skip to Main Content
24 de maio de 2020 | 06:36 pm

A CONVERSA DE FERNANDO GOMES COM RUI COSTA

Tempo de leitura: 3 minutos

Marco Wense

 

O governador vai tentar convencer Fernando de que o melhor caminho é um partido aliado do governo. Se o conselho não for seguido, o bom relacionamento com o neoaliado, que chegou até a colocar a estrela do PT do lado esquerdo do peito, tende a se esfriar.

 

O encontro do prefeito Fernando Gomes com o governador Rui Costa, tendo como pauta principal a sucessão de Itabuna, vem provocando uma avalanche de especulações e disse-me-disse.

A decisão do alcaide, que continua sem abrigo partidário, de disputar ou não à reeleição (ou o segundo mandato consecutivo) mexe com todo o pleito para o cobiçado comando do centro administrativo Firmino Alves.

Salta aos olhos, que não precisam ser do tamanho dos da coruja, que o processo sucessório com Fernando Gomes disputando o sexto mandato é um. Sem ele, outro completamente diferente.

As torcidas dos prefeituráveis caminham em sentidos opostos. Cito dois exemplos, sem dúvida os mais interessantes. O grupo de Mangabeira (PDT) quer Fernando como candidato. Já o do Capitão Azevedo (PL) reza todos os dias para que o atual gestor não tenha seu nome nas urnas eletrônicas.

Com Fernando na disputa, as chances do ex-prefeito Azevedo caem abruptamente. Ambos têm os mesmos redutos eleitorais, são políticos que pertencem ao campo do populismo. A polarização com Mangabeira é dada como favas contadas. O voto útil do antifernandismo vai ser direcionado para o pedetista.

Sem o experiente Fernando Gomes, Azevedo passa a ser o maior adversário de Mangabeira, que continua na frente nas pesquisas de intenções de voto e com um baixíssimo índice de rejeição, que, quando comparado aos de Fernando e Geraldo Simões, pré-candidato do PT, quase que não existe.

E a conversa de Fernando Gomes com Rui Costa? Eu diria que o chefe do Palácio de Ondina não anda nada satisfeito com a possibilidade do alcaide ir para uma legenda que não seja da base aliada, como o Republicanos do bispo e deputado federal Márcio Marinho, que apoia o governo soteropolitano de ACM Neto (DEM) e o prefeiturável Bruno Reis, também demista.

No evento que anunciou Bruno Reis como postulante do DEM à prefeitura de Salvador, Marinho afirmou, com todas as letras maiúsculas, que a legenda vai pleitear a vice do democrata. “O Republicanos faz parte da base do prefeito ACM Neto”, disse o parlamentar.

Ora, o governador, conversando com seus próprios botões, como diria o irreverente e polêmico jornalista Mino Carta, vai dizer mais ou menos assim: Fiz de tudo para alavancar a pré-candidatura dele (Fernando Gomes) e agora ele quer ir para uma legenda que me tem como adversário e que vai apoiar a candidatura de ACM Neto ao governo da Bahia na eleição de 2022.

Vale lembrar que Marinho, aqui em Itabuna representado por Lourival Vieira, presidente do diretório local, não cansa de dizer que quer distância do Partido dos Trabalhadores. O bispo da Igreja Universal é adepto fervoroso do “PT nunca mais”. Como não bastasse, já descartou qualquer tipo de aliança com Rui Costa.

O governador vai tentar convencer Fernando de que o melhor caminho é um partido aliado do governo. Se o conselho não for seguido, o bom relacionamento com o neoaliado, que chegou até a colocar a estrela do PT do lado esquerdo do peito, tende a se esfriar. Começam a aparecer as primeiras pulgas atrás das orelhas da autoridade máxima do Poder Executivo estadual.

No mais, esperar o resultado da conversa. Se eu fosse apostar, jogaria todas as fichas que Fernando Gomes não vai para o Republicano.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

A CONVERSA DE FERNANDO GOMES COM RUI COSTA

Tempo de leitura: 3 minutos

Marco Wense

 

 

O governador vai tentar convencer Fernando de que o melhor caminho é um partido aliado do governo. Se o conselho não for seguido, o bom relacionamento com o neoaliado, que chegou até a colocar a estrela do PT do lado esquerdo do peito, tende a se esfriar.

 

O encontro do prefeito Fernando Gomes com o governador Rui Costa, tendo como pauta principal a sucessão de Itabuna, vem provocando uma avalanche de especulações e disse-me-disse.

