília, se o companheiro ficar de fora do Governo Rui Costa neste segundo mandato.

Toda vez que a reforma administrativa do governador Rui Costa emerge nas conversas entre petistas, o nome de Geraldo Simões é logo lembrado.
Prefeito de Itabuna por duas vezes, 1993-1996 e 2001-2004, também conhecido como “Minha Pedinha”, Geraldo divide a cúpula estadual do Partido dos Trabalhadores.
Tem os que defendem sua indicação para um cargo de primeiro escalão e os que torcem para Simões continuar a ver navios. Os mais religiosos fazem até promessas ao Senhor do Bonfim e colocam fitinhas no pulso.
Geraldo se mostra tranquilo.
Compreende que o chefe do Executivo não tem muita simpatia por ele. Até as freiras do convento das Carmelitas sabem da frieza de Rui com o ex-alcaide. Deve ter seus motivos, nunca revelados de público, mas sempre comentados em conversas reservadas.
A situação de Geraldo, quando comparada com a de priscas eras, como diria o saudoso, inquieto e polêmico jornalista Eduardo Anunciação, hoje em um lugar chamado Eternidade, é infinitamente melhor.
Teve um período em que Geraldo era uma espécie de “patinho feio” para Everaldo Anunciação, presidente estadual do PT, e Josias Gomes, então secretário de Relações Institucionais de Rui Costa. O apoio de Geraldo à reeleição de Josias para o Parlamento federal amenizou o pega-pega do passado.
Nos bastidores, o que se comenta é que o ex-governador e senador eleito Jaques Wagner pode levar Geraldo para Brasília, se o companheiro ficar de fora do Governo Rui Costa neste segundo mandato.
Geraldo Simões, que tem o controle do diretório do PT de Itabuna há muito tempo, é adorado por muitos e também odiado na mesma proporção.
O maior obstáculo no caminho de GS é sua performance nas últimas eleições que disputou, com resultados muito abaixo do esperado, provocando uma derrota atrás da outra.
Uma pergunta, no entanto, é oportuna e pertinente: Geraldo Simões estaria mesmo interessado em ocupar um cargo no Governo do Estado?
No mais, esperar o que vai acontecer com a reforma de Rui Costa, que terminou oxigenando o discurso oposicionista de que o morador mais ilustre do Palácio de Ondina cometeu “estelionato eleitoral” ao passar para o eleitor que a situação financeira do governo estava sob controle, que tudo corria conforme o figurino da boa e exemplar administração da coisa pública.
PS – Geraldo Simões, um dos fundadores do PT de Itabuna, é portador de uma invejável coerência na sua vida pública. O exemplo bem tupiniquim desse seu nexo político, se deu com a inusitada aliança entre Rui Costa e Fernando Gomes, atual gestor de Itabuna e considerado, por muito tempo, o maior inimigo do PT no sul da Bahia, daqueles que não perdiam a oportunidade de esculhambar com o partido e os petistas. Geraldo, quando questionado sobre o enlace político entre Rui e Fernando, foi hilariante: “casamento de cobra com jacaré”. A dúvida, até hoje não esclarecida, ficou por conta de quem seria a cobra e o jacaré.

MIOLO INVESTIRÁ R$ 30 MILHÕES EM PRODUÇÃO DE VINHOS E SUCOS NA BAHIA

Tempo de leitura: 2 minutos

Grupo Miolo assina protocolo de intenções com governo baiano || Foto Camila Souza/GovBA

O Grupo Miolo deverá dobrar a produção de vinhos, destilados, espumantes e sucos na Bahia, passando de 4 milhões para 8 milhões de litros produzidos, por ano, no estado nordestino. Nesta quarta (5), representantes da empresa e do governo baiano assinaram protocolo de intenções para investimentos que totalizam R$ 30 milhões em ampliação da unidade em Casa Nova e fábrica de suco no município de Barra, ambos no norte da Bahia.
A unidade baiana gera 30% da receita do grupo no Brasil. Com as intenções assinadas ontem com o governador Rui Costa, o grupo ampliará de 180 para 280 o número de empregos no Estado.
O investimento em Barra aproveitará estrutura fabril desativada da Barra Frutos, com instalação de equipamentos e implantação de vinhedo em área de 50 hectares. Nesta fase, de acordo com a empresa, são 200 novos empregos. Na assinatura do protocolo de intenções, estiveram, além do governador Rui Costa, o vice João Leão, a secretária estadual de Desenvolvimento Econômico (SDE), Luiza Maia, assim como o superintendente e o presidente do Conselho de Administração do Grupo Miolo, Adriano Miolo e Eurico Benedetti, respectivamente.