A decisão do alcaide, que continua sem abrigo partidário, de disputar ou não à reeleição (ou o segundo mandato consecutivo) mexe com todo o pleito para o cobiçado comando do centro administrativo Firmino Alves.

Salta aos olhos, que não precisam ser do tamanho dos da coruja, que o processo sucessório com Fernando Gomes disputando o sexto mandato é um. Sem ele, outro completamente diferente.

As torcidas dos prefeituráveis caminham em sentidos opostos. Cito dois exemplos, sem dúvida os mais interessantes. O grupo de Mangabeira (PDT) quer Fernando como candidato. Já o do Capitão Azevedo (PL) reza todos os dias para que o atual gestor não tenha seu nome nas urnas eletrônicas.

Com Fernando na disputa, as chances do ex-prefeito Azevedo caem abruptamente. Ambos têm os mesmos redutos eleitorais, são políticos que pertencem ao campo do populismo. A polarização com Mangabeira é dada como favas contadas. O voto útil do antifernandismo vai ser direcionado para o pedetista.

Sem o experiente Fernando Gomes, Azevedo passa a ser o maior adversário de Mangabeira, que continua na frente nas pesquisas de intenções de voto e com um baixíssimo índice de rejeição, que, quando comparado aos de Fernando e Geraldo Simões, pré-candidato do PT, quase que não existe.

E a conversa de Fernando Gomes com Rui Costa? Eu diria que o chefe do Palácio de Ondina não anda nada satisfeito com a possibilidade do alcaide ir para uma legenda que não seja da base aliada, como o Republicanos do bispo e deputado federal Márcio Marinho, que apoia o governo soteropolitano de ACM Neto (DEM) e o prefeiturável Bruno Reis, também demista.

No evento que anunciou Bruno Reis como postulante do DEM à prefeitura de Salvador, Marinho afirmou, com todas as letras maiúsculas, que a legenda vai pleitear a vice do democrata. “O Republicanos faz parte da base do prefeito ACM Neto”, disse o parlamentar.

Ora, o governador, conversando com seus próprios botões, como diria o irreverente e polêmico jornalista Mino Carta, vai dizer mais ou menos assim: Fiz de tudo para alavancar a pré-candidatura dele (Fernando Gomes) e agora ele quer ir para uma legenda que me tem como adversário e que vai apoiar a candidatura de ACM Neto ao governo da Bahia na eleição de 2022.

Vale lembrar que Marinho, aqui em Itabuna representado por Lourival Vieira, presidente do diretório local, não cansa de dizer que quer distância do Partido dos Trabalhadores. O bispo da Igreja Universal é adepto fervoroso do “PT nunca mais”. Como não bastasse, já descartou qualquer tipo de aliança com Rui Costa.

O governador vai tentar convencer Fernando de que o melhor caminho é um partido aliado do governo. Se o conselho não for seguido, o bom relacionamento com o neoaliado, que chegou até a colocar a estrela do PT do lado esquerdo do peito, tende a se esfriar. Começam a aparecer as primeiras pulgas atrás das orelhas da autoridade máxima do Poder Executivo estadual.

No mais, esperar o resultado da conversa. Se eu fosse apostar, jogaria todas as fichas que Fernando Gomes não vai para o Republicano.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

DESGASTE E JUSTIÇA LEVAM RUI COSTA A PEDIR À ALBA SUSPENSÃO DA PEC DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Tempo de leitura: 2 minutos

Rui Costa pediu suspensão da tramitação da PEC 158

Rosemberg diz que Rui foi sensível a clamor das entidades representativas

Com desgaste no seio do funcionalismo e mandado de segurança do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) contra a tramitação, o governador Rui Costa decidiu por enviar ofício, nesta terça (14), para a Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) retirando da pauta de votação a reforma da Previdência para servidores e policiais.

Segundo o líder do Governo na Alba, Rosemberg Pinto (PT), busca-se com a suspensão aprofundar os estudos e análises das sugestões enviadas por várias entidades representativas do funcionalismo ao governo baiano na última semana.

Para o líder do Governo na Casa, “a atitude de Rui demonstra a sensibilidade do Governo em buscar o diálogo e avaliar em conjunto com os parlamentares uma reforma, que é obrigatória, e que não tenha tanto impacto na vida do servidor estadual”. Nova proposta deve ser enviada à Alba ainda nesta semana, conforme previsão do líder governista.

MANDADO DE SEGURANÇA

Hilton Coelho: mandado de segurança contra PEC

No final de semana, a desembargadora Rosita Falcão acolheu pedido que suspendeu a tramitação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 158/2019 que modifica a Previdência Estadual. A suspensão vale até que seja julgando em definitivo o mérito do mandado de segurança. O pedido de liminar pela suspensão da tramitação foi impetrado pelo deputado Hilton Coelho (PSOL).

A liminar foi concedida no sábado (11). Ainda no domingo (12), o governador Rui Costa emitiu nota em que falava da necessidade de aprovação da PEC. O contrário, conforme sustentou em nota, compromete o equilíbrio das contas públicas do Estado. Ainda conforme ele, a reforma é necessária para adequar a previdência estadual à nacional, após reforma aprovada pelo Congresso Nacional a pedido do presidente Jair Bolsonaro.

RUI COSTA PASSA BEM DEPOIS DE CIRURGIA PARA RETIRADA DE NÓDULO NA MAMA

Tempo de leitura: 2 minutos

Rui Costa é submetido a cirurgia para retirada de nódulo

O governador Rui Costa passa bem após ser submetido a cirurgia para retirada de nódulo na mama. A intervenção cirúrgica ocorreu no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, na manhã de ontem (5). A cirurgia para retirada de nódulo mamário identificado durante investigação no mês passado, segundo o médico e secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, que é o cardiologista do governador.

Vilas-Boas disse que não havia indicação de malignidade na biópsia, mas os médicos optaram pela retirada lateral das glândulas mamárias. Cirurgião plástico do Hospital Sírio Libanês, Marcelo Sampaio informou que Rui está em plena recuperação. Rui é acompanhado pela esposa, Aline Peixoto, e uma das filhas, segundo a Secretaria de Comunicação do Estado.

DETECÇÃO PRECOCE

A identificação precoce de doenças aumenta as chances de um tratamento eficaz. Para tanto, devem ser realizados exames de rotina, bem como a busca imediata do diagnóstico médico após a identificação de qualquer desconforto ou alteração no organismo, sobretudo a partir dos 50 anos. Foi o que ocorreu com o governador Rui Costa, de 57 anos, que procurou atendimento médico após sentir dores no peito esquerdo.

Foi realizado um check up clínico e cardiovascular completo, que indicou normalidade para todas as principais funções do organismo. Já os exames identificaram um aumento benigno, porém doloroso da glândula mamária esquerda do governador, chamado de ginecomastia.

CÂNCER DE MAMA EM HOMENS

De acordo com o cirurgião Marcelo Sampaio, embora raro, homens também podem ter câncer de mama. “Para cada 100 mulheres diagnosticadas com câncer de mama, há 1 homem com o mesmo diagnóstico. Normalmente, ele aparece em homens acima dos 60 anos e pode ser mais frequente em homens cujas famílias apresentam muitos casos de câncer de mama (mesmo que em mulheres)”.

A mãe do governador Rui Costa teve câncer de mama em idade muito precoce, conforme já revelou o gestor em diversas entrevistas e discursos.

O médico Marcelo Sampaio explica que, ao primeiro sinal de uma caroço na mama, ou inchaço próximo do mamilo, ou secreção, é bom agendar uma consulta. “O aumento da mama no homem, ou mesmo o caroço, pode ser só uma ginecomastia – o caso do governador – que significa um aumento benigno da glândula mamária do homem, mas, em outras situações, pode haver risco para câncer de mama”.

RUI COSTA PASSARÁ O RÉVEILLON EM ITACARÉ

Tempo de leitura: < 1 minuto

Rui, à direita, acompanhado de Tonho de Anízio (centro) e o deputado Rosemberg Pinto

Itacaré espera receber cerca de 250 mil turistas nesta virada de ano. O governador Rui Costa está entre as autoridades que devem entrar 2020 num dos principais destinos turísticos do Estado.

O município é administrado pelo único prefeito do PT do no sul da Bahia, Tonho de Anízio, que tem gestão bem avaliada e é considerado, até aqui, o favorito para a disputa de 2020 no município.

Rui teria a companhia de Lula em Itacaré, porém o ex-presidente desistiu da viagem ao sul do Estado. Segundo apurou o PIMENTA, a desistência estaria relacionada a questões de segurança.