Leia Mais

ACORDO ASSEGURA "RODÍZIO" GOVERNISTA NA PRESIDÊNCIA DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Adolfo, Alex Lima, Nelson Leal e Rosemberg || Reprodução Twitter

O deputado Nelson Leal (PP) deverá ser o presidente da Assembleia Legislativa em fevereiro de 2019, após acordo selado entre candidatos ao comando da Mesa Diretora da Alba. No esquema de rodízio, Adolfo Menezes (PSD) deverá comandar a casa no biênio 2021-2022.
Alex Lima (PSB) deverá ser o vice-presidente da Mesa Diretora em 2019, conforme o acordo que também definiu Rosemberg Pinto (PT) como o líder do governo em 2019 (reveja aqui).
O governador Rui Costa usou a conta pessoal no Twitter para dizer que o acordo na base é “histórico”. Para ele, a posição adotada pelos dois maiores partidos aliados “reflete o amadurecimento político” dos parlamentares.

RUI COSTA REAGE A VÍDEO EM QUE BOLSONARO FAZ PIADA CONTRA OS BAIANOS

Tempo de leitura: < 1 minuto

O governador Rui Costa, que subiu o tom contra Jair Bolsonaro (PSL) desde a semana passada, foi às redes sociais em reação a vídeo em que o presidenciável faz piada contra os baianos. O vídeo viralizou e traz Bolsonaro dizendo que é vantagem comprar carro na Bahia, porque o veículo já vem com o freio de mão puxado, relacionando o baiano à preguiça.
– Respeite os baianos, candidato. Lamentável o comentário do candidato Jair Bolsonaro sobre a Bahia e os baianos. Aqui, com muito raça foi consolidada a independência do Brasil e o povo gritou: “Com tiranos não combinam brasileiros corações” – reagiu Rui Costa.
O governador disse que o estado é formado por “gente trabalhadora no campo e na cidade”. E conclui:
– Aqui se trabalha muito para sobreviver com dignidade. Baianas e baianos desprezam, candidato, sua fala preconceituosa e estarão sempre a postos para responder a quem quer que seja que tente desrespeitar a Bahia. Nosso Estado é de paz, é criativo, é de todas as crenças e credos. Chega de preconceito, de racismo, de Ódio e Violência. Somos um Povo só: O Povo Brasileiro.
Em vídeo, Bolsonaro relaciona a preguiça aos baianos:

Lamentável o comentário do candidato Jair Bolsonaro sobre a Bahia e os baianos. Aqui, com muito raça foi consolidada a independência do Brasil e o povo gritou: “Com tiranos não combinam brasileiros corações”. Nosso estado é pobre mas é de gente trabalhadora no campo e na cidade. Aqui se trabalha muito para sobreviver com dignidade. Baianas e baianos desprezam, candidato, sua fala preconceituosa e estarão sempre a postos para responder a quem quer que seja que tente desrespeitar a Bahia. Nosso Estado é de paz, é criativo, é de todas as crenças e credos. Chega de preconceito, de racismo, de Ódio e Violência. Somos um Povo só: O Povo Brasileiro.