MAIOR RÉVEILLON DO BRASIL

Itacaré promoverá uma grande Festa da Virada na orla da cidade e ainda terá uma das principais festas de réveillon do Brasil, o Réveillon Número 1, promovido pela Holding Clube, do empresário Victor Oliva.

PDT E O GOVERNO RUI COSTA; AZEVEDO COM RENATO COMO VICE

Tempo de leitura: 3 minutos

Marco Wense

 

 

Azevedistas são da opinião de que Azevedo anda solitário, sem grupo político, que a aproximação com Renato Costa pode amenizar esse isolamento, em que pese a posição do capitão de segundo colocado nas pesquisas de intenções de voto.

 

O Partido Democrático Trabalhista, sob o comando do deputado federal Félix Mendonça Júnior, caminha a passos largos para deixar a base aliada do governador Rui Costa. É só uma questão de tempo.

A filiação de Leo Prates ao PDT, secretário de Saúde de Salvador, portanto do prefeito ACM Neto, é o começo do rompimento político entre petistas e pedetistas. Se o deputado estadual licenciado for o vice na chapa encabeçada pelo vice-prefeito Bruno Reis, pré-candidato ao Palácio Thomé de Souza, a consequência imediata é a saída da legenda da base aliada.

O próprio governador Rui Costa, ao ser questionado sobre a ida de Leo para o staff brizolista, disse que não garante a permanência da sigla em sua base, o que pressupõe que o PDT terá que entregar todos os cargos que tem na máquina governista.

Setores do Partido dos Trabalhadores, mais preocupados em indicar os companheiros para os cargos do que com a dissolução da aliança, vão pressionar o chefe do Palácio de Ondina. Querem que o PDT deixe imediatamente o governo.

É evidente que a aproximação do PDT com o DEM só faz sentindo se a conversa ficar amarrada para a eleição de 2022, se for boa para os dois lados. O PDT apoiando a candidatura de ACM Neto ao governo do Estado e, como contrapartida, não só o apoio de Neto como sua articulação para aproximar o DEM da pré-candidatura de Ciro Gomes. É bom lembrar que o alcaide soteropolitano é o presidente nacional do Partido do Democratas.

Politicamente falando, não restou outra saída para o PDT, se é que pretende levar Ciro para um segundo turno. A sigla teve que escolher entre procurar outro caminho ou ficar sendo eternamente coadjuvante do petismo baiano, adepto da farinha pouca, meu pirão primeiro, como diz a sabedoria popular.

O próximo imbróglio que o governador terá que resolver é com o PSD, que não abre mão do senador Otto Alencar disputando a sucessão estadual em 2022. O que se comenta nos bastidores é que existe um acordo entre o chefe do Executivo e o parlamentar. O problema é Jaques Wagner, cuja pré-candidatura é dada como favas contadas, sendo uma exigência do ex-presidente Lula, o petista-mor.

O importante é Ciro ter um palanque forte na Bahia, assim como o PT quer ter no Sul e Sudeste do país.

RENATO COSTA COMO VICE

Correligionários mais próximos do capitão Azevedo, prefeiturável do PL à prefeitura de Itabuna, querem Renato Costa, presidente do PSB local, como vice do militar.

Azevedo e o pré-candidato do PDT, Antônio Mangabeira, não participam da chamada “Frente Para Salvar Itabuna”, que tem na coordenação o petista Geraldo Simões, ex-gestor de Itabuna e também postulante ao centro administrativo Firmino Alves.

A frente é composta pelo PCdoB de Davidson Magalhães, PSD do ex-tucano Augusto Castro, PSB de Renato Costa e, obviamente, o PT presidido pelo ceplaqueano Jackson Moreira.

Leia Mais

LEAL APONTA TRABALHO DE WAGNER, RUI E LEÃO PARA OBRAS DA PONTE SALVADOR-ITAPARICA

Tempo de leitura: 2 minutos

Leal, ao centro, aponta acertos de Wagner, Rui e Leão para obra

O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), deputado Nelson Leal, disse que o início da construção da Ponte Salvador-Itaparica é uma vitória do senador Jaques Wagner, do governador Rui Costa e do vice-governador João Leão. “Wagner, quando governador, acreditou na ideia. O seu sucessor, governador Rui Costa, continuou a tocar o projeto desenvolvido com muita competência e desvelo pelo vice-governador João Leão”, disse. A previsão de início das obras da Ponte Salvador-Itaparica é em 2021, com investimento de R$ 7,5 bilhões.