Posted by Rui Costa on Wednesday, October 24, 2018

BIG DATA/TV ITAPOAN: RUI LIDERA CORRIDA AO GOVERNO BAIANO COM 57%; JOSÉ RONALDO ATINGE 16%

Tempo de leitura: < 1 minuto

Rui Costa atinge 57% das intenções de voto no Big Data

A mais nova pesquisa Real Time Big Data sobre a disputa ao governo baiano traz Rui Costa (PT) ainda mais consolidado na corrida sucessória. Com 57% das intenções de voto, ele seria reeleito no primeiro turno, de acordo com o instituto. Principal adversário, José Ronaldo (DEM) atinge 16¨.
Marcos Mendes (PSOL) surge com 3%, enquanto João Santana (MDB) e João Henrique (PRTB) têm 1% cada um. Juntos, Célia Sacramento (Rede) e Orlando Andrade (PCO) somam 1%. Votos brancos e nulos representam 13% e os indecisos chegam a 8%, conforme o instituto.
VOTOS VÁLIDOS
Quando considerados apenas os votos válidos, segundo o Big Data, Rui alcança 72% e José Ronaldo chega a 21%. Na sequência, vêm Marcos Mendes, com 4%, e João Santana e João Henrique com 1% cada um.
O instituto informa ter ouvido 1,2 mil eleitores no dia 2. A margem de erro é de 3 pontos percentuais e a pesquisa, registrada na Justiça Eleitoral com o número BA-01122/2018, tem nível de confiança de 95%.

DEBATE NA REDE BAHIA TEM ATAQUES A RUI E DECLARAÇÃO DE VOTO DE ZÉ RONALDO

Tempo de leitura: < 1 minuto

Debate na TV Bahia reuniu 5 dos 7 candidatos ao governo baiano

O debate com candidatos ao governo baiano, nesta noite de terça (2), nas emissoras afiliadas da Rede Globo no Estado, foi marcado por ataques ao governador Rui Costa (PT) e a declaração de voto de José Ronaldo (DEM) ao presidenciável José Bolsonaro (PSL). “Domingo eu vou votar para derrotar o PT”, disse o ex-prefeito de Feira de Santana no quinto bloco, o de considerações finais.
Já o governador e candidato à reeleição, Rui Costa, criticou os ataques sofridos durante o debate e fez questão de ligar, a todo momento, o nome de José Ronaldo ao Governo Temer. Zé Ronaldo retrucava dizendo não ter sido ele quem votou em Temer, numa alusão ao vice da então reeleita presidente da República, Dilma Rousseff (PT).
O debate teve a participação de apenas cinco dos sete candidatos ao governo baiano. Além de Zé Ronaldo e Rui Costa, João Santana (MDB), João Henrique (PRTB) e Marcos Mendes (PSOL) participaram do confronto. A TV Bahia adota regras da Rede Globo, o que acaba por excluir do confronto Célia Sacramento (Rede) e Orlando Andrade (PCO).
Confira trechos do debate em vídeos abaixo
Bloco 1
https://www.youtube.com/watch?v=mD9H2sKUSI8
Bloco 2

Bloco 3

Bloco 4
https://www.youtube.com/watch?v=4XFoFYBZ5kY

JUAZEIRO: RUI E HADDAD REFORÇAM COMPROMISSO COM A REVITALIZAÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Tempo de leitura: < 1 minuto

Rui e colegas de Pernambuco e Piauí fazem ato com Haddad em Juazeiro || Foto Carlos Casaes

Com um ato político às margens do Rio São Francisco, o governador baiano, Rui Costa, e o candidato a presidente da República pelo PT, Fernando Haddad, assumiram compromisso pela revitalização do rio que abastece e é fonte de sustento para mineiros e nordestinos. O ato dos candidatos foi realizado neste domingo (23) em Juazeiro, no norte baiano.
– Os baianos foram generosos em ceder a água do São Francisco para a transposição, mas nós vamos intensificar a recuperação das nascentes do São Francisco. Não vamos deixar esse rio morrer jamais, e por isso nós temos que desassorear o rio – disse Haddad, acompanhado pelos governadores Rui Costa (Bahia), Paulo Câmara (Pernambuco) e Wellington Dias (Piauí).
O governador Rui Costa falou em vitória de Haddad. “Vamos dar uma vitória maiúscula a Fernando Haddad, que já assumiu o compromisso de fazer a revitalização e salvar o nosso Velho Chico”, disse o gestor baiano, candidato à reeleição. “Política se faz com amor e união”, completou ele, citando os colegas governadores nordestinos e os candidatos ao Senado pela Bahia em sua chapa – Jaques Wagner (PT) e Angelo Coronel (PSD).

Back To Top