Para o presidente do Legislativo baiano, o projeto é de extrema importância para o desenvolvimento econômico da Bahia, impactando positivamente na geração de emprego e renda e na melhoria da qualidade de vida dos baianos. “A matriz econômica da Bahia irá se transformar radicalmente quando a Ponte Salvador-Itaparica e o Sistema Viário do Oeste estiverem totalmente concluídos em 2025. As duas obras vão gerar desenvolvimento, criar 10 mil novos empregos diretos e encurtar distâncias. O trajeto Salvador-Ilhéus, por exemplo, será reduzido em 157 quilômetros”, explica Nelson Leal.

A ponte deverá ser construída pelo consórcio formado por três empresas chinesas, a China Railway 20, a CCCC South America e a China Communications Construction. Durante o período de 30 anos de concessão, o sistema viário vai gerar expressivos R$ 57 bilhões em arrecadação, sendo metade oriunda da cobrança de pedágio e a outra parte vinda de impostos, como do ICMS, conforme estimativas.

A Ponte Salvador-Itaparica terá 12,3 km de extensão e integra o Sistema Viário do Oeste, que também contempla a implantação dos acessos ao equipamento em Salvador, que serão feitos por túneis e viadutos, e em Vera Cruz, com a ligação à BA-001, junto com uma nova rodovia expressa. Haverá ainda uma interligação com a Ponte do Funil, que também será revitalizada.

A REBELDIA DE RUI COSTA

Tempo de leitura: 2 minutos

Marco Wense

São outros tempos no ambiente do Partido dos Trabalhadores. O governador da Bahia, Rui Costa, vem protagonizando essa mudança, hasteando a bandeira de que o PT precisa fazer uma urgente e profunda reflexão.

 

 

Em nova entrevista, agora na Folha de São Paulo, edição de ontem, sábado (14), o morador mais ilustre do Palácio de Ondina mostrou mais uma vez sua insatisfação com o PT, principalmente com o lulopetismo.

Rui já tinha deixado o ex-presidente Lula irritado quando disse que a defesa do movimento “Lula Livre” não poderia condicionar as alianças com outras legendas. O senador Jaques Wagner impediu uma tomada de posição mais dura da cúpula nacional do petismo, tendo na linha de frente a incendiária Gleisi Hoffamann. Até um possível pedido de expulsão foi ventilado.

O mandatário-mor do quarto colégio eleitoral do Brasil, que se reelegeu no primeiro turno com mais de 75% dos votos válidos, diz que Lula “precisa pregar a pacificação do país”, que o partido “deve ajustar o discurso”, que “a radicalização é um mal”, que os petistas erram ao “condenar investimento privado na área social”. Como não bastasse, Rui joga parte da culpa pela situação econômica no colo da ex-presidente Dilma Rousseff. “É evidente que estamos vindo de cinco anos de recessão”, diz o rebelde governador.

Pois é. Enquanto Rui conquistou o segundo mandato consecutivo com uma invejável votação, Fernando Haddad sequer foi para o segundo turno na tentativa de continuar no cargo de prefeito de São Paulo. O preferido de Lula, chamado de “poste” na última eleição presidencial, perdeu em todas as urnas.

Rui faz também uma crítica a Lula quando deixa claro que o PT deve apoiar candidatos da base aliada que estejam melhor colocados nas pesquisas de intenções de voto nas sucessões municipais, dando assim um chega pra lá na soberba lulista. “O PT não é partido de apoio”, disse Lula quando saiu da cadeia.

É evidente que a legítima pretensão de Rui de ser o candidato do PT à presidência da República ficou mais complicada. Nos bastidores da alta cúpula petista, o que se comenta é que o ex-presidente ficou retado da vida com o “companheiro”. Já é a terceira vez que o governador da Bahia faz declarações que terminam deixando Lula irritado.

Os meios de comunicação ligados ao ex-presidente saíram em sua defesa. O blog Cidadania, por exemplo, estampou a seguinte manchete: “RUI COSTA ACHA QUE PODE DAR LIÇÃO A LULA”.

Toda vez que tem esse pega-pega do governador da Bahia com o comando nacional da legenda, vem à tona a conversa de que Rui Costa pode deixar o PT, que seu destino seria o PSB. Há quem diga que essa articulação vem sendo trabalhada, costurada em doses homeopáticas. Nem a deputada federal Lídice da Mata, presidente estadual do Partido Socialista Brasileiro, tem conhecimento.

Qual será a próxima rebeldia de Rui Costa? Essa é a pergunta que mais se ouve no lulopetismo.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

WAGNER E JOSIAS GOMES DESTACAM PRODUÇÃO E QUALIDADE DA BIOFÁBRICA BAHIA

Tempo de leitura: 2 minutos

Senador Wagner conhece novas mudas produzidas pela Biofábrica Bahia

O senador e ex-governador da Bahia Jaques Wagner e o secretário estadual de Desenvolvimento Rural, Josias Gomes, destacaram a presença da Biofábrica da Bahia com estande promocional da nova marca e novo nome lançados na 10ª Feira Baiana da Agricultura Familiar e Economia Solidária, em Salvador. Senador e secretário conheceram, no evento, os lançamentos da Biofábrica, as mudas de palma forrageira e de cacau ortotrópicas.

Josias disse que a presença da Biofábrica na Feira em Salvador demonstra a vitalidade com que seus técnicos e a direção têm tratado o tema da maior relevância para a agricultura, a produção de mudas selecionadas, produzidas em laboratório, com todo rigor técnico. “Certeza de que com esses produtos nós estamos aumentando cada vez mais a produção agrícola de toda a Bahia. Sou um entusiasta do trabalho que hoje é praticado pela Biofábrica”, disse Josias Gomes.

Para Jaques Wagner, a Biofábrica da Bahia tem inovado. “Sou empolgado com a Biofábrica, sempre fui, Lanns sabe disso, no governo e mesmo fora do governo, sempre tentei ajudar. Achei que foi uma grande ideia comemorar os 20 anos da Biofábrica aqui na Feira Baiana da Agricultura Familiar, renovando o formato, a marca, mas mantendo a mesma energia e paixão que nós temos em ajudar o povo da agricultura em geral. Parabéns a Lanns e a toda a sua equipe. Espero que a gente consiga inovar cada vez mais”, afirmou Jaques Wagner.

O secretário Josias Gomes, ao lado de Lanns, destaca o vigor da Biofábrica

“Nós, da Biofábrica da Bahia, ficamos muito felizes com esse momento de novos desafios e metas, que escolhemos expor aqui na 10ª Feira Baiana da Agricultura Familiar, por toda sua importância e representatividade”, disse o diretor-presidente da Biofábrica, Lanns Almeida. “Temos muito trabalho pela frente para continuarmos produzindo mudas de excelência e fomentando o desenvolvimento rural na Bahia e no Brasil, com responsabilidade ambiental e social, envolvendo diversos setores da agricultura, desde a pesquisa e produção à extensão rural, num esforço conjunto em prol do nosso estado e do nosso país. Gratidão ao governo do estado, por meio do governador Rui Costa, à SDR, por meio do secretário Josias, ao senador Jaques Wagner e a todos que acreditam no potencial da Biofábica, que é de todos nós”.

A Biofábrica da Bahia, organização social sem fins lucrativos, possui parceria com o Governo da Bahia, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Rural. Por seu estande na Feira Baiana da Agricultura Familiar passaram milhares de pessoas de diversas regiões do Brasil durante os nove dias de evento, que terminou no domingo (1º). A Feira ocorre, anualmente, durante a Fenagro, no Parque de Exposições de Salvador.

WAGNER DIZ NÃO TER A PRETENSÃO DE CONCORRER AO GOVERNO BAIANO EM 2022

Tempo de leitura: < 1 minuto

Wagner diz não ter pretensão de disputar 2022 || Foto Antonio Cruz/Agência Brasil

O senador Jaques Wagner (PT) disse, nesta segunda (2), não ter a pretensão de concorrer ao governo da Bahia em 2022. Durante entrevista ao programa Isso é Bahia, d´A Tarde FM, o ex-governador mostrou preferência pela renovação política do partido.

– Essa é uma crítica que eu faço, vejo uma carência de formação de novos quadros. Digo que não é a minha pretensão ser candidato em 2022. Mas se for para o bem do grupo, meu nome está à disposição – disse.

Também falou de nomes naturais do campo de esquerda para 2022 no plano nacional, por ordem, Fernando Haddad, Rui Costa, governador da Bahia, e Flávio Dino, governador do Maranhão. Mas, observa, se Lula estiver impedido de disputar o pleito.

Back To Top